Depois da vitória da Bélgica em Uberlândia, João Zwetsch não é mais o capitão do Brasil na Davis

Mesmo com uma equipe reserva, os belgas levaram a melhor e eliminaram o Brasil no qualifying do Grupo Mundial da Copa Davis.

Neste sábado, no ginásio Sabiazinho, em Uberlândia, a equipe nacional sofreu uma dura derrota com os duplistas Bruno Soares e Marcelo Melo, que foram surpreendidos por Sander Gille e Joran Vliegen, que triunfaram com parciais de 6/4 e 7/6(4).

Depois, Thiago Monteiro não se encontrou diante de Kimmer Coppejans, que anotou 6/3 e 6/4, fechando o confronto para os visitantes por 3×1.

Neste domingo, a Confederação Brasileira de Tênis informou que João Zwetsch não ocupará mais a função de capitão. Ele colocou o cargo à disposição na noite do dia 02/02. “Eu e a CBT já vínhamos conversando sobre esse ciclo e no meu entendimento chegou o momento de fechamento”, avaliou Zwetsch.

“Foi um ciclo importante, que abrangeu várias gerações de atletas, um ciclo de aglutinação de jogadores, com grandes momentos como a vitória do Brasil sobre a Espanha, com a participação no Grupo Mundial da competição. Toda a equipe possui muito respeito com o trabalho desenvolvido pelo João, que sempre priorizou um clima de parceria e respeito na equipe, dentro e fora das quadras”,  salientou Westrupp.

“Gostaria de agradecer a confiança depositada em mim, primeiramente pelo Jorge Lacerda e depois por Rafael Westrupp. Também agradecer a todos os profissionais que estiveram comigo nesse desafio, o técnico Daniel Melo, o preparador físico Eduardo Faria, os médicos Ricardo Diaz e Gilbert Bang, os fisioterapeutas Paulo Roberto Santos e Otávio Kiefer. Agradecer aos atletas que passaram pela equipe brasileira enquanto estive nela. Vivi momentos de muito crescimento com cada um da equipe”, falou João.

O próximo confronto da equipe brasileira na Copa Davis será no mês de setembro e até lá será definido o próximo capitão.

Foto: Luiz Cândido/CBT

Brasil e Bélgica no 1ª dia da Davis, que teve homenagem ao mineiro Marcelo Melo

Bastou uma hora e sete minutos para que Thiago Monteiro vencesse o belga Arthur de Greef, 202o do mundo, no primeiro jogo do confronto da Copa Davis by BNP Paribas, na cidade de Uberlândia (MG). Com parciais de 6/3, 6/2, o cearense canhoto, número 107o do mundo, levantou a torcida que acompanhou o primeiro dia de confronto entre Brasil e Bélgica, na Arena Sabiazinho. “Vim de uma fase boa, gosto muito das condições da quadra, com um pouco de altura, um pouco mais rápido, no saibro. Consegui executar um jogo que eu gosto, sacar muito bem, a torcida ajudou! Estou muito feliz com esse resultado!” ressaltou Thiago Monteiro.

O paulista Rogério Dutra Silva, 139o do mundo, lutou até o final, empurrado pela torcida brasileira, mas acabou superado pelo número 1 da Bélgica, Kimmer Coppejans, 195o colocado, por duplo 6/4. Mas o raquete 2 do Brasil garantiu que está preparado e confiante para fazer o quinto jogo contra De Greef, caso seja necessário. “Não tive um dia feliz, não me encontrei em quadra, faltou um pouquinho de sorte também. Infelizmente, não foi como planejamos, mas temos que manter a cabeça erguida, estamos na luta ainda. Logicamente ninguém gosta de perder, mas agora é olha para a frente, torcer para a dupla amanhã e, se precisar entrar em quadra de novo, vou entrar a mil por hora denovo e vou lutar até o último minuto”, assegurou Rogerinho.

Apesar de não entrar em quadra, o mineiro Marcelo Melo, número 12 do mundo em duplas, foi o grande homenageado do dia, recebendo um troféu de cristal do “Commitment Award” da ITF (Federação Internacional de Tênis) pela quantidade de participações na Copa Davis, sendo homenageado em quadra pelo representante da ITF, Ricardo Aguirre e pelo presidente da Confederação Brasileira de Tênis, Rafael Westrupp.

O duplista vestiu a camisa verde e amarela em 21 partidas, vencendo 17 de duplas e uma de simples. Desde 2008 Marcelo participa de confrontos da Copa Davis. Essa foi mais uma conquista de Marcelo, que em 2018 passou a ser o tenista brasileiro com maior número de semanas no topo do ranking mundial, 56 semanas, e o jogador nacional que mais disputou o ATP Finals. “Fiquei muito feliz de ter recebido. Todos sabem quanto é importante essa competição para nós tenistas. Então ser reconhecido foi muito legal, especialmente estando jogando em casa. Muito obrigado à ITF, à CBT e aos que fizeram essa homenagem. Foi muito gratificante. Agora é focar na dupla amanhã (sábado)”, afirmou Marcelo.

 

 

Amanhã ele entra em quadra juntamente com o também mineiro Bruno Soares, número 7 do mundo em duplas, no terceiro jogo do confronto e buscando colocar o Brasil em vantagem. Eles jogam contra a dupla belga formada por Sander Gille, número 83 do mundo em duplas, e Joran Vliegen, número 86 do mundo.

 

 

Ainda acontecem mais dois jogos de simples neste sábado, com Thiago Monteiro jogando contra Kimmer Coppejans e com Rogério Dutra Silva contra Arthur De Greef. Entre o jogo de duplas e o de simples haverá outra homenagem do “Commitment Award” da ITF. Desta vez para o brasileiro Tomas Koch, que disputou nada menos do que 74 partidas de Copa Davis, vencendo 44 delas, entre duplas e simples.

Monteiro abre o confronto da Davis contra a Bélgica. Rogerinho joga em seguida

Fazer parte do seleto grupo de 18 equipes que disputarão a primeira edição da Copa Davis no novo formato, com sede única, em novembro, na Caja Mágica, em Madri, na Espanha. É isto o que estará em jogo a partir desta sexta-feira, às 16h, no confronto entre Brasil e Bélgica, no saibro do Ginásio Sabiazinho, em Uberlândia – MG.

Depois de uma intensa semana de treinamentos na cidade do Triângulo Mineiro, a equipe brasileira vem com força máxima para o duelo com os belgas. “Fizemos uma adaptação muito boa, o time todo está perfeitamente ambientado às condições da quadra, que é coberta e à altitude. Está tudo como queríamos, todos se sentindo muito bem jogando, muito bem preparados”, avaliou o capitão João Zwetsch. “Queremos aproveitar novamente a chance de jogar a Copa Davis no Brasil e trazer a vitória para o nosso país e ter a oportunidade de jogar as finais na Espanha”, projetou João.

A última vez que o Brasil jogou uma edição da Davis em casa foi em 2016, quando venceu o Equador, em Belo Horizonte. Desta vez, o cearense Thiago Monteiro, 107o do ATP, abre o confronto contra Arthur De Greef, 202o colocado. Na sequência, o paulista Rogério Dutra Silva, 139o, encara Kimmer Coppejans, 195o. No sábado, a dupla de mineiros Bruno Soares, número 7 do mundo de duplas, e Marcelo Melo, 10o do ranking, enfrentam Sander Gille, 83o colocado, e Joran Vliegen, 86o, a partir das 14h. Na sequência, ocorrem os outros dois confrontos de simples invertidos. O paranaense Thiago Wild é o quinto atleta do Brasil.

Os dois jogadores de simples do Brasil vêm em um ótimo início de temporada, ambos com títulos importantes em Challenger. Rogerinho faturou o Challenger de Playford, na Austrália, logo na primeira semana do ano. Já Monteiro sagrou-se campeão do Challenger 80 de Punta Del Este, no Uruguai, na semana passada.

“Nós dois tivemos um bom começo de temporada, o time todo na verdade. Estou bem preparado, bem adaptado às condições e muito motivado para abrir este confronto. Esta é a minha quinta Copa Davis e eu nunca tinha jogado no Brasil, diante da torcida. Então, estou bem motivado e confiante pelo título no Uruguai”, afirmou Monteiro.

“Estou muito feliz de voltar a representar o Brasil em uma Copa Davis. Todo mundo sabe que é uma competição muito especial para mim. Eu conheço bem os dois jogadores deles, são atletas consistentes, serão jogos duros, mas estamos bem preparados. Fizemos uma excelente semana de treinamento aqui em Uberlândia, estamos todos muito focados e prontos para esta batalha”, ressaltou Rogerinho, que enfrentou Coppejans em três ocasiões e levou a melhor em duas, todas em 2015.

Os ingressos para o confronto podem ser adquiridos pelo site www.ingressonacional.com.br e na bilheteria do Ginásio Sabiazinho com valores promocionais até o início do evento. Após será cobrado os preços cheios (confira o box) . O complexo possui praça de alimentação com food trucks e abre duas horas antes do evento. Já o acesso ao ginásio se dá uma hora antes do início do primeiro jogo.

Foto: Luiz Cândido/CBT

Thiago Monteiro completa equipe do Brasil para Davis e realiza primeiro treino em Uberlândia

O cearense Thiago Monteiro chegou na noite de segunda-feira em Uberlândia e treinou pela primeira vez com a equipe brasileira, que agora está completa, no Ginásio Sabiazinho. Campeão do Challenger 80 de Punta Del Este, no Uruguai, no último domingo, o número 1 do Brasil fez o reconhecimento da quadra em um treinamento intenso com seu xará, o paranaense Thiago Wild, e aprovou as condições.

“Estou muito feliz de poder representar o Brasil mais uma vez na Copa Davis, gostei muito das condições daqui, estão um pouco mais rápidas do que em Punta, tem um pouco de altitude, a quadra é coberta. Estou muito motivado para esse confronto, que é importantíssimo para nós. Acho que a equipe está bem preparada e unida para tentar essa vaga no Grupo Mundial”, afirmou o tenista, que subiu 19 posições com o título no Uruguai e aproximou-se do top 100, na 107a colocação. “Venho bem confiante, bem motivado e espero poder apresentar um bom nível de tênis nesse confronto”, completou.

Brasil e Bélgica se enfrentam nos dias 1 e 2 de fevereiro, no Ginásio Sabiazinho, por uma vaga na fase final do novo formato da competição entre países, que será disputada em Madri, em novembro. Comandada pelo capitão João Zwetsch, a equipe brasileira é formada por Thiago Monteiro e Rogério Dutra Silva, raquetes 1 e 2 nacionais, respectivamente, por Bruno Soares e Marcelo Melo, que formam a dupla, e pelo jovem Thiago Wild como quinto jogador.

A delegação do Brasil ainda conta com os atletas da transição João Menezes e Igor Marcondes e os juvenis Pedro Boscardin e Natan Rodrigues, como sparring dos profissionais; o preparador físico Eduardo Faria; os fisioterapeutas Paulo Santos e Rogério Kiefer, o Tatá; os técnicos Daniel Melo e Luiz Peniza; o médico Ricardo Savoldelli; além de chefe de delegação Eduardo Nunes.

Nesta quarta-feira, serão realizadas as coletivas de imprensa das duas equipes. Os primeiros a responderem as perguntas dos jornalistas serão os belgas, às 14h30. Na sequência será a vez do time brasileiro. O sorteio oficial será na quinta-feira, às 11h30, no Praia Clube.

Os ingressos para o confronto seguem com valores promocionais no site: www.ingressonacional.com.br.

Confira os valores para cada lote (ingressos válidos para os 2 dias): 

Anel superior: de R$ 290 por R$ 174 (2º lote – desconto de 40%)

Anel inferior lateral: de R$ 370 por R$ 259 (3º lote – desconto de 30%)

Anel inferior fundo: de R$ 450 por R$ 315 (3º lote – desconto de 30%)

Foto: Luiz Cândido/CBT

Depois da recusa de Mauresmo, Grosjean será o novo capitão francês na Davis

O ex-tenista Sebastien Grosjean foi escolhido para ser o capitão da equipe francesa na Copa Davis e nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.

Campeão do Masters 1000 de Paris, em 2001, o francês, aposentado desde 2010, substitui Yannick Noah, que deixou o cargo após o vice da Davis neste ano, quando perdeu para o Croácia.

A primeira escolhida para o novo período foi Amélie Mauresmo, mas ela declinou do convite e preferiu ser treinadora do também francês Lucas Pouille.

Apesar das críticas recentes de alguns jogadores ao novo formato do torneio, o diretor técnico Pierre Cherret garantiu que os jogadores se comprometeram a jogar a competição em 2019.

Monteiro, Rogerinho, Soares e Melo defendem o Brasil na Davis, contra a Bélgica

O Brasil irá com força total em busca de uma vaga no Grupo Mundial da Copa Davis, contra a Bélgica. A equipe comandada pelo capitão João Zwetsch será formada pelos dois brasileiros mais bem colocados no ranking de simples da ATP, o cearense Thiago Monteiro (123o) e o paulista Rogério Dutra Silva (165o), e terá a forte dupla composta pelos mineiros Bruno Soares (7o) e Marcelo Melo (9o), além do paranaense Thiago Wild (530o), de apenas 18 anos, como quinto jogador.

O confronto será disputado nos dias 1 e 2 de fevereiro de 2019 no saibro do Ginásio Sabiazinho, em Uberlândia-MG. (Clique aqui para adquirir seu ingresso).

“A equipe está bem formada. Rogerinho e Monteiro são os dois jogadores que tiveram os melhores resultados em 2018. A volta do Bruno também é importante para a equipe. O Bruno e o Marcelo são uma das melhores duplas da Copa Davis nos últimos anos, apesar de o Marcelo Demoliner ter demonstrado que pode suprir uma eventual ausência de um dos dois com qualidade. E o Thiago Wild como quinto jogador, de acordo com nosso critério de sempre chamar um garoto na fase de transição, que tenha qualidade e possa jogar eventualmente”, explicou Zwetsch.

O capitão brasileiro acredita em um confronto duro contra os belgas, que devem ter David Goffin, atual 22 do mundo e ex-top 10, na equipe. Mas Zwetsch aposta no fator casa para fazer a diferença. A última vez que o Brasil jogou em casa na Copa Davis foi em 2016, em Belo Horizonte, quando venceu o Equador por 3 a 1.

“A gente prevê um jogo muito difícil contra a Bélgica do Goffin, que vem jogando em um nível muito alto nos últimos anos e consequentemente eleva o nível da equipe. Será um confronto difícil, mas o fator local ainda é importante na Copa Davis. O apoio da torcida, a energia que ela traz para dentro do jogo é muito importante. Temos que aproveitar bem isso. Nossa torcida é sempre forte, nos ajuda muito e tenho certeza que dessa vez será da mesma forma”, destacou.

O número 1 do Brasil, Thiago Monteiro também confia na força do fator local. O tenista, que está em pré-temporada com sua nova equipe na Argentina, está bastante motivado para o confronto contra a Bélgica e tem como uma das metas para 2019 obter um bom resultado na Copa Davis.

“Sem dúvida jogar em casa depois de cinco confrontos fora será uma motivação a mais. Sentir o calor da torcida, aquele clima diferenciado que a Davis proporciona. Estou muito motivado com minha nova equipe fazendo a pré-temporada, pretendo ter um grande ano em 2019 e jogar bem na Davis, ajudando a classificar o Brasil para o Grupo Mundial. Essa é uma meta não apenas minha, mas de toda a equipe”, ressaltou Monteiro.

De volta à equipe, após priorizar seu calendário na ATP em 2018, Rogerinho também está motivado. “Muito legal estar voltando para a Copa Davis, uma das competições que eu mais gosto. Jogar em casa, ainda mais agora que será diferente daqui pra frente. Então, vai ser muito bacana jogar, espero que possamos sair com a vitória em casa e quem sabe jogar o Grupo Mundial”, projetou.

Bruno Soares, que também não jogou os confrontos da Davis em 2018 por questões pessoais – o nascimento do segundo filho –, também está feliz por voltar a representar o Brasil na competição entre países. “Depois de um ano afastado por questões pessoais será legal demais voltar para a equipe. Jogar em casa para classificar nesse formato novo. Muito bacana para o Brasil. Estou muito feliz em ser chamado e ter a confiança do capitão. Expectativa boa demais de jogar em terras mineiras. Muito especial. Espero que eu e Marcelo possamos contribuir com nosso ponto”, afirmou o tenista de Belo Horizonte.

Sétimo jogador que mais defendeu o Brasil em Copa Davis com 21 participações, Marcelo Melo comemorou mais uma convocação. “Estou muito feliz em mais uma vez ser convocado para fazer parte da equipe. Todos sabem a importância que eu dou para a Copa Davis, tenho um orgulho enorme em defender o Brasil”, revelou.

Por fim, o jovem Thiago Wild, que fez uma excelente temporada em 2018, conquistando o inédito título do US Open juvenil para o Brasil, e fazendo bons jogos no profissional, também ficou feliz com a convocação.

“Fazer parte da equipe da Davis é sempre muito interessante, o ambiente é bom e a convivência é legal. Eu já faço parte da equipe da Davis há dois anos, mas como jogador será a segunda vez. Como estou começando agora, acho que aos poucos irei me acostumando com o torneio, com o modo dos jogos e irei ganhando espaço na equipe”, avaliou Wild, que foi convocado pela primeira vez em Santo Domingo e participou do Programa Juniors/Pró da CBT, que dá a oportunidade para jovens tenistas acompanharem os profissionais na Copa Davis e em grandes torneios.

Este será o quarto confronto entre Brasil e Bélgica e a equipe brasileira tentará quebrar o tabu de nunca ter vencido os belgas na Copa Davis. Os europeus venceram os três duelos anteriores, todos em casa, em 1960, em 1993 (quando o Brasil perdeu o mando de quadra) e em 2016.

Caso vença a Bélgica, o Brasil garantirá vaga na fase final da competição, na Espanha, entre os dias 18 e 24 de novembro. Em 2019, a tradicional competição terá novo formato com 18 países disputando o cobiçado troféu em Madri, ao fim da temporada, depois do ATP Finals.

Cilic confirma o ponto decisivo sobre a França e o bi da Croácia na Copa Davis

Depois do belo desempenho na sexta-feira, a Croácia confirmou neste domingo o título da Copa Davis, principal conflito entre países do tênis.

No saibro indoor de Lille, na França, os donos da casa até renovaram as esperanças com a vitória nas duplas, no sábado, mas Marin Cilic tratou de encerrar o confronto na primeira partida do domingo.

A equipe da casa alterou seu jogador para o primeiro jogo do dia, colocando Lucas Pouille no lugar do experiente Jeremy Chardy, mas mesmo assim não foi o suficiente. O tênis sólido de Cilic foi responsável por uma vitória em sets diretos, com parciais de 7/6(3) 6/3 e 6/3, confirmando o segundo título dos croatas na História da competição.

“Não é todo dia que você se torna um campeão mundial”, disse Cilic. “Para nós, é um sonho que se torna realidade. Nós somos tão apaixonados, você pode ver que os fãs estão se divertindo. Eu sinto que na Croácia isso vai ser incrível também.” concluiu.

Vale notar que, jogando com o apoio de mais de 20 mil torcedores, a França buscava seu 11º título, na última edição da Copa Davis no atual formato.

Fora de casa, Croácia abre vantagem sobre a França e fica perto do bi da Copa Davis

A Croácia está muito perto do título na última edição, nestes moldes, da Copa Davis, principal torneio entre países do tênis.

Na final contra a França, fora de casa, em Lille, os visitantes mostraram toda a qualidade da sua equipe para abrir vantagem no confronto disputado no saibro indoor.

Na primeira partida do dia, Borna Coric não deu muitas chances ao local jeremy Chardy e venceu em sets diretos, com parciais de 6/2 7/5 e 6/4.

Depois, muita experiência em quadra na partida entre Jo-Wilfried Tsonga e Marin Cilic, que levou a melhor, também em três sets, com parciais de 6/3 7/5 e 6/4.

Agora, com 2 x 0 de vantagem, basta mais uma vitória da Croácia para que o país conquiste seu segundo título da Copa Davis, enquanto os franceses buscam a 11ª conquista.

A definição pode acontecer neste sábado, na partida de duplas, com Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut defendendo a França e Ivan Dodig e Mate Pavic jogando pela Croácia.

França e Croácia decidem a Copa Davis a partir desta sexta, em Lille

Começa nesta sexta-feira a final da Copa Davis, principal competição entre países do tênis, que terá sua última decisão neste formato de disputa.

O local da decisão será o mesmo do ano passado, o Stade Pierre Mauroy, em Lille, na França, local que em 2017 viu os franceses ficarem com o troféu depois de 16 anos, em confronto contra os belgas.

Agora, em 2018, os adversários serão os croatas, em confronto que será disputado no saibro indoor.

Na primeira partida do dia, o local Jeremy Chardy terá pela frente o croata Borna Coric, enquanto Jo-Wilfried Tsonga está escalado pra representar os donos da casa no segundo jogo, diante de Marin Cilic.

Vale lembrar que a França luta pelo seu 11º título, enquanto a Croácia vai buscar o bicampeonato, depois do triunfo em 2005.

Uberlândia sediará confronto entre Brasil e Bélgica pela Copa Davis, em fevereiro de 2019

A cidade de Uberlândia será sede do próximo confronto do  Brasil no Play-off da Copa Davis. Valendo vaga na fase final da competição entre países, o confronto irá ocorrer nos dias 1 e 2 de fevereiro de 2019, contra a Bélgica, no saibro do Ginásio Arena Tancredo Neves, conhecido como Sabiazinho. Com capacidade para 6 mil pessoas, o local já foi palco de grandes eventos, como a decisão da Superliga Feminina de Vôlei 2017/2018.

A solenidade de assinatura de contrato e a coletiva de imprensa foram realizadas na sede da Prefeitura Municipal de Uberlândia, nesta terça-feira (6), com a presença do presidente da Confederação Brasileira de Tênis, Rafael Westrupp; do presidente da Federação Mineira de Tênis, François Rahme; do presidente do Praia Clube, Aldorando Dias de Sousa e do prefeito de Uberlândia Odelmo Leão.

“Gostaria de fazer um agradecimento especial ao prefeito Odelmo, ao dr. Aldorando, presidente do Praia Clube, ao presidente da Federação Mineira, François Rahme e ao diretor de tênis Luiz Eugênio, pessoas que se engajaram nesse sonho que hoje começa a se tornar realidade. Outras cidades tinham apresentado interesse em sediar a Copa Davis, como Salvador, Fortaleza, São Paulo, Criciúma, dentre outras cidades”, revelou Westrupp.

A escolha por Uberlândia foi feita em conjunto com a comissão técnica e o capitão João Zwetsch, que está acompanhando o atleta Thiago Wild no Uruguai, e por isso não pôde comparecer ao evento.

“Nós da comissão técnica conversamos e pensamos que essas seriam as melhores condições para jogarmos: quadra de saibro, bola mais lenta, quadra coberta, com um pouquinho de altitude para não deixar o jogo tão lento também. Condições muito parecidas com o Ibirapuera, no Brasil Open, que é onde todos nossos jogadores se sentem bem jogando. A ideia era essa, deixar as condições mais adequadas para enfrentarmos a Bélgica na melhor das possibilidades”, explicou o capitão João Zwetsch.

Todas as informações e os detalhes de ingressos para este confronto em Uberlândia serão anunciados até o dia 15 de novembro.

Cidade do Triângulo Mineiro já tem tradição no tênis

Uberlândia já está acostumada a receber grandes eventos de tênis. Nos últimos quatro anos, a cidade do Triângulo Mineiro sediou o Brasileirão Infantojuvenil da CBT e a Copa das Federações, que mobiliza mais de 1 mil atletas durante duas semanas de disputas no Praia Clube.

“Muitas pessoas não sabem, mas Uberlândia já sedia o maior torneio infantojuvenil da CBT há quatro anos, juntamente com o Praia Clube e a Federação Mineira. Mais de 1 mil crianças, que são o futuro do nosso tênis, da nossa sociedade, passam por Uberlândia uma vez ao ano”, ressaltou o presidente da CBT.

O último confronto do Brasil em casa, em 2016, também foi em Minas Gerais, quando a equipe brasileira venceu o Equador, em Belo Horizonte. Este será o quarto confronto entre Brasil e Bélgica e a equipe brasileira tentará quebrar o tabu de nunca ter vencido os belgas na competição. Os europeus venceram os três duelos anteriores, todos em casa, em 1960, em 1993 (quando o Brasil perdeu o mando de quadra) e em 2016.

“Há três anos não tínhamos a oportunidade de jogar a Copa Davis em casa. Será uma revanche, no bom sentido, contra a Bélgica, para quem perdermos em Ostend, em 2016. Mas tenho certeza que, com essa união de Uberlândia, todos os torcedores e o ginásio Sabiazinho lotado, nossa equipe vai estar ainda mais motivada a ganhar e se classificar para a Copa do Mundo, que será realizada no final do ano que vem”, projetou Westrupp.

Foto: Secom/Prefeitura de Uberlândia