Bellucci estreia nesta 2ª feira em Challenger nos EUA. 5 brasileiros jogam no Uruguai

Thomaz Bellucci estreia nesta segunda-feira no Challenger de Newport Beach, nos Estados Unidos, que é disputado no piso duro.

O brasileiro, que vem do quali do Australian Open, terá pela frente um velho conhecido dos brasileiros, já que enfrenta o português Gastão Elias, nº 245 do mundo.

Os dois já se enfrentaram duas vezes, com o brasileiro vencendo no piso duro do ATP de Shenzen, em 2016, e o português levando a melhor no Challenger de Braunschweig, em 2017.

No Challenger de Punta del Este, no Uruguai, disputado no saibr, Thiago Wild joga a primeira rodada nesta segunda-feira, diante do argentino Gonzalo Villanueva. Em dois confrontos anteriores entre eles, uma vitória pra cada lado.

Mais quatro brasileiros entram em quadra nesta segunda, com João Souza enfrentando o jovem norte-americano Preston Brown, João Pedro Sorgi encarando o italiano Fabrizio Ornago e João Menezes jogando contra o francês Alexandre Muller.

Pra finalizar, Oscar Gutierrez terá pela frente o chileno Gonzalo Lama, nº 633 do mundo, em outro confronto que será inédito.

João Lucas Reis e Thiago Wild são selecionados para bolsa do Grand Slam Development Fund

Destaques em 2018, os brasileiros Thiago Wild e João Lucas Reis foram selecionados para receber uma bolsa de $ 25 mil dólares do Grand Slam Development Fund da ITF, através do Programa Grand Slam Player Grants Program, no ano que vem. A Confederação Brasileira de Tênis indicou ambos os atletas, que atendiam a todos os pré-requisitos do regulamento, e trabalhou junto à entidade máxima do tênis para que os dois jovens fossem contemplados.

“Fico feliz que, através dos movimentos políticos e a ótima relação institucional entre CBT e ITF, possamos trazer oportunidades para os nossos jogadores. Ano passado conseguimos um suporte importante para a Bia, e agora conseguimos para o João e Thiago. Logicamente eles fizeram por merecer, em vários aspectos, e estão de parabéns pelo ano de 2018. Torcemos para que este recurso os incentivem ainda mais em 2019”, afirmou o presidente da CBT, Rafael Westrupp.

O paranaense Thiago Wild finalizou 2018 no top 10 do ranking mundial juvenil e fez história no país ao tornar-se o primeiro brasileiro a conquistar a chave juvenil do US Open, em setembro. O atleta da Tennis Route também foi campeão do Future de São José do Rio Preto, vice no Future de Curitiba e fez quartas de final no challenger de Campinas. Em novembro, ainda faturou a Maria Esther Bueno Cup, que reuniu os oito principais tenistas sub 23 do país e garantiu vaga na chave principal do Rio Open 2019.

Já o pernambucano João Lucas Reis conquistou seu primeiro título como profissional no Future de Curitiba, justamente sobre Thiago Wild, fez semi em outros dois Futures, foi campeão de duplas em outros dois e fez quartas do Banana Bowl, o mais tradicional torneio juvenil da América Latina. Em abril, o atleta do Instituto Tênis integrou a equipe brasileira da Copa Davis, através do programa Juniors/Pro da CBT, e acompanhou de perto a rotina dos profissionais durante a competição entre países, além de treinar com os principais tenistas do país.

Abertas as vendas de ingressos para o Rio Open, com tickets a partir de R$ 30,00

O Rio Open apresentado pela Claro abriu a venda de ingressos nesta sexta-feira, dia 07, pelo site tudus.com.br/rioopen, com valores a partir de R$30. O maior torneio de tênis da América do Sul será disputado de 16 e 24 de fevereiro de 2019, no Jockey Club Brasileiro, e a expectativa é de que 50 mil pessoas acompanhem os jogos e a programação ao longo do evento.

No Rio Open, o tênis é a atração principal, mas também há muitas outras opções de entretenimento, numa estrutura comparável à de grandes eventos do circuito mundial. O evento conta com uma área interativa de aproximadamente 10 mil m², o Leblon Boulevard, que oferece opções de stands, lojas, entretenimento e gastronomia. Na Praça Rio Open fica o palco, com uma programação de shows e um telão gigante para não perder um ponto dos jogos. E, seguindo a tendência dos grandes torneios do circuito, o Rio Open tem uma loja de produtos oficias — a La Boutique.

Esportivamente, a qualidade técnica do torneio já é conhecida. O Rio Open é um dos 13 campeonatos de nível ATP 500, uma das categorias mais importantes do tênis. É um dos três eventos desse porte disputados no saibro, junto com Hamburgo e Barcelona.

Mantendo a tradição, jogadores da elite do tênis mundial estarão na chave principal. Vice-campeão de Roland Garros, o número 8 do mundo Dominic Thiem, da Áustria, marca presença de novo, assim como o italiano Fabio Fognini e o atual campeão Diego Schwartzman, da Argentina, formando a trinca do top 20.

Grande revelação brasileira, Thiago Wild disputará seu primeiro ATP 500 após conquistar a vaga na Maria Esther Bueno Cup. Uma das melhores duplas do mundo, formada pelo brasileiro Bruno Soares e pelo escocês Jamie Murray, também está garantida na competição.

Thiem joga o Rio Open em 2019

“A briga pelo título do Rio Open 2019 promete ser acirrada com vários dos melhores tenistas do saibro. O Thiem é atualmente o segundo melhor tenista do mundo nessa superfície; Fognini teve o melhor ano da carreira vencendo 3 torneios ATP; e  Schwartzman fez uma excelente temporada e alcançou o melhor ranking da carreira, No.11. Além deles teremos os tenistas brasileiros que sempre levantam a torcida no Jockey Club,”  diz, Luiz Carvalho, diretor do torneio. 

Em sua sexta edição, o torneio é o principal evento esportivo anual da Cidade Maravilhosa e tem grande impacto econômico, injetando mais de 100 milhões de reais na economia do Estado e gerando 1.300 empregos diretos e indiretos. Com atrações de alto nível dentro e fora de quadra, o Rio Open atrai turistas do mundo inteiro. A expectativa é de que 30% do público presente em 2019 seja de fora do Rio.

“A cada ano temos um crescimento expressivo em visitantes de fora do Rio e do Brasil, mostrando que o evento é um sucesso  O Rio Open gera centenas de empregos e injeta dinheiro na economia do estado anualmente. O torneio chega ainda mais consolidado a esta edição, que espera receber cerca de 50 mil pessoas”, afirma Marcia Casz, diretora geral do Rio Open.

Thiago Wild é o primeiro brasileiro na chave

Para além dos números impressionantes do evento, o Rio Open apoia, desde sua primeira edição, iniciativas que usam o tênis como ferramenta de desenvolvimento humano e inclusão social. Os cinco projetos apoiados pelo torneio são Instituto Futuro Bom, Tênis na Lagoa, Tênis Solidário, Escolinha de Tênis Fabiano de Paula e Arremessar para o Futuro. Em 2017, foi inaugurado o Núcleo Esportivo Rio Open, projeto em parceria com a AGLO que tem como base as instalações de tênis do Parque Olímpico da Barra. Ao todo, mais de 500 crianças são beneficiadas.

“Para o Santander o tênis, além da sua projeção, representa como poucos atributos que nos são caros, como a técnica, determinação, estratégia e busca da melhora contínua. São por esses valores que nos associamos ao Rio Open, o maior torneio da América do Sul que vem revelando grandes talentos”, afirma Marcos Madureira vice-presidente executivo de Comunicação, Marketing, Relações Institucionais e Sustentabilidade do Santander.

 

PROGRAMAÇÃO RIO OPEN 2019

O Rio Open começa no dia 16 com o qualifying e no dia 18 tem início a chave principal, com a Grande Final acontecendo no dia 24 de fevereiro.

A programação para a chave principal contará com duas sessões de segunda-feira a quinta-feira: Sessão 1, com início às 16h30; e Sessão Noite, a partir de 19h. Já de sexta-feira a domingo, o torneio terá sessão única. A sessão 1 será composta pelo 1º jogo da Quadra Central e mais todos os jogos das quadras externas. A sessão noite será formada pelos jogos que começam a partir de 19h na Quadra Central, além dos jogos nas quadras externas. Vale destacar que qualquer ingresso dá acesso ao complexo que será montado no Jockey Club Brasileiro, não importa a sessão.

 

VENDA DE INGRESSOS

As vendas de ingressos serão feitas online através do site   tudus.com.br/rioopen, a partir das 12h, desta sexta-feira (7/12) . O pagamento poderá ser feito com cartões de crédito Visa, Mastercard, Elo e Diners, com parcelamento em até 4 vezes sem juros. Não haverá cobrança de taxa de conveniência.

Os valores variam entre R$ 30 e R$ 490.

Em 2019,  para maior facilidade do público, será possível a utilização do ingresso via QR Code.

 

Sobre o Rio Open:

O Rio Open 2019 conta com patrocínio máster da Claro, patrocínio do Santander, Peugeot, Mubadala , Fedex, Emirates. Também com as empresas , Rolex, Tokio Marine Seguradora, Shell e ainda com, RedeDor, Booking,Localiza, Dasa, Café Melitta,Estácio, SegurPro Prosegur, Shopping Leblon,Focus e Sextante. A Fila será a responsável pelo material esportivo e a Head, fornecedora da bola oficial do evento. Lídio Carraro – a vinícola boutique brasileira-, oferecerá o espumante e vinho oficiais do Rio Open. Conta ainda com parceria de Antonio Bernardo, Raul Mourão, Jockey Club Brasileiro Prefeitura do Rio e Riotur.

O Sportv é a emissora oficial do Rio Open e transmite em HD todos jogos da quadra central para o Brasil e mais de 130 países através da ATP Media.

O evento é incentivado pelo Ministério do Esporte – Governo Federal Brasil, através da Lei Federal de Incentivo ao Esporte  O Rio Open é uma promoção da IMM com realização do ICT.

 

Fotos: João Pires/JUMP

Thiago Wild bate Rafael Matos, é campeão e entra na chave principal do Rio Open

O atual campeão juvenil do US Open, Thiago Wild, conquistou neste domingo a vaga na chave principal do Rio Open, ATP 500 que acontecerá de 16 a 24 de fevereiro no Jockey Club Brasileiro, no Rio de Janeiro. O prêmio foi dado ao campeão da Maria Esther Bueno Cup, evento inédito no Brasil, jogado na Sociedade Harmonia, em São Paulo. Disputada pelos melhores tenistas brasileiros até 23 anos, em sistema Round Robin, reuniu na decisão o gaúcho Rafael Matos e o paranaense Thiago Wild.

Os dois jogadores terminaram na liderança de seus grupos invictos, com três vitórias cada. Matos saiu na frente nos dois sets, mas Wild conseguiu aproveitar as oportunidades para virar e fechar em 6/3 6/4 e garantir a vaga.

“Quero agradecer a todos que estiveram aqui nesses dias, que me apoiaram nos jogos da fase de grupos, quando estava perdendo, e sempre consegui virar. As condições aqui me favoreceram, é bem rápido, e agora é treinar muito para chegar no Rio Open em condições de fazer uma boa semana”, disse Wild após a cerimônia de premiação.

“ Agradeço ao Rio Open por esta oportunidade de disputar essa vaga, e parabéns ao Thiago também pela conquista”, falou Matos.

A Maria Esther Bueno Cup já está garantida para o próximo ano, com o mesmo objetivo, reunir os melhores jogadores da nova geração e premiar o campeão com uma vaga na chave principal do Rio Open. Uma chance única para os tenistas que estão dando os primeiros passos no profissionalismo.

“Tivemos durante quatro dias, os melhores Next Gen brasileiros em quadra, com jogos de alto nível. A Maria Esther Bueno Cup cumpriu seu objetivo de promover, apoiar e dar oportunidade à jovens jogadores, em prol do desenvolvimento do tênis brasileiro. O evento também ajudou a manter viva a memória de nossa maior tenista”, comentou Luiz Carvalho, diretor do Rio Open.

“Plantou-se uma semente para se criar um canal de desenvolvimento do tênis para os mais jovens. Os meninos vieram em peso e o Thiago venceu com mérito, depois de quase perder os jogos na fase de grupos e tem um grande potencial como jogador”, encerrou Ricardo Acioly, diretor de relações do Rio Open e do Instituto RJ de Tênis.

Fotos: Luiz Pires / FotoJump

Matos e Wild disputam vaga na chave principal do Rio Open, neste domingo

A última rodada da Maria Esther Bueno Cup, realizada neste sábado, na Sociedade Harmonia de Tênis definiu os finalistas deste domingo: Thiago Wild e Rafael Matos, os dois primeiros de cada grupo, com três vitórias cada.

No grupo Alcides Procópio, Thiago Wild entrou em quadra dependendo apenas dele mesmo e parecia tranquilo, depois do 6/1 no primeiro set. Mas Orlando Luz resolveu complicar e abriu 5/2. Nesse momento, na quadra 2 João Lucas Reis ganhava de Klier por 6/4 3/0. Se Wild perdesse e Reis ganhasse, quem ia para a final era Luz. Tensão geral, mas Wild buscou o resultado e garantiu sua vaga neste domingo, fechando o segundo set em 7/5. E Reis, levou a virada de Gilbert Klier Jr, com placar de 4/6, 7/5 e 10/3. Klier terminou em segundo no grupo.

O grupo Pedro Bueno foi mais tranquilo. Rafael Matos, líder com duas vitórias, passou sem problemas por Fernando Yamacita, 6/2, 6/0 e se garantiu na final. Felipe Meligeni ganhou de Lucas Koelle por 6/4 6/2 e terminou em segundo lugar.

A grande final do primeiro torneio no Brasil a reunir os melhores jogadores até 23 anos e dar uma vaga na chave principal do Rio Open, acontece neste domingo, às 12 horas, e certamente será a realização de um sonho para um dos dois finalistas.

“Eu gosto dessa pressão que a final trás, é a minha diferença para a maioria dos jogadores que se pressionam muito nas decisões. Para mim, vejo como apenas mais um jogo de tênis dos milhares que farei na minha vida. Entro como se fosse primeira rodada”, disse Wild.

“Agora é tudo ou nada, seria realmente um sonho. Esse ano tive a oportunidade de jogar o qual do ATP de São Paulo, foi meu primeiro ATP e jogar a chave de um 500 seria muito legal”, falou Matos.

Resultados:

Thiago Wild d.Orlando Luz (6/1 7/5

Rafael Matos d. Fernando Yamacita 6/2 6/0

Gilbert Klier Jr d. João Lucas Reis 4/6 7/5 10/3

Felipe Meligeni d. Lucas Koelle 6/4 6/2

Final:

Domingo, 12 h

Thiago Wild x Rafael Matos

Foto: Luiz Pires – Foto Jump

Wild vence a segunda e fica mais perto da final da Maria Esther Bueno Cup

Matemática! Esse é o assunto do momento na Sociedade Harmonia de Tênis, após a segunda rodada da Maria Esther Bueno Cup, torneio que reúne os melhores jogadores da nova geração do tênis brasileiro. Inédito no país, o evento vai dar ao campeão uma vaga na chave principal do Rio Open, ATP 500 e maior torneio da América do Sul.

Neste segundo dia de disputas no sistema Round Robin, Wild venceu mais uma, contra Gilbert Klier Jr, desta vez em dois sets- duplo 7/5- e está na liderança do grupo Alcides Procopio. Mas nada está definido, pois Orlando Luz se recuperou da derrota de ontem e hoje venceu João Lucas Reis, por 4/6, 6/4 e 10/4 e tem chances, se vencer Wild e contar com a ajuda de Reis. Contas que não estão acostumados a fazer, mas que deixam tudo mais emocionante.

“Fiz dois bons jogos, está muito rápido e meu saque está fazendo a diferença, mas aqui é uma experiência diferente, se eu perder amanhã, e quem perdeu para mim ganhar, outro pode entrar. Então independente do sistema, tenho que entrar sempre da mesma maneira e tentar ganhar sempre”, explicou Wild.

“Estou vivo, passei apuros hoje, mas eu sabia que seria duro. Não conhecia muito esses meninos da nova geração- mais nova que a minha-e que vem com um estilo de jogo diferente do que a gente está acostumado, que bom que o Brasil esta com esses garotos novos vindo ai e que bom que eu venci e continuo vivo na disputa”, comentou Luz fazendo a simulação dos resultados para ver o que precisava fazer para jogar a final e disputar a tão sonhada vaga na chave principal  do ATP 500.

No grupo Pedro Bueno, Fernando Yamacita alcançou a primeira vitória, sobre Lucas Kolle, por 6/1 6/2, enquanto Rafael Matos assumiu a liderança com duas vitórias, depois de ganhar de Felipe Meligeni Alves por duplo 6/2. É uma vantagem, mas somente neste sábado, a partir das 11 horas serão conhecidos os finalistas da Maria Esther Bueno Cup, em São Paulo.

Resultados

Grupo Pedro Bueno

Rafael Matos d. Felipe Meligeni Alves 6/2 6/2

Fernando Yamacita d. Lucas Koelle 6/1 6/2

Grupo Alcides Procopio

Thiago Wild d. Gilbert Klier Jr 6/1 6/2

Orlando Luz d. João Lucas Reis 4/6 6/4 10/4

Programação de sábado

11h

Thiago Wild x Orlando Luz

Gilbert Klier Jr x João Lucas Reis

14h

Felipe Meligeni x Lucas Koelle

Rafael Matos x Fernando Yamacita

Foto: João Pires/ Fotojump

Monteiro passa por argentino na estreia em Montevidéu. Wild e Clezar perdem

Dos quatro brasileiros na chave, apenas um saiu com a vitória na primeira rodada do Challenger de Montevidéu, no Uruguai, que é disputado no saibro.

Nesta terça-feira o brasileiro vencedor foi Thiago Monteiro, que passou em sets diretos pelo argentino Facundo Diaz Acosta, com parciais de 6/2 e 7/5, e agora terá pela frente, nas oitavas de final, o convidado local Martin Cuevas.

Também nesta terça, Thiago Wild, que furou o qualifying, foi superado pelo búlgaro Dimitar Kuzmanov, com parciais de 6/2 4/6 e 6/2, enquanto Guilherme Clezar perdeu para o português Pedro Sousa por 6/1 e 6/2.

Na segunda-feira, Thomaz Belluci já havia perdido para o italiano Lorenzo Giustino por duplo 6/3.

Wild elimina Dellien e conquista 2ª maior vitória da carreira em Campinas. Monteiro também vence

Thiago Wild e Thiago Monteiro alcançaram as oitavas de final do Campeonato Internacional de Tênis, apresentado pelo Santander e Ministério do Esporte, nesta segunda-feira (01/10). O público lotou as arquibancadas da Sociedade Hípica de Campinas para acompanhar as vitórias dos brasileiros. Wild eliminou o terceiro favorito Hugo Dellien e Monteiro derrotou o argentino Pedro Cachin na estreia da chave principal do ATP Challenger de US$ 50 mil. A entrada é gratuita.

Em grande fase e com o apoio da torcida, Wild conquistou a segunda maior vitória da carreira, após passar pelo boliviano Dellien, 105º, por 6/1 5/7 6/4. No ano passado, o paranaense de 18 anos havia vencido o chileno Nicolas Jarry, 99º na época e atual 47º do mundo, no ATP Challenger do Rio. “Venho de uma sequência muito boa de jogos depois que ganhei o US Open (juvenil), estou com muita confiança. Hoje tirei muito proveito da velocidade do lugar e a torcida me ajudou muito. Agora abri a chave, com certeza todos os jogos serão desse nível, mas essa vitória mostra que posso avançar no torneio. Evolui o meu foco e a concentração durante a partida, por isso estou vencendo mais jogos importantes”, analisa Wild, que atingiu o melhor ranking da carreira nesta semana na posição, 453º.

Na próxima rodada, Wild duela com o vencedor da partida entre o paulista João Souza, o Feijão, e o italiano Fabrizio Ornago, que se enfrentam amanhã.

Em sua sexta participação no evento, Monteiro, cabeça de chave 4 e 115º, derrotou o argentino Cachin, por 6/4 6/2.Na segunda rodada, o cearense enfrenta Andrea Collarini, 288º. Monteiro venceu os três confrontos com o argentino, o último em Campinas em 2016.“Hoje não comecei o jogo muito bem, ele saiu quebrando meu saque, abriu 3/0, mas depois entrei em jogo e consegui impor meu ritmo. Estreia nunca é fácil, ainda mais jogando em casa com o apoio de toda essa torcida. Gosto muito de jogar no Brasil, estou muito feliz em estar de volta. Agora contra o Collarini será um jogo diferente, ele é um jogador mais agressivo. Vou me preparar bem amanhã para poder jogar ainda melhor”, afirma o cearense de 24 anos.

Foto: João Pires/Fotojump

Campeão do US Open Juvenil, Wild recebe o 1º convite para o Challenger de Campinas

Embalado pela recente conquista da chave juvenil do US Open, Thiago Wild foi contemplado nesta terça-feira com o primeiro convite para a chave principal do Campeonato Internacional de Tênis, apresentado pelo Santander e Ministério do Esporte, que acontece entre 29 de setembro e 7 de outubro, na Sociedade Hípica de Campinas. Desta forma, o paranaense, 18 anos, é o quinto brasileiro confirmado no terceiro maior torneio de tênis do País, ao lado do top 4 nacional: Thiago Monteiro, Rogério Dutra Silva, Guilherme Clezar e Thomaz Bellucci.

“Muito feliz com esse convite, agradeço ao Instituto Sports pela oportunidade neste grande evento. Conquistei o US Open juvenil e agora venho com uma ótima confiança, mas o circuito juvenil se encerrou e o profissional é diferente”, disse Wild, atleta da equipe Tennis Route, do Rio de Janeiro, que ocupa a oitava colocação no ranking júnior da ITF (Federação Internacional do Tênis) e, entre os profissionais, é o 459º na ATP (Associação dos Tenistas Profissionais).

Embora seja jovem e esteja competindo somente pela terceira vez na chave principal de um torneio ATP Challenger, Wild demonstra confiar plenamente no seu potencial: “Acredito ter tênis para jogar de igual para igual contra qualquer um da chave, mesmo ela estando bem forte. O que pesa a favor deles é a experiência. Ainda estou me acostumando a jogar Challengers e esta será uma grande oportunidade”, comenta. O saibro campineiro terá o uruguaio Pablo Cuevas e o argentino Federico Delbonis como os dois principais cabeças de chave da competição.

Os bons resultados de Wild, em 2018, começaram em São José do Rio Preto (SP), onde o tenista, em evento da série ITF Future, realizado pelo Instituto Sports, conquistou o título da primeira etapa do Circuito Internacional de Tênis. “A conquista do US Open no juvenil, o título profissional em Rio Preto e outros bons jogos deste ano são credenciais incontestáveis para que o Thiago possa receber esta chance de testar seu talento e competir em altíssimo nível contra grandes nomes do circuito mundial”, explica Danilo Marcelino, diretor do Campeonato Internacional de Tênis.

Próximo wild card

Na próxima quinta-feira, 20/9, o Instituto Sports irá revelar o segundo de quatro nomes premiados com wild card (convite) para a disputa da chave principal. A entrada para o ATP Challenger de Campinas será gratuita durante os nove dias de competição na Hípica.

Brasileiro Thiago Wild é campeão juvenil do US Open

O tenista brasileiro Thiago Wild conquistou neste domingo um feito inédito para o Brasil: o título juvenil do US Open. Ele derrotou o italiano Lorenzo Musetti, por 6/1 2/6 6/2 e se tornou o segundo tenista do nosso país a erguer um trofeu de Grand Slam juvenil em simples. O outro foi Tiago Fernandes, campeão do Australian Open, em 2010.

Cabeça de chave 6, a grande vitória na campanha de Wild veio na semifinal, contra o favorito e número um do mundo, Chung Tseng, por 6/2 6/4.

Com o título, ele se junta a Felipe Meligeni Alves, como o outro campeão junior do US Open, nas duplas há dois anos, com o boliviano Juan Aguilar.

Foto: Divulgação USTA