No detalhe, Bruno Soares e Jamie Murray são superados em Miami

Bruno Soares e Jamie Murray se despediram de Miami. Neste domingo, a dupla deu adeus ao Masters 1000 da Flórida após serem superados pelos britânicos Daniel Evan e Neal Skupski por 5/7 7/6(4) 10-7, nas oitavas-de-final.

“Foi um jogo duro que escapou. Dominamos boa parte da partida, mas acabamos deixando escapar dois tie-breaks no final. A minha história em Miami volta a se repetir, é sempre esse tipo de jogo que a gente acaba perdendo aqui, paciência”, disse o mineiro, lamentando a derrota.

“Não voltarei para casa agora. Infelizmente a situação do Brasil está muito complicada, então vou ficar treinando por aqui em Miami até a semana de Monte Carlo. Temos que aguardar essa situação de liberação de entrada na Europa melhorar, porque quando saímos diretamente do Brasil são pouquíssimos os países em que podemos entrar. Então, pra não correr esse risco de ser barrado, vou permanecer aqui”, finalizou Bruno.

Agora a dupla parte para a gira de saibro europeia. Com início no dia 11 de abril, o Masters 1000 de Monte Carlo será o pontapé da dupla na Europa, que depois pretende seguir para o ATP 500 de Barcelona e os Masters 1000 de Madri e Roma, todos parte da preparação para Roland Garros. Bruno é o atual vice-campeão do Grand Slam francês, no qual disputou a final com o croata Mate Pavic, seu parceiro da última temporada.

Bruno Soares e Jamie Murray estão prontos para a estreia em Miami

Bruno Soares está pronto para a estreia em Miami. Disputando o Masters 1000 norte-americano, o mineiro e o seu parceiro, o britânico Jamie Murray, farão o seu primeiro jogo do torneio neste sábado, enfrentando o neozelandês Marcus Daniell e o austríaco Philipp Oswald, ambos especialistas em duplas.

“A expectativa é sempre boa. Miami é um lugar muito legal, apesar de estar em condições totalmente diferentes neste ano. Não vamos ter aquele calor da torcida brasileira pelo público estar muito reduzido, além de também estarmos numa bolha e não podermos curtir a cidade, mas sempre é um lugar especial. Masters 1000 e jogo duríssimo, espero que possamos fazer uma boa campanha aqui depois de muito anos de resultados não muito bons”, disse o mineiro.

“Além disso tudo, é muito legal ter a Oakberry representando o Brasil no torneio mais uma vez, para mim é um orgulho”, completou Soares. O mineiro é um dos sócios da rede saudável focada em açaí, que está presente no Masters 1000 de Miami pela segunda vez.

O brasileiro e atual número 4 do mundo vai em busca de um título inédito em Miami. Em sua 12ª participação no torneio, Bruno quer superar o seu melhor resultado no Masters 1000 da Flórida, que foi uma semifinal na edição de 2015. De seus 34 títulos de ATP, quatro são de torneios do mesmo nível, tendo levantado o troféu no Canadá (2013 e 2014), em Cincinnati (2018) e em Xangai (2019).

Depois de furar o quali, Wild perde para colombiano na 1ª rodada em Miami. Monteiro desiste

Depois de furar o qualifying, Thiago Wild não aproveitou a chance e foi superado na primeira rodada da chave principal do Masters 1000 de Miami, nos Estados Unidos, disputado no piso duro.

Nesta quinta-feira, o brasileiro jogou pela primeira vez na chave principal de um torneio deste porte, mas não mostrou muita resistência diante do colombiano Daniel Galan, que venceu em sets diretos, com parciais de 6/3 e 6/4.

Com isso, o Brasil perdeu em um único dia seus dois representantes de simples em Miami, já que Thiago Monteiro, que enfrentaria o sul-africano Kevin Anderson, desistiu depois de considerar o pouco tempo de treinamento após se recuperar de uma lesão na panturrilha.

 

 

Wild fura o quali e encara colombiano na primeira rodada do Masters 1000 de Miami

Thiago Wild vai disputar uma chave principal de Masters 1000 pela primeira vez, depois de conquistar sua segunda vitória e furar o qualifying em Miami.

Nesta terça-feira, o brasileiro entrou em quadra para enfrentar mais um tenista da casa e se impôs diante de Mitchell Krueger, vencendo em sets diretos, com parciais de 6/2 e 6/3, garantindo sua vaga na chave principal do primeiro Masters 1000 da temporada.

Agora, depois da realização de sorteio, ele terá pela frente o colombiano Daniel Galan, nº 113 do mundo. Será o primeiro jogo entre eles.

Quem vencer, já tem adversário definido na segunda rodada e será o australiano Alex De Minaur.

O outro brasileiro já garantido na chave de simples é Thiago Monteiro, que não deve ter facilidade na primeira rodada diante do sul-africano Kevin Anderson.

 

Thiago Monteiro se prepara para enfrentar Kevin Anderson na estreia em Miami

Thiago Monteiro está se preparando para enfrentar o adversário de estreia do Masters 1000 de Miami, na Flórida. O cearense, que se garantiu direto na chave principal do torneio norte-americano, medirá forças com o sul-africano Kevin Anderson, ex-número 5 do mundo, duas vezes vice-campeão de Grand Slam e o atual 91º do ranking.

Vindo de uma lesão na panturrilha sentida durante a gira de saibro sul-americana, Thiago continua a sua recuperação em Miami. “Eu me dediquei a fisioterapia no Brasil, não treinei muito. Vim para Miami com o objetivo de recuperar a confiança no meu corpo de novo e sentir como estou. Tive uma distensão na panturrilha, que é uma lesão um pouco mais chatinha de recuperar do que esperávamos, mas venho recuperando bem para depois seguir para o principal foco, que é a gira europeia”, disse o cearense.

O brasileiro testará o seu físico no confronto com Anderson. Os tenistas se enfrentaram apenas uma vez no circuito, no ATP 250 de Pune em 2018, com vitória do sul-africano.

Wild passa pela estreia do quali do Masters 1000 Miami. Menezes leva virada

Uma vitória e uma derrota. Assim foi o desempenho brasileiro no primeiro dia do qualifying do Masters 1000 de Miami, disputado no piso duro, nos Estados Unidos.

Primeiro a entrar em quadra, Thiago Wild não deu muitas chances ao jovem norte-americano Toby Kodat e venceu em sets diretos, com um duplo 6/3.

Nesta terça-feira, Wild terá pela frente na segunda rodada o norte-americano Mitchell Krueger, nº 204 do ranking da ATP, em confronto que será inédito.

Depois, João Menezes teve uma grande oportunidade de avançar pelo menos uma rodada, mas levou a virada do experiente italiano Paolo Lorenzi, que viu o brasileiro levar o 1º set e ter quebra de vantagem no 2º, mas não desistiu até vencer com parciais de 3/6 7/6(5) e 6/1.

 

Há 20 anos, Guga fazia grande partida, mas perdia pro Sampras na final de Miami em jogo de alto nível e marcações duvidosas

Há exatos 20 anos, no dia 02 de abril de 2000, Gustavo Kuerten entrava em quadra para fazer mais um grande jogo na sua carreira, na final do Masters 1000 de Miami – na época Masters Series – diante do norte-americano Pete Sampras, um dos maiores de todos os tempos, que jogava com o apoio da torcida.

Ainda nos tempos de finais em 5 sets, os dois jogaram em altíssimo nível por mais de 3 horas, em partida que acabou com vitória de Sampras por 6/1 6/7(2) 7/6(5) e 7/6(8).

A partida ficou marcada também por bolas duvidosas, especialmente uma no tiebreak do set decisivo. Em um tempo sem desafio, restou ao brasileiro e toda sua torcida a reclamação diante dos árbitros.

Meses depois, os dois se reencontraram, na semifinal da Masters Cup, em Lisboa, com vitória do brasileiro, que seguia para a final, pro título e pro topo do ranking.

Na chave de Miami, Guga passou por grandes desafios desde o início, encarando Arnaud Clement, Goran Ivanisevic, Gianluca Pozzi, Wayne Ferreira e Andre Agassi antes da final.

O jornal O Globo do dia seguinte reconheceu a grande atuação do brasileiro, com a capa abaixo:

Confira também em seguida o release pós-final, produzido pela Diana Gabanyi, editora-chefe da Tennis View e então assessora de imprensa do Guga:

GUGA É VICE-CAMPEÃO EM MIAMI
Próximo desafio é a Copa Davis
Gustavo “Guga” Kuerten fez de tudo, mas não conseguiu conter o jogo do norte-americano Pete Sampras, número dois do mundo e acabou ficando com o vice-campeonato do Ericsson Open, o quinto maior torneio do mundo. Neste domingo, na final, Sampras venceu Guga por 3 sets a 1, parciais de 6/1 6/7 (2) 7/6 (5) 7/6 (8), em 3h18min de um tênis espetacular.
Depois de um primeiro set complicado, em que não teve praticamente chances diante de Sampras, Guga teve seu serviço quebrado no 1×2 e no 1×5, perdendo por 6/1. Na segunda série a situação também começou bem complicada para o brasileiro, que perdeu seu saque no 2×2. Mas, quando o dono de 12 títulos de Grand Slam sacava para fechar o set, no 5×4, Guga conseguiu quebrá-lo e levar a decisão para o tie-break, em que atuou brilhantemente vencendo por 7/2 e empatando o jogo.
No terceiro set não houve quebras de serviço e Guga conseguiu se sair de situações difíceis, como três break points no 3×4 e a decisão foi outra vez para o tie-break. Desta vez, no entanto, mesmo tendo salvado dois set points, Sampras fechou o set e ficou com uma vantagem de 2 sets a 1.
Na quarta série, com a quadra central do Crandon Park alternando gritos de ole Guga e let’s go Pete, o jogo virou uma verdadeira guerra de jogadas fantásticas de ambos os tenistas e outra vez sem quebras de serviço a decisão do set foi para o tie-break. Sampras abriu 6/2 e teve quatro match points seguidos, que Guga salvou com excelentes serviços e devoluções de saque. No 6/7, mais um match point para o norte-americano e Sampras fez dupla-falta. Depois no 7/8, com outro match point, Guga conseguiu se salvar empatando tudo.Mas, no seu serviço uma bola de Sampras foi na linha, segundo o juiz e Sampras teve o sétimo match point, que não desperdiçou.
“Foi uma grande semana para mim, especialmente com o apoio da torcida brasileira que foi maravilhosa. Pelo menos tentei ganhar do Agassi e do Sampras no mesmo torneio, mas meu jogo não foi suficiente. De qualquer maneira estou feliz pela semana que tive e ter disputado essa final, pela primeira vez, foi incrível,” disse Guga, na cerimônia de entrega de prêmios.
Durante o jogo Guga marcou 16 aces, quatro duplas-faltas, teve 57% de aproveitamento do primeiro serviço, venceu 68% dos pontos com o primeiro saque, fez 54 winners, 19 erros não forçados, 68% de aproveitamento na rede e 147 pontos vencidos no total.
De acordo com os cálculos da ATP, com os 350 pontos conquistados por ter alcançado a final, Guga (Banco do Brasil/Diadora/Head/Pepsi/Rider), atual 6º colocado no ranking mundial, aparecerá na quarta posição nesta segunda e na Corrida dos Campeões, em que hoje é o 26º, será o oitavo.
Diana Gabanyi

Federer bate Isner e se torna tetracampeão do Masters 1000 de Miami

Roger Federer. Maior da História? Discussão longa e sem sentido se podemos investir o nosso tempo com outras coisas, como admirar os passos desse gênio pelas quadras do mundo.

Neste domingo, quem teve esse privilégio foi o público presente no belo Hard Rock Stadium, na grande final do Masters 1000 de Miami, nos Estados Unidos.

Uma decisão até um pouco “sem graça”, é verdade, mas muito proporcionada pelo nível absurdo do suíço que, sem pena, aplicou um 6/1 e 6/4 sobre o local John Isner, que não conseguiu o feito de defender o título, como já era esperado.

Com isso, além de chegar ao tetracampeonato do torneio e 101ª conquista da carreira, ele se torna o único tenista da temporada a conquistar pelo menos dois títulos, com o triunfo do ATP 500 de Dubai.

Roger Federer. Quase inadjetivável. Que prazer que temos, mesmo à distância, ao acompanhar esse Falcão do tênis, que joga com a leveza de um canário. Que satisfação imaginar seus passos e a sutileza dos seus golpes no saibro novamente. Em breve? Torçamos!

Diana Gabanyi

Isner segue na defesa do título em Miami e encara Federer na decisão deste domingo

Roger Federer está em mais uma final de Masters 1000, dessa em Miami, mais um torneio disputado no piso duro norte-americano.

Nesta sexta-feira, o suíço garantiu sua vaga na decisão ao superar sem grandes sustos o sul-jovem canadense Denis Shapovalov, com as parciais de 6/0 e 6/4:

“Eu gostei. Penso que joguei muito bem. Tive que fazer isso, pois quando deixa o Denis jogar, ele fica no jogo e pode complicar o jogo. Estou muito feliz pela forma que joguei.” disse o suíço.

Na final deste domingo, ele terá pela frente o norte-americano John Isner, que luta para defender o título do ano passado.

Pra garantir um lugar na decisão, ele passou pelo jovem canadense Félix Auger-Aliassime, com parciais de 7/6(3) e 7/6(4).

Federer e Isner já se enfrentaram sete vezes na carreira, em torneios oficiais, com cinco vitórias do ex-nº 1 do mundo. Além disso, jogaram na Laver Cup do ano passado, com vitória do europeu no match-tiebreak.

Melo e Kubot perdem match-points e levam a virada dos Bryans na semi em Miami

Foi dolorida a eliminação de Marcelo Melo e Lukasz Kubot no Masters 1000 de Miami e Miami, que é disputado no piso duro dos Estados Unidos.

Nesta sexta-feira, o brasileiro e o polonês foram superados na semifinal pelos norte-americanos Bob e Mike Bryan, em três sets duros, com parciais de 7/6(7) 6/7(8) e 14/12.

Vale destacar que no match-tiebreak, Melo e Kubot chegaram a liderar por 9/6, desperdiçando alguns match-points antes da virada dos norte-americanos.

“A semifinal foi impressionante. Quem viu desfrutou de um belo jogo de duplas. Ganhar ou perder faz parte do tênis e sempre aprendemos mais com as derrotas do que com as vitórias. Foi o caso desta sexta-feira. Muito obrigado pela torcida. Em todos os jogos a quantidade de brasileiros foi incrível. Quero agradecer o carinho que sempre temos recebido” disse Melo.

Foto: Mike Lawrence / ATPTour.com