Thiago Wild bate peruano e faz em Guayaquil sua primeira final de Challenger na carreira

Thiago Wild vai fazer sua primeira final de um torneio Challenger neste domingo, no saibro de Guayaquil, no Equador.

Neste sábado, o brasileiro garantiu sua vaga ao bater o peruano Juan Pablo Varillas, em sets diretos, com parciais de 6/4 e 7/5.

Na decisão, Wild terá pela frente o boliviano Hudo Dellien, nº 76 do mundo. Os dois já se enfrentaram duas vezes, com o brasileiro vencendo no Challenger de Campinas, no ano passado, e Dellien triunfando em Guayaquil, também em 2018.

Vale destacar que Wild já ocupa sua melhor colocação no ranking da ATP até o momento, ocupando o 311º posto, mas com a campanha em Guayaquil, deve subir quase 50 posições, indo pro top-260.

 

Rio Open confirma Borna Coric para 2020

O Rio Open apresentado pela Claro tem seu segundo jogador confirmado para a edição de 2020: o croata Borna Coric, um dos grandes nomes da nova geração da ATP. O maior torneio de tênis da América do Sul será disputado entre 15 e 23 de fevereiro, no Jockey Club Brasileiro. Além de Coric, o torneio já tem a presença garantida de Dominic Thiem, número 5 do ranking mundial.

Atual número 25 da lista da ATP, Coric recentemente ocupou a 12ª colocação, em agosto de 2019. O croata tem dois títulos de ATP na carreira, no saibro de Marrakech (2017), na grama de Halle (2018), onde derrotou Roger Federer na decisão, além de um título de Copa Davis.

Além de dois triunfos diante da lenda suíça, Coric também já derrotou Rafael Nadal duas vezes. Destaque desde o juvenil, época em que foi líder do ranking mundial e campeão do US Open (2013), Coric lidou com lesões séries no joelho e nas costas nos momentos em que estava se aproximando do top 10.

“Vai ser muito especial poder estrear no Rio Open. Já disputei confronto de Copa Davis e a Olimpíada no Brasil e queria voltar. Será um bom teste no saibro para mim, contra jogadores que estão acostumados com a gira sul-americana. Estou ansioso para enfrentar esse desafio”, afirmou Coric.

O line-up completo do Rio Open será revelado em janeiro, após o término das inscrições. “É sempre bom ter uma novidade no torneio e este ano contaremos com o Coric, um jogador que vem conquistando seu espaço no circuito e que é um guerreiro dentro de quadra. É mais uma ótima oportunidade do publico poder ver de perto mais um dos tenistas da nova geração”, disse Luiz Carvalho, Diretor do Torneio.

 

Foto – DENIS CHARLET/AFP/Getty Images

Thiago Monteiro vence argentino e conquista terceiro título da temporada

Tenista número um do Brasil, Thiago Monteiro (97o.) ratificou a sua condição de top 100 neste domingo ao conquistar o título do Challenger de Lima, no Peru. Ele derrotou, em 2h29min de jogo, o argentino Federico Coria (131o), por 6/2 6/7(7) 6/4 para erguer o terceiro trofeu da temporada e aparecerá na 89a. colocação na 2a. feira.

” Essa final foi uma batalha. Estou muito feliz com o meu jogo da semana toda e cada vez mais vou me solidificando,” comemorou o brasileiro. “Estou cumprindo o objetivo que era de chegar no top 100, agora entrando no top 90 e quero aproveitar as últimos duas semanas para somar ainda mais para conseguir entrar direto não só no Australian Open, mas também nos ATPs.”

Campeão em Punta del Este e em Braunschweig alguns meses atrás, o brasileiro soma agora quatro trofeus de torneios Challenger na carreira, tendo sido campeão em Aix en Provence em 2016.

O próximo desafio do cearense é o Challenger de Guaiaquil, em que aguarda o vencedor do jogo entre os também brasileiros Thiago Wild e Wilson Leite. Depois, o último torneio do ano é o Challenger de Montevideu.

Foto: Gino Salinas (Tenis al Máximo)

Thiago Monteiro vence peruano, em Lima, e joga pelo terceiro título do ano

O tenista brasileiro Thiago Monteiro está na final do Challenger de Lima, no saibro e jogará neste domingo pelo terceiro título da categoria na temporada. Número um do Brasil e 97o. na ATP ele derrotou o peruano Juan Pablo Varillas (161o) por 6/4 6/2 e enfrenta o argentino Federico Coria (131o) na decisão.

“Estou tendo uma semana boa. Cheguei bem antes aqui e ficamos treinando em Lima, então já me senti muito adaptado quando o torneio começou. Tive uma vitória de virada muito dura na segunda rodada que acabou me dando muita confiança. Ganhar do Varillas hoje também aumenta a confiança – ele vem de dois títulos seguidos – mas sei que vou enfrentar o Coria que tem jogado muito também nesse fim de ano,” analisou o brasileiro. “Vou entrar em quadra focado no meu jogo e de olho nesse terceiro título da temporada.”

O cearense foi campeão dos Challengers de Punta del Este e Braunschweig neste ano. Na carreira são três trofeus no total (foi campeão do Challenger de Aix En Provence há três anos).

Melo e Kubot jogam para ir à final em Viena

Marcelo Melo e Lukasz Kubot precisaram de apenas 53 minutos  para avançar à semifinal do ATP 500 de Viena. Jogando muito bem, com domínio da partida, sem dar chance de reação aos adversários, os cabeças de chave número 1 na Áustria derrotaram o indiano Rohan Bopanna e o canadense Denis Shapovalov por 2 sets a 0, parciais de 6/0 e 6/4. Foi a segunda vitória diante de Bopanna e Shapovalov neste mês de outubro – tinham ganho na segunda rodada do Masters 1000 de Xangai.

Agora, no sábado (26), em horário a ser definido, Melo e Kubot enfrentam os franceses Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut em busca de um lugar na decisão do torneio, em que foram campeões nas edições de 2015 e 2016. Herbert e Mahut – cabeças 3 – venceram os argentinos Andres Molteni e Diego Schwartzman por 2 a 0 (6/3 e 6/2) para chegar à semifinal.

“Hoje fizemos um jogo excepcional, redondo mesmo, jogamos muito bem do começo ao fim, tanto que abrimos 6/0 e 1/0. Eles conseguiram uma quebra, tentando voltar para o jogo. Mas, mantivemos a tranquilidade, quebramos mais uma vez e fechamos em dois sets. Realmente foi muito bom. Agora jogamos a semifinal sábado contra os franceses, que também vêm muito bem”, analisou Marcelo, patrocinado por Centauro, BMG, Itambé e Taroii, com apoio da Volvo, Orfeu Cafés Especiais, VOSS e Confederação Brasileira de Tênis.

Melo e Kubot fizeram um primeiro set perfeito para marcar 6/0 em 20 minutos, quebrando logo no game inicial e dominando totalmente. No mesmo ritmo, começaram o segundo set com um break. Desta vez, Bopanna e Shapovalov devolveram, deixando tudo igual em 1/1. Mas, foi só. Sem dar chance de uma reação dos adversários, os cabeças de chave número 1 foram em busca de nova quebra, conseguiram no sétimo game, 4/3, e administraram a vantagem para vencer por 6/4 e dar mais um passo no torneio.

Já classificados para o ATP Finals, que encerra a temporada, entre os dias 10 e 17 de novembro, em Londres, na Inglaterra, com a presença das oito melhores parcerias de 2019, Melo e Kubot ainda disputam o Masters 1000 de Paris, logo após Viena, a partir de segunda-feira (28). Na Corrida para Londres, somam até agora 4.345 pontos, em segundo lugar. No ranking mundial individual de duplas, Melo é o sétimo colocado, com 4.770 pontos. Kubot está em sexto, com 4.950.

Marcelo jogará o Finals pela sétima vez seguida (desde 2013), recordista entre os brasileiros – a terceira ao lado de Kubot (2017, 2018 e 2019). Foi duas vezes vice-campeão, com Kubot em 2017 e com o croata Ivan Dodig em 2014. O polonês estará em sua sexta participação (2009, 2010, 2014, 2017, 2018 e 2019).

Thiem é o primeiro jogador confirmado no Rio Open 2020

A sétima edição do Rio Open apresentado pela Claro, entre 15 e 23 de fevereiro de 2020, no Jockey Club Brasileiro, tem seu primeiro jogador confirmado: o austríaco Dominic Thiem. Número 5 do mundo e vice-campeão de Roland Garros nos últimos dois anos, o tenista de 26 anos participa da competição pela quinta vez seguida.

Desde o início do evento, em 2014, o Rio Open trouxe jogadores do top 10 do ranking mundial para o público brasileiro. Em 2019, o vencedor foi o sérvio Laslo Djere, em final contra a sensação do ano, o canadense Felix Auger-Aliassime. A última edição recebeu 50 mil espectadores.
Thiem faturou o Rio Open em 2017 e tem a expressiva marca de 14 troféus na carreira, 10 deles no saibro. O austríaco é considerado o melhor especialista na superfície depois do Rei do Saibro, o espanhol Rafael Nadal, que também venceu o maior torneio da América do Sul, em 2014.
A temporada de 2019 de Thiem tem grandes resultados, com destaque para mais uma decisão em Roland Garros. Na semifinal, o austríaco derrotou Novak Djokovic em um dos melhores jogos do ano. Ele também conquistou seu primeiro título de Masters 1000 na quadra dura de Indian Wells, com vitória sobre Roger Federer na final. Outros troféus em 2019 vieram no ATP 500 de Barcelona e no ATP 250 de Kitzbuhel.
“Estou vivendo um ano muito importante na minha carreira, mas já pensando em 2020, fico feliz de confirmar o meu retorno ao Rio Open. É um torneio que pode me ajudar na preparação para o meu objetivo, que é ganhar Roland Garros, além de ser um local em que eu me sinto muito confortável. A energia do público brasileiro é sempre especial”, comentou Thiem, treinado pelo chileno Nicolas Massú.
O line-up completo do Rio Open será revelado em janeiro, após o término das inscrições na ATP. “É sempre muito legal poder garantir um top 5 no nosso torneio, principalmente alguém que é uma referência no saibro como o Thiem. Os brasileiros têm acompanhado de perto a evolução dele e 2020 promete ser uma temporada ainda mais vitoriosa para ele”, afirmou Luiz Carvalho, Diretor do Rio Open.
Campeões de simples do Rio Open
2014 – Rafael Nadal (ESP)
2015 – David Ferrer (ESP)
2016 – Pablo Cuevas (URU)
2017 – Dominic Thiem (AUT)
2018 – Diego Schwartzman (ARG)
2019 – Laslo Djere (SER)
Foto: João Pires/Fotojump

Rio Open apresenta nova marca

O Rio Open, maior torneio da América do Sul, chega a sua sétima edição (de 15 a 23 de fevereiro no Jockey Club Brasileiro) com uma marca renovada. O novo desenho realça ainda mais a integração do “Pão de Açúcar com a praia”, dois cartões postais do Rio.

A proposta foi redesenhar sem perder a identidade já reconhecida pelo público. Os novos traços são mais simples, de modo a melhorar a leitura dos elementos, principalmente no mundo digital, uma vez que as comunicações sao cada vez mais direcionadas para telas de celulares, computadores e tablets.

“ A marca Rio Open deve sempre refletir o crescimento e a evolucao do evento. E o resultado disso ‘e uma marca mais moderna, que transmite energia e movimento, e adequada para o ambiente digital”, diz Márcia Casz, Diretora Geral do Torneio.

O novo desenho incluiu também o alinhamento do sentido da bolinha (selo Rio Open) com o logo da ATP, em um movimento para frente, que denota crescimento e superação.

Rafael Matos e chileno Malla decidem o IS Open São Paulo 2019

O  gaúcho Rafael Matos busca, neste domingo (20) o primeiro título de simples do IS Open São Paulo Ano VII. Mas o caminho até o troféu é duro e responde pelo nome de Bastian Malla. O tenista do Chile também se garantiu na decisão após uma exibição firme diante do argentino Matias Zukas (7/6 (2) 6/1. Já Matos precisou sobreviver à terceira partida na semana levada para o tie-break. Desta vez, ele virou o jogo contra o paulista Igor Marcondes (3/6 6/4 7/5).

“Até agora, foram quatro batalhas e por duas vezes, precisei salvar o match point para avançar. Nunca é fácil fechar um jogo e aproveitei desta pressão que o Pucinelli e o Marcondes tiveram para reverter a situação”, destaca Matos, que este ano, vai enfrentar Malla pela terceira vez, com duas vitórias. Ele espera manter a profundidade e se mexer bastante para tirar o canhoto chileno da zona de conforto: o fundo.

Além do troféu do IS Open, inédito para os dois tenistas sul-americanos, estão em jogo dez pontos no ranking da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP) e U$ 2.160. O vice leva seis pontos e um cheque de U$1.272. A final terá transmissão  pelo canal BandSports e pela plataforma de streaming do torneio a partir das 14h.

Brasileiros conquistam o título nas duplas 

A dupla formada pelo pernambucano José Pereira e o paulista Igor Marcondes conquistou o título de duplas, ao virar uma partida quase perdida contra os chilenos Bastian Malla e Michel Vernier. Os chilenos, que tiveram dois match points no tie-break, viram o troféu escapar por 11/9. Os dois outros sets ficaram 7/6 (4) e 4/6. Os brasileiros levaram também 10 pontos no ranking da ATP e U$930.  Já os chilenos levaram seis pontos e U$540.

Serviços – IS Open São Paulo Ano VII

ITF World Tennis Tour

Cidade: São Paulo/SP

Data: 14 a 20 de outubro

Premiação: US$ 15 mil

Sede: Clube Paineiras do Morumby – Av. Dr. Alberto Penteado, 605 – Morumbi, São Paulo – SP

Entrada Gratuita

Foto: Deco Pires/Fotojump

Bruno Soares e Mate Pavic vencem semi em Estocolmo e disputam segunda final seguida

O tenista brasileiro Bruno Soares e o croata Mate Pavic disputam neste domingo a segunda final seguida e a segunda como dupla. Neste sábado, no ATP 250 de Estocolmo. eles derrotaram os favoritos ao título, Jean Julien Roger e Horia Tecau, por 6/2 7/5 e enfrentam Edouard Roger Vasselin e Henri Kontinen na decisão. Campeão em Xangai na semana passada e dos ATPs de Sidney e Stuttgart no primeiro semestre, Bruno joga pelo quarto título de 2019.

“Estamos tendo mais uma grande semana, com três baita vitórias em dois sets. Conseguimos trazer toda a confiança que adquirimos em Xangai e estamos muito firmes dentro de quadra. O ano da dupla já é outro com essa confiança. As coisas acontecem com mais fluidez e o mais importante é surfar essa onda e tentar capitalizar o máximo possível,” disse o mineiro que começou a jogar com Pavic na segunda parte da temporada.

Para Bruno esta será a 62a. final da carreira, onde tem 32 trofeus e 29 vice-campeonatos. O brasileiro tenta também o terceiro título em Estocolmo, tendo sido campeão com Kevin Ullyett e com Marcelo Melo.

Bruno Soares conquista primeiro título com Pavic no Masters 1000 de Shangai

O tenista brasileiro Bruno Soares conquistou neste domingo o primeiro título com o novo parceiro, o croata Mate Pavic e logo em um Masters 1000. Eles venceram em Xangai, derrotando a dupla do também brasileiro Marcelo Melo e do polonês Lukasz Kubot, por 6/4 6/2.  Este foi o terceiro título de 2019 para Soares.

“Foi uma semana sensacional, praticamente perfeita,” disse o mineiro. “Fizemos todos os jogos sem perder sets e perdemos o nosso saque só uma vez na semi. Agora embalamos e fomos vendo ao longo da semana que a confiança foi mudando dentro de quadra.”

Para o brasileiro, que já havia conquistado dois trofeus na temporada, com outros dois parceiros (Sidney com Murray e Stuttgart com Peers), o título com Pavic, com quem começou a jogar no meio da temporada, veio como uma confirmação do acerto da escolha do parceiro. “Foi muito importante para confirmarmos o que a gente acreditava na teoria. Apesar de não estarmos ganhando muito jogos, sempre acreditamos no nosso potencial como dupla. Agora provamos com resultado e tomara que possamos continuar somando bastante nos três últimos torneios da temporada – ainda tem um Masters 1000 pela frente – para começar 2020 com muita força.”

Bruno e Pavic viajam agora para Estocolmo, onde disputam o ATP 250, estreando contra O’Mara e Skupski e depois seguem para o ATP 500 de Viena e para o Masters 1000 de Paris.

O título em Xangai foi o quarto da carreira do brasileiro na categoria. Ao todo são 32 títulos e 29 vice-campeonatos.