Monteiro encara Mayer na estreia do ATP de Santiago. Wild joga contra Bagnis

Saiu a chave do ATP 250 de Santiago, no Chile, disputado no saibro e já com dois brasileiros garantidos na chave.

Thiago Monteiro é um deles e o brasileiro ainda está no Rio de Janeiro pra jogar a semi de duplas do Rio Open, depois de ser eliminado nas oitavas de final de simples.

O brasileiro, que no torneio chileno é o cabeça de chave nº 8, não deve ter vida fácil diante do argentino Leonardo Mayer. Os dois já se enfrentaram duas vezes, com uma vitória pra cada lado.

Outro brasileiro na chave é Thiago Wild, que também vem de oitavas no Rio, enfrenta outro argentino. Facundo Bagnis, que o superou no único confronto entre eles até hoje, no Challenger de Campinas, em 2018.

Pelo quali, dois brasileiros estão a um jogo da chave principal, depois deste sábado. Orlando Luz venceu o equatoriano Gonzalo Escobar por 6/2 e 6/4, enquanto Pedro Sakamoto superou o compatriota Fernando Romboli por 6/1 e 6/2.

 

Coric e Thiem vencem e buscam vaga na semifinal do Rio Open nesta sexta

O austríaco Dominic Thiem e o croata Borna Coric tiveram trabalho, mas venceram seus jogos nesta quinta-feira e estão nas quartas de final do Rio Open apresentado pela Claro. O número 4 do ranking mundial derrotou o espanhol Jaume Munar, de virada, por 6/7 (5), 6/3 e 6/4, em 2h41. Já Coric, um dos destaques da nova geração, eliminou o brasileiro Thiago Wild por 6/3, 1/6, 7/6 (5), em 2h19. Os dois voltam a jogar nesta sexta, pelas quartas de final. Thiem enfrentará o italiano Gianluca Mager, no terceiro jogo da quadra central. Coric pega outro italiano, Lorenzo Sonego, no segundo jogo da rodada, que começa às 15h, com a partida entre o chileno Cristian Garin e o argentino Federico Coria. Os ingressos do Rio Open podem ser adquiridos no site www.tudus.com.br/rioopen. Restam poucas unidades.

O público que vier ao Rio Open nesta sexta terá boa oferta de música dentro e fora das quadras. A recepção ficará por conta do duo Digga Digga Duo, com um resgate de canções das décadas de 20 e 30. A quadra central irá receber o saxofonista Rodrigo Sha nos intervalos das partidas, além de participações fora de quadra.

Thiem, vice-campeão do Australian Open em janeiro e campeão no Rio em 2017, tinha duas vitórias sobre Munar, que treina na academia de Rafael Nadal. Mesmo com o bom retrospecto encontrou dificuldades para superar o rival. “Jaume fez uma boa partida e não me deu pontos de graça. Não estou na mesma forma que estava na Austrália, o que é normal. Não jogava no saibro desde agosto passado. O que importa é que ganhei, e que lutei do primeiro ao último ponto”, disse o jogador, que está perto de ultrapassar o suíço Roger Federer no ranking mundial.

Será a primeira vez que Thiem enfrentará o adversário desta sexta, o italiano Mager, que venceu o português João Domingues por 6/3 e 7/6 (5). “A campanha aqui no Rio está sendo um sonho para mim. Não joguei bem na semana passada, mas cheguei no Rio e estou jogando o melhor tênis da minha vida”, disse Mager. “Enfrentar o Thiem será a realização de um sonho, vou aproveitar ao máximo essa oportunidade”.

Coric elimina Wild no tiebreak do terceiro set

Na partida entre Coric e Wild, o croata venceu o primeiro set, viu o brasileiro empatar e ganhou a partida no tiebreak. Foi a vitória de número 50 da carreira dele no piso de saibro em torneios ATP. “Sabia que seria difícil, que ele teria toda torcida a seu favor. Mesmo sem ainda ter jogado contra ele, assisti sua estreia e esperava por dificuldades”, disse o tenista de 23 anos, ex-número 12 do ranking e que disputa o Rio Open pela primeira vez.

O próximo adversário de Coric, o italiano Sonego, eliminou o sérvio Dusan Lajovic, cabeça de chave número 2, por 7/6 (5) e 7/6 (5). Sonego, de 25 anos e atual número 52 do mundo, disputa sua primeira quartas de final de um ATP 500. O italiano tem um título na carreira, em Antalya 2019. “Coric é um ótimo jogador, tem vitória sobre Federer, tenho que tentar fazer o meu melhor em quadra”, disse Sonego, que quando chegou no Rio vinha de uma sequência de 11 derrotas.

Convidado pela organização para jogar a chave principal, Wild saiu contente por ter alcançando a segunda rodada. “Foi uma boa partida, tive minhas chances, mas não aproveitei. De qualquer maneira saio daqui vendo o lado positivo da minha participação. Acho que estou mais maduro, que meu jogo evoluiu, e tive uma melhora na parte física bem grande”, disse o jogador de 19 anos, que fez o jogo mais longo da história do Rio Open, com 3h50, na estreia contra o espanhol Alejandro Davidovich Fokina.

Foto: Fotojump

Thiago Wild levanta a torcida com vitória em jogo mais longo do Rio Open

O Brasil garantiu um representante na segunda rodada do Rio Open apresentado pela Claro. Em jogo emocionante na quadra central, na noite desta segunda-feira, Thiago Wild salvou três match points para vencer o espanhol Alejandro Davidovich Fokina, de virada, por 5/7, 7/6 (3) e 7/5, em 3h50, no jogo mais longo da história do torneio. Foi a primeira vitória do brasileiro de 19 anos em um torneio ATP 500. Ele comemorou com a torcida, que encheu as arquibancadas, em uma partida que teve clima quente.

O Rio Open segue nesta terça, com a esperada estreia do favorito ao título, o austríaco Dominic Thiem, contra o brasileiro Felipe Meligeni, às 19h, na quadra Guga Kuerten. A torcida brasileira também verá a estreia do tenista da casa Thiago Monteiro, que pega o argentino Guido Pella, após a partida de Thiem. Pela chave de duplas, Marcelo Melo e seu parceiro, o polonês Lukasz Kubot, estreiam contra o uruguaio Pablo Cuevas e o espanhol Fernando Verdasco, no último jogo da quadra 1. Os ingressos podem ser adquiridos no site www.tudus.com.br/rioopen. Restam poucas unidades.

Na partida de Wild, depois de perder o primeiro set, o brasileiro viu o rival ter três match points no segundo. O paranaense se recuperou e levou a série para o tiebreak. Fokina ficou nervoso com o barulho da  torcida, reclamou com o juiz, e Wild acabou levando por 7 a 3. No set decisivo, o jogo continuou equilibrado, com quebras dos dois lados, mas Wild foi firme para fechar no saque do espanhol. O antigo recorde de partida mais longa no torneio era do ano passado: 3h19, no jogo entre o espanhol Jaume Munar contra o britânico Cameron Norrie.

“Foi minha maior vitória da carreira, por ser em um ATP 500, fiquei muito feliz e vou levar para meus próximos dias de trabalho. Independentemente do que acontecer na próxima rodada, é algo que ficará guardado, que me mostrou que estou no caminho certo”, disse o 206º do ranking.

Na próxima rodada, Wild, que recebeu convite da organização, enfrentará o vencedor da partida entre o croata Borna Coric e o argentino Juan Ignacio Londero, que jogam nesta terça, na abertura da quadra central, às 16h30.

Thiem é atração principal nesta terça-feira

Grande atração da sétima edição do maior torneio de tênis da América do Sul, Thiem fará seu retorno às quadras após o vice-campeonato do Australian Open. Uma boa campanha no ATP 500 do Rio pode levá-lo a ultrapassar o suíço Roger Federer no ranking mundial. Thiem, duas vezes vice em Roland Garros, é o quatro colocado na lista e joga no piso onde obteve suas maiores conquistas.  “É um grande objetivo e, se for bem aqui, vai me ajudar a ir atrás do terceiro lugar no ranking”, disse o jogador de 26 anos. Meligeni, adversário da estreia, recebeu convite da organização.

Felipe Meligeni terá dura estreia contra Dominic Thiem no Rio Open. Monteiro encara argentino Pella

Foi sorteada a chave principal do Rio Open, ATP 500 disputado no saibro do Jockey Club Brasileiro e maior torneio de tênis da América do Sul.

Neste sábado, Felipe Meligeni estava presente ao sorteio e não escondeu sua reação ao ver que seu nome foi o primeiro sorteado depois dos cabeças de chave. O brasileiro vai enfrentar nada mais, nada menos, que Dominic Thiem, principal cabeça de chave do evento e nº 4 do mundo, que já foi campeão do torneio e que foi eliminado na primeira rodada no ano passado.

Depois, perguntado sobre o que sentiu ao perceber sua estreia, ele não escondeu que não é o que sonhava, mas vai tentar tirar o melhor da ocasião:

“Foi o primeiro nome tirado no sorteio. Não é uma rodada que todo mundo deseja, mas estreia é sempre um jogo nervoso. Pode ser um jogo nervoso pra mim e pra ele. É o cabeça 1 do torneio, muita expectativa nele. Vou tentar entrar, fazer meu melhor. Óbvio que vou ficar um pouco nervoso, quadra central provavelmente, vai ser um jogo bem grande, minha primeira vez jogando contra um top-10. To bem ansioso. Quero entrar na quadra, dar meu melhor, aproveitar a atmosfera.”

Outro primeiro jogo interessante de primeira rodada será entre Thiago Monteiro e o argentino Guido Pella, enquanto Thiago Wild fará um confronto de jovens talentos diante do espanhol Alejandro Davidovich Fokina.

 

 

Thiago Wild ganha convite para chave principal do Rio Open. Menezes joga o quali

O Rio Open confirmou nesta terça-feira o terceiro convite para a chave principal do ATP 500 e o primeiro para o qualifying. O paranaense de 21 anos Thiago Wild ganhou o convite para a chave principal, enquanto o mineiro João Menezes ganhou um wild card para o qualifying da sétima edição do maior torneio da América do Sul. Com valores a partir de R$ 30, os ingressos estão à venda pelo site tudus.com.br/rioopen.

Atual 207o. do mundo, o jovem vem se destacando entre os jogadores da nova geração e no fim do ano passado ganhou o seu primeiro título da categoria Challenger, no Equador. Disputou a Maria Esther Bueno Cup e ficou com o vice-campeonato, o que lhe daria uma vaga no qualifying, mas por méritos foi contemplado com o convite para a chave principal, se juntando a Felipe Meligeni, campeão da MEB Cup e a Thiago Monteiro, o número um do país. Em 2019, Wild jogou a chave do Rio Open e perdeu um jogo disputado para o japonês Taro Daniel, por 2×1. Após este confronto, teve uma temporada bastante positiva, subindo mais de 200 posições no ranking da ATP até conquistar o Challenger no Equador.

Depois de agradecer a organização pelo convite, Wild lembrou que este ano chega mais experiente ao ATP 500 sul-americano. “Eu já tive um ano de vivência como profissional, já tenho uns torneios a mais nas costas, um ano a mais de maturidade e é uma oportunidade para mim, pra engrenar nesse ano que ainda não começou da maneira que eu gostaria. E no Rio, local que eu treino, com a nossa torcida, é muito bom jogar e principalmente quero me sentir bem em quadra, feliz com o que estou jogando”

A chave principal do Rio Open 2020 conta com a presença do atual vice-campeão do Australian Open e 4 do mundo, Dominic Thiem(AUT), o italiano 8º da lista Matteo Berrettini, os argentinos Diego Schwartzman e Guido Pella, respectivamente campeão(2018) e vice(2016) no Rio. Também jogam os campeões de 2019 Laslo Djere(SRB) e e de 2016, Pablo Cuevas(URU).

João Menezes ganha convite no qualifying do Rio Open

João Menezes(188º) foi contemplado com Wild Card para a Chave do qualifying do Rio Open, e terá a chance de ficar com uma das quatro vagas do classificatório que será jogado nos dias 15 e 16 (sábado e domingo), a partir das 16 horas, com entrada gratuita. Na mesma disputa estarão jogadores conhecidos do público, como os argentinos Leonardo Mayer, ex-21 do ranking e Facundo Bagnis, o eslovaco Martin Klizan e o jovem Jaume Munar, quadrifinalista em 2019. Além do convite de Menezes, campeão do Pan-Americano de Lima no ano passado, que rendeu uma vaga olímpica, ainda restam outros dois a serem anunciados para completar a chave de 16 jogadores. São necessárias duas vitórias para entrar na chave principal do maior torneio da América do Sul. A entrada é gratuita no fim de semana do qualifying.

Para quem não puder ir ao Jockey Club, o Rio Open está disponibilizando pela primeira vez o streaming dos jogos do qualifying. As partidas disputadas nas quadras 1, 2 e 4 do complexo serão transmitidas no rioopen.com.

“As chaves não ficariam completas sem os brasileiros. Tanto o Thiago quanto o João são merecedores desses convites. Eles são os dois principais tenistas da nova geração do tênis brasileiro e esperamos que essa oportunidade dê um empurrão a mais na carreira deles. Será mais uma chance do público poder ajudar os brasileiros a conquistar boas vitórias como em 2014 com o Bellucci, 2015 com o Feijāo e 2016 com o Monteiro,” disse Luiz Carvalho, Diretor do Rio Open.

Meligeni e Wild decidem título da MEB Cup, valendo vaga na chave do Rio Open

Thiago Wild e Felipe Meligeni avançam para a final da Maria Esther Bueno Cup e garantem vaga para disputar o Rio Open 2020. Resta definir quem joga a chave principal ao lado de Dominic Thiem, 4 do mundo, Matteo Berrettini, 8o e Borna Coric, jovem promessa croata; e quem vai para o qualifying. O ATP 500 acontece de 15 a 23 de fevereiro, no Jockey Clube Brasileiro.

A decisão da Maria Esther Bueno Cup acontece neste domingo às 12h, na Sociedade Harmonia de Tênis (Rua Argentina 903) e o público poderá acompanhar o jogo no clube (foram liberados mais ingressos – basta acessar https://checkout.tudus.com.br/maria-esther-bueno-cup/selecione-seus-ingressos e se cadastrar) ou online, ao vivo, no portal globoesporte.com.

Wild, 19 anos, campeão do US Open juvenil no ano passado e que recentemente levantou o troféu do Challenger de Guayaquil, atingindo pela primeira vez o 213o. lugar no ranking, vai jogar a decisão da MEB Cup pela segunda vez. Ele garantiu presença na final do evento que reune os oitos melhores tenistas do Brasil até 23 anos ao ganhar de Orlando Luz por 7/5 6/3. Neste doming Wild vai tentar o bicampeonato e a vaga na chave principal do Rio Open.

“Juntar todos os melhores jogadores até 23 anos para jogar esse torneio classificatório para o Rio Open, é uma iniciativa  muito boa e o resultado- a vaga no Rio Open, é melhor ainda. Jogar um ATP 500 e de repente ir bem, é um ótimo começo de carreira para qualquer um”, falou Wild.

O adversário, Felipe Meligeni, estava ansioso para disputar essa final e garantir presença no ATP 500. A vaga no qualifying já está garantida para os dois, mas o 393o da ATP está de olho na chave principal. Com a vitória sobre Rafael Matos, o atual vice-campeão por 7/6 6/2, amanhã, vai disputar contra Wild a vaga na chave principal.

“Nossa, estou sem palavras, muito contente. Já joguei o Rio Open (quali) uma vez, mas foi convite, agora vai ser merecido por que venho jogando bem, evoluindo. Amanhã é preciso controlar os nervos. Vou entrar intenso, fazer minha tática, me preparar bem. Tem tudo para ser um grande jogo”, replicou Meligeni.

 

Diana Gabanyi

Foto – Joao Pires / JUMP

Maria Esther Bueno Cup reúne promessas do tênis brasileiro em SP e dá convite para o Rio Open

A Maria Esther Bueno Cup, torneio que reúne oito jovens promissores do tênis brasileiro , está de volta a São Paulo, para a disputa de um convite para o maior torneio de tênis da América do Sul, o Rio Open. O evento acontecerá de 26 de novembro a 1 de dezembro na Sociedade Harmonia de Tênis.

Nomeada em homenagem à maior tenista brasileira da história, campeã de 19 Grand Slams, e disputada em seu clube e cidade natal, a Maria Esther Bueno Cup é uma iniciativa do Rio Open para incentivar a nova geração do tênis nacional, dando a um deles a chance de disputar a chave principal de um ATP 500 e ao vice-campeão uma vaga no qualifying. O Rio Open acontece entre 15 e 23 de fevereiro, no Jockey Club Brasileiro, e já tem o número 5 do mundo, o austríaco Dominic Thiem, e o croata Borna Coric, a novidade do torneio e integrante da nova geração do tênis, confirmados no seu line-up.

Os jogadores classificados para a Maria Esther Bueno Cup são: Thiago Wild (19), Orlando Luz (21), Felipe Meligeni Alves (21), Rafael Matos (23), Gilbert Klier (19), João Lucas Reis (19), Matheus Pucinelli (18) e Lucas Koelle (21). Os critérios de seleção do torneio consistem em: brasileiros com até 23 anos completos em 31 de dezembro de 2019; as seis primeiras vagas foram definidas pela melhor posição no ranking da ATP; a sétima, de Matheus Pucinelli, foi pelo ranking juvenil da ITF; e a oitava é um convite da Sociedade Harmonia de Tênis, dado a Lucas Koelle.

Sete dos oito classificados voltam da primeira edição, com Pucinelli sendo a novidade. Dos participantes que retornam, seis melhoraram seus rankings em comparação ao ano passado, com destaque para Thiago Wild, atual campeão do torneio. O paranaense é o melhor ranqueado da competição, ocupando a 215ª posição após a conquista do seu primeiro título de Challenger em Guayaquil na última semana. Orlando Luz também compõe o grupo dos 300 melhores tenistas do mundo, na 294ª posição, subindo quase 100 posições nesta temporada. Outra grande melhora de ranking foi de Gilbert Klier, que está em sua primeira temporada no circuito profissional e subiu mais de 900 posições desde a disputa da Maria Esther Bueno Cup.

O formato da competição consiste em dois grupos com quatro jogadores cada jogando entre si, como no ATP Finals e ATP NextGen. De terça a sexta, com jogos a partir das 18h, serão realizados os jogos da fase de grupos, com as semifinais entre o primeiro e o segundo de cada grupo sendo disputada no sábado e a grande final no domingo, ambos os dias a partir das 12h. As partidas serão em melhor de três sets, com match tie-break (até 10 pontos) decidindo a terceira parcial.

Para acompanhar a competição, o público poderá acessar tudus.com.br para solicitar ingressos gratuitos, em quantidades limitadas por CPF, por ordem de inscrição. Os tickets estarão disponíveis em breve.

A Maria Esther Bueno Cup é uma promoção da IMM com realização do ICT.

Thiago Wild bate peruano e faz em Guayaquil sua primeira final de Challenger na carreira

Thiago Wild vai fazer sua primeira final de um torneio Challenger neste domingo, no saibro de Guayaquil, no Equador.

Neste sábado, o brasileiro garantiu sua vaga ao bater o peruano Juan Pablo Varillas, em sets diretos, com parciais de 6/4 e 7/5.

Na decisão, Wild terá pela frente o boliviano Hudo Dellien, nº 76 do mundo. Os dois já se enfrentaram duas vezes, com o brasileiro vencendo no Challenger de Campinas, no ano passado, e Dellien triunfando em Guayaquil, também em 2018.

Vale destacar que Wild já ocupa sua melhor colocação no ranking da ATP até o momento, ocupando o 311º posto, mas com a campanha em Guayaquil, deve subir quase 50 posições, indo pro top-260.

 

Wild estreia nesta segunda-feira em Challenger italiano e pode enfrentar Bellucci na 2ª rodada

Depois de chegar às quartas de final em Cordenons, Thiago Wild segue na Itália e estréia nesta segunda-feira no Challenger de L’Aquila, que também é disputado no saibro.

Na primeira rodada, o brasileiro terá pela frente o bósnio Tomislav Brkic, nº 420 do mundo, em confronto que será inédito no circuito.

Em caso de vitória, Wild fará um confronto brasileiro contra Thomaz Bellucci, que é o cabeça de chave nº 4 e já estréia na segunda rodada.

Menezes, Wild e Feijão vencem no México. Clezar estreia com vitória nos EUA

Dois brasileiros já estão nas oitavas de final do Challenger de San Luis Potosi, no México, que é disputado no saibro.

Nesta terça-feira, o primeiro a garantir sua vaga foi João Menezes, que não deu chances ao sérvio Peda Krstin, cabeça de chave nº 7, vencendo com um duplo 6/1.

Agora, seu adversário será o francês Alexandre Muller, que o venceu no único confronto entre os dois até o momento, no Challenger de Punta del Leste deste ano.

Depois foi a vez de Thiago Wild garantir sua vaga nas oitavas ao vencer sua segunda partida no torneio, dessa vez superando o holandês Scott Griekspoor, com um duplo 6/4.

Também nesta terça, João Souza, o Feijão, voltou de sua breve e confusa suspensão da Unidade de Integridade do Tênis com uma vitória sobre o mexicano Gerardo Lopez Villasenor, com parciais de 7/5 6/7(4) e 6/3.

Nesta quarta, buscando vaga nas oitavas, o brasileiro encara o egípcio Mohamed Safwat, em confronto que será inédito.

No Challenger de Sarasota, nos Estados Unidos, também disputado no saibro, Guilherme Clezar estreou vencendo o finlandês Harri Heliovaara por 6/2 e 6/4. Na segunda rodada, nesta quarta, ele terá pela frente o alemão Dominik Koepfer, que enfrentou o brasileiro uma vez, no Challenger de Savannah, no ano passado, com vitória de Clezar.