Mineiro e paulista vencem o Rendez Vous a Roland Garros

O catarinense Mateo Reyes – cabeça de chave 1 – e a paulista Ana Paula Melilo – cabeça 3 – são os campeões do Roland-Garros Junior Wild Card Competition by Longines, que terminou neste domingo (15), no Pampulha Iate Clube (PIC), em Belo Horizonte (MG). Na final, Mateo venceu o paulista Rafael Silva por 2 sets a 1, parciais de 4/6, 6/3 e 7/6 (7-5), e Ana Paula derrotou a goiana Lorena Cardoso, por 2 a 0 – 6/2 e 6/2.

Os campeões Mateo e Ana Paula garantiram vaga no qualifying juvenil de Roland-Garros, no final de maio, em Paris, na França. Eles jogarão o quali com os vencedores dos torneios Roland-Garros Junior Wild Card Competition, em parceria com a Longines, da Índia e da China – que tiveram seletivas disputadas simultaneamente à do Brasil. Quem ficar com o título entre os países entra direto na chave principal juvenil de Roland-Garros.

O PIC teve um dia de fortes emoções, que foram do riso da paulista Ana Paula, ao choro de Mateo, equatoriano, nascido em Quito, que tem dupla nacionalidade – seu pai, o arquiteto Carlos Reyes, nasceu no Equador, enquanto a mãe, a nutricionista Geysa, é brasileira.

Mateo, 17 anos, derrotou Rafael, de 16 anos, na partida mais longa e emocionante da competição. “Foi um jogo muito difícil e disputado. Cheguei a pensar que perderia, quando ele abriu 5/2 no terceiro set. Mas nada está, nunca, perdido. Corri atrás, consegui empatar e venci no tie-break. Estou muito feliz, pois vou a Roland-Garros. É como um sonho. Não pensava que isso pudesse acontecer tão cedo na minha carreira”, comemorou.

Ele joga por Santa Catarina, estado onde mora, e começou no tênis apenas aos 10 anos, ainda em Quito. “Morávamos lá. Quando fiz 11 é que viemos para o Brasil, para Florianópolis. Acabei indo jogar longe de casa, em Itajaí. Como estava dando certo, fui estudar lá também. Mudei para Itajaí, enquanto meus pais ficaram em Florianópolis. Mas lá consegui evoluir e chegar no nível em que estou hoje”, explicou.

Para Mateo, Roland-Garros, até este domingo, era muito distante. “Eu sonhava, desde que comecei, a ser um jogador de tênis. Mas o mais perto que cheguei de um Grand Slam foi pela televisão. Ficava assistindo, aliás, assisto a todos os torneios que posso. Agora vou a Paris e jogar em Roland-Garros. É um sonho”, completou.

No feminino, o sonho virou realidade para Ana Paula – A final feminina foi a primeira a ser disputada neste domingo. Tanto para a paulista Ana Paula Melilo, de 17 anos, como para a goiana Lorena Cardoso, de 14 anos, a chance de viver um sonho e realizá-lo, pois em jogo estava a oportunidade de ir a Paris, ali, bem pertinho, a uma partida. Ana Paula conseguiu tornar seu sonho realidade. E teve motivos para festejar, pois a mãe, Rita Cavalcante, saiu de São Paulo para Belo Horizonte, para torcer para a filha. “É emoção demais”, garantiu.

A vitória veio, segundo ela, pelo planejamento. “Tracei um plano, uma estratégia. Tinha de manter a minha rival no fundo de quadra. Se a deixasse subir à rede ou movimentar-se, estaria em apuros. Hesitei em alguns saques, mas consegui equilibrar novamente e, assim, cheguei à vitória e estou em Roland-Garros. Nunca havia pensado nessa possibilidade até agora”, comemorou.

Ana Paula analisa sua campanha dizendo que passou do nervosismo à tranquilidade para chegar ao título e à vaga. “No primeiro jogo, eu estava muito nervosa, pelo nível e importância do torneio. Mas tinha de dar uma resposta a mim mesma. Depois disso, fui crescendo jogo a jogo e consegui o meu principal objetivo. Agora é pesquisar quem serão minhas adversárias, mas antes, quero aproveitar, muito, essa vitória”.

O torneio, disputado desde quinta-feira (12), no PIC, teve a participação de 32 tenistas juvenis, até 18 anos, vindos de oito estados do País e do Distrito Federal. Realizado em conjunto pela Confederação Brasileira de Tênis e a Federação Francesa de Tênis, o Roland-Garros Junior Wild Card Competition by Longines contou com representantes do Amazonas, Ceará, Goiás, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo e do Distrito Federal.

Foto: Marcelo Zambrana – divulgação

João Ferreira e Nathalia Gasparin vencem o Rendez Vous a Roland Garros

O Rendez-Vous à Roland-Garros concluiu neste domingo a sua terceira edição com a paranaense Nathalia Gasparin e o mineiro João Ferreira conquistando o título e a ida a Paris para encarar nos dias 26 e 27 de maio os campeões de China, Coreia do Sul, Estados Unidos, Índia e Japão em busca de uma vaga na chave principal do torneio juvenil de Roland-Garros.

João Ferreira e Nathalia Gasparin vencem o Rendez Vous a Roland Garros

Nathalia Gasparin garantiu o troféu do Rendez-Vous à Roland-Garros e a ida a Paris ao vencer a também paranaense Vitória Okuyama, sua parceira de duplas e companheira de treinos no Clube Curitibano, com parciais de 6/0 6/4.

Em um duelo que é frequentemente equilibrado, Nathalia conseguiu ter o controle da partida desde o primeiro set e aproveitou as chances que teve para levar vantagem. “Eu comecei super concentrada, focada já ponto a ponto, super determinada. Joguei super bem o primeiro set, não estava errando nada. O segundo foi mais duro, mas me mantive sempre focada e estou muito feliz pela minha vitória”, afirmou a campeã.

Depois de evitar até a final falar sobre a possibilidade de ir a Roland-Garros, com a vitória ela pôde finalmente comemorar a ida à França. “Agora posso falar que vou. É uma oportunidade única, vou tentar dar o meu máximo lá também igual eu fiz aqui e tomara que eu consiga ganhar lá também. Nunca fui e a expectativa para conhecer é grande!”, finalizou.

João Ferreira conseguiu o título ao vencer o brasiliense Gilbert Klier Junior, cabeça de chave número 2, por 2 sets a 1, com parciais de 7/6(6) 0/6 6/2. “Estou feliz em ganhar o Rendez-vous à Roland-Garros aqui em Floripa, foi uma semana incrível, consegui jogar muito bem, foi um jogo bem duro, comecei perdendo, mas estava com um jogo bem sólido e consegui virar. O terceiro set foi bem duro, meu físico prevaleceu durante o jogo também, estou muito feliz. Foi uma semana com gostinho diferente por ser RolandGarros, serve como um  motivo a mais para eu continuar treinando e chegar em Roland-Garros melhor do que eu estava aqui”, disse emocionado João Ferreira.

A decisão do terceiro lugar, que serve para definir a substituição em caso de o tenista não poder ir ou entrar diretamente na chave juvenil de Roland-Garros, foi vencida pelo carioca Christian Oliveira no masculino e pela paulista Alexandra Silva.

A cerimônia de premiação do torneio, logo após as finais, contou com a presença do  o tricampeão de Roland-Garros, Gustavo Kuerten. Guga destacou que a sua primeira conquista de Roland-Garros foi na chave juvenil do grand slam parisiense, em 1994, ao lado do equatoriano Nicolas Lapentti. “Para essa garotada isso aqui é fundamental, pois o dia a dia deles é difícil, é duro. Tem toda a simbologia, o sonho de Roland-Garros, é um estímulo, mais gasolina para voltar para as quadras e uma esperança e tanto para quem vai, quem experimenta esse gostinho de saborear Roland-Garros. Os garotos precisam disso para sobreviver, para suportar os técnicos no dia a dia, ter empenho dentro da quadra, nos estudos, essa fase de 15, 16, 17 e 18 anos começa a afunilar, é difícil, pelo menos aqui é uma sobremesa que eles podem sentir o gostinho e levar para casa”, disse Guga Kuerten.

Rendez-Vous à Roland-Garros: Esta foi a terceira edição do torneio no Brasil. Foram quatro dias de jogos, com 32 tenistas juvenis dando o seu melhor em busca da conquista que premia o melhor menino e a melhor menina para jogar em Paris a “Final entre as Nações”. Nas duas primeiras edições foram dois brasileiros que ganharam a final entre as nações masculina, nas quadras de saibro de Paris e entraram na chave principal de Roland-Garros Junior: Rafael Wagner (2016) e Gabriel Decamps (2015). Este último, Gabriel, após a oportunidade de jogar Roland-Garros Junior obteve um crescimento em sua performance, chegando a Top 17 do mundo e neste ano de 2017 terá ranking para entrar diretamente da chave principal do grand slam juvenil parisiense.

“O torneio foi muito importante para a minha carreira. É um torneio justo e importante para achar novos talentos. Gostaria de agradecer e parabenizar a CBT e a FFT pela iniciativa”, fala Rafael Wagner, vencedor da final das nações em 2016.

Pela primeira vez em Florianópolis, ele comemorou a passagem dos 20 anos da primeira conquista de Gustavo Kuerten em Roland Garros. Foi na quadra 7 do Lagoa Iate Clube que Guga fez o seu último treino antes de embarcar para Paris, para se consagrar pela primeira vez o campeão de Roland-Garros, em 1997.

Neste ano foi criado, pela primeira vez, para a classificação, o “Road to Rendez-Vous à Roland-Garros”, com os rankings do Circuito Centro-Oeste, Circuito Paulista, Circuito Rota do Sul, Circuito Sudeste e Circuito Sul-Brasileiro.

O Circuito Regional aconteceu no mês de janeiro e a disputa foi equilibrada. Tenistas de vários estados participaram em busca da liderança no ranking da categoria 18 anos, sendo que no Centro-Oeste e Rota do Sol, a classificação feminina se deu pelo ranking de 16 anos. Os rankings contaram apenas os resultados de simples de cada torneio e no Sudeste foi usada a pontuação de duplas para desempate.

O Brasil em Roland-Garros Junior:

A tradição do tênis profissional brasileiro em Roland-Garros também se estende na chave juvenil do grand slam. Um levantamento feito pela Confederação Brasileira de Tênis mostra que desde Guga Kuerten, que foi campeão em duplas juntamente com o equatoriano Nicolas Lapentti em 1994 na chave juvenil do torneio, mais onze tenistas brasileiros chegaram às semifinais ou quartas-de-finais das disputas juvenis de Roland-Garros Junior: Flávio Saretta em 1998, a dupla Thiago Alves e Bruno Soares em 2000, Fernando Romboli em2007, Guilherme Clezar em 2009, Tiago Fernandes em 2010, Thiago Monteiro em 2012, Bia Haddad Maia em 2012 e 2013, Marcelo Zormann, Luiza Stefani, Orlando Luz e João Menezes em 2014 e Orlando Luz em 2016. Além disso, dois tenistas brasileiros da categoria de base foram campeões da Final entre as Nações do “Rendez-vous à Roland Garros”: Rafael Wagner (em 2016) e Gabriel Decamps (em 2015), sendo que Decamps agora em 2017 terá ranking para entrar diretamente na chave principal do grand slam francês.  Este torneio é promovido no Brasil pela Federação Francesa de Tênis e pela Confederação Brasileira de Tênis no Brasil, dando oportunidade dos vencedores disputarem em Paris, com tudo pago, a final entre as Nações, cujos campeões da categoria feminina e masculina garantem a entrada direta na chave principal de Roland Garros Juvenil.

Principais conquistas do Brasil em Roland Garros Junior:

2016 – Rafael Wagner ganhou a final entre as Nações do Rendez-vous à Roland Garros e entrou na chave principal do grand slam juvenil.

2016 – Orlando Luz/ Yunseong Chung (KOR) – Vice-campeões

2015 – Gabriel Decamps ganhou a final entre as Nações do Rendez-vous à Roland Garros e entrou na chave principal do grand slam juvenil. Após isso sua carreira deslanchou e chegou a Top 15 do ranking mundial juvenil (ITF)

2014 – Orlando Luz – Semifinalista

– Orlando Luz/João Menezes – Semifinalistas

– Luiza Stefani/Renata Zaragua (MEX) – Semifinalistas

– Marcelo Zormann – Quadrifinalista

2013 – Bia Hadad Maia/Domenica Gonzalez (ECU) – Vice-Campeãs

2012 – Bia Hadad Maia/Montserrat Gonzalez (PAR) – Vice-campeãs

– Thiago Monteiro/Gianluigi (ITA) Semifinalista

2010 – Tiago Fernandes – Quadrifinalista

2009 – Guilherme Clezar/Liang-Chi Huang (CHI) – Vice-campeões

– Guilherme Clezar – Quadrifinalista

2007 – Fernando Romboli – Quadrifinalista

2000 – Thiago Alves/Bruno Soares – Semifinalistas

1998 –Flávio Saretta – Quadrifinalista

1994 – Gustavo Kuerten/Nicolas Lapentti (ECU) – Campeões

Sobre Roland-Garros

Os adeptos do desporto e do público em geral têm ido se deliciar em Roland-Garros. Cerca de 455 621 espectadores foram ao prestigiado Aberto da França em 2016, e o torneio também foi transmitido em mais de 220 territórios em todo o mundo, tornando-se um evento de importância verdadeiramente global. Roland-Garros é dirigido pela Federação Francesa de Tênis e realizado a cada ano no Porte d’Auteuil em Paris. É o único Grand Slam a ser jogado em saibro – uma das superfícies mais antigas e nobres da história do tênis.

Lucas Koelle e Marcelle Cirino vencem o Rendez Vous à Roland Garros em SP

O segundo torneio de tênis Rendez-Vous à Roland-Garros em parceria com a Longines no Brasil, terminou neste domingo, com  Marcelle Cirino e Lucas Koelle, como campeões. Eles irão a Paris, França, disputar uma vaga na categoria juvenil do Grand Slam.

Lucas Koelle e Marcelle Cirino vencem o Rendez Vous à Roland Garros em SP

As partidas foram rapidamente decididas entre as finalistas Marcelle Cirino e Rafaela Santos, com dois sets, 7×5 e 6×1. A final masculina entre Lucas Koelle e Rafael Wagner também teve um rápido desfecho, pontuando dois sets de 6×0 e 6×2.

O evento reuniu 32 atletas que concorreram na categoria juvenil do Grand Slam francês.

Definidos os finalistas do Rendez Vous à Roland Garros, em SP

Com a realização das semifinais do torneio Rendez-Vous à Roland-Garros em parceria com a Longines, ocorridas neste sábado, dia 09, quatro jovens atletas mantêm o sonho do título e a consequente vaga para Paris.

Definidos os finalistas do Rendez Vous à Roland Garros, em SP

A final feminina será entre Rafaela Santos, que venceu Vitoria Okuyama (6/2 3/6 6/4), contra Marcelle Cirino, ganhadora do confronto contra Georgia Gulin (3/6 7/5 6/0). No masculino, Lucas Koelle, vencedor do duelo contra Gabriel Bugiga (6/4 6/3), joga contra Rafael Wagner, que passou por Thiago Wild (6/4 7/6).

As finais ocorrem neste domingo, dia 10, em SP. Os campeões garantem vagas para representar o Brasil no Rendez-Vous à Roland-Garros em parceria com a Longines em Paris, que será realizado entre os dias 20 e 21 de maio, classificando seus campeões para a versão juvenil de Roland-Garros.

Taças de Roland Garros estarão no Itaquerão neste domingo

As taças originais de Roland-Garros estarão expostas na entrada Oeste da Arena Corinthians amanhã, dia 10, das 14 horas até o início do jogo, podendo ser vistas e fotografadas pelos torcedores que têm acesso a esta área. Os exclusivos itens, que podem ser tocados apenas pelos ganhadores do Grand Slam Francês  acompanharão a rodada na área VIP.

Taças de Roland Garros estarão no Itaquerão neste domingo

A visita das taças faz parte de ação da Confederação Brasileira de Tênis e da Federação Francesa de Tênis, que organizam o Rendez-Vous à Roland-Garros em parceria com a Longines – torneio que levará seus campeões a Paris na busca por uma vaga na versão juvenil do Grand Slam francês.

Serviço: Exposição das Taças de Roland-Garros
Onde: Arena Corinthians (entrada Oeste)
Quando: Domingo, dia 10, a partir das 14 horas.