Schwartzman bate Verdasco e é campeão do Rio Open, maior título da sua carreira

Diego Schwartzman é o grande campeão do Rio Open, ATP 500 disputado na capital carioca e maior torneio de tênis da América do Sul.

Na tarde deste domingo, no Jockey Club Brasileiro, ele bateu o espanhol Fernando Verdasco em sets diretos, com parciais 6/2 e 6/3, com uma grande atuação.

Foi o segundo título de ATP da carreira de Schwartzman, o primeiro de ATP 500, que já havia sido campeão do ATP 250 de Istambul, em 2016.

Na final, Verdasco já não mostrou a mesma precisão que teve ao longo da semana, principalmente nas quartas e na semifinal, e viu um adversário muito sólido do fundo de quadra, que errou pouco e deu poucas chances.

Além disso, Schwartzman conseguiu levar a melhor nos pontos mais importantes, principalmente no meio do segundo set, salvando break points, quando a torcida presente parecia apoiar Verdasco, provavelmente pra ter a oportunidade de acompanhar um terceiro set, que não aconteceu.

Com o resultado, “El peque”, como é conhecido, vai confirmar seu melhor ranking da carreira, chegando ao 18º posto, superando o 23º lugar, ocupado nesta semana, que já é sua melhor marca, confirmando seu grande momento na carreira.

“No começo da semana, eu não esperava ser campeão e muito menos sem perder set. Eu pude aproveitar o fato dele jogar muito simples e duplas durante a semana. Eu estou muito contente com meu primeiro ATP 500.” afirmou o argentino, que ainda falou sobre a emoção de receber o troféu de campeão das mãos de Gustavo Kuerten:

“Foi incrível. Nunca imaginei ele entregar um troféu pra mim. Foi um sonho cumprido, assim como poder falar com ele.” disse Schwartzman.

Depois do jogo, Verdasco deixou claro que não estava em suas melhores condições físicas, principalmente pelo cansaço acumulados depois de ter jogador os cinco jogos da chave de simples e de duplas, na qual teve dois jogos no quali, antes de conquistar o título, na noite de sábado:

“Hoje não estava fisicamente como nos outros dias da semana, cometi um número maior de erros não forçados. Fisicamente, ele estava melhor do que eu. Não pude dar o melhor de mim, pelo cansaço acumulado.” afirmou.

Foto: Fotojump

Depois de ir à final de simples, Verdasco é campeão de duplas do Rio Open ao lado de Marrero

Menos de uma hora depois de conquistar a vaga na final de simples, o espanhol Fernando Verdasco fez jornada dupla neste sábado para garantir seu primeiro título do Rio Open apresentado pela Claro. Ao lado do compatriota David Marrero venceu o croata Nikola Mektic e o austríaco Alexander Peya, de virada, por 2 sets a 1, com parciais de 5/7, 7/5 e 10/8, e conquistou o título inédito da chave de duplas do ATP 500 do Rio. Neste domingo, Verdasco busca o troféu de simples contra o argentino Diego Schwartzman, a partir das 17h. Os ingressos estão à venda no site www.tudus.com.br/rioopen . A dupla espanhola recebeu premiação de R$ 359 mil e vai somar 500 pontos no ranking.

Verdasco e Marrero já tinham outros seis títulos juntos, incluindo o ATP Finals de 2013. Foi a primeira vez que eles venceram no Rio, e o troféu é o terceiro da dupla de um torneio nível 500 – já conquistaram Acapulco e Hamburgo. Marrero foi vice-campeão no Rio em duas oportunidades – 2014, com o brasileiro Marcelo Melo, e 2016, com o espanhol Pablo Carreño Busta. O curioso é que a dupla espanhola entrou na chave como lucky loser, depois da desistência da parceria formada pelo uruguaio Pablo Cuevas e o espanhol Carreño Busta.

Animado com o título, e a cada dia mostrando grande simpatia pelo Brasil, Verdasco quer encerrar a semana com mais um troféu. “Foram jogos difíceis, me desgastei, mas o bom é que os venci e chego na final individual com ainda mais confiança. Espero vencer amanhã para ter a melhor recordação possível do Rio. Me identifico muito com o Brasil, tenho muitos amigos aqui que me dizem que tenho sangue brasileiro”, disse o jogador de 34 anos.

Marrero agradeceu o parceiro na conquista do título. “Fernando fez um sacrifício extra nesses dias para conquistarmos esse título. É muito especial ganhar esse troféu com ele, em um dos melhores torneios do circuito. Passei por problemas pessoais nos últimos anos, então essa conquista tem um sabor diferente”, disse.

Assim como na vitória sobre o brasileiro Bruno Soares e o britânico Jamie Murray, na semifinal, Verdasco entrou embalado pelo resultado nas simples. Depois de vencer o italiano Fabio Fognini, o espanhol descansou por 45 minutos e retornou à quadra Guga Kuerten. Os espanhóis tinham vencido Mektic e Peya na semana passada em Buenos Aires, na primeira rodada do torneio, mas encontraram mais dificuldades no Rio. Peya e Mektic venceram o primeiro set, e tinham vantagem de 4 a 1 no segundo. Os espanhóis continuaram acreditando e buscaram o empate. No match tie-break, Verdasco brilhou e fez a diferença na conquista do troféu.

RESULTADOS DE SÁBADO:

Fernando Verdasco (ESP)/David Marrero (ESP) 2 x 1 Nikola Mektic (CRO)/Alexander Peya (AUT) – 5/7, 7/5 e 10/8

Diego Schwartzman (ARG) 2 x 0 Nicolas Jarry (CHI) – 7/5 e 6/2

Fernando Verdasco (ESP) 2 x 0 Fabio Fognini (ITA) – 6/1 e 7/5

Foto: Fotojump

Verdasco mantém boa fase, elimina Fognini e faz final do Rio Open contra Schwartzman

Depois de eliminar o austríaco Dominic Thiem, em grande atuação, Fernando Verdasco manteve a boa fase e, neste sábado, garantiu vaga na grande final do Rio Open, ATP 500 disputado na capital carioca e maior torneio de tênis da América do Sul.

O espanhol jogou bem, mas também contou com uma atuação abaixo da média do italiano Fabio Fognini para triunfar em sets diretos, com parciais de 6/1 e 7/5.

Campeão de 7 torneio da ATP, o italiano terá pela frente, em busca do 8º troféu, o argentino Diego Schwartzman, que mais cedo passou pelo chileno Nicolas Jarry, com parciais de 7/5 e 6/2.

Está sendo uma semana incrível, eu já queria vir para o Rio há muito tempo e agora está tudo perfeito. Amanhã a final contra o Schwartzman vai ser muito dura, ele é um jogador completo e consistente, com ótimos golpes de fundo de quadra”, previu o espanhol que ainda largou um “obrigado galera” antes de sair da quadra central para descansar e voltar na decisão de duplas.

A final será disputada neste domingo, às 17hs, na quadra Guga Kuerten, no Jockey Club Brasileiro.

Foto: Fotojump

Schwartzman bate surpreende Jarry, vai à final do Rio Open e se garante no top 20 da ATP

Diego Schwartzman confirmou seu favoritismo e é o primeiro finalista da chave de simples do Rio Open, ATP 500 disputado na capital carioca e o maior torneio de tênis da América do Sul.

Neste sábado, o argentino superou o surpreendente chileno Nicolas Jarry e venceu em sets diretos, com parciais de 7/5 e 6/2, em 1h17min.

Depois de um primeiro set equilibrado, no qual o argentino sacou duas vezes pra fechar, Jarry não conseguiu manter o nível no 2º, errou muito e não ofereceu resistência, vencendo apenas 2 games.

Campeão do ATP de Istambul, em 2016, Schwartzman vai em busca do seu segundo título de ATP. Com o resultado no Rio de Janeiro, ele entra pela primeira vez no top-20 da ATP, ocupando, por enquanto, o 19º posto a partir da próxima segunda-feira.

“”Foi uma partida dura, demorei a entrar no jogo. No 2° set joguei melhor, mais intenso, saquei melhor, devolvi melhor e pude ganhar em 2 sets. Estou muito contente por entrar no top 20.” afirmou o argentino.

Apesar da derrota, Jarry aprovou sua semana no Rio, depois de furar o qualifying e vencer três jogos na chave principal.

“Estou feliz pela semana, mas triste por hoje. Cometi muito mais erros do que nos outros jogos da semana. Quando eu jogava um bom ponto, ele jogava melhor. Parabéns pra ele.” disse Jarry, que também falou sobre o que vem sendo diferencial na sua carreira: “Estou treinando muito bem, fazendo as coisas muito bem fora da quadra também, sendo muito profissional, e isso influencia dentro da quadra. Tenho que manter isso.” disse o jovem chileno.

Foto: Fotojump

Em seu penúltimo torneio da carreira, André Sá recebe homenagem no Rio Open

A semana no Rio Open foi de fortes emoções para o mineiro André Sá. Aos 40 anos, sendo 21 deles jogando o circuito mundial, o tenista decidiu se despedir das quadras nos dois torneios ATP realizados no Brasil. Na noite desta sexta-feira, Sá recebeu uma bela homenagem do ATP 500 do Rio na quadra Guga Kuerten. Um vídeo com imagens de sua carreira e mensagens de amigos tenistas o emocionaram.

“Agradeço o Kirmayr (Carlos Kirmaryr), treinador que acreditou no meu sonho de ser jogador e me incentivou a treinar nos Estados Unidos, minha esposa Fernanda e minha filha Carolina, por aguentarem minha ausência por 30 semanas no ano, meus pais, que sacrificaram seus sonhos para eu seguir o meu, e meu irmão Vinícius, meu maior torcedor”, disse Sá, que já assumiu a função de treinador de Thomaz Bellucci, com quem jogou duplas no Rio Open, além de ter sido anunciado como novo consultor de relações com os jogadores da Federação Internacional de Tênis (ITF).

Contemporâneo de Gustavo Kuerten, Sá alcançou a 55ª posição no ranking de simples e a 17ª nas duplas. Disputou as quartas de final de Wimbledon, em 2009, feito só alcançado no Brasil por Guga e Thomaz Koch. Também foi semifinalista de Wimbledon nas duplas, em 2007, em parceira com Marcelo Melo.

Sá conquistou 11 títulos de duplas na carreira, e é o terceiro duplista mais vitorioso da história do tênis brasileiro. Também disputou quatro Jogos Olímpicos e defendeu o Brasil na Copa Davis em 20 confrontos, tendo participado da campanha da semifinal de 2000. O jogador também tem importante participação nos bastidores do esporte. Participou do conselho de jogadores da ATP e agora assumiu o cargo da ITF.

Foto: Fotojump

 

Verdasco joga muito, bate Thiem e encara Fognini na semi do Rio Open. Jarry surpreende Cuevas

Em sua primeira participação no Rio Open apresentado pela Claro, o espanhol Fernando Verdasco, ex-número 7 do mundo e cabeça de chave 8 do torneio, eliminou o atual campeão, o austríaco Dominic Thiem , nesta sexta-feira, e enfrentará o italiano Fabio Fognini, favorito nº 5, neste sábado, por uma vaga na final do maior torneio de tênis da América do Sul. Verdasco marcou 2 sets a 0, com parciais de 6/4 e 6/0,  sobre Thiem, e Fognini venceu o esloveno Aljaz Bedene, mais uma vez de virada, por 6/7 (3), 6/3 e 6/1. A semifinal entre Verdasco e Fognini será o segundo jogo da rodada que começa às 17h. O espanhol também se garantiu na final da chave de duplas com a vitória sobre o brasileiro Bruno Soares e o britânico Jamie Murray, ao lado do compatriota David Marrero. O outro jogo da rodada será entre o chileno Nicolas Jarry e o argentino Diego Schwartzman. Os ingressos estão esgotados. Para domingo estão à venda no site www.tudus.com.br/rioopen .

Desde que chegou no Rio, Verdasco tem mostrado em suas redes sociais que está adorando a cidade e espera manter as boas sensações que tem vivido por aqui na rodada dupla deste sábado. “Sempre quis jogar aqui, esses dias estão sendo especiais, alcançar a semifinal das simples e a final das duplas. Preciso descansar esta noite para estar bem para esse dia cheio”, disse o canhoto de 34 anos, que entrou para a partida de duplas 40 minutos após a vitória nas simples.

A vitória de Verdasco foi a terceira sobre Thiem, o atual número 6 do mundo. Mesmo embalado pelo título em Buenos Aires no domingo, o austríaco sofreu nas mãos do experiente espanhol. “Eu tive muita dificuldade para confirmar meu serviço, nunca estive no controle dos pontos e  isso porque ele jogou bem. Não consegui incomodá-lo com nada. Ele é um jogador muito bom, e se estiver ditando os pontos, você praticamente não tem chance de derrotá-lo. Hoje foi um choque, um dia muito ruim, mas tenho que seguir em frente”, disse.

Na outra partida, o italiano Fognini venceu o esloveno Bedene pela oitava vez na carreira, a terceira no Rio Open – as outras foram em 2014 e 2016. Vice-campeão do ATP carioca em 2015, Fognini teve vantagem de 5 a 2 no primeiro set, mas sofreu a virada e perdeu no tiebreak. Reagiu vencendo a segunda parcial, e mostrou mais experiência para fechar no set decisivo.

“Estou contente por estar em mais uma semifinal no Rio, Me compliquei no primeiro set, mas consegui melhorar e conquistar a vitória. Meu próximo adversário é perigoso, e está numa semana muito boa por aqui”, disse Fognini, que tem restrospecto desfavorável contra Verdasco – 3 a 2 para o espanhol.

A jovem sensação chilena Nicolas Jarry superou o uruguaio Pablo Cuevas, campeão da edição 2016, nesta sexta-feira, por 2 sets a 0, com parciais de 7/5 e 6/3, e disputará a semifinal contra o argentino Diego Schwartzman. O argentino, cabeça de chave nº4, eliminou o showman francês Gael Monfils por 6/3 e 6/4. A partida valendo vaga na final será neste sábado, às 17h.

Foto: Fotojump

Thiem conta com abandono de Andujar e vai às 4ªs no Rio. Monfils completa vitória sobre Cilic

O austríaco, campeão do Rio Open 2017, vencia o espanhol Pablo Andujar por 4 a 2, quando o adversário desistiu por dores no ombro direito. O próximo adversário será o espanhol Fernando Verdasco, ex-número 7 do mundo, que eliminou o argentino Nicolas Kicker, de virada, por 6/7 (3), 6/2 e 6/0. Em dois confrontos entre os dois, Verdasco venceu Thiem, mas foram jogos na quadra dura e na grama. “Vou poder descansar mais cedo, e isso é positivo porque venho de uma semana cheia em Buenos Aires (foi campeão). Meu próximo adversário está muito bem no torneio, então espero um jogo difícil”, disse.

Em outra partida, o italiano Fabio Fognini levantou a torcida na quadra 1 ao vencer de virada e no tie-break a nova esperança norte-americana Tennys Sandgren por 4/6, 6/4 e 7/6 (6). O italiano terá pela frente nesta sexta o eslovaco Aljaz Bedene. Vice-campeão em Buenos Aires no último domingo, Bedene eliminou o espanhol Pablo Carreño Busta por 6/2, 5/7 e 6/2. Fognini já venceu Bedene  sete vezes, duas delas no Rio Open, em 2014 e 2016.

Já o uruguaio Pablo Cuevas, campeão da edição 2016, venceu o português Gastão Elias por 7/5 e 6/1, e enfrentará nas quartas o chileno Nicolas Jarry.

O francês Gael Monfils precisou de três minutos para finalizar a partida com o croata Marin Cilic, nesta quinta-feira, e garantir vaga nas quartas de final. O “showman” francês venceu o número 3 do mundo por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 7/6 (8), na continuação da partida que foi interrompida na noite de quarta devido a um forte temporal que atingiu o Rio de Janeiro. O adversário, valendo vaga na semifinal, será o argentino Diego Schwartzman, nesta sexta-feira, no segundo jogo da quadra Guga Kuerten, com rodada começando às 15h.

A partida entre Cilic e Monfils foi reiniciada com vantagem de 1 set a 0 para o francês e empate por 7 a 7 no tiebreak do segundo. Vice-campeão do Aberto da Austrália no início do ano, Cilic fez 8 a 7, e sacou para levar a partida para o terceiro set, mas a bola de Monfils raspou na rede, o atrapalhando. Na sequência, o francês confirmou seus dois saques e, na primeira chance que teve, fechou por 10/8, com uma bela passada.

“Foi uma grande experiência disputar o Rio Open, vivi bons momentos aqui, e considero voltar”, disse Cilic. Já Monfils comemorou a vitória, embora ainda pense que pode jogar melhor. “Não estou 100%, mas estou lutando em cada ponto, acreditando em todas as bolas, e meu saque está sendo um ponto positivo”, avaliou o francês, que venceu Schwartzman na única vez em que eles se enfrentaram.

Foto: Fotojump

Soares e Murray vencem e jogam semi do Rio Open nesta sexta-feira. Melo perde

O brasileiro Bruno Soares e o britânico Jamie Murray disputam nesta sexta-feira a semifinal do Rio Open apresentado pela Claro. Bruno e Jamie garantiram um lugar na semi após a vitória sobre o tcheco Roman Jebavy e o argentino Leonardo Mayer, nesta quinta, por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 6/4. A disputa por um lugar na final do ATP 500 do Rio será contra os espanhóis Fernando Verdasco e David Marrero, no segundo jogo da quadra 1, com rodada começando às 18h. Os ingressos para as rodadas desta sexta e de sábado estão esgotados. Para domingo (25) estão à venda no site www.tudus.com.br/rioopen .

“Jogamos bem, soubemos usar o saque, e tivemos consistência na devolução. A partida contra os espanhóis será pedreira. Eles são experientes, já jogaram juntos muitas vezes, e se conhecem bem. Eles têm jogadas boas, ambos contam com uma direita muito forte”, avaliou Bruno, semifinalista das quatro edições do Rio Open.

Os outros brasileiros na chave não avançaram. Marcelo Melo e Lukasz Kubot, que dividem a liderança do ranking mundial, fizeram dois jogos por causa da chuva que caiu na quarta. No primeiro venceram o chileno Nicolas Jarry e o tcheco Jiri Vesely por 6/4, 4/6 e 10/4, mas caíram no segundo para os argentinos Andres Molteni e Horacio Zeballos por 7/6 (4) e 6/2.

“Perder em casa é sempre mais doloroso, mas sei que dei meu máximo. Vim de Roterdã, tive uma virose no final de semana, não consegui treinar muito aqui. Me recuperei e fiz o possível para jogar bem”, disse Marcelo.

Molteni e Zeballos já haviam vencido Thomaz Bellucci e André Sá, mais cedo, por 6/1 e 6/3. A partida contra os argentinos foi a despedida de Sá do Rio Open como jogador. O mineiro de 40 anos, que já está treinando Bellucci, receberá homenagem especial da organização nesta sexta-feira. “Foi uma decisão que tomei em dezembro e quis aproveitar a oportunidade de encerrar a carreira no Brasil, ao lado da família. Estou tranquilo, começando algo novo, uma nova oportunidade que se abre”, disse Sá.

Pela semifinal, às 18h, nesta sexta, Molteni e Zeballos enfrentarão o croata Nikola Mektic e o austríaco Alexander Peya.

Foto: Fotojump

Guga marca presença no Rio Open e elogia realização do torneio em momento difícil do país

Convidado de gala do Rio Open apresentado pela Claro, Gustavo Kuerten chegou nesta quinta-feira na cidade para acompanhar a competição. O tricampeão de Roland Garros, muito requisitado pelos fãs por onde passa no Jockey Club Brasileiro, elogiou a realização do torneio e a importância da presença de grandes nomes do tênis, principalmente pelo momento difícil que o Brasil está enfrentando. Os ingressos para as rodadas de sexta (23) e sábado (24) estão esgotados. Para domingo estão à venda no site www.tudus.com.br/rioopen .

“Temos que aplaudir a realização do Rio Open, porque está difícil fazer as coisas acontecerem no Brasil, vivemos um momento muito delicado. Vejo que o torneio evoluiu a cada ano, e já está estabilizado, temos grandes nomes por aqui, Cilic, Monfils, os brasileiros das duplas. Também é extraordinário a iniciativa de trazer pessoas de classes mais baixas para conhecer, experimentar, e participar das clínicas. Neste ano foi a vez de ter também o tênis adaptado (clínica para pessoas com deficiência), uma coisa muito legal”, disse o ex-número 1 do mundo que ainda comentou a consolidação do ATP 500 no circuito profissional.”O mais difícil era fazer essas cinco primeiras edições. Agora chegar ao 10o. ano é mais fácil. O torneio está consolidado”.

O brasileiro falou também sobre ter ficado em 21º lugar numa lista de 50 nomes da renomada revista norte-americana “Tennis”, que está elegendo os maiores jogadores da Era Aberta (a partir de 1968) que conquistaram Grand Slam. A públicação está anunciando os jogadores eleitos aos poucos. A lista completa com 50 nomes, 25 de cada sexo, sairá na edição de março/abril. “Fiquei surpreso, é extraordinário estar entre nomes de tenistas grandiosos, principalmente porque minha carreira foi curta. Acho que estou tão bem colocado porque essa eleição vai além das vitórias e conquistas, tem a ver com meu jeito, de colocar emoção nas conquistas, tocar o coração das pessoas, que acho que foi minha marca dentro de quadra”, disse o jogador, que mais uma vez entregará o troféu ao campeão do Rio Open.

Guga comentou também sobre o retorno de Roger Federer à liderança do ranking aos 36 anos. “Não imaginava que ele pudesse voltar a ser número 1, acho que nem ele. Aí machucou o joelho, ficou um período afastado, e deve ter voltado pensando apenas em jogar, sem pretensão, e aí as coisas foram acontecendo”, completou.

Foto: Fotojump

Monfils salva match point e marca encontro com Cilic nas 8ªs do Rio Open

Em sua primeira participação no Rio Open apresentado pela Claro, o francês Gael Monfils fez tudo o que os fãs de tênis esperam dele. Abusou de suas jogadas performáticas, salvou um match-point e venceu o argentino Horacio Zeballos por 2 sets a 1, com parciais de 7/5, 3/6 e 7/5, na noite desta terça-feira. Seu próximo adversário no ATP 500 do Rio será o croata Marin Cilic, número 3 do mundo e favorito ao título, nesta quarta, às 19h. Os ingressos para o maior torneio de tênis da América do Sul estão à venda no site www.tudus.com.br/rioopen . Os dias 23 e 24 já estão com ingressos esgotados.

O campeão da edição 2017, o austríaco Dominic Thiem, também venceu na estreia. Passou pelo sérvio Dusan Lajovic por 6/2 e 7/5,e pega na próxima rodada o espanhol Pablo Andujar, que venceu o austríaco Gerald Melzer 7/5 e 6/2.

Quem também avançou à segunda rodada foi o argentino Diego Schwartzman, que viu o rival norueguês Casper Ruud abandonar ainda no primeiro set. Já o brasileiro Thiago Monteiro lutou muito, mas levou a virada do uruguaio Pablo Cuevas, campeão da edição 2016, e deixou o torneio sem representantes brasileiros na chave.

Muito aguardado pelo público desde a primeira edição do Rio Open, Gael Monfils teve trabalho contra o canhoto Zeballos, campeão de duplas em Buenos Aires, no último domingo. O ex-número 6 do ranking mundial mostrou seu tênis vistoso, com jogadas plásticas, e saiu na frente, fazendo 7/5. O argentino, 68º do mundo, não se abateu e empatou. No terceiro set, abriu 5 a 2 e teve um match-point no 5 a 4. Monfils salvou e conquistou a vitória.

“Mesmo nas situações difíceis nunca desisti da partida, e a torcida foi fantástica, me deu muita energia, principalmente no final, senti uma vibração forte. Não esperava tanto apoio. Mas para vencer o próximo jogo preciso jogar melhor, elevar meu nível”, disse o francês de 31 anos.

Monfils leva vantagem sobre Cilic, mas suas duas vitórias foram em quadras rápidas. A última nas Olimpíadas do Rio, em 2016. “Já joguei com ele, é um jogador atlético, rápido, é bom ver a maneira como joga, sempre perigoso. Nosso último encontro foi equilibrado, mas acho que tenho que me preocupar com meu jogo, como estou me sentindo, e acho que fiz uma boa estreia aqui, vou levar isso para a quadra”, disse Cilic, campeão do US Open 2014.

Schwartzman, Cuevas e Carreño Busta também garantem lugar nas oitavas

Em outra partida, o uruguaio Cuevas precisou de 2h41 para eliminar Thiago, em um jogo equilibrado do início ao fim. O uruguaio, 33º do mundo, que já havia eliminado Thiago na edição 2016 do torneio,  saiu na frente, abriu 4 a 2, mas viu Thiago reagir e virar, fechando no tiebreak. No segundo set, o uruguaio também ficou à frente, com uma quebra, e o brasileiro levou a decisão mais uma vez para o tiebreak. Thiago teve três chances de fechar a partida, mas Cuevas, com seu backhand firme se segurou e empatou o jogo, fechando por 12 a 10. No set decisivo, o uruguaio abriu 3 a 1, viu Thiago empatar, mas soube usar da sua experiência para fechar por 6/3.

“É uma derrota que a gente sente mais, por ter ficado tão perto da vitória. Foi um jogo duro, o melhor que fiz contra ele. Fico chateado, mas também foi mérito dele, que foi melhor nos momentos importantes” , disse o número 1 do Brasil, convidado da organização.

Cuevas volta à quadra nesta quarta para enfrentar o português Gastão Elias.

Já o argentino Diego Schwartzman avançou sem grande esforço. O jovem norueguês Casper Ruud sentiu dores no tornozelo direito e se retirou da partida no primeiro set, quando Schwartzman vencia por 4 a 1. O próximo adversário do argentino, que vive sua melhor fase, na 23ª colocação do ranking, será seu compatriota Federico Delbonis, que também viu seu adversário desistir, o tcheco Jiri Vesely, após estar vencendo por 6/2 e 3/2. A vitória sobre Vesely teve sabor especial para Delbonis. Foi a centésima dele no circuito. O duelo argentino também será nesta quarta, às 16h30, na abertura da rodada.

O vice-campeão no ano passado, o espanhol Pablo Carreño Busta, venceu fácil o italiano Marco Cecchinato, que veio do qualifying, por 6/4 e 6/1 e o próximo adversário será o eslovaco Aljaz Bedene, vice-campeão em Buenos Aires no último domingo, que eliminou o austríaco Andreas Haider-Maurer por 7/5 e 6/2.

 

RESULTADOS:

Pablo Cuevas (URU) 2 x 1 Thiago Monteiro (BRA) – 6/7 (5), 7/6 (10) e 6/3

Gael Monfils (FRA) 2 x 1 Horacio Zeballos (ARG) – 7/5, 3/6 e 7/5

Dominic Thiem (AUT) 2 x 0 Dusan Lajovic (SER) – 6/2 e 7/5

Diego Schwartzman (ARG) x Casper Ruud (NOR) – 4/1 (ret.)

Federico Delbonis (ARG) 2 x 0 Jiri Vesely (TCH) – 6/2 e 3/2 (ret.)

Pablo Carreño Busta (ESP) 2 x 0 Marco Cecchinato (ITA) – 6/4 e 6/1

Nicolas Kicker (ARG) 2 x 0 Victor Estrella Burgos (DOM) – 6/3 e 6/3

Aljaz Bedene (ESL) 2 x 0 Andreas Haider-Maurer (AUT) – 7/5 e 6/0

Pablo Andujar (ESP) 2 x 0 Gerald Melzer (AUT)  – 7/5 e 6/2

Santiago Gonzalez (MEX)/Julio Peralta (CHI) 2 x 0 Fabio Fognini (ITA)/Marc Lopez (ESP) – 6/3 e 6/2

Roman Jebavy (TCH)/Leonardo Mayer (ARG) 2 x 1 Guillermo Garcia-Lopez (ESP)/Albert Ramos Vinolas (ESP) – 6/2, 6/7 (5) e 10/7

Guido Pella (ARG)/Diego Schwartzman (ARG) 2 x 1 Hans Podlipnik Castillo (CHI)/Andrei Vasilevski (BLR) – 6/3, 2/6 e 10/3

 

ORDER OF PLAY – WEDNESDAY, FEBRUARY 21, 2018
QUADRA CENTRAL start 4:30 pm
F. Delbonis (ARG) vs [6] D. Schwartzman (ARG)

Not Before 7:00 pm
[1] M. Cilic (CRO) vs G. Monfils (FRA)
[LL] G. Elias (POR) vs [7] P. Cuevas (URU)

QUADRA 1 start 4:30 pm
[4] A. Ramos-Vinolas (ESP) vs N. Jarry (CHI)

Not Before 6:00 pm
[WC] F. De Paula (BRA) / T. Monteiro (BRA) vs [2] J. Murray (GBR) / B. Soares (BRA)
[1] L. Kubot (POL) / M. Melo (BRA) vs [Q] N. Jarry (CHI) / J. Vesely (CZE)
A. Molteni (ARG) / H. Zeballos (ARG) vs [WC] T. Bellucci (BRA) / A. Sa (BRA)

QUADRA 2 start 4:30 pm
[3] J. Cabal (COL) / R. Farah (COL) vs N. Mektic (CRO) / A. Peya (AUT)

Not Before 5:30 pm
[LL] D. Marrero (ESP) / F. Verdasco (ESP) vs [4] S. Gonzalez (MEX) / J. Peralta (CHI)

Foto: Fotojump