Beatriz Haddad Maia é vice campeã do WTA 1000 de Toronto

Beatriz Haddad Maia encerrou a sua grande semana no WTA 1000 de Toronto. Disputando a final, a brasileira foi superada pela romena Simona Halep, ex-número 1 do mundo, em 6/3 2/6 6/3 e 2h15 de partida, ficando com o vice-campeonato do torneio canadense. A campanha  histórica garantiu Bia na 16ª posição do ranking na próxima atualização.

“Estou feliz com a semana. Acredito que, por mais que hoje não tenha saído o resultado que eu gostaria, desde a primeira rodada eu tentei melhorar o meu tênis, fazer coisas que eu não estava fazendo na semana passada, ser agressiva e acreditar mais em mim. Hoje me custou muito depois do 3/0, joguei pra menos. Foram coisas que eu não estava fazendo nos últimos jogos. Perdi seis games consecutivos e isso me custou caro. Mentalmente foi abaixo do que eu estava apresentando. De qualquer forma, estou feliz com a semana. Fiz coisas positivas que vou levar comigo em toda a minha carreira. Tem dias que a gente ganha e tem dias que a gente aprende. Hoje eu aprendi”, resumiu Bia.

Esta foi a quarta final de simples que Bia disputou na sua carreira. Além de um vice no WTA 250 de Seul em 2017, a brasileira foi campeã nos WTA 250 de Birmingham e Nottingham neste ano.

Em Toronto, a brasileira superou grandes nomes do circuito, derrotando  Iga Swiatek (1ª do ranking), Belinda Bencic (12ª), Leylah Fernandez (13ª), Karolina Pliskova (14ª) e Martina Trevisan (26ª). A campanha garantiu Bia na 16ª posição do ranking na próxima atualização, a melhor colocação de sua carreira, e também marcou a paulistana como a primeira brasileira a disputar um WTA 1000 em simples na história.

“Jogar contra grandes jogadoras num torneio grande era um dos meus objetivos. Cada vez mais estar neste meio, conviver, jogar, competir, ganhar, perder, sentir a pressão e ver o que preciso melhorar… A semana foi muito positiva. Isso só mostra que o nosso dia a dia está sendo muito bem construído, a minha equipe está de parabéns. O meu mental e o meu físico foram exigidos durante toda a semana. Hoje fiquei um pouco insatisfeita, mas agora é pensar no próximo jogo porque amanhã já começa outro torneio”, continuou.

A tenista também destacou o apoio da torcida brasileira: “Fiquei feliz com a torcida. Escutei muita gente chamando o meu nome e me dando força. Não só aqui presente, mas também sei que muita gente em casa estava torcendo por mim. É muito legal ver o pessoal assistindo tênis feminino. Sou muito grata por ser essa mulher que representa o Brasil. Um dos meus objetivos não era ser apenas uma tenista top, mas ser uma top que faz a diferença na vida das pessoas. Espero que eu possa ajudar as crianças a acreditarem nos seus sonhos e nelas mesmas. Se eu estou aqui, elas também podem”, finalizou Bia, que dedicou o trofeu ao pai, em domingo de dia dos pais no Brasil.

O próximo torneio de Bia será o WTA 1000 de Cincinnati, nos Estados Unidos, para onde já está viajando. Lá, a brasileira enfrentará a campeã de Grand Slam Jelena Ostapenko logo na estreia. Nas duplas, a brasileira estará de volta ao lado da cazaque Anna Danilina e enfrentará Chan/Stosur na primeira rodada.

Foto: WTA/Jimmie48

Orlandinho lidera lista de brasileiros na chave principal da etapa de Brasília do Brasil Tennis Classic

As quadras de saibro do Clube do Exército, em Brasília, estão prontas para a disputa do Ano III – Brasil Tennis Classic, torneio chancelado pela ITF com premiação de US$ 15.000 e que reunirá tenistas de todo o planeta. A etapa da capital brasileira tem patrocínio do Banco Santander.

Na lista de inscritos, Orlando Luz aparece como grande favorito ao título em Brasília. Atual número 370 do ranking da ATP, o gaúcho de 24 anos quer aproveitar a oportunidade de jogar em casa para conseguir prolongar seu bom momento no circuito. Ele é o principal cabeça de chave na etapa de Recife do Brasil Tennis Classic e vem embalado de duas finais de ITFs na Macedônia do Norte, em junho, também na terra batida.

“Jogar em casa é sempre bom, não há tantas chances de podermos atuar com nossa torcida. Quero aproveitar essa gira no Brasil para fazer boas semanas. Estou treinando muito bem e me sinto confiante”, disse Orlandinho, 9º melhor tenista do País na atualidade.

O Brasil está representando ainda com mais 10 jogadores na chave principal. São eles: Eduardo Ribeiro, Fernando Yamacita, Nicolas Zanellato, Marcelo Zormann, João Victor Loureiro, Gabriel Ciro da Silva, Gabriel Pascotto Tumasonis, Luis Britto, João Marcos Nusdeo e Matheus Amorim de Lima.

Do grupo dos estrangeiros, os irmãos peruanos Arklon Huertas del Pino e Conner Huertas del Pino também estão entre os favoritos ao título em Brasília, além da disputa em duplas. O argentino Matias Franco Descotte é outro de quem não se pode tirar os olhos, especialmente pela tradição de seu país na modalidade.

A etapa de Brasília do Brasil Tennis Classic tem entrada gratuita ao público no Clube do Exército ao longo de toda a semana. Na segunda-feira (22), a disputa começa com os jogos do qualifying para a definição dos últimos classificados para a chave principal. O Instituto Sports divulgará o nome dos tenistas convidados nos próximos dias.

Veja a lista de dos inscritos para o Ano III – Brasil Tennis Classic – Etapa de Brasília:

  1. Orlando Luz (BRA)
  2. Arklon Huertas del Pino (PER)
  3. Matias Franco Descotte (ARG)
  4. Conner Huertas del Pino (PER)
  5. Ignacio Carou (URU)
  6. Eduardo Ribeiro (BRA)
  7. Antonio Cayetano March (EQU)
  8. Fernando Yamacita (BRA)
  9. Nicolas Zanellato (BRA)
  10. Marcelo Zormann (BRA)
  11. Gonzalo Bueno (PER)
  12. João Victor Loureiro (BRA)
  13. Gabriel Ciro da Silva (BRA)
  14. Gabriel Pascotto Tumasonis (BRA)
  15. Lorenzo Gagliardo (ARG)
  16. Luis Britto (BRA)
  17. João Marcos Nusdeo (BRA)
  18. Matheus Amorim de Lima (BRA)

Serviços:

Ano III – Brasil Tennis Classic – Etapa de Brasília
Data: 22 a 28 de agosto
Sede: Clube do Exército de Brasília
St. De Clubes Esportivos Sul Trecho 2 – Asa Sul
Brasília/DF

Entrada Gratuita

Foto:
João Pires/Fotojump)

Beatriz Haddad Maia vence outra favorita e está na semi do WTA 1000 de Toronto

Beatriz Haddad Maia continua avançando no WTA 1000 de Toronto. Após superar a número 1 do mundo na última rodada, nesta sexta-feira foi a vez de Bia vencer a suíça Belinda Bencic, 12ª do ranking, em 2/6 6/3 6/3 e 2h11 de duração para se garantir na semifinal do torneio canadense. O resultado também coloca Bia no top 20.

“Estou me sentindo muito feliz, é um momento muito especial. A gente trabalha muito duro por muitos anos para viver esses momentos. Estou muito orgulhosa de mim e do meu time. Desde a primeira rodada eu venho tendo momentos difíceis nas partidas, sempre tudo muito disputado. A primeira rodada foi muito difícil mentalmente para mim, lutei muito. No começo da partida de hoje eu estava errando um pouco, mas eu disse para mim mesma para continuar jogando e ser positiva porque uma partida pode mudar muito rápido. Acho que dar mais uma chance para mim mesma foi a chave de hoje e é por isso que estou aqui na semifinal”, disse a brasileira.

A semifinal em Toronto é o maior resultado em simples de Bia em sua carreira, além de também conseguir o feito de ser a primeira brasileira em simples a chegar numa semifinal de WTA 1000. O resultado já garante a paulistana no top 20 da WTA, alcançando o maior posto de sua carreira e quebrando um jejum de 18 anos no tênis brasileiro. O último brasileiro a ser top 20 em simples foi Gustavo Kuerten em 2004.

A partida também foi marcada pelo apoio da torcida brasileira presente em Toronto. “Tinha sempre alguém gritando ‘Vamos, Bia’ e hoje também vi muitas bandeiras do Brasil em quadra. Me sinto muito orgulhosa, é muito especial mostrar pro mundo, pros jovens e pras meninas que sonham com isso que você pode tudo”, continuou.  

Agora, Bia vai enfrentar a ex-número 1 do mundo Karolina Pliskova, neste sábado. As duas já se enfrentaram, com Pliskova vencendo no Australian Open de 2018 e a brasileira levando melhor em Indian Wells, no ano passado.

“É semifinal, então todo mundo está jogando bem e se sentindo confiante. Já joguei contra a Pliskova e ela é muito agressiva. Saca muito bem, é difícil jogar contra tenistas assim. Vou tentar focar mais no meu jogo e analisar o que fiz hoje em quadra para melhorar o meu tênis. É hora de curtir e deixar tudo na quadra”, finalizou Bia.

Foto: WTA/Jimmie48

Gabriela Cé vence de virada e é campeã do IPG Open Feminino, no Rio de Janeiro

A gaúcha Gabriela Cé conquistou neste domingo seu primeiro título ITF W25 da carreira e o primeiro da temporada ao ser campeã do IPG Open Feminino. Na decisão do torneio, na quadra central Thomaz Koch do Paissandu Atlético Clube, a brasileira, cabeça de chave 1 e 322ª no ranking da WTA, derrotou a boliviana Noelia Zeballos Melgar, cabeça e 565ª, por 4/6 7/5 6/3.

Foi uma verdadeira batalha em quadra, que durou 3h30. A boliviana começou melhor na partida, abrindo 3/0. Cé buscou o empate e, depois disso, cada game foi disputado ponto a ponto.

“Hoje eu tive que me superar”, admitiu Cé. “A Noelia esteve muito perto de ganhar, estava jogando em um belo nível. Então tive que tirar um algo a mais, uma combinação de cabeça, coração e tênis que fez a diferença e me levou ao título. Saio daqui com bastante confiança, principalmente mentalmente”, completou a brasileira.

Pela conquista do título, Cé somou 78 pontos no ranking mundial e ganhou uma premiação de US$ 3.935. Já a vice-campeã ficou com 47 pontos e US$ 2.110 em prêmios.

Criado pelo Instituto Próxima Geração como forma de ajudar no fomento e desenvolvimento do tênis brasileiro, o IPG Open Feminino cumpriu o seu papel no Rio de Janeiro. Das 32 tenistas na chave principal, 20 eram brasileiras com algumas delas garantindo seus primeiros pontos no ranking mundial, como a paulista Camilla Bossi e a carioca Sthefany Lima.

Resultados finais:

Simples – Gabriela Cé (BRA) d. Noelia Zeballos Melgar – 4/6 7/5 6/3

Duplas – Thaisa Pedretti (BRA)/Noela Zeballos Melgar (BOL) d. Riya Bathia (IND)/Maria Paulina Perez-Garcia (COL) – 6/3 6/1

O IPG Open Feminino 2022 é apresentado pelo Banco BV, com os apoios de Wilson, Trousseau, Via Mia, Granado Pharmacias, Frescatto, Z2 Foods, Grupo GPS, Minalba e Paissandu Atlético Clube. Chancela – ITF (Federação Internacional de Tênis), CBT (Confederação Brasileira de Tênis e Tênis RJ. Realização – Instituto Próxima Geração.

Foto: Marcello Zambrana/DGW

Melo e Klaasen jogam a final do ATP 250 de Los Cabos, neste sábado, no México

O mineiro Marcelo Melo e o sul-africano Raven Klaasen decidem neste sábado (6) o título do ATP 250 de Los Cabos. Na noite desta sexta-feira (5), a dupla – cabeça de chave número 4 – avançou para a final no México com mais uma ótima atuação, sem dar chances aos adversários, derrotando o argentino Tomas Martin Etcheverry e o taiwanês Chun-Hsin Tseng por 2 sets a 0, com um duplo 6/3, em 1h08min. Na decisão, às 20h30 (horário de Brasília), enfrentarão o norte-americano William Blumberg e o sérvio Miomir Kecmanovic, que venceram os cabeças de chave 1, o mexicano Santiago Gonzalez e o argentino Andres Molteni, por 2 a 1 (3/6, 7/5 e 13-11).

Foram três jogos, três vitórias e nenhum set perdido na quadra dura mexicana nesta semana até agora para o mineiro e o sul-africano. E esta será a 69ª final da carreira de Melo, a quarta nesta temporada, em busca da primeira conquista de 2022. O mineiro tem 35 títulos na carreira, 15 de ATP 250. Melo e Klaasen chegam à segunda decisão juntos no ano – foram vice-campeões no ATP 250 de Newport (EUA), na grama. 

“Foi excelente o jogo. Não pecamos em nada. Conseguimos entrar e imprimir o nosso ritmo, do primeiro ao último ponto, o que foi decisivo. Aproveitamos as chances de break, salvamos os breaks quando sacamos. E é assim que tem de ser, jogando bem nos momentos importantes”, explicou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro e BMG, com apoio da Volvo, Head, Voss e Asics. “Agora é usar esse momento, essa confiança para a final, para tentar levantar o troféu de campeão. Mas muito focados no que temos de fazer. Se continuarmos assim, temos boas chances”, completou.

No primeiro set, Melo e Klaasen aproveitaram a única chance de break que tiveram, no oitavo game, para marcar 5/3 e vencer, na sequência, por 6/3, após uma série muito disputada. No segundo set, a quebra veio no sétimo game, para o mineiro e o sul-africano passarem à frente, 4/3. Com mais um break, no nono game, fecharam em novo 6/3, comemorando a vaga na decisão.

Este é o segundo torneio em quadra dura de Melo e Klaasen, que voltaram a formar dupla neste ano, após duas semanas de parceria em 2015. Disputaram a temporada de grama e, antes de Los Cabos, jogaram no ATP 250 de Atlanta (EUA). Em 2015, conquistaram o Masters 1000 de Xangai, na China, e o ATP 500 de Tóquio, no Japão. 

O mineiro ocupa a 41ª colocação no ranking mundial individual de duplas divulgado na segunda-feira (1º) pela Associação dos Tenistas Profissionais (ATP), com 1.845 pontos. Klaasen, 39 anos, é o atual número 51 do mundo, com 1.475 pontos.

Foto: @AbiertoLosCabos

Orlandinho e João Lucas Reis são favoritos e lideram o país na lista no Brasil Tennis Classic

As quadras de saibro do Recife Tennis Clube recebem a partir do dia 15 de agosto o Ano III – Brasil Tennis Classic, evento chancelado pela ITF com premiação de US$ 15.000 e que reunirá tenistas dos quatro cantos do planeta. A entrada é gratuita para o público da capital pernambucana ao longo de toda a semana. O torneio tem patrocínio do Banco Santander.

O Brasil está garantido na chave principal com seis jogadores, porém a chave também reserva representantes de Argentina, Chile, Uruguai, Colômbia, Equador, Itália, França e Estados Unidos. O principal cabeça de chave será Orlando Luz, atual 375º do ranking da ATP, que vem embalado de duas finais de ITFs na Macedônia do Norte, em junho, no mesmo piso. O gaúcho de 24 anos se vê muito motivado para a série de torneios do Instituto Sports – Recife e Brasília, que começa na semana seguinte.

“É muito legal poder jogar novamente no Brasil, de ter essas oportunidades. Recife, depois Brasília. As expectativas são as melhores possíveis, tentar ser campeão da chave, mas o importante é pensar jogo a jogo para fazer direitinho o que estamos treinando”, declarou Orlandinho, ex-número 1 do mundo e campeão de Wimbledon em duplas no juvenil.

Outro representante do Brasil que promete agitar a torcida em Recife é João Lucas Reis, natural da capital pernambucana. Quinto pré-classificado na chave, o jogador de 22 anos gostou da edição de 2021 e quer fazer história nesta edição.

“Estou bem feliz de poder voltar a jogar na minha cidade. É um torneio muito especial para mim. Minha família e meus amigos vão comparecer. São poucos torneios que eles podem me ver competindo. No ano passado, houve bastante gente que foi para dar uma força, fazer um barulho. Estou muito motivado”, disse Reis, que ocupa a 482ª posição no ranking da ATP.

O torneio tem entrada gratuita ao público no Recife Tennis Clube. Na segunda-feira (15), a disputa começa com os jogos do qualifying para a definição dos últimos classificados para o Brasil Tennis Classic, enquanto que a chave principal está prevista para ter início somente na terça (16). O Instituto Sports divulgará o nome dos tenistas convidados nos próximos dias.

Veja a lista de dos inscritos para o Ano III – Brasil Tennis Classic:

  1. Orlando Luz (BRA)
  2. Alejo Lorenzo Lingua Lavallen (ARG)
  3. Kyle Seelig (EUA)
  4. Matias Franco Descotte (ARG)
  5. João Lucas Reis da Silva (BRA)
  6. Wilson Leite (BRA)
  7. Pedro Sakamoto (BRA)
  8. Marco Brugnerotto (ITA)
  9. Leonardo Aboian (ARG)
  10. Ignacio Carou (URU)
  11. Bastian Malla (CHI)
  12. Eduardo Ribeiro (BRA)
  13. Antonio Cayetano March (EQU)
  14. Fernando Yamacita (BRA)
  15. Thomas Deschamps (FRA)
  16. Alejandro Hoyos Franco (COL)
  17. Alvaro Guillen Meza (EQU)

Foto: João Pires/Fotojump

Gabriela Cé e mais cinco brasileiras estreiam com vitória no IPG Open Feminino no Rio

Principal favorita ao título do IPG Open Feminino – ITF W25, a gaúcha Gabriela Cé, 322ª no ranking da WTA, estreou com vitória, nesta quarta-feira, no Paissandu Atlético Clube, no Rio de Janeiro. Cé venceu a norte-americana Sabastiani Leon, 913ª, por 6/1 6/2.

“Estreia é sempre complicada, mas tive uma boa atuação nas condições que tenho hoje e lidei bem com as situações adversas. Agora é pensar um dia de cada vez, sempre buscando evoluir no dia seguinte e vamos por mais”, disse Gabi, que encara nas oitavas a argentina Maria Victoria Burstein.

Outras cinco brasileiras também avançaram às oitavas de final nesta quarta-feira. A gaúcha Nicole Serraglio, ainda sem ranking da WTA, vem surpreendendo no torneio. Passou o qualifying e conquistou sua primeira vitória em uma chave profissional ao derrotar a carioca Ana Rosa Klabin, por 6/2 6/0. Camilla Bossi, Luiza Fullana, Catarina Melleiro e Júlia Konishi também venceram.

“Eu estava nervosa, bem ansiosa para jogar. Tentei me manter concentrada para fazer o meu jogo, perdi um pouco o foco, mas consegui voltar, imprimir o meu ritmo e seguir firme”, afirmou Nicole, que enfrena na próxima rodada a peruana Romina Ccuco, cabeça 7. “Será um jogo duro, alto nível. Espero fazer um bom jogo e dar o meu melhor. Quero muito ganhar, seguir adiante e aproveitar ao máximo esse torneio”, completou.

O IPG Open Feminino distribui uma premiação total de US$ 25 mil, além de pontos no ranking mundial da WTA (Associação das Tenistas Profissionais).

Resultados desta quarta-feira:

Nicole Serraglio (BRA) d. Ana Rosa Klabin (BRA) – 6/2 6/0

Ana Sofia Sanchez (MEX) d. Gabriela Felix (BRA) – 6/1 60

Gabriela Cé (BRA) d. Sabastiani Leon (USA) – 6/1 6/2

Camilla Bossi (BRA) d. Tiziana Rossini (ARG) – 7/5 6/2

Luiza Fullana (BRA) d. Bianca Bernardes (BRA) – 4/6 6/1 6/2

Rushri Wijesundera (USA) d. Maria Mauad (BRA) – 6/1 6/1

Maria Victoria Burstein (ARG) d Paola Dalmônico (BRA) – 6/7 6/3 4-0 ret

Noelia Melgar (BOL) d. Maria Carolina Turchetto (BRA) – 6/0 6/3

Julia Konishi (BRA) d. Meisha Kendall-Woseley (USA) – 6/7 6/3 6/2

Maria Perez-Garcia (COL) d. Maria Luisa Oliveira (BRA) – 6/1 6/3

Catarina Melleiro (BRA) d. Helena Bueno (BRA) – 6/3 6/3

Programação desta quinta-feira:

Quadra Central – Thomaz Koch

10h

Thaisa Pedretti (BRA) x Sthefany Lima (BRA)

A seguir

Ana Candiotto (BRA) x Ana Sofia Sanchez (MEX)

Não antes das 13h

Gabriela Cé (BRA) x Maria Victoria Burstein (ARG)

Quadra 1

10h

Camilla Bossi (BRA) x Rushri Wijesundera (USA)

A seguir

Julia Konishi (BRA) x Riya Bhatia (IND)

Não antes das 13h

Noelia Melgar (BOL) x Catarina Melleiro (BRA)

Quadra 2

10h

Romina Ccuno (PER) x Nicole Serraglio (BRA)

A seguir

Luiza Fullana (BRA) x Maria Paulina Perez-Garcia (COL)

Foto: Marcello Zambrana/DGW

Bruno Soares embarca para gira da América do Norte, de olho no US Open

Bruno Soares está nos momentos finais de sua preparação para a gira norte-americana. Com viagem marcada para esta quinta-feira, o mineiro partirá para os Estados Unidos, onde retornará às quadras após algumas semanas se recuperando da série de torneios na Europa e treinando no Brasil.

“Essa é a minha gira favorita do calendário, sem dúvida nenhuma. Tive muito sucesso no passado. Já fui campeão pelo menos uma vez em todos esses torneios, então me traz boas memórias, boas energias e muita expectativa”, disse Bruno.

O brasileiro começará pelo ATP 500 de Washington, que terá início no dia 1º de agosto. Depois, Bruno irá para o Masters 1000 de Montreal, no Canadá, e para o Masters 1000 de Cincinnati, nos Estados Unidos, antes da disputa do US Open.

“Eu tenho um caminhão de pontos para defender no US Open. Preciso aproveitar que, por causa da apendicite que tive no ano passado, acabei não jogando os torneios preparatórios. É ir pra somar, tentar defender esses pontos e ir em busca de um grande resultado na gira”, finalizou.

Em 2021, Bruno Soares sofreu com uma apendicite quando estava a caminho dos Jogos Olímpicos de Tóquio e precisou passar por uma operação. Na recuperação, o mineiro ficou de fora do circuito durante toda a gira preparatória do US Open, voltando a disputar torneios justamente no Grand Slam nova iorquino. Lá, Bruno e seu parceiro da época, o croata Mate Pavic, foram vice-campeões, caindo para Ram/Salisbury na decisão.

Foto: FotoJump

Monteiro perde na estreia em Kitzbuhel, mas deve avançar mais no ranking

Thiago Monteiro foi superado na primeira rodada do ATP 250 de Kitzbuhel, na Áustria, torneio que é disputado no saibro.

O brasileiro perdeu para o tcheco Jiri Lehecka, em sets diretos, com parciais de 7/6(6) e 6/4.

Vale destacar que Monteiro chegou nesta semana ao melhor ranking da carreira até o momento, ocupando o 67º posto, ficando pela primeira vez no top-70 da ATP. E apesar da eliminação em Kitzbuhel, ele tem chances de subir um pouco mais no ranking na próxima atualização, ficando mais perto do top-60.

Quem também estreou nesta segunda-feira, sendo eliminado na estreia, foi Daniel Dutra da Silva, que perdeu na última rodada do qualifying, mas entrou como lucky-loser.

O brasileiro foi superado pelo local Filip Misolic, também em sets diretos, com parciais de 6/2 e 7/6(6).

Foto: Federação Portuguesa de Tênis

Daniel Dutra da Silva leva virada na rodada final do quali de Kitzbuhel. Monteiro enfrenta tcheco na estreia

Daniel Dutra da Silva foi superado na rodada final do qualifying do ATP 250 de Kitzbuhel, na Áustria, que é disputado no saibro.

Neste domingo, o brasileiro até saiu na frente do argentino Hernan Casanova, mas acabou levando a virada na partida que teve parciais de 1/6 7/6(3) e 6/1.

Quem já está garantido na chave principal do torneio austríaco é Thiago Monteiro, que fará sua estreia diante do tcheco Jiri Lehecka, número 65 do mundo, em confronto que será inédito.