Depois de sentir lesão e ter match point, Bia Haddad abandona na estreia do Premier de Charleston

Bia Haddad sentiu uma lesão no punho esquerdo e acabou abandonando, nesta terça-feira, a partida de estreia no WTA Premier de Charleston, nos Estados Unidos, contra a espanhola Lara Arruabarrena.

“Já vinha sentindo um desconforto no punho esquerdo durante a partida e resolvi não arriscar mais no início do terceiro set com medo de agravar a lesão”, afirmou a canhota, que desistiu da partida quando o placar anotava 4/6 7/6(6) 1/0 para a espanhola.

“Eu estava jogando bem, fiz um bom primeiro set. Comecei melhor o segundo, mas permiti a reação dela e o jogo ficou parelho”, disse Bia.

Bia vai tratar a lesão e se preparar para o WTA de Bogotá na próxima semana. “Não foi nada grave, mas a prioridade é sempre estar 100% saudável para jogar”, finalizou.

Bia Haddad perde para Ostapenko na 3ª rodada do Premier de Miami

Bia Haddad encerrou neste domingo sua participação no WTA Premier de Miami, após campanha inédita em que alcançou a terceira rodada do torneio norte-americano.

Bia foi superada pela letã Jelena Ostapenko, 5o. do mundo, por 6/2 7/6(2), em 1h31min de partida. As duas já haviam se enfrentado no ano passado, na final do WTA de Seul, vencida também pela letã.

A tenista número 1 do Brasil continua nos Estados Unidos. Na próxima semana, Bia disputa o WTA Premier de Charleston.

Bia elimina chinesa, vai à 3ª rodada em Miami e encara top 5 Ostapenko

Bia Haddad eliminou, nesta sexta-feira, a chinesa Shuai Zhang, por 6/3 6/2, em 1h30min de partida, pela segunda rodada do Miami Open.

Essa foi a primeira vez que Bia avançou à terceira rodada de um WTA Premier Mandatory. “Ano passado eu havia ganho uma rodada aqui. Todas as semanas que venho jogando, eu busco acreditar cada vez mais. Todo jogo é uma pedreira, não tem pra onde fugir. Ganhar e perder é muito detalhe e hoje no momento certo eu joguei um pouco melhor e fui mais sólida”, afirmou.

“O placar não diz muito o que foi o jogo”, declarou Bia. “Os games foram todos apertados, dois games do primeiro set salvei no 0/40, então poderia ter ido para qualquer lado. Respeitei a tática, tentei não ficar no jogo que ela queria, um jogo mais rápido, mais plano, mais confortável pra ela. Variei bastante, usei minhas bolas, meu top spin e busquei minha intuição, jogando solta, respirando e as coisas foram acontecendo”, completou.

Bia novamente contou a torcida de brasileiros em Miami. “Se não me ajudou, atrapalhou ela”, brincou. “O povo brasileiro tem um calor a mais. Desde o primeiro game o pessoal estava gritando o meu nome e, com certeza, isso faz muita diferença. A menina se irritou em um certo momento. Agradeço a todos pela energia, é sempre bom ter o Brasil comigo”.

A tenista número 1 do Brasil e 64o. do mundo enfrenta na terceira rodada a letã Jelena Ostapenko, cabeça 6 e 5o. do mundo. Bia enfrentou a letã na final do WTA de Seul no ano passado, quando ficou com o vice.

Bia Haddad passa pela estreia em Miami e encara chinesa na 2ª rodada

A paulista Bia Haddad superou na estreia do WTA Premier de Miami, nesta terça-feira, a britânica Heather Watson, em dois sets diretos, parciais de 7/6(3) 6/2, em 1h36min de partida.

Essa foi a segunda vitória da tenista número 1 do Brasil e 64o. do mundo diante da britânica. As duas haviam se enfrentado há menos de um mês no WTA de Acapulco.

“Como a gente já tinha feito a pré-temporada juntas e jogamos em Acapulco, eu já sabia que seria um jogo duro e tinha a minha tática bem clara. Hoje o meu saque foi fundamental, consegui me me manter tranquila, jogando solta. Primeira rodada nunca é fácil, dá um friozinho na barriga, mas lidei bem com isso e saí com a vitória”, afirmou Bia.

Bia também ressaltou o apoio da torcida no jogo de hoje: “Aproveitei bastante a torcida, tinham muitos brasileiros e usei essa energia ao meu favor. É brasileiro por toda parte, sempre escuto ‘vamos Bia’. Aqui é muito parecido com o Rio, com as condições que eu treino. Fiquei feliz com a torcida e conto com o apoio no próximo jogo”.

Na próxima rodada, Bia terá pela frente a chinesa Shuai Zhang, top 30 e cabeça de chave 31, em jogo inédito. “Nunca jogamos, mas sei que ela é sólida, joga mais por baixo, tem os dois lados bons. Agora é manter mais minha tática, pensar mais em mim, nas minhas armas e ver o que dá”, disse a brasileira.

Bia Haddad chega perto de tirar set de Puig, mas perde na estreia do WTA de Indian Wells

A paulista Bia Haddad não conseguiu avançar em sua estreia no WTA Premier de Indian Wells, nos Estados Unidos, que é disputado no piso duro.

Nesta quinta-feira, a tenista número 1 do Brasil e 59o do mundo foi superada pela porto-riquenha Monica Puig, 83o.do mundo e atual campeã olímpica, em sets diretos, com parciais de 6/3 7/6(3).

A brasileira chegou a liderar o segundo set por 4/0, mas acabou permitindo a reação da adversária, que levou a melhor no tiebreak, fechando a partida.

Bia continua em Indian Wells até semana que vem, se preparando para o WTA Premier de Miami.

Bia Haddad estreia nesta quinta em Indian Wells, enfrentando porto-riquenha Puig

Bia Haddad estreia nesta quinta-feira no WTA de Indian Wells, nos Estados Unidos, que é disputado no piso duro.

A brasileira deve entrar em quadra por volta das 16hs, horário de Brasília, abrindo a programação da quadra 5, para enfrentar a porto-riquenha Monica Puig, nº 83 do mundo, em confronto que será inédito.

Bia vai jogar pela primeira vez em Indian Wells, vindo de uma campanha na qual chegou às oitavas de final do WTA de Acapulco, perdendo para a francesa Kristina Mladenovic, de virada.

Bia passa por britânica e encara Mladenovic nas 8ªs do WTA de Acapulco

A paulista Bia Haddad garantiu, na noite desta terça-feira, sua primeira vitória no WTA de Acapulco. Bia derrotou a britânica Heather Watson, 71o. do mundo, por 7/5 4/6 6/1, em 2h33min, e avançou à segunda rodada do torneio mexicano.

“Foi uma vitória mental, em que consegui manter a cabeça firme e positiva, apesar de não ter jogado meu melhor tênis. No segundo set, ela teve 4/1 e eu quase busquei ali, voltei pro jogo. As duas oscilaram bastante, mas me mantive mais sólida no terceiro set para vencer a partida”, afirmou.

Nas oitavas de final, a tenista número 1 do Brasil e 60o. do mundo terá pela frente a francesa Kristina Mladenovic, cabeça de chave 2 e 14o. do mundo. O confronto é inédito. “Mais um jogo duro. Ela (Mladenovic) defende o título aqui, é sólida, tem um bom ranking, mas me sinto pronta e bem preparada para enfrentá-la”, disse Bia.

Brasil perde para o Paraguai na final do Zonal Americano da Fed Cup

O Brasil parou no Paraguai e vai continuar no Zonal Americano da Fed Cup, principal competição entre países do tênis feminino.

Depois de liderar seu grupo, passando por Venezuela, Guatemala e Argentina, as brasileiras enfrentaram as donas da casa, neste sábado, e viram as experientes paraguaias triunfarem nas duas partidas de simples.

Primeiro, Nathaly Kurata não ofereceu muita resistência para Montserrat Gonzalez, perdendo em sets diretos, com parciais de 6/1 e 6/3.

Depois, em jogo que chegou a ficar interrompido algumas horas pela forte chuva que caiu em Assunção, Bia Haddad fez uma partida muito equilibrada contra Veronica Cepede Royg, chegando a vencer o 1º set e a ter match points no 3º, mas acabou levando a virada, com parciais de 6/7(2) 7/5 e 7/6(9).

Com isso, o Paraguai vai jogar o Playoff para o Grupo Mundial II, em abril deste ano.

Brasil vence Argentina na Fed Cup e decide vaga no playoff do Grupo Mundial II com Paraguai

O Brasil venceu o confronto com a Argentina, de virada, por 2 a 1, e está na final do Zonal Americano I da Fed Cup, disputado no saibro de Assunção, no Paraguai. Neste sábado, a equipe brasileira disputa uma vaga no playoff do Grupo Mundial II com os donos da casa, a partir das 15h (horário de Brasília).

A vitória sobre as argentinas foi suada. Mas empurrada pela torcida, que, apesar do pequeno número, fez barulho na arquibancada do Club Internacional de Tenis, as brasileiras viraram o confronto.

No primeiro jogo, Nathaly Kurata acabou superada por Paula Ormaechea por 7/5 e 6/0. Na segunda partida, Bia Haddad Maia venceu Catalina Pella 6/2, 4/6 e 6/4, em 2h31 de confronto. Com 1 a 1 no placar, a decisão ficou para as duplas. E, mais uma vez, Bia Maia e Luisa Stefani venceram o duelo e garantiram a classificação do Brasil, ao superarem Catalina e Maria Irigoyen por 6/1, 3/6 e 6/2, em 1h45 de duração.

“Foi muito especial, mais um confronto de Fed Cup duríssimo. Elas estavam um ponto acima, tiveram 4 a 2 na negra comigo na simples e eu estava abaixo. Mas fiquei olhando a energia da nossa torcida e foi o que me puxou, o que me acreditar e eu consegui ganhar 6/4. E fomos para cima com tudo nas duplas”, contou Bia.

“Tivemos um dia super positivo, ganhar da Argentina dá aquele gostinho a mais. Terminamos a simples empatada, então entramos a full na dupla. Acabamos nos complicando um pouquinho no segundo set, as meninas jogaram bem, jogo duro, mas conseguimos dar conta do recado no terceiro. Sabíamos o que tínhamos que fazer e mandamos ver”, avaliou Luisa.

Esta foi a primeira vez que o Brasil venceu a Argentina em um confronto na Fed Cup. As argentinas somavam quatro vitórias sobre as brasileiras, duas delas, inclusive, nos últimos dois anos, quando Fernando Roese já era capitão da equipe nacional

“Dia bom, sofrido, já esperávamos um confronto muito duro. Os últimos dois anos eu já havia perdido para a Argentina, então era uma questão de honra, mas era uma equipe muito dura, muito competitiva. Tem essa rivalidade sadia. Para mim, pessoalmente foi muito legal. As meninas tiveram todo o mérito, a equipe está muito unida. Não é só a vitória da Bia e da Luisa, é do time inteiro”, ressaltou o capitão brasileiro.

Além da vitória por 2 a 1 sobre a Argentina, o Brasil venceu a Venezuela na estreia pelo mesmo placar e aplicou 3 a 0 na Guatemala, que foi rebaixada. Neste sábado, a equipe brasileira tem mais uma parada duríssima contra as donas casa, que têm a 84ª do mundo, Verônica Cepede, pela 366ª colocada Montserrat Gonzalez e pelas jovens Camila Campiz e Lara Escauriza.

“Agora é a final contra o Paraguai, jogar na casa deles. É uma excelente equipe também, será um confronto duro como todos os outros, mas já deu pra sentir a quadra central, conhecemos bem nossas adversárias, conseguimos criar uma energia muito legal essa semana e vamos dar tudo amanhã”, projetou Bia.

“É o último dia, temos trabalhado para isso, era onde queríamos chegar. Sabemos que o Paraguai é duro, vai ter torcida, mas acho que a nossa vai até ganhar da deles pelo ânimo e vamos dar tudo amanhã”, completou Luisa.

“O Paraguai junto com a Argentina é uma das equipes mais difíceis. É uma equipe muita parelha, tem a Ceped com um ranking parecido com o da Bia e é local. Jogar contra a equipe local é sempre mais difícil, torcida apoiando, mas nós estamos com pouca torcida aqui, mas muito eficiente. O grupo está muito unido. Agora é descansar, ver escalação e se preparar para a final contra o Paraguai”, finalizou o capitão Fernando Roese, após o confronto contra as argentinas.

Foto: Matheus Joffre/CBT

Brasil bate Guatemala por 3×0 e decide com Argentina o 1º lugar do grupo da Fed Cup

O Brasil conquistou mais uma importante vitória no Zonal Americano I da Fed Cup, disputado no saibro de Assunção, no Paraguai. A equipe brasileira venceu a Guatemala por 3 a 0, em confronto válido pela segunda rodada e agora disputa o primeiro lugar do Grupo B com a Argentina, nesta sexta-feira, a partir das 15h (horário de Brasília).

A estreante Nathaly Kurata abriu o caminho da vitória nacional com um duplo 6/2 sobre Melissa Morales. “Eu fiquei um pouco nervosa no início, acho que é normal, mas consegui controlar a emoção, consegui me manter bem ativa e ficar nos pontos. Ela começou super bem e eu aguentei bem”, avaliou a paulista, que não sofreu nenhum break-point e aproveitou quatro das nove chances de quebra que teve na partida. “É sempre uma emoção diferente, porque não estamos jogando só pela gente, mas pela equipe, foi a primeira vez que representei o Brasil e fiquei muito feliz com o resultado”, comemorou.

No segundo jogo de simples, Bia Haddad Maia confirmou seu favoritismo ao vencer Andrea Weedon por duplo 6/1 em menos de 50 minutos partida e garantiu a vitória brasileira antecipada no confronto. “Fed Cup são sempre confrontos duros igual à Copa Davis. Mantivemos uma energia bem legal, a Nathy hoje entrou na simples, esteve sólida e ganhou no primeiro jogo dela, eu também consegui manter o meu padrão. Agora amanhã [nesta sexta] jogamos contra a Argentina e temos que estar focadas, sabendo que é mais um jogo duro, jogar contra nós mesmas, fazendo nosso melhor e seguir com a pegada dessa semana”, projetou a número 1 do Brasil.

Nas duplas, Gabriela Cé e Luisa Stefani venceram Andrea Weedon e Gabriela Rivera no tie-break, por 6/3, 3/6 e 7/6 (3). “O confronto hoje foi mais tranquilo. Conseguimos confirmar a vitória já na simples com a Nathaly e a Bia e isso dá uma sensação de tranquilidade a mais. A dupla foi muito disputada, acabamos ganhando no terceiro set e amanhã [nesta sexta] vamos com tudo para cima da Argentina”, destacou Gabriela.

“As meninas fizeram super bem a simples hoje, então deu um alívio para a dupla, entramos sem a pressão de ter que fechar o confronto. Acho que nós complicamos um pouquinho, mas foi bom porque uma vitória sofrida assim sempre tem aquele gostinho e amanhã contra a Argentina esperamos fazer um grande confronto”, completou Luisa.