Australian Open – Sem nostalgia

Durante muito tempo, quando começavam os Grand Slams me dava sempre uma nostalgia. Afinal, durante uma década a meia o meu calendário se baseava na agenda do circuito profissional. As semanas dos Grand Slams, com rara exceção do Australian Open, indicavam que lá estaria eu com o Guga, fazendo as minhas matérias também para a Tennis View e depois que ele encerrou a carreira, com algum outro compromisso profissional e a própria Tennis View.

Nos últimos dois anos, por inúmeras razões, acabei não indo a nenhum Grand Slam e acompanhando e reportando daqui do Brasil mesmo. A cada ano essa nostalgia diminui. Afinal, já faz 10 anos que o Guga se aposentou. Mas, foi tudo muito intenso, a história foi escrita, amizades foram feitas e a verdade que estar em um Grand Slam é estar no auge do esporte em si e também nos relacionamentos. Jornalistas do mundo todo, agentes, Rps, as marcas, os fãs, todos estão nestes eventos. E é disso que mais sinto falta, desta conexão.

Curiosamente, quando chega o Australian Open, não tenho essa nostalgia.

Sei que o Grand Slam evoluiu muito, praticamente se transformou, desde a última vez que estive “down under” há 15 anos.

Mas, com a desgastaste viagem e o pouco tempo que por lá fiquei – o Australian Open foi o pior Grand Slam do Guga – não desenvolvi laços naquelas terras. Nunca me encontrei muito no complexo. Achava tudo meio confuso e a cidade tão pequena, se comparada a Paris, Londres e Nova York, para sediar um Slam. E, quando começava a entrar no fuso horário já era hora de voltar para casa.

A sensação que tenho ao começar o torneio em Melbourne é justamente a contrária: “Ai que bom que vou acompanhar do sofá de casa.”

Isso não quer dizer que o Grand Slam não tenha relevância ou seja empolgante. Tem tudo isso e o atrativo especial de estar no começo da temporada, quando não sabemos muito o que esperar do circuito.

É comum ser o Grand Slam onde acontecem “bombas” de notícias. Justamente por ser o primeiro grande do ano onde todos se reúnem. Este ano começou com o Andy Murray anunciando o fim da sua luta com o quadril. E nas próximas duas semanas muitas outras notícias vão rolar. A mais quente do momento é o “Player Council” e a decisão de manter ou não Chris Kermode no cargo de CEO da ATP. Mas, estamos apenas começando. Temos 2 semanas de muito tênis e muito bastidor do circuito para acompanhar.

Diana Gabanyi

Thiago Monteiro embarca para a temporada 2019 com novo patrocínio

Thiago Monteiro embarca nesta segunda-feira para iniciar a temporada 2019 com novo patrocínio, o da SMZTO Holding de Franquias, empresa responsável pela expansão de grandes marcas do franchising brasileiro e pela Espaçolaser, maior rede de depilação a laser do mundo. Thiago viaja para Pune, para disputar o ATP indiano depois de uma inédita pré-temporada em Buenos Aires, ao lado do treinador argentino, Fabian Blengino.

“Para nós é um privilégio apoiar o esporte brasileiro, ainda mais em se tratando de uma carreira tão promissora quanto a de Thiago Monteiro. Esperamos contribuir para seu avanço”, afirma José Carlos Semenzato, fundador da SMZTO.

A escolha do atleta se deu pelo alinhamento de sua postura e princípios com a filosofia da holding. “Responsabilidade, excelência e persistência são valores muito importantes no nosso dia a dia, que queremos propagar em diversos aspectos da sociedade”, completa Semenzato.

Para a Espaçolaser, a parceria com o jogador tem como propósito também a melhor comunicação com o público masculino, que compreende 20% do total de clientes da rede. “Os homens são extremamente estratégicos para o nosso negócio, tanto que acabamos de inaugurar uma unidade exclusiva para atendimento masculino. O Thiago chega para reforçar o diálogo com esse público.”, explicam os sócios fundadores da Espaçolaser, Paulo Morais e Ygor Moura.

Nascido em Fortaleza (CE), o esportista de apenas 24 anos conquistou importantes feitos no esporte, como uma vitória sobre Jo-Wilfried Tsonga, ranking #9 do mundo, em 2016. Thiago também alcançou um incrível resultado no Brasil Open, chegando às quartas de final, que contribuiu para o crescimento de sua popularidade no Brasil. Atualmente é o tenista número um do Brasil e 123o. do ranking mundial.

“É uma satisfação imensa estar ao lado de uma empresa sólida e que vem crescendo cada vez mais como o Espaçolaser. Me dá ainda mais confiança para seguir buscando também crescer como tenista,” disse Thiago, que tem a carreira agenciada pela Linkinfirm do ex-tenista Marcio Torres e também conta com o patrocínio da Angá Asset Management, Joma, Elemídia e Babolat.

O tenista disputa na Índia o primeiro ATP da temporada, depois parte para o qualifying do Australian Open e para os torneios da América do Sul que compreendem os ATPs de Cordoba, Buenos Aires, o Rio Open e o Brasil Open.

Rio Open incentiva a prática do tênis como ferramenta de inclusão social

Desde a primeira edição do Rio Open, em 2014, o maior torneio de tênis da América do Sul tem o conceito de apoiar iniciativas sociais e acreditar no poder transformador através do esporte. Atualmente, cinco projetos sociais no Estado do Rio de Janeiro que usam o tênis como ferramenta de desenvolvimento humano e inclusão social (Tênis Solidário, Tênis na Lagoa, Instituto Futuro Bom, Arremessar Para o Futuro e Escolinha de Tênis Fabiano de Paula) são apoiados pelo evento. Além de todas ações realizadas na semana do evento, o Rio Open desenvolveu seu próprio projeto social, o NERO, e um torneio entre jovens de projetos sociais com um premiação especial.

“Ao longo dos últimos anos, novas iniciativas foram sendo criadas para que a experiência desses jovens fosse ampliada e eles pudessem ter a real dimensão de como o esporte pode mudar suas vidas, não só pelo esporte em si, mas por todo aprendizado sociocultural. Conseguimos integrá-los a grandes experiências como o Torneio Winners, treinamento na IMG Academy, participação na Copa Guga Kuerten, além de oportunidade de ser um Ball Kid no ATP Finals, em Londres ”, afirma Marcia Casz, diretora geral do Rio Open.

O NERO, Núcleo Esportivo Rio Open, tem como missão a iniciação esportiva, a inclusão social por meio do esporte e o desenvolvimento de habilidades físicas, motoras e mentais, além da ativação de um legado olímpico. Nas quadras do Parque Olímpico, com crianças entre 6 e 11 anos da escola pública Burle Marx, na zona oeste do Rio, têm aulas gratuitas de tênis com profissionais capacitados, e são submetidas a exames médicos. Elas também recebem alimentação e todo o material necessário para os treinos.

TORNEIO WINNERS

 

O Torneio Winners, que começou a ser realizado em 2017 e esse ano chegou a 80 inscritos, oferece a oportunidade para que jovens dos cinco projetos sociais apoiados pelo Rio Open, compitam nas quadras de saibro do complexo do Jockey Club Brasileiro, onde atletas de ponta também disputam o ATP 500.  Uma forma de incentivar ainda mais a dedicação ao esporte e com uma premiação única: uma semana de treinamento na IMG ACADEMY (EUA) para um aluno de cada projeto. Além de ingressos para assistir às partidas, anuidades e inscrições em torneios da CBT, e o direito de indicar três alunos para a Semana Guga Kuerten.

Um dos campeões foi Valter Albuquerque, morador da Rocinha, de 11 anos, que voltou este ano com força total. “Ano passado eu perdi a final, mas todo mundo tem a sua hora e a minha chegou. Estou muito feliz”.

Entre as meninas, destaque para Tamara Mariano, de 16 anos, moradora da Cruzada São Sebastião. A aluna do Projeto Tênis na Lagoa, deu a volta por cima depois de ser derrotada na semifinal no ano passado. “Vencer o Winners é um grande passo para seguir minha vida no tênis”, disse Tamara.

IMG ACADEMY

A IMG Academy é a primeira academia a aliar treinamento de alto rendimento com estrutura acadêmica e se transformou em um complexo multi esportivo de referência mundial.

Participantes do Torneio Winners tiveram a oportunidade de passar uma semana lá, fazendo parte do programa Youth Sport Camps, com treinadores focados nas habilidades, técnicas e táticas de cada jogador, dando feedbacks eficazes e estruturados. Uma experiência única para nossos Winners.

“Gostei muito da IMG Academy, o lugar é lindo! Fizemos o programa Camps, de apenas uma semana que, por isso, é muito mais intenso. E meu encontro com o Nick Bollettieri foi espetacular, eu adorei. Ele ficou impressionado com a minha batida e pediu para que todos me aplaudissem. Isso me incentivou demais porque me fez sentir que eu estava no caminho certo. Voltei de lá com mais foco, muito mais técnica e mais visão de jogo. Participei de alguns torneios depois e consegui ótimos resultados. Aí percebi a diferença que fez a semana que passei na IMG Academy”, afirma Vitinho (Antonio Vitor Gomes de Oliveira Monteiro) – Projeto Tênis na Lagoa.

PARTICIPAÇÃO NA COPA GUGA KUERTEN

 

O Rio Open levou 14 jovens para a Copa Guga Kuerten 2018, um dos torneios mais importantes da América Latina, que reúne a elite do circuito juvenil. Os jovens foram escolhidos de acordo com seus méritos esportivos e sua dedicação nos projetos sociais que fazem parte. Todos ficaram uma semana em Florianópolis imersos no mundo do tênis e ganharam ainda mais experiência.

 

“A experiência foi demais. A gente aprendeu, tanto com as pessoas que conhecemos, como com o ‘mestre’ Guga, que deu palestra e conversou com a gente”, afirma Gabriel Paiva – Escolinha de Tênis Fabiano de Paula.

 

“Foi uma oportunidade muito grande e eu aproveitei bem. Eu costumo observar muito em todos os torneios que vou e aprender com os outros jogadores, e na Copa Guga o nível era alto, foi bom demais”, completou Helio Sampaio – Tênis na Lagoa.

BALL KIDS NO ATP FINALS

Em 2018, a Fedex e o Rio Open levaram dois jovens para serem boleiros no ATP Finals de Londres, o torneio que reúne os melhores tenistas do mundo para encerrar a temporada.

Guilherme Rodrigues Fernandes, 14 anos, do projeto Futuro Bom e Vitória Almeida, também de 14 anos, do projeto Tênis na Lagoa, se juntaram a uma seleta equipe de 26 boleiros, que tiveram a chance de pegar bolas em jogos de lendas do tênis, como Roger Federer, Alexander Zverev e Novak Djokovic e ainda fazer um tour pela Arena 02 com Bruno Soares.

“Foi muito bom ver os jogadores todos de perto, são os oito melhores do ranking, alto nível. O momento mais marcante para mim foi ver o Federer jogar ao vivo pela primeira vez. Impressionante”, disse Vitória Almeida – Projeto Tênis na Lagoa.

“Achei incrível, todo mundo acolheu a gente bem, e estávamos lá com os melhores do mundo, cara a cara com eles. E a despedida do grupo de boleiros, no último dia, ficará para sempre na minha memória. Emocionante”, completa Guilherme Rodrigues Fernandes – Projeto Futuro Bom.

 

INCLUSÃO

 

Mais de 600 alunos de escolas da rede pública estadual das cidades de Japeri, Duque de Caxias, São João de Meriti, Cordeiro e de vários bairros do Rio de Janeiro como Campo Grande e Copacabana e de comunidades como Rocinha e Complexo do Alemão tiveram a oportunidade de conhecer o Rio Open em 2018. A ação foi resultado de uma parceria do evento com a Secretaria Estadual de Educação que incluiu 150 ingressos por dia, de segunda a quinta, além de transporte para as crianças. Além dos estudantes, 70 crianças do projeto de tênis do Parque Leopoldina, em Bangu, também ganharam convites para ver os ídolos do esporte de perto.

Pessoas portadoras de deficiência também foram convidadas a conhecer o torneio e algumas tiveram contato com o esporte pela primeira vez, através de uma clínica especial. Foram 19 alunos, sendo nove cadeirantes, seis pessoas com Síndrome de Down e outros quatro com diferentes deficiências intelectuais leves, de duas instituições: Escola de Tênis Cadeiras na Quadra e do Núcleo Avançado de Esportes, Cultura e Lazer (NAVES), ambas de Niterói.

O Rio Open também tem um programa de jovens aprendizes em que 16 participantes maiores de idade dos projetos sociais apoiados pelo Rio Open trabalham na equipe de produção no torneio, em oito áreas operacionais do evento. Em 2018, também doamos 32 raquetes, 1000 bolas usadas e 1008 bolas novas para cada escola.

“O apoio que o Rio Open nos dá é completo. Temos um torneio para nossos alunos, recebemos material para treinos, ingressos e oportunidades inestimáveis como a semana de treinamento na IMG Academy e a participação na Copa Guga Kuerten. Toda essa ajuda nos dá forças para continuar lutando pelo esporte no país”, disse Fabiano de Paula, tenista profissional e dono da Escolinha de Tênis Fabiano de Paula, na Rocinha.

“O Rio Open sempre teve um forte engajamento social e temos orgulho em poder proporcionar atividades esportivas para crianças durante o ano inteiro.  Esse ano começamos a trabalhar a inclusão, abrindo as portas para jovens de vários projetos e escolas do Rio de Janeiro e criando clínicas para portadores de deficiência. O que manteremos em 2019. Queremos ampliar nosso alcance social e contribuir, de forma efetiva, para o desenvolvimento do esporte no Brasil, transformando o futuro de muitos jovens em situação de vulnerabilidade social”, finaliza Luiz Carvalho, Diretor do Rio Open.

PROGRAMAÇÃO RIO OPEN 2019

O Rio Open começa no dia 16 com o qualifying e no dia 18 tem início a chave principal, com a Grande Final acontecendo no dia 24 de fevereiro.

A programação para a chave principal contará com duas sessões de segunda-feira a quinta-feira: Sessão 1, com início às 16h30; e Sessão Noite, a partir de 19h. Já de sexta-feira a domingo, o torneio terá sessão única. A sessão 1 será composta pelo 1º jogo da Quadra Central e mais todos os jogos das quadras externas. A sessão noite será formada pelos jogos que começam a partir de 19h na Quadra Central, além dos jogos nas quadras externas. Vale destacar que qualquer ingresso dá acesso ao complexo que será montado no Jockey Club Brasileiro, não importa a sessão.

VENDA DE INGRESSOS

As vendas de ingressos são online através do site tudus.com.br/rioopen. O pagamento pode ser feito com cartões de crédito Visa, Mastercard, Elo e Diners, com parcelamento em até 4 vezes sem juros. Não há cobrança de taxa de conveniência. Os valores variam entre R$ 30 e R$ 490.

Em 2019, para maior facilidade do público, será possível a utilização do ingresso via QR Code.

 

Serviço:

Rio Open 2019

Quando: 16 a 24 de fevereiro

16 e 17 – Qualifying

18 a 24 – Chave Principal

Onde: Jockey Club Brasileiro – Rua Mario Ribeiro, 410 – Leblon, Rio de Janeiro – RJ, 22430-160

A partir de R$ 30

 

Mais informações:

www.rioopen.com

www.facebook.com/rioopenoficial

www.twitter.com/RioOpenOficial

www.instagram.com/rioopenoficial

Depois da recusa de Mauresmo, Grosjean será o novo capitão francês na Davis

O ex-tenista Sebastien Grosjean foi escolhido para ser o capitão da equipe francesa na Copa Davis e nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.

Campeão do Masters 1000 de Paris, em 2001, o francês, aposentado desde 2010, substitui Yannick Noah, que deixou o cargo após o vice da Davis neste ano, quando perdeu para o Croácia.

A primeira escolhida para o novo período foi Amélie Mauresmo, mas ela declinou do convite e preferiu ser treinadora do também francês Lucas Pouille.

Apesar das críticas recentes de alguns jogadores ao novo formato do torneio, o diretor técnico Pierre Cherret garantiu que os jogadores se comprometeram a jogar a competição em 2019.

Instituto Próxima Geração lança projeto social para o tênis

Com a meta de fomentar a formação e desenvolvimento de cidadãos e estimular a transformação social de comunidades carentes através do esporte, nasceu em setembro o Instituto Próxima Geração.

Sob a tutela do ex-tenista profissional Mauro Menezes e do treinador Douglas Santana, o Instituto tem por meta envolver jovens de 8 a 18 anos que estejam cursando o Ensino Fundamental ou Médio, oferecendo uma oportunidade de socialização, formação profissional e quem sabe até mesmo um atleta de nível competitivo.

O primeiro projeto do Instituto será desenvolvido com o tênis, esporte familiar a seus idealizadores, e foi batizado de ‘Primeiros Campeões’.
“O tênis tem um grande poder de desenvolvimento físico, emocional e social. Ao mesmo tempo que exige disciplina e habilidade motora, ele também ensina valores como justiça, dedicação e resiliência”, afirma Menezes, um dos mais importantes tenistas brasileiros da Era Moderna, que integrou o time nacional da Copa Davis.

Embora o Próximos Campeões esteja aberto a qualquer criança interessada, o foco são escolas. “Na primeira etapa, vamos atuar na Zona Oeste de São Paulo com uma grande estrutura”, revela Santana. “Haverá um programa específico por faixa etária e, além das aulas de tênis, preparo físico. O Instituto irá oferecer assessoria psicológica e nutricional e ainda curso gratuito de Inglês para os alunos que se destacarem positivamente”.

O lançamento do Projeto Próximos Campeões será nesta segunda-feira, dia 1º de outubro, com sede na academia Barley Tênis, um complexo com quatro quadras de saibro cobertas, espaço para preparação física e sala para aulas de Inglês.

Os interessados em participar do Projeto devem procurar o Instituto através do email contato@institutoproximageracao.org.brou do fone/whats (11) 97173-6262. A inscrição é totalmente gratuita.

O Instituto Próxima Geração é um projeto social realizado em parceria com a BV, marca de Varejo do Banco Votorantim.

Wimbledon recebe aval para comprar clube de golfe e triplicar seu tamanho

Nesta quinta-feira, o torneio de Wimbledon deu um importante passo rumo ao desejo de expansão do seu território.

Um campo de golfe que fica ao lado do complexo do terceiro Grand Slam da temporada deve ser comprado, após o aval dado pelos membros do clube, que deve ter o valor aproximado de 72 milhões de euros.

“Esta decisão é um momento extremamente importante para o torneio”, disse Philip Brook, presidente da All England Lawn Tennis Club, ao falar sobre a aquisição dos 29 hectares, o que pode triplicar a área de Wimbledon a partir de 2020.

Neste espaço, o AELTC deseja construir vários cursos para hospedar as qualificações no mesmo local da fase final. Eles são atualmente transferidos para Roehampton a poucos quilômetros de distância. Wimbledon é o único torneio do Grand Slam a não receber a qualificação e o empate principal no mesmo local.

Com isso, o AELTC abrigaria também o qualifying do torneio, que atualmente é realizado em Roehampton, distante alguns quilômetros sendo o Slam londrino o único que não realiza, até o momento, quali e chave principal no mesmo lugar.

Foto: Matthias Hangst / AELTC

Rio Open terá shot clock em 2019

Em mais um investimento em tecnologia e inovação, o Rio Open apresentado pela Claro será o primeiro torneio sul-americano a adotar o “shot clock”, relógio de saque. A sexta edição do maior torneio de tênis da América do Sul acontece de 16 a 24 de fevereiro de 2019, no Jockey Club Brasileiro, e os ingressos estão à venda pelo site tudus.com.br/rioopen.

Sensação da temporada de 2018, o relógio de saque foi usado durante a temporada de preparação do US Open, e no próprio Grand Slam americano. A novidade que veio para ficar, trouxe inovação para o jogo mundialmente – como medida para impedir que tenistas excedam o tempo de 25 segundos para sacar e maior interação com os fãs, já que o relógio é visível para o público e para os espectadores de televisão e online.

Os relógios de saque serão norma somente nos Masters 1000 em 2019, mas o Rio Open seguirá sua tradição de trazer para o ATP 500 as principais inovações da ATP e realizar um evento no padrão da elite do circuito. Em 2018, por exemplo, o torneio trouxe a tecnologia do hawk-eye para o saibro (olho de falcão), que define se a bola foi dentro ou fora por câmeras de altíssima resolução.

“O shot clock foi uma inovação bem avaliada entre os torneios e jogadores e já o estamos adotando mesmo antes de ser obrigatório nos ATP 500. Além de garantir que a regra do tempo seja cumprida, ele também é um fator de entretenimento para o público, porque fica aquela expectativa se o tenista vai ultrapassar ou não o tempo”, disse Luiz Carvalho, Diretor do Torneio. “Espero que a ATP consiga seguir implementando novidades que deixem os jogos ainda mais interessante para os fãs de esporte.”

O relógio é disparado em 25 a partir do momento em que o árbitro de cadeira anuncia o placar e continua de forma regressiva até chegar ao zero.

Para seguir as exigências da ATP, o Rio Open disponibilizará o relógio em todas as quadras e partidas do torneio, incluindo o qualifying, que será realizado em 16 e 17 de fevereiro no Jockey Club.

 

PROGRAMAÇÃO RIO OPEN 2019

O Rio Open começa no dia 16 com o qualifying e no dia 18 tem início a chave principal, com a Grande Final acontecendo no dia 24 de fevereiro.

A programação para a chave principal contará com duas sessões de segunda-feira a quinta-feira: Sessão 1, com início às 16h30; e Sessão Noite, a partir de 19h. Já de sexta-feira a domingo, o torneio terá sessão única. A sessão 1 será composta pelo 1º jogo da Quadra Central e mais todos os jogos das quadras externas. A sessão noite será formada pelos jogos que começam a partir de 19h na Quadra Central, além dos jogos nas quadras externas. Vale destacar que qualquer ingresso dá acesso ao complexo que será montado no Jockey Club Brasileiro, não importa a sessão.

O maior torneio de tênis da América do Sul é um dos 13 campeonatos de nível ATP 500, uma das categorias mais importantes do tênis. É um dos três eventos desse porte disputados no saibro, junto com Hamburgo e Barcelona. Mantendo a tradição, jogadores da elite do tênis mundial estarão na chave principal. Vice-campeão de Roland Garros, o número 8 do mundo Dominic Thiem, da Áustria, marca presença de novo, assim como o italiano Fabio Fognini e o atual campeão Diego Schwartzman, da Argentina, formando a trinca do top 20.

Grande revelação brasileira, Thiago Wild disputará seu primeiro ATP 500 após conquistar a vaga na Maria Esther Bueno Cup. Uma das melhores duplas do mundo, formada pelo brasileiro Bruno Soares e pelo escocês Jamie Murray, também está garantida na competição.

 

VENDA DE INGRESSOS

As vendas de ingressos são feitas pelo site tudus.com.br/rioopen. O pagamento poderá ser feito com cartões de crédito Visa, Mastercard, Elo e Diners, com parcelamento em até 4 vezes sem juros. Não haverá cobrança de taxa de conveniência.

Os valores variam entre R$ 30 e R$ 490.

Em 2019, para maior facilidade do público, será possível a utilização do ingresso via QR Code.

 

Sobre o Rio Open:

O Rio Open 2019 conta com patrocínio máster da Claro, patrocínio do Santander, Peugeot, Mubadala , Fedex, Emirates. Também com as empresas , Rolex, Tokio Marine Seguradora, Shell e ainda com, RedeDor, Booking,Localiza, Dasa, Café Melitta,Estácio, SegurPro Prosegur, Shopping Leblon,Focus e Sextante. A Fila será a responsável pelo material esportivo e a Head, fornecedora da bola oficial do evento. Lídio Carraro – a vinícola boutique brasileira-, oferecerá o espumante e vinho oficiais do Rio Open. Conta ainda com parceria de Antonio Bernardo, Raul Mourão, Jockey Club Brasileiro Prefeitura do Rio e Riotur.

O Sportv é a emissora oficial do Rio Open e transmite em HD todos jogos da quadra central para o Brasil e mais de 130 países através da ATP Media.

O evento é incentivado pelo Ministério do Esporte – Governo Federal Brasil, através da Lei Federal de Incentivo ao Esporte. O Rio Open é uma promoção da IMM com realização do ICT.

Abertas as vendas de ingressos para o Rio Open, com tickets a partir de R$ 30,00

O Rio Open apresentado pela Claro abriu a venda de ingressos nesta sexta-feira, dia 07, pelo site tudus.com.br/rioopen, com valores a partir de R$30. O maior torneio de tênis da América do Sul será disputado de 16 e 24 de fevereiro de 2019, no Jockey Club Brasileiro, e a expectativa é de que 50 mil pessoas acompanhem os jogos e a programação ao longo do evento.

No Rio Open, o tênis é a atração principal, mas também há muitas outras opções de entretenimento, numa estrutura comparável à de grandes eventos do circuito mundial. O evento conta com uma área interativa de aproximadamente 10 mil m², o Leblon Boulevard, que oferece opções de stands, lojas, entretenimento e gastronomia. Na Praça Rio Open fica o palco, com uma programação de shows e um telão gigante para não perder um ponto dos jogos. E, seguindo a tendência dos grandes torneios do circuito, o Rio Open tem uma loja de produtos oficias — a La Boutique.

Esportivamente, a qualidade técnica do torneio já é conhecida. O Rio Open é um dos 13 campeonatos de nível ATP 500, uma das categorias mais importantes do tênis. É um dos três eventos desse porte disputados no saibro, junto com Hamburgo e Barcelona.

Mantendo a tradição, jogadores da elite do tênis mundial estarão na chave principal. Vice-campeão de Roland Garros, o número 8 do mundo Dominic Thiem, da Áustria, marca presença de novo, assim como o italiano Fabio Fognini e o atual campeão Diego Schwartzman, da Argentina, formando a trinca do top 20.

Grande revelação brasileira, Thiago Wild disputará seu primeiro ATP 500 após conquistar a vaga na Maria Esther Bueno Cup. Uma das melhores duplas do mundo, formada pelo brasileiro Bruno Soares e pelo escocês Jamie Murray, também está garantida na competição.

Thiem joga o Rio Open em 2019

“A briga pelo título do Rio Open 2019 promete ser acirrada com vários dos melhores tenistas do saibro. O Thiem é atualmente o segundo melhor tenista do mundo nessa superfície; Fognini teve o melhor ano da carreira vencendo 3 torneios ATP; e  Schwartzman fez uma excelente temporada e alcançou o melhor ranking da carreira, No.11. Além deles teremos os tenistas brasileiros que sempre levantam a torcida no Jockey Club,”  diz, Luiz Carvalho, diretor do torneio. 

Em sua sexta edição, o torneio é o principal evento esportivo anual da Cidade Maravilhosa e tem grande impacto econômico, injetando mais de 100 milhões de reais na economia do Estado e gerando 1.300 empregos diretos e indiretos. Com atrações de alto nível dentro e fora de quadra, o Rio Open atrai turistas do mundo inteiro. A expectativa é de que 30% do público presente em 2019 seja de fora do Rio.

“A cada ano temos um crescimento expressivo em visitantes de fora do Rio e do Brasil, mostrando que o evento é um sucesso  O Rio Open gera centenas de empregos e injeta dinheiro na economia do estado anualmente. O torneio chega ainda mais consolidado a esta edição, que espera receber cerca de 50 mil pessoas”, afirma Marcia Casz, diretora geral do Rio Open.

Thiago Wild é o primeiro brasileiro na chave

Para além dos números impressionantes do evento, o Rio Open apoia, desde sua primeira edição, iniciativas que usam o tênis como ferramenta de desenvolvimento humano e inclusão social. Os cinco projetos apoiados pelo torneio são Instituto Futuro Bom, Tênis na Lagoa, Tênis Solidário, Escolinha de Tênis Fabiano de Paula e Arremessar para o Futuro. Em 2017, foi inaugurado o Núcleo Esportivo Rio Open, projeto em parceria com a AGLO que tem como base as instalações de tênis do Parque Olímpico da Barra. Ao todo, mais de 500 crianças são beneficiadas.

“Para o Santander o tênis, além da sua projeção, representa como poucos atributos que nos são caros, como a técnica, determinação, estratégia e busca da melhora contínua. São por esses valores que nos associamos ao Rio Open, o maior torneio da América do Sul que vem revelando grandes talentos”, afirma Marcos Madureira vice-presidente executivo de Comunicação, Marketing, Relações Institucionais e Sustentabilidade do Santander.

 

PROGRAMAÇÃO RIO OPEN 2019

O Rio Open começa no dia 16 com o qualifying e no dia 18 tem início a chave principal, com a Grande Final acontecendo no dia 24 de fevereiro.

A programação para a chave principal contará com duas sessões de segunda-feira a quinta-feira: Sessão 1, com início às 16h30; e Sessão Noite, a partir de 19h. Já de sexta-feira a domingo, o torneio terá sessão única. A sessão 1 será composta pelo 1º jogo da Quadra Central e mais todos os jogos das quadras externas. A sessão noite será formada pelos jogos que começam a partir de 19h na Quadra Central, além dos jogos nas quadras externas. Vale destacar que qualquer ingresso dá acesso ao complexo que será montado no Jockey Club Brasileiro, não importa a sessão.

 

VENDA DE INGRESSOS

As vendas de ingressos serão feitas online através do site   tudus.com.br/rioopen, a partir das 12h, desta sexta-feira (7/12) . O pagamento poderá ser feito com cartões de crédito Visa, Mastercard, Elo e Diners, com parcelamento em até 4 vezes sem juros. Não haverá cobrança de taxa de conveniência.

Os valores variam entre R$ 30 e R$ 490.

Em 2019,  para maior facilidade do público, será possível a utilização do ingresso via QR Code.

 

Sobre o Rio Open:

O Rio Open 2019 conta com patrocínio máster da Claro, patrocínio do Santander, Peugeot, Mubadala , Fedex, Emirates. Também com as empresas , Rolex, Tokio Marine Seguradora, Shell e ainda com, RedeDor, Booking,Localiza, Dasa, Café Melitta,Estácio, SegurPro Prosegur, Shopping Leblon,Focus e Sextante. A Fila será a responsável pelo material esportivo e a Head, fornecedora da bola oficial do evento. Lídio Carraro – a vinícola boutique brasileira-, oferecerá o espumante e vinho oficiais do Rio Open. Conta ainda com parceria de Antonio Bernardo, Raul Mourão, Jockey Club Brasileiro Prefeitura do Rio e Riotur.

O Sportv é a emissora oficial do Rio Open e transmite em HD todos jogos da quadra central para o Brasil e mais de 130 países através da ATP Media.

O evento é incentivado pelo Ministério do Esporte – Governo Federal Brasil, através da Lei Federal de Incentivo ao Esporte  O Rio Open é uma promoção da IMM com realização do ICT.

 

Fotos: João Pires/JUMP

Em 2018, brasileiros tiveram grande queda no aproveitamento em partidas contra top-100

Em uma rápida percepção, é possível notar que o tênis masculino brasileiro, pelo menos no que se refere aos simplistas, não vive uma boa fase. Pelo contrário.

Nos últimos anos, o Brasil vem perdendo força não apenas em relação ao ranking ou às conquistas de grandes títulos, mas também no que tange ao aproveitamento em quadra diante de jogadores bem posicionados na lista da ATP.

Fizemos um levantamento do número de vitórias dos brasileiros em partidas contra jogadores do top-100, comparando com anos anteriores, e o que se percebe é um declínio acentuado no número de vitórias dos atletas nacionais contra jogadores desta faixa do ranking que, vale dizer, nem é das mais privilegiadas quando se trata de grandes torneios.

Vale apontar que não foi levado em conta o torneio em disputa, mas sim o ranking do adversário em questão, sendo possível notar que um dos melhores números do Brasil foi em 2015, quando foram conquistadas, no total, 36 vitórias sobre top-100, com a seguinte distribuição e aproveitamento de 36%.

Em 2016, o número de vitórias já começou a cair, apesar do aumento no aproveitamento, para 41%, com destaque ainda para o triunfo de Thiago Monteiro sobre o francês Jo-Wilfried Tsonga, então número 9 do mundo, na primeira rodada do Rio Open, na partida que praticamente apresentou o cearense o mundo. Além disso, também se destaca a vitória de Thomaz Bellucci sobre o belga David Goffin (13º) durante os Jogos Olímpicos.

Já em 2017, os números continuavam piorando, com queda nas vitórias e no aproveitamento, apesar do bom resultado de Bellucci sobre o japonês Kei Nishikori (5º) na estreia do Rio Open e de Rogerinho sobre Monfils no ATP 250 de Umag, além da vitória de Feijão sobre o argentino Horacio Zeballos na estreia do Brasil Open, última vitória do brasileiro sobre um jogador nesta faixa de ranking, até o momento.

Na atual temporada, os números pioraram de vez, com os brasileiros conseguindo um número muito abaixo, impulsionado pela quase ausência de vitórias de Bellucci, que não vem em sua melhor fase, com lesões e uma pausa por doping recentemente. O aproveitamento na temporada? 28%, em apenas 39 jogos disputados contra top-100 em todo ano.

Vale destacar que a única vitória de Bellucci sobre um top-100 em 2018 foi sobre o eslovaco Martin Klizan, no Challenger de Gênova. Pior do que isso, o jogador melhor ranqueado batido por um brasileiro no ano foi o espanhol Fernando Verdasco, superado por Monteiro nas oitavas do ATP 500 de Hamburgo. Mesmo ex-top 10, Verdasco era o 33º do mundo na ocasião.

Também é importante mencionar que não são apenas os números de vitórias e aproveitamento que ficam bem abaixo neste ano, mas também o número de partidas realizadas. Isso aponta para o declínio dos brasileiros no próprio ranking da ATP, já que a faixa do top-100 joga, em boa parte das semanas, torneios ATP’s, enquanto os tenistas do país ficaram nos Challengers em boa parte da temporada.

E-book “Tênis, O Guia Essencial” ensina técnicas do esporte para todos os níveis

A TennisCore, projeto inovador de ensino de tênis online, anuncia o lançamento do e-book “Tênis, O Guia Essencial”, o primeiro guia do mercado desenvolvido para todos os níveis de tenistas, do iniciante ao avançado. O e-book será vendido apenas pelo site www.tenniscore.com.br pelo preço de R$ 57.

Com o objetivo de ajudar as pessoas que buscam a melhora de seu desempenho em quadra, “Tênis, O Guia Essencial” foi desenvolvido por uma equipe de especialistas com décadas de conhecimento e experiência prática no tênis: Nico Ventre, tenista há 20 anos e graduado em Administração de Empresas, Yuri Radomsky, que já foi ranqueado na ATP e é educador físico, Alessandro Ventre, ex-tenista profissional e bacharel em Negócios Internacionais, e Tiago Manjourany Leivas, treinador de tênis há 15 anos.

Com um design belo e explicativo, o guia conta com artes, fotos e infográficos, integrados aos textos, usando uma linguagem direta e acessível para qualquer leitor.

Com 78 páginas, o e-book é dividido em oito partes: como o tênis transforma vidas; regras básicas; equipamentos; aprendendo a jogar; estratégias de jogo; estratégias para o jogo de duplas; a técnica e a biomecânica no tênis; e preparação física e mental.

Quem adquirir o e-book ganha dois materiais bônus: 7 passos para práticos para melhorar o seu saque (9 páginas) e Treine com propósito + 12 exercícios práticos para fazer em quadra (11 páginas). Com as 78 do e-book, são 98 páginas de conteúdo exclusivo para quem quer melhorar seu desempenho em quadra.

Grandes nomes do tênis brasileiro, como Bruno Soares, Fernando Meligeni, Fernando Roese, André Ghem, João Zwetsch e André Sá apoiam “Tênis, O Guia Essencial”.

A TennisCore tem o propósito de ajudar no desenvolvimento do tênis no país através do ensino online, impactando positivamente as pessoas pela prática do esporte.

Serviço

 

“Tênis, O Guia Essencial”

Autores: Nico Ventre, Yuri Radomsky, Alessandro Ventre, e Tiago Manjourany Leivas.

Páginas: 78 (+ 20 de bônus)

Preço: R$ 57

Onde encontrar: tenniscore.com.br