Melo e Kubot são vice-campeões do US Open

Marcelo Melo e Lukasz Kubot são vice-campeões do US Open. Nesta sexta-feira (7), na final do Grand Slam, no Arthur Ashe Stadium, foram derrotados pelos norte-americanos Mike Bryan e Jack Sock  – cabeças 3 – por 2 sets a 0, parciais de 6/3 e 6/1, em 1h14min. Com a campanha em Nova Iorque (EUA), chegando pela primeira vez à decisão em Flushing Meadows, a dupla sobe importantes posições no ranking.

Na corrida para o ATP Finals, o resultado colocou Melo e Kubot entre as oito melhores parcerias da temporada, em oitavo lugar, com 3.570 pontos. No ranking mundial individual de duplas da ATP, o mineiro passou de 14º para sexto, com Kubot subindo de 13º para quinto do mundo, ambos com 5.790 pontos – eles empatam, mas pelo primeiro critério de desempate – torneios disputados ao longo de 52 semanas -, Melo tem uma competição a mais.

“Um grande momento para nós, por ter chegado a mais uma final de Grand Slam. Muito orgulhoso por estar aqui, disputar esta final. Eles foram muito bem hoje (sexta) para ficar com o título”, explicou Marcelo.

Foram quatro decisões de Grand Slam na carreira de Marcelo até agora, com dois títulos (Wimbledon 2017 – com Kubot – e Roland Garros 2015 – com o croata Ivan Dodig) e dois vice (US Open 2018 – com Kubot – e Wimbledon 2013 – com Dodig). No US Open, antes do vice deste ano, Melo havia chegado duas vezes até as semifinais, em 2013 e 2014.

O primeiro set da decisão começou bastante equilibrado, com as duas duplas mantendo os seus serviços até o oitavo game. Nele, Melo e Kubot chegaram a salvar quatro break points, mas Bryan e Sock conseguiram a quebra, marcaram 5/3 e sacaram para fazer 6/3 e vencer a série. A dupla norte-americana voltou com tudo para o segundo set, com dois breaks, abrindo 4/0, com grande atuação de Sock. Melo e Kubot confirmaram o game na sequência, marcaram 4/1, tentaram reagir na partida, mas os adversários mantiveram o domínio para fechar em 6/1 e comemorar o segundo título de Grand Slam seguido da parceria, campeã em Wimbledon.

US Open: Serena domina e decidirá final em Nova York

Um ano após se tornar mãe pela primeira vez e passar por graves complicações no pós parto, Serena Williams está na sua segunda final de Grand Slam consecutiva. Vice-campeã de Wimbledon em julho, ela decide no sábado o US Open, em busca do recorde e do seu 24o. título da categoria. Na noite de quinta-feira ela derrotou Anastasija Sevastova, da Letônia, por 6/3 6/0 para se garantir na sua 9a. final em Nova York e na 31a. da carreira.

“Um ano atrás, depois da Olympia nascer eu literalmente estava lutando pela minha vida, então sou muito agradecida cada vez que piso nesta quadra. Não importa o que acontecer, semifinal, final, eu sinto que já venci,” disse Serena, após a consistente vitória diante da tenista da Letônia.

No domingo, em que jogará pelo sétimo título no Arthur Ashe Stadium, Serena enfrentará a vencedora do jogo entre Madison Keys e Naomi Osaka.

Um dos maiores ícones culturais e esportivos do mundo, Serena afirmou que não imaginou que seria tão duro voltar a competir após a maternidade. O documentário produzido pela HBO mostra detalhes do dia a dia da super campeã, sofrendo com a falta de ritmo, o excesso de peso, a demanda muito maior do que estava acostumada de treinos para voltar ao nível competitivo e a luta interna entre o desejo de cuidar da criança e ter que trabalhar para vencer.

Neste US Open, Serena, que venceu o seu primeiro Grand Slam justamente nestas quadras quase 20 anos atrás (1999), conta que o diferencial foi a sua melhora física. É notável que todo o esforço que ela vem fazendo está sendo recompensado.

Diante de campeãs mais jovens, com ritmo de jogo e mais embalo do que Serena,36 anos, fala mais alto, além do talento e competência, a experiência, o amor pelo esporte e o desejo da vitória, acima de tudo.

Diana Gabanyi

Melo e Kubot vencem surpreendente dupla e chegam à final do US Open

Marcelo Melo está na grande final do US Open, quarto e último Grand Slam da temporada, disputado no piso duro, em Nova York, nos Estados Unidos.

Nesta quinta-feira, o mineiro e o polonês Lukasz Kubot superaram a surpreendente dupla formada pelo moldavo Radu Albot e o tunisiano Malek Jaziri, que vinha de vitória sobre Bruno Soares e Jamie Murray, com parciais de 7/6(3) 3/6 e 6/3.

Essa será a quarta final de Grand Slam do mineiro, que vai em busca do 3º título, depois do triunfo em Wimbledon, no ano passado, já com Kubot, e de Roland Garros, em 2015, quando jogava ao lado do croata Ivan Dodig.

Na final, Melo e Kubot aguardam os vencedores da partida entre os norte-americanos Mike Bryan e Jack Sock e os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah.

Foto: USTA/Pete Staples

Bellucci vence favorito Klizan e avança às quartas em Genova

O tenista brasileiro Thomaz Bellucci avançou nesta quinta-feira às quartas-de-final do Challenger de Genova, na Itália, com premiação de 127 mil Euros. Bellucci, que entrou na chave principal de lucky loser, derrotou o cabeça-de-chave 1, o eslovaco Martin Klizan 71o. colocado no ranking mundial, de virada, salvando match point, por 3/6 7/5 4/0 e desistência do adversário. O brasileiro volta a jogar nesta sexta, em busca de vaga na semifinal, contra o chileno Christian Garin (158o.).

“Foi um jogo bem duro. Tive bem perto de perder no segundo set, mas consegui salvar match point. Acho que o meu mérito hoje foi continuar lutando e não desistir, acreditando até o último ponto. Não fiz uma grande partida, mas no terceiro set consegui subir o meu nível e ele sentiu a chance perdida de ganhar o jogo. Depois daquele game do match point o jogo foi outro e consegui dominar bastante, jogar sólido, cometer poucos erros e ele acabou errando bastante. É bom ganhar de um cara top 100, um grande jogador que é o Klizan e seguimos na luta,” disse Bellucci, atual 311o. no ranking mundial.

Nishikori vence Cilic em 5 sets e fará semi do US Open com Djokovic, que eliminou Millman

Nesta quinta-feira, foi definida a segunda semifinal da chave masculina do US Open, quarto e último Grand Slam da temporada, disputado no piso duro.

A primeira partida do dia foi a mais equilibrada e emocionante, como se esperada, e acabou com a vitória do japonês Kei Nishikori sobre o croata Marin Cilic.

Depois de um bom início de Cilic, Nishikori se recuperou na partida, viu o croata se manter, mas fechou em cinco sets, com parciais de 2/6 6/4 7/6(5) 4/6 e 6/4.

Na rodada noturna, Novak Djokovic impôs seu favoritismo diante do australiano John Millman, que vinha da surpreendente vitória sobre Roger Federer, e venceu em sets diretos, com parciais de 6/3 6/4 e 6/4.

Com isso, na sexta, o japonês e o sérvio farão uma das semifinais, no que será o 17º jogo entre eles. No confronto direto, a vantagem é do ex-nº 1 do mundo, que venceu 14 partidas.

A outra semifinal, vale lembrar, será entre Rafael Nadal e Juan Martin Del Potro.

Foto: USTA/Darren Carroll

Thomaz Bellucci e André Sá encerram parceria de quase um ano

Quase um ano depois de terem iniciado uma parceria inédita, Thomaz Bellucci e o técnico André Sá, decidiram encerrar o trabalho em conjunto.

Durante um ano a dupla se dividiu entre Santa Catarina, São Paulo, Bradenton e o circuito mundial. No entanto, com as mudanças que ocorreram na carreira de ambos, os dois chegaram à conclusão de que a “dupla” não estava sendo efetiva. André Sá, que reside em Blumenau, se tornou consultor da ITF e Bellucci, se mudou de São Paulo para Bradenton.

“Foi muito bem ter o André ao meu lado durante todo esse tempo. Sempre admirei o André como pessoa e jogador e aprendi muito com ele. Mas, essa minha mudança de base para Bradenton e os outros compromissos do André, no longo prazo, acabaram dificultando estarmos juntos o tempo todo e nesse momento preciso de alguém que fique mais próximo de mim,” analisou Bellucci.

Para André Sá, fica a primeira experiência como técnico e ainda uma maior paixão pelo tênis. “Foi a minha primeira experiência como treinador, com muitos desafios e eu fiquei fascinado. Acho que aumentou ainda mais o meu amor pelo tênis. Gostei muito da experiência e não descarto continuar nessa linha. Trabalhamos duro juntos, demos o nosso melhor e vou seguir na torcida pelo Thomaz.”

Bellucci que já estaria sem André Sá nesta semana, manterá o trabalho que já vem fazendo há um ano com o espanhol German Lopez, em Bradenton e está decidindo junto ao empresário Marcio Torres, um outro treinador para integrar a equipe. Nesta quinta-feira, na Itália onde disputa o Challenger de Genova ele enfrenta o eslovaco Martin Klizan, em busca de uma vaga nas quartas-de-final da competição.

 

Melo e Kubot vão à semi do US Open e podem enfrentar Soares e Murray

O mineiro Marcelo Melo e o polonês Lukasz Kubot conquistaram nesta terça-feira (4) vaga na semifinal do US Open, o melhor resultado da dupla no torneio e, também, nos Grand Slam desta temporada. Cabeças de chave número 7, Melo e Kubot derrotaram os norte-americanos Austin Krajicek e Tennys Sandgren por 2 sets a 0, parciais de 6/4 e 6/2, em 1h17min, jogo válido pelas quartas de final.

Esta é a terceira vez que Marcelo chega à semifinal do US Open – antes foi semifinalista em 2013 e 2014, ambos com o croata Ivan Dodig, repetindo assim, ao lado de Kubot, suas melhores campanhas no Grand Slam norte-americano.

Agora, poderá ter pela frente na próxima rodada o também mineiro Bruno Soares que, ao lado do britânico Jamie Murray (cabeças 4), enfrenta Radu Albot (Moldávia) e Malek Jaziri (Tunísia) pelas quartas  de final, nesta quarta-feira (5).

“Foi um bom jogo. Conseguimos colocar em prática o plano que tínhamos pensado. Estamos melhorando a cada partida e estou muito feliz por chegar à semifinal. Agora é aproveitar o dia de descanso e pensar na recuperação física. Agradeço a torcida dos brasileiros que nos apoiaram”, disse Melo.

Nadal leva pneu, mas vira sobre Thiem em partida memorável e vai à semi do US Open

Épico. Histórico. Sensacional! O US Open proporcionou aos fãs de tênis, entre a noite de terça e a madrugada de quarta um dos maiores jogos dessa edição do quarto e último Grand Slam da temporada.

Rafael Nadal e Dominic Thiem entraram em quadra para mais um aguardado confronto entre eles e fizeram jus à expectativa, com um excelente jogo entre eles, que acabou com a classificação do espanhol para a semifinal.

O austríaco começou muito bem a partida, agressivo, acertando quase tudo, e obteve um raro pneu sobre o nº 1 do mundo, que se manteve no jogo, equilibrou as ações, se defendeu e contra atacou muito muito pra fechar a partida somente no tiebreak do 5º set. No fim, vitória de Nadal com parciais de 0/6 6/4 7/5 6/7(4) e 7/6(5).

Agora, na semifinal, o espanhol terá pela frente o argentino Juan Martin Del Potro, que venceu de virada o norte-americano John Isner, com parciais de 6/7(5) 6/3 7/6(4) e 6/2.

Nadal e Del Potro já se enfrentaram 16 vezes, com vantagem do espanhol no confronto direto, que saiu com a vitória em 11 oportunidades.

Nesta quarta-feira, os outros semifinalistas serão definidos, começando pela partida entre o croata Marin Cilic e o japonês Kei Nishikori. Depois, na rodada noturna, Novak Djokovic tem o favoritismo diante do surpreendente australiano John Millman.

Sevastova elimina Stephens e faz, em Nova York, sua 1ª semi de Slam, diante de Serena

Está definida a primeira semifinal da chave feminina do US Open, quarto e último Grand Slam da temporada, disputado no piso duro de Nova York.

Nesta terça-feira, o dia começou com a letã Anastasija Sevastova surpreendendo a atual campeã Sloane Stephens, vencendo por 6/2 e 6/3 pra garantir pela primeira sua participação na semifinal de um Slam.

Por vaga na final, ela terá como adversária simplesmente Serena Williams, que até teve trabalho no início do jogo, mas depois se impôs diante da tcheca Karolina Pliskova, anotando 6/4 e 6/3.

Campeã do US Open em seis oportunidades, Serena assume agora o favoritismo pra buscar o hepta enquanto a letã, logicamente, busca seu primeiro título de um dos quatro maiores torneios da temporada. Será o primeiro confronto entre elas.

A outra semi será definida nesta quarta, com os outros dois jogos das quartas de final. Primeiro, a japonesa Naomi Osaka terá uma grande chance diante da ucraniana Lesia Tsurenko, enquanto a experiente e embalada Carla Suarez Navarro, que vem de vitória sobre Maria Sharapova, encara a norte-americana Madison Keys.

Foto: Cynthia Lum

Bellucci entra em Gênova como lucky-loser e supera italiano na estreia. Rogerinho e Monteiro perdem

Depois de entrar na chave como lucky-loser, Thomaz Bellucci foi o único brasileiro que passou pela primeira rodada do Challenger de Gênova, na Itália, que é disputado no saibro.

Nesta terça-feira, o brasileiro conseguiu uma boa vitória sobre o italiano Gian Marco Moroni, em sets diretos, com parciais de 7/6(6) e 6/3, garantindo vaga nas oitavas de final do torneio.

Seu próximo adversário será o eslovaco Martin Klizan, cabeça de chave nº 2 e nº 71 do mundo. Os dois já se enfrentaram cinco vezes, com três vitórias do jogador europeu.

Também nesta terça, pela primeira rodada, Rogério Dutra Silva, o Rogerinho, levou a virada do argentino Federico Delbonis, que anotou 4/6 6/4 e 6/3, enquanto Thiago Monteiro foi superado pelo chileno Christian Garin por 6/3 e 6/4.