Teliana disputa nova série de torneios na Europa

A tenista brasileira Teliana Pereira já está na Europa para disputar uma série de quatro torneios no velho continente, todos no saibro. A gira será a primeira da tenista fora do país na temporada 2019 e ela viajará acompanhada do irmão, também tenista, José Pereira.

A série de torneios começará em Marguerita Di Pula (Itália – 25k) e seguirá para Chiasso (Suíça 25k), Wiesbaden (Alemanha 60k), terminando em Roma (Itália 25k).

Depois de ter iniciado a temporada 2019 no mês passado, em dois torneios no Brasil e voltado a competir livre de lesões, Teliana embarca animada. “Estou super motivada. Treinei muito bem esses dias em Curitiba e estou com vontade de competir, jogando feliz,” disse a brasileira, que já alcançou a 43a. posição no ranking mundial e tem dois títulos de WTA na carreira. “Como já passei por tudo isso antes, sei o que esperar e sei que não vai ser fácil. Mas vou para dar o meu melhor e tentar buscar as boas sensações em quadra.”

Bia disputa vaga na final do WTA de Bogotá

A tenista paulista Beatriz Haddad Maia  disputa neste sábado uma vaga na final do WTA de Bogotá.

Nesta sexta-feira, Bia venceu de virada a espanhola Sara Sorribes Tormo, cabeça de chave 7 do torneio e 79o do mundo, por 6/7(6) 6/2 6/3, em 2h44min de partida, e alcançou a sua quinta vitória consecutiva no torneio colombiano (duas no qualifying e as restantes na chave principal).

“A Sara é uma das poucas amigas que tenho no circuito, foi um jogo um pouco emocional. Ela consegue se safar de tudo, dá bola alta, dá slice, drop, tem muita variedade de jogo. Eu senti um pouco de nervosismo no primeiro set, acabei ficando um pouco ansiosa e errei um pouco mais do que deveria, mas depois eu relaxei, fiquei mais solta e consegui controlar as minhas emoções”, afirmou Bia, 165o do mundo.

Bia chega à sua segunda semifinal da carreira em WTA. A primeira delas foi em Seul, em 2017, quando a brasileira fez a final do torneio coreano, mas foi parada pela letã Jelena Ostapenko, então top 10.

A próxima adversária de Bia, neste sábado, será jovem norte-americana Amanda Anisimova, de 17 anos e 76o do mundo, que derrotou a colombiana Maria Camila Osorio Serrano, também de 17anos, por 6/2 1/6 6/3, nas quartas de final.

“É uma menina nova que joga muito bem e está tendo um ano fantástico no circuito (fez oitavas de final do Australian Open e quartas em Auckland). Vou entrar em quadra e fazer o meu jogo. Estou confiante e feliz, já é meu sexto jogo aqui, estou vindo de boas semanas e contente com o que venho apresentando em quadra”, finalizou.

Osaka vence o Australian Open e se torna a nova no1 do mundo

Por Diana Gabanyi

A japonesa Naomi Osaka, de apenas 21 anos, conquistou neste sábado o título do Australian Open em uma decisão emotiva na Rod Laver Arena. Ela derrotou a cabeça-de-chave 8, Petra Kvitova, por 6/7 7/5 6/4 para conquistar o seu segundo Grand Slam consecutivo.

Osaka, cabeça 4, de quebra foi alçada ao posto de número um do mundo no ranking da WTA.

 

Poucos meses depois de uma final das mais históricas, pelos motivos errados, de Grand Slam, em que derrotou Serena Williams no US Open, quando a tenista american perdeu pontos por ofender o juiz, se sentiu prejudicada, chorou em quadra, perdeu a compostura e fez Osaka perder o grande momento, enfim a jovem japonesa pôde sentir o gostinho de uma vitória de um torneio desta magnitude.

No entanto, no discurso de campeã, ao erguer o trofeu, a Daphne Ahkhurst Memorial Cup, Osaka parecia sofrer mais para falar diante do público do que para fechar os match points que teve durante a partida. O público pareceu entender. Ela tem apenas 21 anos de idade e mesmo cheia de graça, ainda está se acostumando a viver diante dos holofotes do mundo.

Kvitova, por outro lado, emocionou a todos ao dizer que o trofeu de vice era praticamente o trofeu de campeã para ela. Foi às lágrimas ao agradecer a equipe “por ter ficado com ela, mesmo quando não sabiam se voltaria a segurar uma raquete novamente.”

Uma final emotiva e uma nova número um para a WTA, uma número um jovem, com potencial para atrair novos fãs para o esporte.

Diana Gabanyi

Foto – Getty Images Cameron Spencer

Halep vence Sharapova e decide título de Roma com Svitolina

A tenista número um do mundo, a romena Simona Halep está na decisão do WTA Premier de Roma, depois de vencer a russa Maria Sharapova, em uma verdadeira batalha na quadra central do Foro Itálico. Ela ganhou por 4/6 6/1 6/3 e enfrentará, na mesma decisão do ano passado a ucraniana Elina Svitolina, que passou pela estoniana Anett Kontaveit, por 6/4 6/3.

No ano passado, o título ficou com Svitolina, mas desta vez Halep, que vibrou muito na vitória diante de Sharapova, espera não estar lesionada para enfrentar a ucraniana.

“Foi um jogo dificílimo. Eu vibrei porque foi como eu me senti depois de ganhar uma partida dessas. Para a final, espero não me lesionar. No ano passado eu comecei muito bem e sei bem como tenho que jogar,” disse Halep, que manterá a posição de número um do mundo na próxima semana.

Diana Gabanyi

Ainda aguardando estreia em Tianjin, Bia Haddad é indicada ao prêmio de revelação do ano da WTA

Ainda sem poder estrear no WTA de Tianjin, por causa da chuva, a tenista número 1 do Brasil, Bia Haddad, recebeu uma ótima notícia. Bia é uma das atletas indicadas pela WTA para o prêmio de tenista revelação de 2017.

Além de Bia, outras três tenistas foram indicadas ao prêmio de revelação do ano: Catherine Bellis (Estados Unidos), Elise Mertens (Bélgica) e Marketa Vondrousova (República Tcheca).

O resultado será divulgado durante o WTA Finals, em Singapura, de 22 a 29 de outubro. Os votos serão dados por jornalistas de todo mundo.

O critério para a indicação foi tenistas que entraram no top 100 pela primeira vez ou que conquistaram resultados expressivos este ano. E Bia, de 21 anos, fez os dois.

Em maio tornou-se a oitava jogadora brasileira na história a entrar no top 100 da WTA. Mas não foi só isso, teve uma ascensão meteórica em 2017. Começou o ano em janeiro na 173a. colocação do ranking e até agora garantiu 115 posições ao chegar em 58a..

Entre seus principais resultados deste ano estão o título do ITF 25K de Clare e do ITF 100K de Cagnes-Sur-Mer (França), o vice-campeonato no WTA de Seul, além das quartas de final no WTA de Praga, depois de bater a ex-número 6 do mundo Samantha Stosur.

“Estou muito feliz com essa indicação. Ela nada mais mostra que estamos no caminho certo e que 2017 está sendo um ano muito especial, cheio de ‘primeiras vezes’ na minha carreira, como minha primeira vitória em Grand Slam em Wimbledon, primeira vitória sobre uma top 20, a Stosur, em Praga e minha primeira final de WTA em Seul”, afirmou Bia.

A indicação ao prêmio da WTA será uma motivação extra para Bia, que tem estreia programada, na madrugada desta quarta-feira, por volta das 5h30 (horário de Brasília), diante da croata Donna Vekic, cabeça de chave 4 do torneio chinês e 46o. do mundo.

Bia e Teliana vencem nos qualis de Praga e Rabat

A tenista brasileira Teliana Pereira estreou com vitória no qualifying do WTA 250 de Rabat, no Marrocos, que está sendo disputado no saibro. Ela derrotou a holandesa Lesley Kerkhova, por 6/0 6/04, em 1h10min de jogo, para avançar à segunda rodada da fase classificatória.

Na próxima rodada, no domingo, ela enfrenta a vencedora do jogo entre a argentina Nadia Podoroska ou a russa Alla Kudryavtseva.

” Eu estou jogando bem. A diferença tem sido nos detalhes,” disse Teliana, 195a. na WTA.

Teliana e Bia estreiam com vitória em Rabat e Praga

Ja em Praga…

A paulista Beatriz Haddad Maia começou com pé direito sua participação no qualifying do WTA.

Na estreia, neste sábado, Bia eliminou a cabeça de chave 5 do qualificatório, a russa Ekateina Alexandrova, 88o. do mundo, por 6/3 7/5, em 1h52min de partida.

Em busca da segunda vitória no quali, a tenista número 1 do Brasil e 146o. do mundo encara, neste domingo, a eslovaca Rebecca Sramkova, 123o., que derrotou a norte-americana Asia Muhammad, por 6/0 6/3.

Laura Pigossi é vice-campeã do Circuit Feminino Future de Tênis em SP

A russa Irina Khromacheva mostrou toda sua qualidade de número 89 do ranking mundial e conquistou com autoridade a segunda etapa do Circuito Feminino Future de Tênis, ao derrotar neste domingo a paulista Laura Pigossi, mais de 300 posições atrás na lista internacional, com as parciais de 6/2 e 6/1.
Laura Pigossi é vice-campeã em SP
Este foi o 10º título de Khromacheva em torneios de nível challenger e o segundo conquistado no Brasil. Há quase seis anos, em Ribeirão Preto, ela também ganhou uma etapa do Circuito que era então sua primeira conquista internacional. “Tive alguma dificuldade com o saque devido à posição do sol. Sabia que teria de ser consistente, porque ela nunca desiste dos pontos. A chave foi manter o foco o tempo todo”, avaliou a campeã.
O público superlotou o estádio principal do clube Paulistano e incentivou Pigossi, prata da casa, o tempo inteiro, mas a força e a regularidade da cabeça 1 foram preponderantes em quase toda a partida. A brasileira procurou ser agressiva no começo de partida, atacando até mesmo o segundo saque da adversária canhota, mas faltou precisão em alguns momentos. A partir da primeira quebra de saque, Khromacheva ficou confiante e aí passou a ter o domínio da partida.
“Queria demais esse título, que seria meu primeiro de nível challenger, mas ela foi superior”, lamentou Pigossi, de 22 anos. “O importante é que tive uma semana incrível, em que pude constatar que meu tênis e meu físico estão em evolução”. Laura retorna para Barcelona, onde passou a morar desde setembro. Em abril, disputará o WTA de Bogotá.
Antes da final, os organizadores do Circuito Feminino homenagearam Marília Silberberg, um dos grandes nomes do Paulistano e do tênis paulista, falecida em janeiro de 2000. Os filhos Fabio e Adriana receberam uma placa.
O Circuito Feminino terá mais duas etapas, ambas da categoria future, marcadas para a Sociedade Hípica de Campinas, a partir do dia 24 de março, e para o Clube de Campo Santa Rita, em São José dos Campos, com início dia 31.

 

Teliana estreia nesta 2a. em Hobart

Teliana Pereira estreia nesta 2a. feira no segundo desafio da temporada 2016, o WTA International de Hobart. Ela enfrenta a britânica Heather Watson, 55a. colocada no ranking mundial e atual campeã do torneio.

Teliana enfrenta Heather Watson

” Treinamos juntas na semana passada em Brisbane. O jogo dela é de quadra rápida. Gosta de jogar entrando na quadra. Vai ser um jogo duro, mas vamos com tudo,” comentou Teliana.

A brasileira treinou nos últimos dias, em Brisbane e Hobart, com diversas tenistas do circuito, incluindo Roberta Vinci. “Aproveitei para treinar bastante, ganhar ritmo de jogo e continuar a crescer na quadra rápida, para chegar bem em Melbourne que é o grande objetivo.”

Teliana, atual 46a. colocada na WTA, e Watson já se enfrentaram uma vez, há dois anos, em Indian Wells,com vitória da britânica por duplo 6/2.

Esta é a terceira vez que Teliana joga o WTA de Hobart, tendo disputado o qualifying nos dois últimos anos, sem se classificar para a chave principal.

Depois da grande temporada, Teliana fala sobre os objetivos alcançados e afirma que quer melhorar em 2014

Teliana - Cristiano Andujar peqDepois de disputar em Sant Cugat, Espanha, na segunda semana de outubro, seu último torneio na temporada, Teliana Pereira foi entrevistada pela WTA e a matéria acabou ganhando destaque no site da entidade.

Ela foi a primeira brasileira a chegar à semifinal em de um torneio WTA desde 1990, feito alcançado em Bogotá, em fevereiro. Com outros bons resultados, incluindo uma sequência de títulos em ITF Challengers, ela entrou no top 100 e alcançou o nº 88 do ranking.

Parece que o céu é o limite para ela, mas a pernambucana não esquece suas origens humildes e o início da carreira.

“Eu nasci em uma cidade pequena, onde a vida é muito difícil. Existe muita pobreza lá e é difícil conseguir uma boa educação”, disse ela. “Meu pai foi para Curitiba, uma cidade maior, em busca de um bom emprego. Ele começou a trabalhar em uma academia de tênis e toda minha família se mudou pra lá também. Eu gostava de ir à academia ajudar o meu pai e meus irmãos começaram a jogar. Depois eu comecei a tentar jogar também”.

Teliana comentou também sobre a maior visibilidade que conseguiu desde que conquistou resultados de maior destaque:

“Depois da semifinal em Bogotá, as pessoas foram dando mais atenção ao tênis feminino. Além disso, me colocaram mais na mídia depois de chegar ao top 100, feito que uma brasileira havia feito pela última vez há 23 anos. Tive mais pressão, mas trabalhei muito duro pra isso. Passei por dois anos difíceis, com lesão no joelho, mas agora estou muito feliz porque as coisas estão realmente acontecendo para mim”, disse a brasileira, que também falou sobre as expectativas para o próximo ano.

“No início desse ano, eu queria terminar 2013 no top 100 e fizemos uma programação boa para isso. Estou me sentindo bem, ganhando muitos jogos e sinto que posso fazer ainda mais, o que também é bom para o Brasil, pois as meninas percebem que podem jogar um bom tênis. Também vamos ter mais torneios no Brasil e isso é ótimo. Espero que 2014 seja melhor pra mim e para o tênis feminino do Brasil”.

Por fim, a brasileira ainda comentou sobre quando se sente com a oportunidade de jogar tênis profissional: “Sinto realmente muita sorte de ter esta oportunidade quando estou em quadra e tento me divertir”, finalizou.

Foto: Cristiano Andujar

Serena Williams se garante como nº 1 do mundo até o final da temporada

Serena Sony peqA norte-americana Serena Williams se garantiu como número 1 do ranking da WTA até o fim da temporada, repetindo os feitos de 2002 e 2009. Com isso, ela se torna a sétima jogadora da WTA a terminar o ano como nº 1 três ou mais vezes, juntando-se a  Steffi Graf (8), Martina Navratilova (7) , Chris Evert (5) , Lindsay Davenport (4) , Justine Henin (3) e Martina Hingis (3).

Ela já ocupou o topo do ranking em 6 oportunidades e desde fevereiro deste ano ocupa este lugar, quando se tornou a jogadora mais velha a se tornar nº 1 desde 1975.

“Serena tem provado ao longo da sua carreira que ela é uma campeã incrível, dentro e fora de quadra. Nesta temporada, ela continua a reescrever o livro dos recordes, provando que é uma das maiores atletas de todos os tempos”, disse Stacey Allaster, presidente e CEO da WTA.

Sua grande temporada inclui os títulos de Brisbane, Sony Open Tennis (seu sexto título em Miami) , Family Circle Cup (Charleston) , Mutua Madrid Open, Internazionali BNL d’ Italia (Roma) , Collector Swedish Open (Bastad) , Rogers Cup (Toront) , Roland Garros e Aberto dos EUA(seu 16º e 17º título de Grand Slam individual respectivamente). Com 55 títulos na carreira, ela agora está empatada em sétimo lugar com Lindsay Davenport e Virginia Wade, na lista das maiores campeãs de todos os tempos.

Além disso, seu prêmio de US$ 3,6 milhões depois do US Open foi o maior da história do tênis e fez dela a primeira mulher a ultrapassar os US$ 9 milhões em uma única temporada.