João Menezes conquista seu 1º título de Challenger na carreira e chega ao seu melhor ranking

Entre a madrugada e a manhã deste domingo, o tênis brasileiro acordou com o primeiro título de Challenger da carreira de João Menezes, no saibro de Samarkand, no Uzbequistão.

Primeiro, o brasileiro completou a semifinal contra o indiano Sumit Nagal, que havia sido interrompida pela chuva, no sábado.

Vencendo o 3º set por 4/3, Menezes logo conseguiu uma quebra e logo depois confirmou a vitória com parciais de 5/7 6/4 e 6/3.

Depois, ele encarou a final diante do francês Corentin Moutet, nº 123 do mundo. Em dois sets muito equilibrados, Menezes anotou uma bela vitória em dois tiebreaks, 7/6(2) e 7/6(7), conquistando o título mais importante da sua carreira até o momento.

Com isso, ele deve subir quase 70 posições no ranking da ATP, chegando ao seu melhor posto, dentro do top-290.

Há 20 anos Guga se tornava o Rei de Roma ao vencer Rafter na final

E 20 anos atrás Guga se tornava o Rei de Roma. Conquistava o 5o. título da carreira, o segundo super 9, voltavao ao top 10 e se tornava o único tenista da temporada a ter 2 títulos de Super 9 (o outro era o de Monte Carlo).

Antes de chegar à final para enfrentar Patrick Rafter, Guga teve que vencer Fernando Vicente, Francisco Clavet, Yevgeny Kafelnikov, Karol Kucera e Alex Corretja pelo caminho.

Nos dois anos seguintes ele também chegaria à final, sendo vice-campeão, perdendo para o Norman e o Ferrero.

Vamos lembrar como foi a final de 99 no Foro Itálico.

GUGA É CAMPEÃO EM ROMA

Com mais uma brilhante apresentação neste domingo, Gustavo “Guga” Kuerten conquistou o título do Super 9 de Roma, o segundo da temporada e o quinto de sua carreira, ao derrotar o australiano Patrick Rafter, 4o. colocado no ranking mundial, por 3 sets a 0, parciais de 6/3 7/5 7/6(6), em 2h38min de jogo, na quadra central do Foro Itálico Romano.

Guga, 14o., começou firme na partida, como queria, para impressionar o adversário, adepto de um jogo de saque e voleio. Saiu devolvendo muito bem o serviço de Rafter, bi-campeão do U.S. Open e passando o australiano na rede, várias vezes. Só no primeiro game, foram três passadas de Guga, que logo quebrou o serviço de Rafter. Guga repetiu a quebra no 3×1, perdeu o seu saque no 5×2, mas na segunda chance que teve de sacar e fechar o set, marcou 1×0 com uma direita para fora de Rafter. Na segunda série, Rafter chegou a cair no chão para tentar pegar uma cruzada de Guga, que quebrou o serviço do australiano no 3×3, perdeu o seu no 5×4, recuperou a quebra em seguida e no 6×5, fez 2 sets a 0, com um bonito smash no meio da quadra. Na terceira série, o jogo seguiu sem quebras até o tie-break, quando no 6×6, depois de ter perdido um match point no saque de Rafter, Guga conseguiu um mini-break e com uma perfeita esquerda paralela ergueu os braços e comemorou a conquista de um dos torneios mais importantes do mundo.

Durante a partida, Guga marcou 08 aces, não cometeu duplas-faltas, teve 58% de aproveitamento do primeiro serviço e venceu 79% dos pontos com o primeiro saque.

“Foi show,” comemorou Guga. “Comecei do jeito que eu queria, jogando bem pra caramba e o cara já sentiu que eu estava firme desde o começo. Aí, fui mantendo o mesmo ritmo forte, acho até que perdi umas oportunidades no segundo set, mas fui lá no tie-break, continuei firme e ganhei num final dramático,” disse Guga, que durante a semana ganhou de três jogadores top 10, incluindo Yevgeny Kafelnikov, o número um do mundo. “É mais um título importantíssimo para mim. Fiz uma excelente campanha aqui, ganhei jogos muito bons, de três top 10 e do número um do mundo. Foi uma semana e tanto,” completou Guga, que dedicou o título ao técnico Larri Passos, em seu discurso, em italiano, na cerimônia de premiação. “Dedico esse título ao meu técnico, a pessoa mais importante para a minha carreira. Cheguei meio cansado no começo da semana e ele fez tudo perfeito para eu ganhar esse torneio.”

O Super 9 de Roma é o quinto título da carreira de Guga, que coleciona os troféus de Roland Garros (97), Stuttgart (98), Mallorca (98) e Monte Carlo (99). Em torneios da série Challenger, Guga foi campeão em Campinas (96) e Curitiba (97), torneio realizado na mesma semana do Super 9 de Roma, que culminou com a conquista do título de Roland Garros, três semanas depois. O tenista tem agora o recorde de cinco vitórias e duas derrotas em finais, tendo perdido os troféus do Super 9 de Montreal, em 97 e do ATP Tour de Bolonha, no mesmo ano.

Com a melhor campanha da temporada na ATP, Guga já marca 28 vitórias e 10 derrotas e é o único tenista do ano a ter conquistado dois títulos de Super 9, a série de torneios mais importante depois do Grand Slam.

TOP 10 – A vitória em Roma, onde já havia sido semifinalista em 98, garantiu ao brasileiro um lugar de volta ao grupo dos 10 melhores do mundo. Segundo o diretor de comunicações da ATP Tour, Nicola Arzani, Guga aparecerá, na segunda-feira, na 9a. posição e já tem garantida a condição de cabeça-de-chave em Roland Garros, que começa no dia 24 de maio, embora os cabeças só sejam divulgados oficialmente no início da semana. Guga marcou 594 pontos, mas teve descontados de seu ranking os 186 do ano passado, somando no total 2441 pontos. “Estou de volta no top 10. Eu estava esperando, mas também não estava com aquela ansiedade. Veio em boa hora.”

Djokovic salva match-point e vai à semi em Roma. Federer desiste e não entra em quadra

Depois da chuva da quarta-feira e da intensa rodada da quinta, o Masters 1000 de Roma conheceu nesta sexta-feira os seus semifinalistas.

Uma frustração do dia foi a desistência de Roger Federer, que nem chegou a entrar em quadra contra o grego Stefanos Tsitsipas, que garantiu sua vaga na semi.

Seu avdersário será o espanhol Rafael Nadal, que teve mais uma atuação muito sólida na semana, dessa vez contra o compatriota Fernando Verdasco, vencendo por 6/4 e 6/0.

Na grande partida do dia, Novak Djokovic chegou a salvar match-points diante do argentino Juan Martin Del Potro, mas foi buscar a virada com parciais de 4/6 7/6(6) e 6/4, e agora terá pela frente o argentino Diego Schwartzman, que eliminou o japonês Kei Nishikori por 6/4 e 6/2.

Melo e Kubot buscam vaga na decisão do Masters 1000 de Roma neste sábado

Um jogo difícil, definido apenas em um disputado match tie-break. Foi assim a vitória desta sexta-feira (17), que garantiu a vaga na semifinal do Masters 1000 de Roma para o mineiro Marcelo Melo e o polonês Lukasz Kubot. Cabeças de chave número 1, Melo e Kubot derrotaram o finlandês Henri Kontinen e o australiano John Peers (cabeças 8) por 2 sets a 1, parciais de 6/2, 6/7 (1-7) e 10-6, em 1h33min, para avançar no torneio. Neste sábado (18), em busca da vaga na decisão, enfrentam os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah (3), que derrotaram os irmãos norte-americanos Bob e Mike Bryan (7) também por 2 a 1 – 7/6 (7-2), 4/6 e 16/14. O jogo será por volta das 17h30 (horário de Brasília), na quadra central do Foro Itálico.

“Mais uma vez muito feliz com a maneira como jogamos. Foi um belo jogo de duplas. Os quatro estiveram muito bem. Conseguimos atuar no mais alto nível durante a partida inteira e imprimir um ritmo melhor da metade do match tie-break para o final. Dá mais confiança ainda sabendo que podemos recuperar, caso não comece bem um match tie-break. Ficamos contentes de ter lutado até o fim e vencido o jogo de hoje, que era importante para nós. Agora é ir com tudo amanhã (sábado) na semifinal, contra a dupla Cabal e Farah”, disse Melo.
Kontinen e Peers chegaram às quartas de final nesta sexta sem precisar entrar na quadra – ganharam por wo da dupla formada pelos argentinos Guido Pella e Diego Schwartzman – e foram dominados no primeiro set por Melo e Kubot, que aproveitaram as chances de break e, com duas quebras, no quinto e no sétimo games, venceram por 6/2.

O segundo set foi bem mais equilibrado. No oitavo game, Kontinen e Peers conseguiram o break e, com isso, abriram 5/3, sacando na sequência para o set. Mas, Melo e Kubot devolveram a quebra. Com o jogo igual, a decisão ficou para o tie-break, quando foi a vez dos adversários dominarem, ganharem a série por 7/6 (7-1) e levarem a decisão para o match tie-break.

Kontinen e Peers mantiveram o ritmo e começaram o match tie-break na frente, abrindo 3/0. Melo e Kubot reagiram, 3-3. A partir daí, com perdas de serviço das duas duplas, equilíbrio até o 7-6, quando os cabeças de chave número 1 fizeram três pontos seguidos para confirmar seu favoritismo e fechar em 10-6.

Melo e Kubot estão disputando quatro torneios antes de Roland Garros, o segundo Grand Slam do ano, marcado para o dia 26 deste mês, em Paris, na França, e que encerra a gira no saibro europeu: Masters 1000 de Monte Carlo, ATP 500 de Barcelona, Masters 1000 de Madri e Masters 1000 de Roma. Nos três primeiros chegaram até as quartas de final, mesmo resultado do ano passado na Itália.

Menezes vence a 2ª em Challenger no Uzbequistão. Monteiro joga nesta 5ª feira na Alemanha

João Menezes já conseguiu sua segunda vitória no Challenger de Samarkand, no Uzbequistão, que é disputado no saibro.

Nesta quarta-feira, o brasileiro superou na segunda rodada o cazaque Aleksandr Nedovyesov, em sets diretos, com parciais de 6/1 e 6/4. Nos dois jogos até o momento, Menezes perdeu um total de 6 games.

Agora, ele terá pela frente, já nesta quinta-feira, o também cazaque Denis Yevseyev, nº 310 do mundo, em confronto que será inédito e que vale vaga nas quartas de final.

Também nesta quinta, mas pelas oitavas do Challenger de Heilbronn, no saibro, Thiago Monteiro enfrenta o belga Arthur De Greef. Os dois já se enfrentaram uma vez, foi neste ano, pela Copa Davis, com vitória do brasileiro.

Bellucci intensifica recuperação mas não joga Roland Garros

O tenista brasileiro Thomaz Bellucci está intensificando a recuperação no tornozelo esquerdo. Com horas intensas entre musculação, natação, fisioterapia e exercícios físicos, Bellucci está evoluindo, mas não disputará o qualifying do torneio de Roland Garros na semana que vem.

“A recuperação está indo bem, mas seria muito precoce voltar a jogar em Roland Garros na outra semana. Quero voltar quando estiver 100% e sem muitas dúvidas. Ainda não definimos o calendário, mas estou fazendo tudo o que está ao meu alcance para voltar ao circuito o quanto antes,” disse o brasileiro que está fazendo a recuperação na capital paulista.

Bellucci sofreu uma entorse moderada do tornozelo esquerdo no dia 25 de abril, durante o jogo contra o alemão Oscar Otte, no Challenger de Francavilla, na Itália. O tenista foi examinado pelos médicos locais e fez exames de imagens que diagnosticaram uma entorse moderada.

Diana Gabanyi

Melo e Kubot sobem no ranking e avançam para as oitavas de final do Masters 1000 de Roma

O dia foi de subida no ranking e vitória para o mineiro Marcelo Melo e o polonês Lukasz Kubot. Marcelo ganhou três posições e aparece agora em quarto lugar no ranking mundial individual de duplas divulgado nesta segunda-feira (13) pela ATP, com 5.890 pontos. Lukasz avançou uma colocação e é o terceiro, com 6.160. Juntos, na Corrida para Londres, que define as oito melhores parcerias para a disputa do ATP Finals, no encerramento da temporada, em novembro, mantiveram o sexto lugar, somando 1.410 pontos.

Melo e Kubot entraram na quadra nesta segunda na Itália para a estreia no Masters 1000 de Roma. Sem dar chances de reação aos adversários, os italianos Simone Bolelli e Andreas Seppi, confirmaram seu favoritismo para avançar às oitavas de final: 2 sets a 0, parciais de 6/3 e 6/4, em 1h11min. Cabeças de chave número 1, aguardam agora a definição dos vencedores do jogo entre os italianos Filippo Baldi / Andrea Pellegrino – wild card – e os austríacos Jurgen Melzer / Dominic Thiem, para saber quem enfrentarão na segunda rodada.

“Hoje conseguimos fazer uma bela estreia. Tínhamos um jogo bem duro, contra dois italianos, o Seppi e o Bolelli, que têm o costume de jogar dupla. Montamos uma boa estratégia e fomos bem nessa primeira rodada. Agora temos amanhã (terça) para treinar mais um pouco. Ainda não sabemos quais serão os adversários, mas ficamos felizes em começar o torneio assim. Não tendo jogado tão bem a última partida, em Madri, mas jogando bem melhor aqui. Isso é muito bom para nós. Vamos seguir firme”, analisou Melo.

Nesta primeira rodada, Melo e Kubot dominaram a partida diante de Bolelli e Seppi, que tinham recebido wild card para disputar o torneio. No set inicial, quebraram no sexto game para abrir 4/2 e administrar a vantagem, fechando em 6/3, após 29 minutos. Mais uma quebra, desta vez no segundo set, colocou a dupla novamente em vantagem. O break veio no quinto game, 3/2. Na sequência, Melo e Kubot fizeram 4/2, para vencer por 6/4 e chegar às oitavas de final em Roma.

Melo e Kubot estão disputando quatro torneios antes de Roland Garros, o segundo Grand Slam do ano, marcado para o dia 26 deste mês, em Paris, na França, e que encerra a gira no saibro europeu: Masters 1000 de Monte Carlo, ATP 500 de Barcelona, Masters 1000 de Madri e Masters 1000 de Roma. Nos três primeiros chegaram até as quartas de final, mesmo resultado do ano passado na Itália.

Djokovic se impõe sobre Tsitsipas, conquista o tri em Madri e chega ao recorde de Masters 1000

Novak Djokovic recuperou seu melhor tênis e conquistou o título do Masters 1000 de Madri, na Espanha, que é disputado no saibro.

Neste domingo, o sérvio, nº 1 do mundo, não deu muitas chances ao jovem grego Stefanos Tsitsipas, vencendo com parciais de 6/3 e 6/4.

“Estes são os melhores torneios, os maiores torneios que temos em nosso esporte, na ATP, claro, ao lado dos Grand Slams”, disse Djokovic, completando: “Isso é tão importante e tão bom quanto possível.”

Com a vitória, além de conquistar o tricampeonato em Madri, o sérvio empatou com Rafael Nadal no posto de maior vencedor de Masters 1000 da História, com 33 conquistas. Abaixo deles está Roger Federer, com 28.

“Estou muito satisfeito. Eu estava dizendo depois da vitória na semifinal de ontem que foi uma vitória muito importante para minha confiança. Eu não estava jogando meu melhor tênis depois da Austrália, então eu estava querendo recuperar o ímpeto. Eu comecei bem. Eu não perdi um set em todo o torneio, então estou muito satisfeito. Joguei alguns dos meus melhores tênis aqui.” completou Djokovic, que segue agora para o Masters 1000 de Roma.

Melo e Kubot estreiam nesta segunda-feira no Masters 1000 de Roma

Marcelo Melo e Lukasz Kubot começam nesta segunda-feira (13) a disputa do Masters 1000 de Roma, na Itália.

A estreia será diante de uma dupla italiana, que recebeu wild card para jogar o torneio. Por volta das 9h (horário de Brasília), os cabeças de chave número 1 na Itália enfrentam Simone Bolelli e Andreas Seppi. Roma encerra a sequência de quatro torneios da dupla na gira no saibro europeu, antes de Roland Garros, segundo Grand Slam do ano que tem início no dia 26, em Paris, na França.

“Preparados para a estreia, vamos com tudo aqui em Roma para buscar um bom resultado”, afirmou Marcelo.

Antes de Roma, Melo e Kubot disputaram o Masters 1000 de Monte Carlo, o ATP 500 de Barcelona e o Masters 1000 de Madri. Nos três chegaram até as quartas de final, mesmo resultado da edição do ano passado na Itália.

Bia Haddad e Luisa Stefani ficam com o vice de duplas do ITF de Cagnes-Sur-Mer

A tenista paulista Bia Haddad encerrou neste domingo sua participação no ITF US$ 80 mil de Cagnes-Sur-Mer com o vice-campeonato na chave de duplas.

Na decisão, Bia e a paulista Luisa Stefani foram superadas pela russa Anna Blinkova e a suíça Xenia Knoll, cabeças de chave 1, por 4/6 6/2 14-12.

“Apesar da derrota, foi um jogaço, as quatro jogaram muito bem”, avaliou Bia. “Foi uma boa semana, bastante proveitosa e gostaria de agradecer a Lu pela nossa primeira final juntas. Agora é iniciar a preparação para Roland Garros”, completou a tenista número 1 do Brasil, que fez quartas de final na chave de simples.

Bia segue para Paris nesta segunda-feira.