Stephens bate Ostapenko, conquista o Premier de Miami e chega ao top 10 pela 1ª vez

Depois do título do US Open, no ano passado, Sloane Stephens conseguiu mais um grande título, ao conquistar o WTA Premier de Miami, nos Estados Unidos, que é disputado no piso duro.

Neste sábado, a norte-americana enfrentou um duro primeiro set, indo ao tiebreak, mas depois deslanchou e bateu a letã Jelena Ostapenko, em sets diretos, com parciais de 7/6(5) e 6/1, comemorando muito a vitória em casa:

“Este lugar é muito especial para mim. Estou definitivamente feliz por vencer aqui. Eu tive algumas experiências incríveis aqui. Me sinto sortuda por poder fazer isso no sul da Flórida, com todos meus amigos e familiares assistindo.” Disse Stephens.

Com o resultado, a norte-americana vai chegar ao 9º lugar do ranking na próxima atualização, subindo três postos e superando a sua melhor marca até o momento, que é o 11º lugar.

Já Ostapenko vai permanecer no mesmo lugar do ranking, fechando o top 5 da WTA.

Stephens supera Azarenka e faz final do Miami Open contra Ostapenko, que parou surpresa

Foi definida a grande final do WTA Premier de Miami, nos Estados Unidos, que é disputado no piso duro.

Na primeira semifinal, disputada nesta sexta-feira, a bielorrussa Victoria Azarenka começou bem, venceu o primeiro set, mas levou a virada de Sloane Stephens, que triunfou com parciais de 3/6 6/2 e 6/1.

A norte-americana, atual campeã do US Open, consegue, enfim, uma grande campanha na temporada, já que seu melhor resultado havia sido as quartas de final do WTA de Acapulco.

Azarenka, com o resultado em Miami, garantiu seu retorno ao top 100 na próxima atualização do ranking.

Na outra partida do dia, a letã Jelena Ostapenko confirmou sua grande semana ao superar a surpreendente norte-americana Danielle Collins, que venceu Venus Williams nas quartas de final.

Em dois sets, com direito a um tiebreak, a campeã de Roland Garros venceu com parciais de 7/6(1) e 6/3.

Stephens e Ostapenko farão um confronto inédito. Com a campanha, a norte-americana, atual nº 12 do mundo, já vai garantindo a chegada ao 9º lugar do ranking, sua melhor marca, que por enquanto era a 11ª posição.

Ostapenko bate Svitolina e encara surpreendente Collins na semi em Miami. Azarenka enfrenta Stephens

Com surpresa, estão definidas as semifinais do WTA Premier de Miami, nos Estados Unidos, que é disputado no piso duro.

No primeiro jogo desta quarta-feira, a letã Jelena Ostapenko precisou lutar por dois tiebreaks pra superar a ucraniana Elina Svitolina, em sets diretos, com parciais de 7/6(3) e 7/6(5).

Depois, a jovem norte-americana Danielle Collins continuou sua ótima e surpreendente campanha ao vencer a experiente compatriota Venus Williams, cedendo apenas cinco games, com parciais de 6/2 e 6/3.

As duas vão se enfrentar no último jogo desta sexta-feira, em confronto que será inédito.

No outro jogo dia, disputando a segunda vaga na grande final, Victoria Azarenka parece ter um leve favoritismo diante da norte-americana Sloane Stephens, atual campeã do US Open.

Nos quatro confrontos anteriores entre elas, a bielorrussa, que vai voltar ao top 100 do ranking na próxima atualização, venceu três vezes.

Danielle Collins, surpresa do Miami Open, foi uma jogadora de sucesso no tênis universitário

Na noite desta segunda-feira, a norte-americana Danielle Collins entra em quadra pro jogo mais importante da sua carreira até o momento, encarando a experiente compatriota Venus Williams, em busca de uma vaga na semifinal do WTA Premier de Miami.

Ao longo da semana, a jovem de 24 anos surpreendeu jogadoras como Coco Vandeweghe e Monica Puig, colocando-se definitivamente como mais um talento do tênis norte-americano.

Por enquanto, ela vai subindo 27 postos do ranking da WTA, superando sua melhor marca, que é a atual 93ª posição, entrando no grupo das 70 melhores do mundo.

Porém, nem tudo é surpresa na carreira de Danielle, que fez uma carreira bem sólida e vitoriosa no circuito universitário norte-americano. Graduada em Estudos de Mídia, em 2016, pela Universidade da Virgínia – depois de começar seus estudos na Universidade da Flórida, mas não se adaptar aos treinadores – a natural de São Petersburgo, na Flórida, foi bicampeã do circuito universitário do país, sendo apenas a sétima mulher a conseguir tal feito.

Inclusive, o bicampeonato, em 2016, rendeu um convite para a chave principal do US Open, quando perdeu na primeira rodada para a russa Evgeniya Rodina.

A História de Danielle Collins é só mais um exemplo, entre tantos, dos benefícios que podem ser oriundos de um circuito cada vez mais concorrido e de alto nível, como é o universitário dos Estados Unidos.

A Tennis View, ao longo de todos os seus anos de existência, já mostrou exemplos práticos de brasileiros que foram para os Estados Unidos e não se arrependeram, além dos conhecidos casos de norte-americanos como John Isner, Bob Bryan e James Blake, que se tornaram ótimos profissionais depois desta experiência.

Quando Venus Williams, sua adversária desta quarta, venceu Wimbledon pela primeira vez, Danielle Collins tinha apenas 6 anos de idade, mas ela garante que não quer deixar nada atrapalhar a sua semana mais brilhante na carreira. Como ela mesmo disse após a vitória sobre Puig, nas oitavas: “Este é o meu momento”.

Venus vira sobre Konta em Miami. Azarenka e Pliskova se enfrentam nas 4ªs

Estão definidas as primeiras quadrifinalistas do WTA Premier de Miami, nos Estados Unidos, que é disputado no piso duro.

Na rodada cheia de oitavas de final, nesta segunda-feira, quem abriu a programação foi a tcheca Karolina Pliskova, que não deu muitas chances e eliminou a cazaque Zarina Diyas, que perdia por 6/2 e 2/1, quando abandonou a partida.

A adversária de Pliskova será a bielorrussa Victoria Azarenka, que cedeu apenas quatro games para a polonesa Agnieszka Radwanska, vencendo por duplo 6/2.

Angelique Kerber teve muito trabalho com a chinesa Yafan Wang e só venceu de virada, com parciais de 6/7(1) 7/6(5) e 6/3. Nas quartas, a alemã terá pela frente a local Sloane Stephens, que passou bem pela espanhola Garbine Muguruza por 6/3 e 6/4.

Quem também precisou virar sua partida foi a experiente Venus Williams, que depois de perder a primeira parcial, venceu bem as parciais seguintes contra a britânica Johanna Konta, fechando o jogo em 5/7 6/1 e 6/2. Enquanto isso, a ucraniana Elina Svitolina confirmou o favoritismo diante da australiana Ashleigh Barty, com parciais de 7/5 e 6/4.

Bia Haddad perde para Ostapenko na 3ª rodada do Premier de Miami

Bia Haddad encerrou neste domingo sua participação no WTA Premier de Miami, após campanha inédita em que alcançou a terceira rodada do torneio norte-americano.

Bia foi superada pela letã Jelena Ostapenko, 5o. do mundo, por 6/2 7/6(2), em 1h31min de partida. As duas já haviam se enfrentado no ano passado, na final do WTA de Seul, vencida também pela letã.

A tenista número 1 do Brasil continua nos Estados Unidos. Na próxima semana, Bia disputa o WTA Premier de Charleston.

Bia elimina chinesa, vai à 3ª rodada em Miami e encara top 5 Ostapenko

Bia Haddad eliminou, nesta sexta-feira, a chinesa Shuai Zhang, por 6/3 6/2, em 1h30min de partida, pela segunda rodada do Miami Open.

Essa foi a primeira vez que Bia avançou à terceira rodada de um WTA Premier Mandatory. “Ano passado eu havia ganho uma rodada aqui. Todas as semanas que venho jogando, eu busco acreditar cada vez mais. Todo jogo é uma pedreira, não tem pra onde fugir. Ganhar e perder é muito detalhe e hoje no momento certo eu joguei um pouco melhor e fui mais sólida”, afirmou.

“O placar não diz muito o que foi o jogo”, declarou Bia. “Os games foram todos apertados, dois games do primeiro set salvei no 0/40, então poderia ter ido para qualquer lado. Respeitei a tática, tentei não ficar no jogo que ela queria, um jogo mais rápido, mais plano, mais confortável pra ela. Variei bastante, usei minhas bolas, meu top spin e busquei minha intuição, jogando solta, respirando e as coisas foram acontecendo”, completou.

Bia novamente contou a torcida de brasileiros em Miami. “Se não me ajudou, atrapalhou ela”, brincou. “O povo brasileiro tem um calor a mais. Desde o primeiro game o pessoal estava gritando o meu nome e, com certeza, isso faz muita diferença. A menina se irritou em um certo momento. Agradeço a todos pela energia, é sempre bom ter o Brasil comigo”.

A tenista número 1 do Brasil e 64o. do mundo enfrenta na terceira rodada a letã Jelena Ostapenko, cabeça 6 e 5o. do mundo. Bia enfrentou a letã na final do WTA de Seul no ano passado, quando ficou com o vice.

Azarenka estreia com boa vitória em Miami. Osaka mantém embalo e bate Serena

Depois de conquistar o título de Indian Wells, a japonesa Naomi manteve a boa fase e conseguiu uma grande vitória na estreia do WTA Premier de Miami, nos Estados Unidos, que é disputado no piso duro.

Nesta quarta-feira, Osaka bateu com autoridade a norte-americana Serena Williams, em sets diretos, com parciais de 6/3 e 6/2. Atual nº 22 do mundo, agora ela terá pela frente a ucraniana Elina Svitolina. Nos quatro confrontos anteriores entre elas, duas vitórias pra cada lado.

Outra ex-nº 1 do mundo que estreou, mas com vitória, foi Victoria Azarenka, que passou pela norte-americana Catherine Bellis, com parciais de 6/3 e 6/0, e enfrenta na segunda rodada a também norte-americana Madison Keys.

Na sua volta ao circuito, Bethanie Mattkek-Sands foi superada pela francesa Alize Cornet por 6/2 e 7/5, enquanto a russa Ekaterina Makarova anotou 6/2 2/6 e 6/4 sobre a suíça Timea Bacsinszky.

Bia Haddad passa pela estreia em Miami e encara chinesa na 2ª rodada

A paulista Bia Haddad superou na estreia do WTA Premier de Miami, nesta terça-feira, a britânica Heather Watson, em dois sets diretos, parciais de 7/6(3) 6/2, em 1h36min de partida.

Essa foi a segunda vitória da tenista número 1 do Brasil e 64o. do mundo diante da britânica. As duas haviam se enfrentado há menos de um mês no WTA de Acapulco.

“Como a gente já tinha feito a pré-temporada juntas e jogamos em Acapulco, eu já sabia que seria um jogo duro e tinha a minha tática bem clara. Hoje o meu saque foi fundamental, consegui me me manter tranquila, jogando solta. Primeira rodada nunca é fácil, dá um friozinho na barriga, mas lidei bem com isso e saí com a vitória”, afirmou Bia.

Bia também ressaltou o apoio da torcida no jogo de hoje: “Aproveitei bastante a torcida, tinham muitos brasileiros e usei essa energia ao meu favor. É brasileiro por toda parte, sempre escuto ‘vamos Bia’. Aqui é muito parecido com o Rio, com as condições que eu treino. Fiquei feliz com a torcida e conto com o apoio no próximo jogo”.

Na próxima rodada, Bia terá pela frente a chinesa Shuai Zhang, top 30 e cabeça de chave 31, em jogo inédito. “Nunca jogamos, mas sei que ela é sólida, joga mais por baixo, tem os dois lados bons. Agora é manter mais minha tática, pensar mais em mim, nas minhas armas e ver o que dá”, disse a brasileira.

Bia Haddad começa bem, Tsurenko desiste por lesão e brasileira encara Venus na 2ª rodada em Miami

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Bia Haddad precisou de apenas 27 minutos para avançar no Miami Open e conquistar sua primeira vitória em um torneio da série WTA Premier.

Nesta terça-feira, na estreia do Miami Open, Bia vencia a partida contra a ucraniana Lesia Tsurenko, 41º do mundo, por 3/2 no 1º set, quando a adversária desistiu da partida sentindo dores na coxa esquerda.

Essa foi a primeira vez que Bia, 166º do mundo, venceu uma jogadora do top 50.

“Independente da menina ter se retirado, consegui jogar sólida nos primeiros games e consistente, que era o que eu precisava fazer para começar me impondo e tranquila”, afirmou a brasileira.

Bia terá mais um desafio em Miami. Na próxima rodada, a tenista número 1 do Brasil terá pela frente a norte-americana Venus Williams, ex-número 1 do mundo e atual número 12.

“Quero desfrutar o momento, jogar em quadra grande, aproveitar cada ponto fazendo o meu melhor. Vou ter mais uma vez a oportunidade de colocar em prática tudo o que venho fazendo. Vai ser uma grande experiência”, finalizou Bia.