Abertas as vendas de ingressos para o Rio Open, com tickets a partir de R$ 30,00

O Rio Open apresentado pela Claro abriu a venda de ingressos nesta sexta-feira, dia 07, pelo site tudus.com.br/rioopen, com valores a partir de R$30. O maior torneio de tênis da América do Sul será disputado de 16 e 24 de fevereiro de 2019, no Jockey Club Brasileiro, e a expectativa é de que 50 mil pessoas acompanhem os jogos e a programação ao longo do evento.

No Rio Open, o tênis é a atração principal, mas também há muitas outras opções de entretenimento, numa estrutura comparável à de grandes eventos do circuito mundial. O evento conta com uma área interativa de aproximadamente 10 mil m², o Leblon Boulevard, que oferece opções de stands, lojas, entretenimento e gastronomia. Na Praça Rio Open fica o palco, com uma programação de shows e um telão gigante para não perder um ponto dos jogos. E, seguindo a tendência dos grandes torneios do circuito, o Rio Open tem uma loja de produtos oficias — a La Boutique.

Esportivamente, a qualidade técnica do torneio já é conhecida. O Rio Open é um dos 13 campeonatos de nível ATP 500, uma das categorias mais importantes do tênis. É um dos três eventos desse porte disputados no saibro, junto com Hamburgo e Barcelona.

Mantendo a tradição, jogadores da elite do tênis mundial estarão na chave principal. Vice-campeão de Roland Garros, o número 8 do mundo Dominic Thiem, da Áustria, marca presença de novo, assim como o italiano Fabio Fognini e o atual campeão Diego Schwartzman, da Argentina, formando a trinca do top 20.

Grande revelação brasileira, Thiago Wild disputará seu primeiro ATP 500 após conquistar a vaga na Maria Esther Bueno Cup. Uma das melhores duplas do mundo, formada pelo brasileiro Bruno Soares e pelo escocês Jamie Murray, também está garantida na competição.

Thiem joga o Rio Open em 2019

“A briga pelo título do Rio Open 2019 promete ser acirrada com vários dos melhores tenistas do saibro. O Thiem é atualmente o segundo melhor tenista do mundo nessa superfície; Fognini teve o melhor ano da carreira vencendo 3 torneios ATP; e  Schwartzman fez uma excelente temporada e alcançou o melhor ranking da carreira, No.11. Além deles teremos os tenistas brasileiros que sempre levantam a torcida no Jockey Club,”  diz, Luiz Carvalho, diretor do torneio. 

Em sua sexta edição, o torneio é o principal evento esportivo anual da Cidade Maravilhosa e tem grande impacto econômico, injetando mais de 100 milhões de reais na economia do Estado e gerando 1.300 empregos diretos e indiretos. Com atrações de alto nível dentro e fora de quadra, o Rio Open atrai turistas do mundo inteiro. A expectativa é de que 30% do público presente em 2019 seja de fora do Rio.

“A cada ano temos um crescimento expressivo em visitantes de fora do Rio e do Brasil, mostrando que o evento é um sucesso  O Rio Open gera centenas de empregos e injeta dinheiro na economia do estado anualmente. O torneio chega ainda mais consolidado a esta edição, que espera receber cerca de 50 mil pessoas”, afirma Marcia Casz, diretora geral do Rio Open.

Thiago Wild é o primeiro brasileiro na chave

Para além dos números impressionantes do evento, o Rio Open apoia, desde sua primeira edição, iniciativas que usam o tênis como ferramenta de desenvolvimento humano e inclusão social. Os cinco projetos apoiados pelo torneio são Instituto Futuro Bom, Tênis na Lagoa, Tênis Solidário, Escolinha de Tênis Fabiano de Paula e Arremessar para o Futuro. Em 2017, foi inaugurado o Núcleo Esportivo Rio Open, projeto em parceria com a AGLO que tem como base as instalações de tênis do Parque Olímpico da Barra. Ao todo, mais de 500 crianças são beneficiadas.

“Para o Santander o tênis, além da sua projeção, representa como poucos atributos que nos são caros, como a técnica, determinação, estratégia e busca da melhora contínua. São por esses valores que nos associamos ao Rio Open, o maior torneio da América do Sul que vem revelando grandes talentos”, afirma Marcos Madureira vice-presidente executivo de Comunicação, Marketing, Relações Institucionais e Sustentabilidade do Santander.

 

PROGRAMAÇÃO RIO OPEN 2019

O Rio Open começa no dia 16 com o qualifying e no dia 18 tem início a chave principal, com a Grande Final acontecendo no dia 24 de fevereiro.

A programação para a chave principal contará com duas sessões de segunda-feira a quinta-feira: Sessão 1, com início às 16h30; e Sessão Noite, a partir de 19h. Já de sexta-feira a domingo, o torneio terá sessão única. A sessão 1 será composta pelo 1º jogo da Quadra Central e mais todos os jogos das quadras externas. A sessão noite será formada pelos jogos que começam a partir de 19h na Quadra Central, além dos jogos nas quadras externas. Vale destacar que qualquer ingresso dá acesso ao complexo que será montado no Jockey Club Brasileiro, não importa a sessão.

 

VENDA DE INGRESSOS

As vendas de ingressos serão feitas online através do site   tudus.com.br/rioopen, a partir das 12h, desta sexta-feira (7/12) . O pagamento poderá ser feito com cartões de crédito Visa, Mastercard, Elo e Diners, com parcelamento em até 4 vezes sem juros. Não haverá cobrança de taxa de conveniência.

Os valores variam entre R$ 30 e R$ 490.

Em 2019,  para maior facilidade do público, será possível a utilização do ingresso via QR Code.

 

Sobre o Rio Open:

O Rio Open 2019 conta com patrocínio máster da Claro, patrocínio do Santander, Peugeot, Mubadala , Fedex, Emirates. Também com as empresas , Rolex, Tokio Marine Seguradora, Shell e ainda com, RedeDor, Booking,Localiza, Dasa, Café Melitta,Estácio, SegurPro Prosegur, Shopping Leblon,Focus e Sextante. A Fila será a responsável pelo material esportivo e a Head, fornecedora da bola oficial do evento. Lídio Carraro – a vinícola boutique brasileira-, oferecerá o espumante e vinho oficiais do Rio Open. Conta ainda com parceria de Antonio Bernardo, Raul Mourão, Jockey Club Brasileiro Prefeitura do Rio e Riotur.

O Sportv é a emissora oficial do Rio Open e transmite em HD todos jogos da quadra central para o Brasil e mais de 130 países através da ATP Media.

O evento é incentivado pelo Ministério do Esporte – Governo Federal Brasil, através da Lei Federal de Incentivo ao Esporte  O Rio Open é uma promoção da IMM com realização do ICT.

 

Fotos: João Pires/JUMP

Bruno Soares e Jamie Murray confirmam participação no Rio Open em 2019

O Rio Open apresentado pela Claro já tem a sua primeira dupla confirmada: a quarta melhor parceria de 2018, formada pelo mineiro Bruno Soares e pelo escocês Jamie Murray. Campeão de dois Grand Slams, Soares tenta ser o primeiro brasileiro a vencer o maior torneio de tênis da América do Sul. A sexta edição do Rio Open será disputada entre 16 e 24 de fevereiro de 2019, no Jockey Club Brasileiro. A pré-venda para clientes NET, Claro e Santander vai até 7/12, dia em que começa a venda geral de ingressos.

Soares e Murray são uma das principais duplas do circuito nos últimos anos. Logo no primeiro ano da parceria, em 2016, eles venceram dois Slams, o Australian Open e o US Open. Os dois já somam nove troféus juntos e, em 2018, alcançaram as semifinais do ATP Finals de Londres, torneio que reúne as oito melhores duplas do mundo.

“Foi uma temporada bem positiva. Terminamos mais uma vez entre os 10 melhores, fomos a quarta melhor dupla da temporada. Após Roland Garros, foi espetacular. Mais um título de Masters 1000 (Cincinnati), mais um ATP 500, final no Masters de Xangai, e no Finals passamos em primeiro no grupo, com três vitórias. Estou feliz com os resultados e podemos melhorar ainda mais ano que vem”, comentou Soares.

“O Brasil é muito bem representado no circuito pelos duplistas e o Bruno tem grande parcela de todo esse sucesso. No Rio o público ele tem muito apoio e esperamos quem em 2019 um tenista do Brasil possa sair campeão em uma Quadra Guga Kuerten lotada de torcedores brasileiros,” disse Luiz Carvalho, Diretor do Rio Open.

No Rio Open, Soares tentará quebrar um tabu: o mineiro parou nas semifinais nas cinco edições do torneio, com três parceiros diferentes. Duas com o austríaco Alexander Peya, uma com o conterrâneo Marcelo Melo e outras duas com Murray.

“O jogo de duplas geralmente é decidido nos detalhes, e infelizmente ainda não tive a chance de disputar uma final no Rio. Mas eu e o Jamie gostamos muito de jogar no caldeirão da Quadra 1 e estamos confiantes de que esse será o ano”, afirmou o mineiro.

O Rio Open é o único torneio de saibro da primeira parte da temporada 2019 de Soares e Murray. A dupla começa o ano em Doha e depois vai a Sydney, antes do Australian Open. O próximo torneio já será o ATP 500 carioca, e depois eles partem para as quadras duras de Acapulco, Indian Wells e Miami.

Na chave de simples, o Rio Open já tem quatro nomes garantidos: o número 8 do mundo Dominic Thiem, vice-campeão de Roland Garros, o italiano Fabio Fognini, 13º do ranking, o argentino Diego Schwartzman, atual campeão do Rio Open e 17º do mundo, e a sensação brasileira Thiago Wild, de 18 anos, que conquistou a vaga ao vencer a Maria Esther Bueno Cup.

Thiago Monteiro inicia pré-temporada na Argentina e mira top 100 em 2019

O tenista cearense Thiago Monteiro embarcou no começo desta semana para Buenos Aires para iniciar sua pré-temporada visando o ano de 2019. O jogador já está treinando na academia do técnico Fabian Blengino na capital argentina.

“Foi um ano de altos e baixos. Fiz minha primeira semifinal de ATP em Quito e quartas no ATP 500 de Hamburgo. Venci nomes como Gael Monfils, Fernando Verdasco e Gilles Simon, o que me deu muita confiança”, afirmou. “Por outro lado, troquei de centro de treinamento (saiu da Tennis Route, no Rio, para a Argentina) e sempre demora um pouco para adaptar. Engatei com um novo treinador (Fabian Blengino) no meio dos torneios. Agora vamos ter tempo para trabalhar nas coisas necessárias e quem sabe ter um ano mais consistente em 2019”, acrescentou Monteiro.

O cearense começa o ano no ATP de Pune, na Índia, disputa o qualifying do Australian Open e depois joga os torneios da América do Sul. “Quero voltar a disputar a chave principal de um Grand Slam. Fiquei perto na Austrália, e espero entrar direto em Roland Garros. Também gostaria de ganhar um Challenger novamente e voltar ao top 100”, revelou Monteiro.

Pela primeira vez o tenista fará a pré-temporada na Argentina, em que terá a oportunidade de estar próximo do técnico e treinar com os tops argentinos.

Bellucci inicia pré-temporada nos EUA e abre 2019 no quali do Australian Open

O tenista brasileiro Thomaz Bellucci, ex-número 21 do mundo, deixou o Brasil no início desta semana para começar a pré-temporada de 2019, nos Estados Unidos. Após um ano de mudanças e oscilações, o paulista busca estabilidade para retomar os bons resultados.

“É preciso olhar para frente agora, pensar em 2019 e tirar lições de tudo que aconteceu em 2018. Foi uma temporada abaixo do que costumo render, mas tenho a confiança de que posso voltar aos melhores resultados. Estou trabalhando duro para isso e acredito que seja questão de tempo para achar o caminho”, afirmou Bellucci, que treina na IMG Academy, em Bradenton, na Flórida, com o técnico espanhol German Lopez. O treinador estará ao lado de Bellucci durante parte do ano que vem, mas o brasileiro ainda definirá outro técnico para acompanhá-lo full time na temporada 2019.
Bellucci começará o ano disputando o qualifying do Australian Open, em Melbourne e depois partirá para a temporada sul-americana de saibro. “Com o meu ranking o planejamento de torneios é feito mais a curto prazo. A primeira meta é chegar perto dos 100 e disputar os qualifyings de torneios grandes, tentando sair um pouco dos Challengers. Depois disso, voltar para o top 100.”

Em 2018, brasileiros tiveram grande queda no aproveitamento em partidas contra top-100

Em uma rápida percepção, é possível notar que o tênis masculino brasileiro, pelo menos no que se refere aos simplistas, não vive uma boa fase. Pelo contrário.

Nos últimos anos, o Brasil vem perdendo força não apenas em relação ao ranking ou às conquistas de grandes títulos, mas também no que tange ao aproveitamento em quadra diante de jogadores bem posicionados na lista da ATP.

Fizemos um levantamento do número de vitórias dos brasileiros em partidas contra jogadores do top-100, comparando com anos anteriores, e o que se percebe é um declínio acentuado no número de vitórias dos atletas nacionais contra jogadores desta faixa do ranking que, vale dizer, nem é das mais privilegiadas quando se trata de grandes torneios.

Vale apontar que não foi levado em conta o torneio em disputa, mas sim o ranking do adversário em questão, sendo possível notar que um dos melhores números do Brasil foi em 2015, quando foram conquistadas, no total, 36 vitórias sobre top-100, com a seguinte distribuição e aproveitamento de 36%.

Em 2016, o número de vitórias já começou a cair, apesar do aumento no aproveitamento, para 41%, com destaque ainda para o triunfo de Thiago Monteiro sobre o francês Jo-Wilfried Tsonga, então número 9 do mundo, na primeira rodada do Rio Open, na partida que praticamente apresentou o cearense o mundo. Além disso, também se destaca a vitória de Thomaz Bellucci sobre o belga David Goffin (13º) durante os Jogos Olímpicos.

Já em 2017, os números continuavam piorando, com queda nas vitórias e no aproveitamento, apesar do bom resultado de Bellucci sobre o japonês Kei Nishikori (5º) na estreia do Rio Open e de Rogerinho sobre Monfils no ATP 250 de Umag, além da vitória de Feijão sobre o argentino Horacio Zeballos na estreia do Brasil Open, última vitória do brasileiro sobre um jogador nesta faixa de ranking, até o momento.

Na atual temporada, os números pioraram de vez, com os brasileiros conseguindo um número muito abaixo, impulsionado pela quase ausência de vitórias de Bellucci, que não vem em sua melhor fase, com lesões e uma pausa por doping recentemente. O aproveitamento na temporada? 28%, em apenas 39 jogos disputados contra top-100 em todo ano.

Vale destacar que a única vitória de Bellucci sobre um top-100 em 2018 foi sobre o eslovaco Martin Klizan, no Challenger de Gênova. Pior do que isso, o jogador melhor ranqueado batido por um brasileiro no ano foi o espanhol Fernando Verdasco, superado por Monteiro nas oitavas do ATP 500 de Hamburgo. Mesmo ex-top 10, Verdasco era o 33º do mundo na ocasião.

Também é importante mencionar que não são apenas os números de vitórias e aproveitamento que ficam bem abaixo neste ano, mas também o número de partidas realizadas. Isso aponta para o declínio dos brasileiros no próprio ranking da ATP, já que a faixa do top-100 joga, em boa parte das semanas, torneios ATP’s, enquanto os tenistas do país ficaram nos Challengers em boa parte da temporada.

Pelo 2º ano seguido, Brasil fecha o ano sem um top-100 no ranking de simples da ATP

Pelo segundo ano consecutivo, o Brasil vai fechar o ano sem um representante no top-100 masculino da ATP.

Neste ano, o melhor brasileiro ficou ainda mais longe em comparação ao ano de 2017, no que se refere à proximidade aos 100 melhores mundo, com Thiago Monteiro ocupando o 123º posto.

Em 2017, Rogerinho fechou o ano na 101ª posição, com Monteiro em 124º. Thomaz Bellucci perdeu muitos postos na comparação entre os dois anos, saindo do 113º lugar em 2017 para o 242º neste ano.

Guilherme Clezar era o 205º há um ano e agora é o 252º, enquanto João Souza fechou 2017 como 246º do mundo e atualmente é o 312º.

Rio Open anuncia venda de ingressos para edição de 2019

A sexta edição do Rio Open apresentado pela Claro, que acontece de 18 e 24 de fevereiro de 2019, no Jockey Club Brasileiro, inicia a venda de ingressos no dia 7 de dezembro, com valores que variam entre R$ 30 e R$ 490, através do site  www.tudus.com.br/rioopen. O maior evento de tênis da América do Sul já confirmou nomes como o austríaco Dominic Thiem, número 8 do mundo, o atual campeão Diego Schwartzman e o italiano Fabio Fognini, um dos favoritos do público brasileiro. Clientes NET, Claro e Santander já podem garantir os ingressos na pré-venda, a partir desta quarta-feira (28).

“É uma enorme satisfação e orgulho poder anunciar que o Rio Open chega à sua sexta edição. Com ela se inicia um novo capítulo da história do evento.  Depois de cinco anos, o torneio firmou-se como o maior evento do calendário do esporte olímpico no Brasil, fora o futebol. Graças ao prestígio imediato do público, à confiança dos parceiros e o reconhecimento de sua contribuição por parte do poder público.O segredo do sucesso, neste caso, é nunca nos conformarmos  com o que alcançamos. Queremos sempre fazer um evento  melhor e estamos preparando com muito empenho e  dedicação a edição o de 2019 do torneio, diz Márcia Casz, diretora geral do Rio Open.

A chave principal de simples contará com três jogadores top 20, todos craques do saibro, o piso do Rio Open. Dominic Thiem foi vice-campeão de Roland Garros em 2018 e foi o tenista que mais ganhou jogos na terra batida neste ano (30). O austríaco de 25 anos tem três vitórias contra Rafael Nadal na superfície, um feito raro compartilhado apenas com Gaston Gaudio e Novak Djokovic. Em 2017, ele ganhou o Rio Open sem perder sets. Thiem fará sua quarta participação seguida no torneio.

Irreverente, Fabio Fognini é um dos queridos da torcida carioca. Aos 31 anos, o italiano vive um dos melhores momentos da sua carreira. É o atual número 13 do mundo, seu melhor ranking, após vencer três títulos em 2018. No Rio Open, Fognini também tem história. Ele é o jogador com mais vitórias no torneio (11) e foi vice-campeão em 2015 após derrotar Nadal na semifinal.

Grande destaque do tênis sul-americano, Diego Schwartzman também conquistou fãs no Rio de Janeiro. Com apenas 1,70m de altura, o “Peque” impressiona pela garra e pela técnica. O argentino ganhou a última edição do Rio Open e depois fez quartas de final de Roland Garros.

“É muito importante para o Rio Open ter grandes nomes do circuito marcando presença no torneio, e a edição de 2019 não será diferenteÉ um privilégio ter três dos melhores jogadores do mundo no saibro como Thiem, Schwartzman e Fognini, retornando ao Jockey Club Brasileiro. Mostra que estamos no caminho certo e é garantia de espetáculo para todos os gostos”, afirma Luiz Carvalho, diretor do torneio.

Por fim, o Rio Open já tem um brasileiro confirmado na chave: o paranaense Thiago Wild, de 18 anos. Campeão do US Open juvenil de 2018, ele venceu a Maria Esther Bueno Cup, torneio realizado pelo Rio Open em São Paulo entre os oito melhores brasileiros com até 23 anos. Wild não perdeu jogos na competição e se garantiu em seu primeiro ATP 500.

Vale ressaltar que o Rio Open é o primeiro ATP World Tour 500 da história do Brasil e integra o seleto grupo de 13 torneios denominados ATP 500, sendo um dos 22 mais importantes do calendário da ATP . Isso o credencia como o maior evento esportivo anual do Rio de Janeiro e um dos únicos torneios ATP 500 de saibro no mundo.

“O Rio Open é uma ferramenta de grande transformação para o tênis brasileiro e um divisor de águas em todos os sentidos. Ter a garantia de ver um tênis do mais alto nível ano após ano motivou toda a comunidade tenística e fez com que a modalidade subisse de patamar no cenário esportivo brasileiro. No caso do Rio de Janeiro é nítido que a cidade maravilhosa abraçou o evento e a todos que vem nos prestigiar das várias partes do país e do exterior,” disse Ricardo Acioly, Diretor de Relações do Rio Open.

“O Rio Open e a Claro construíram uma história de sucesso ao longo dos últimos cinco anos. São muitas as características em comum. Assim como a operadora, o torneio está sempre inovando e hoje é um dos maiores do Brasil. Para esta edição, teremos o 4.5G da Claro, com velocidades até dez vezes mais rápidas que o 4G convencional. Quem estiver no Rio Open, que contará novamente com a infraestrutura de serviços de telecomunicações e TI Claro,  vai experimentar toda nossa tecnologia. Este será nosso sexto ano juntos. Temos certeza de que teremos uma edição ainda mais emocionante. E a Claro está orgulhosa por continuar fazendo parte desse momento, pois acredita que o esporte é protagonista na transformação da sociedade”, afirma Paulo César Teixeira, CEO da Claro.

“Para o Santander o tênis, além da sua projeção, representa como poucos atributos que nos são caros, como a técnica, determinação, estratégia e busca da melhora contínua. São por esses valores que nos associamos ao Rio Open, o maior torneio da América do Sul que vem revelando grandes talentos”, afirma Marcos Madureira vice-presidente executivo de Comunicação, Marketing, Relações Institucionais e Sustentabilidade do Santander.

 

Emoção além do saibro

Oferecer o que há de melhor dentro e fora das quadras. Essa é a proposta da organização do Rio Open apresentado pela Claro. Além dos grandes jogos e treinos que acontecem nas nove quadras de saibro− sendo uma delas a arena central, com capacidade para 6.200 pessoas − há uma área interativa de aproximadamente 10 mil m², o Leblon Boulevard. O espaço oferece atrações para o público que for ao Jockey, com stands, lojas e opções entretenimento e gastronomia. A Praça Rio Open conta com shows e um telão gigante.  O torneio promove diversas atrações cuidadosamente elaboradas. Tudo para uma experiência ainda mais exclusiva e memorável.

Seguindo a tendência dos grandes torneios, o Rio Open também conta com a loja com produtos oficias – a La Boutique.

Ao todo, cerca de 50 mil pessoas são esperadas no complexo em 2018. O evento conta com transmissão em HD de todos jogos da quadra central pelo Canal SporTV, além de transmissão internacional para mais de 130 países.

 

Assista o Vídeo do Rio Open 

https://we.tl/t-iKNkLdOJRD

 

 VENDA DE INGRESSOS COMEÇA DIA 7/12 ÀS 12H

O Rio Open apresentado pela Claro terá ingressos à venda a partir do dia 7 de dezembro, às 12h, pelo site www.tudus.com.br/rioopen. As vendas serão feitas online e não haverá cobrança de taxa de conveniência. O pagamento poderá ser feito com cartões de crédito Visa, Mastercard, Elo e Diners com parcelamento em até 4 vezes sem juros.

 

PRÉ-VENDA

Clientes NET, Claro e Santander poderão comprar ingressos na pré-venda, que terá início nesta quarta-feira, dia 28 de novembro, e se encerrará às 10h do dia 7 de dezembro.

 

NET e CLARO
Clientes da NET e Claro, de forma exclusiva, terão 35% de desconto em até 4 ingressos por CPF, para conferir de perto o maior torneio de tênis da América do Sul.  Para efetivar a compra, de 28/11 a 7/12, basta acessar a página www.tudus.com.br/rioopenclaro. Os clientes também poderão comprar entradas com o mesmo desconto após o período de pré-venda, mediante disponibilidade.
 

SANTANDER

 Clientes Santander terão, também de forma exclusiva, 30% de desconto em até 4 ingressos por CPF, para conferir de perto o maior torneio de tênis da América do Sul.  Para efetivar a compra, de 28/11 a 7/12, basta acessar a  página www.tudus.com.br/rioopensantander.  A validação do desconto será feita através do BIN do cartão. Os clientes também poderão compras entradas com o mesmo desconto após o período de pré-venda, mediante disponibilidade.

HORÁRIOS DAS PARTIDAS

De segunda-feira a quinta-feira, serão duas sessões: Sessão 1 com início às 16h30, e Sessão Noite, 19h. Já de sexta-feira a domingo, o torneio terá sessão única. A sessão 1 será composta pelo 1º jogo da Quadra Central e mais todos os jogos das quadras externas. A sessão noite será formada pelos jogos que começam a partir de 19h na Quadra Central, além dos jogos nas quadras externas. Vale destacar que qualquer ingresso dá acesso ao complexo que será montado no Jockey Club Brasileiro, não importa a sessão.

Thiago Wild bate Rafael Matos, é campeão e entra na chave principal do Rio Open

O atual campeão juvenil do US Open, Thiago Wild, conquistou neste domingo a vaga na chave principal do Rio Open, ATP 500 que acontecerá de 16 a 24 de fevereiro no Jockey Club Brasileiro, no Rio de Janeiro. O prêmio foi dado ao campeão da Maria Esther Bueno Cup, evento inédito no Brasil, jogado na Sociedade Harmonia, em São Paulo. Disputada pelos melhores tenistas brasileiros até 23 anos, em sistema Round Robin, reuniu na decisão o gaúcho Rafael Matos e o paranaense Thiago Wild.

Os dois jogadores terminaram na liderança de seus grupos invictos, com três vitórias cada. Matos saiu na frente nos dois sets, mas Wild conseguiu aproveitar as oportunidades para virar e fechar em 6/3 6/4 e garantir a vaga.

“Quero agradecer a todos que estiveram aqui nesses dias, que me apoiaram nos jogos da fase de grupos, quando estava perdendo, e sempre consegui virar. As condições aqui me favoreceram, é bem rápido, e agora é treinar muito para chegar no Rio Open em condições de fazer uma boa semana”, disse Wild após a cerimônia de premiação.

“ Agradeço ao Rio Open por esta oportunidade de disputar essa vaga, e parabéns ao Thiago também pela conquista”, falou Matos.

A Maria Esther Bueno Cup já está garantida para o próximo ano, com o mesmo objetivo, reunir os melhores jogadores da nova geração e premiar o campeão com uma vaga na chave principal do Rio Open. Uma chance única para os tenistas que estão dando os primeiros passos no profissionalismo.

“Tivemos durante quatro dias, os melhores Next Gen brasileiros em quadra, com jogos de alto nível. A Maria Esther Bueno Cup cumpriu seu objetivo de promover, apoiar e dar oportunidade à jovens jogadores, em prol do desenvolvimento do tênis brasileiro. O evento também ajudou a manter viva a memória de nossa maior tenista”, comentou Luiz Carvalho, diretor do Rio Open.

“Plantou-se uma semente para se criar um canal de desenvolvimento do tênis para os mais jovens. Os meninos vieram em peso e o Thiago venceu com mérito, depois de quase perder os jogos na fase de grupos e tem um grande potencial como jogador”, encerrou Ricardo Acioly, diretor de relações do Rio Open e do Instituto RJ de Tênis.

Fotos: Luiz Pires / FotoJump

Cilic confirma o ponto decisivo sobre a França e o bi da Croácia na Copa Davis

Depois do belo desempenho na sexta-feira, a Croácia confirmou neste domingo o título da Copa Davis, principal conflito entre países do tênis.

No saibro indoor de Lille, na França, os donos da casa até renovaram as esperanças com a vitória nas duplas, no sábado, mas Marin Cilic tratou de encerrar o confronto na primeira partida do domingo.

A equipe da casa alterou seu jogador para o primeiro jogo do dia, colocando Lucas Pouille no lugar do experiente Jeremy Chardy, mas mesmo assim não foi o suficiente. O tênis sólido de Cilic foi responsável por uma vitória em sets diretos, com parciais de 7/6(3) 6/3 e 6/3, confirmando o segundo título dos croatas na História da competição.

“Não é todo dia que você se torna um campeão mundial”, disse Cilic. “Para nós, é um sonho que se torna realidade. Nós somos tão apaixonados, você pode ver que os fãs estão se divertindo. Eu sinto que na Croácia isso vai ser incrível também.” concluiu.

Vale notar que, jogando com o apoio de mais de 20 mil torcedores, a França buscava seu 11º título, na última edição da Copa Davis no atual formato.

Matos e Wild disputam vaga na chave principal do Rio Open, neste domingo

A última rodada da Maria Esther Bueno Cup, realizada neste sábado, na Sociedade Harmonia de Tênis definiu os finalistas deste domingo: Thiago Wild e Rafael Matos, os dois primeiros de cada grupo, com três vitórias cada.

No grupo Alcides Procópio, Thiago Wild entrou em quadra dependendo apenas dele mesmo e parecia tranquilo, depois do 6/1 no primeiro set. Mas Orlando Luz resolveu complicar e abriu 5/2. Nesse momento, na quadra 2 João Lucas Reis ganhava de Klier por 6/4 3/0. Se Wild perdesse e Reis ganhasse, quem ia para a final era Luz. Tensão geral, mas Wild buscou o resultado e garantiu sua vaga neste domingo, fechando o segundo set em 7/5. E Reis, levou a virada de Gilbert Klier Jr, com placar de 4/6, 7/5 e 10/3. Klier terminou em segundo no grupo.

O grupo Pedro Bueno foi mais tranquilo. Rafael Matos, líder com duas vitórias, passou sem problemas por Fernando Yamacita, 6/2, 6/0 e se garantiu na final. Felipe Meligeni ganhou de Lucas Koelle por 6/4 6/2 e terminou em segundo lugar.

A grande final do primeiro torneio no Brasil a reunir os melhores jogadores até 23 anos e dar uma vaga na chave principal do Rio Open, acontece neste domingo, às 12 horas, e certamente será a realização de um sonho para um dos dois finalistas.

“Eu gosto dessa pressão que a final trás, é a minha diferença para a maioria dos jogadores que se pressionam muito nas decisões. Para mim, vejo como apenas mais um jogo de tênis dos milhares que farei na minha vida. Entro como se fosse primeira rodada”, disse Wild.

“Agora é tudo ou nada, seria realmente um sonho. Esse ano tive a oportunidade de jogar o qual do ATP de São Paulo, foi meu primeiro ATP e jogar a chave de um 500 seria muito legal”, falou Matos.

Resultados:

Thiago Wild d.Orlando Luz (6/1 7/5

Rafael Matos d. Fernando Yamacita 6/2 6/0

Gilbert Klier Jr d. João Lucas Reis 4/6 7/5 10/3

Felipe Meligeni d. Lucas Koelle 6/4 6/2

Final:

Domingo, 12 h

Thiago Wild x Rafael Matos

Foto: Luiz Pires – Foto Jump