Em 2018, brasileiros tiveram grande queda no aproveitamento em partidas contra top-100

Em uma rápida percepção, é possível notar que o tênis masculino brasileiro, pelo menos no que se refere aos simplistas, não vive uma boa fase. Pelo contrário.

Nos últimos anos, o Brasil vem perdendo força não apenas em relação ao ranking ou às conquistas de grandes títulos, mas também no que tange ao aproveitamento em quadra diante de jogadores bem posicionados na lista da ATP.

Fizemos um levantamento do número de vitórias dos brasileiros em partidas contra jogadores do top-100, comparando com anos anteriores, e o que se percebe é um declínio acentuado no número de vitórias dos atletas nacionais contra jogadores desta faixa do ranking que, vale dizer, nem é das mais privilegiadas quando se trata de grandes torneios.

Vale apontar que não foi levado em conta o torneio em disputa, mas sim o ranking do adversário em questão, sendo possível notar que um dos melhores números do Brasil foi em 2015, quando foram conquistadas, no total, 36 vitórias sobre top-100, com a seguinte distribuição e aproveitamento de 36%.

Em 2016, o número de vitórias já começou a cair, apesar do aumento no aproveitamento, para 41%, com destaque ainda para o triunfo de Thiago Monteiro sobre o francês Jo-Wilfried Tsonga, então número 9 do mundo, na primeira rodada do Rio Open, na partida que praticamente apresentou o cearense o mundo. Além disso, também se destaca a vitória de Thomaz Bellucci sobre o belga David Goffin (13º) durante os Jogos Olímpicos.

Já em 2017, os números continuavam piorando, com queda nas vitórias e no aproveitamento, apesar do bom resultado de Bellucci sobre o japonês Kei Nishikori (5º) na estreia do Rio Open e de Rogerinho sobre Monfils no ATP 250 de Umag, além da vitória de Feijão sobre o argentino Horacio Zeballos na estreia do Brasil Open, última vitória do brasileiro sobre um jogador nesta faixa de ranking, até o momento.

Na atual temporada, os números pioraram de vez, com os brasileiros conseguindo um número muito abaixo, impulsionado pela quase ausência de vitórias de Bellucci, que não vem em sua melhor fase, com lesões e uma pausa por doping recentemente. O aproveitamento na temporada? 28%, em apenas 39 jogos disputados contra top-100 em todo ano.

Vale destacar que a única vitória de Bellucci sobre um top-100 em 2018 foi sobre o eslovaco Martin Klizan, no Challenger de Gênova. Pior do que isso, o jogador melhor ranqueado batido por um brasileiro no ano foi o espanhol Fernando Verdasco, superado por Monteiro nas oitavas do ATP 500 de Hamburgo. Mesmo ex-top 10, Verdasco era o 33º do mundo na ocasião.

Também é importante mencionar que não são apenas os números de vitórias e aproveitamento que ficam bem abaixo neste ano, mas também o número de partidas realizadas. Isso aponta para o declínio dos brasileiros no próprio ranking da ATP, já que a faixa do top-100 joga, em boa parte das semanas, torneios ATP’s, enquanto os tenistas do país ficaram nos Challengers em boa parte da temporada.

Bellucci avança à semifinal em Genova

O tenista brasileiro Thomaz Bellucci está na semifinal do Challenger de Genova, na Itália, com premiação de U$ 127 mil. Bellucci derrotou o chileno Christian Garin, por 7/6(5) 6/4 e joga neste sábado por uma vaga na deisão contra Dustin Brown (227o.) ou Lukas Rosol (198o.). É o melhor resultado do brasileiro no circuito mundial desde abril do ano passado (semifinal de Houston).

“Fiz um jogo bom hoje. Ainda estou bem longe do meu melhor tênis, mas é importante saber ganhar não jogando tão bem e é uma das coisas que eu venho fazendo de melhor nesta semana. Estou lutando do primeiro até o último ponto e mentalmente estável, me saindo de momentos difíceis nas partidas e conseguindo tirar o meu melhor nas horas duras e está sendo a chave das vitórias desta semana,” analisou Bellucci. “Hoje eu acabei perdendo várias chances de fechar o primeiro set e quando precisei no tie-break de um ponto bom eu dei um ace e fechei com ace também o segundo set, então estou sabendo lidar com as circunstâncias difíceis e estou jogando bem quando preciso.”

Sobre a semifinal, Bellucci, 311o. acredita que precisará estar bem atento para enfrentar um adversário com estilo diferente do que jogou nas outras partidas. “São dois caras que dão pouco ritmo de jogo, especialmente o Brown. Ele faz coisas diferentes na quadra, muda muito o jogo. Tenho que ficar bem atento, sem dar muito espaço e ser constante.”

Diana Gabanyi

Bellucci estreia nesta segunda em Sarasota

Thomaz Bellucci estreia nesta segunda-feira no Challenger de Sarasota, na Flórida, com premiação de U$ 100 mil.

O brasileiro enfrenta o convidado JC Aragone, argentino de nascimento com residência nos EUA, na partida que abre a competição.

Bellucci é o atual 144o. do ranking mundial e Aragone, o 332o.

Outro brasileiro na competição, Guilherme Clezar, enfrenta o japonês Taro Daniel na primeira rodada, na terça-feira.

 

Eventos Challenger e Future no Brasil são anunciados para a temporada 2018

O calendário brasileiro de tênis ganha neste ano o reforço de seis competições do circuito profissional. A gira de torneios Future e Challenger no País, chancelados pela ITF (Federação Internacional do Tênis) e ATP (Associação dos Tenistas Profissionais), respectivamente, começa neste mês com mais de R$ 420 mil em prêmios e o patrocínio do Banco Santander, novo apoiador do tênis brasileiro, que investe na realização dos eventos por meio da Lei Federal de Incentivo ao Esporte do Ministério do Esporte.

Ao longo desta temporada, estas competições, consideradas os primeiros estágios do circuito profissional, terão entrada gratuita para o público e começam divididas entre quatro etapas do Circuito Internacional de Tênis. A primeira delas será em São José do Rio Preto (SP), entre 21 e 29 de abril. Posteriormente, o Circuito segue para Brasília (DF), onde as jovens promessas do tênis se reunirão nas datas 5 a 13 de maio. O segundo semestre reserva o retorno do Circuito Internacional de Tênis com a realização da terceira etapa em Ribeirão Preto (SP), entre 13 a 21 de outubro. A última disputa acontece nos dias 20 a 28 de outubro em Curitiba (PR).

Cada etapa do Circuito Internacional do Tênis distribuirá US$ 15 mil e ainda neste ano garante pontos no ranking mundial da ATP. Com esta mesma categoria de torneio, o Instituto Sports realizará o Tennis Classic, na capital paulista, programado para 28 a 6 de maio, entre as etapas de Rio Preto e Brasília, formando uma sequência de três semanas consecutivas de eventos no Brasil, como exige o regulamento da ITF.

“Agradecemos ao Banco Santander e ao Ministério do Esporte pelo fundamental apoio na realização do Circuito Internacional de Tênis, Tennis Classic e Campeonato Internacional de Tênis, competições que fortalecem o calendário de torneios no País e são primordiais para a formação dos jovens tenistas brasileiros. Serão 54 dias de tênis com entrada gratuita para o público em seis cidades diferentes, uma oportunidade para os fãs conhecerem a próxima geração de tenistas do País, além dos jogadores buscarem nestes eventos os primeiros pontos na ATP”, explica Danilo Marcelino, presidente do Instituto Sports, associação civil de direito privado, sem fins lucrativos, que desde a sua fundação, em 2008, tem sido responsável na última década pela realização do maior número de torneios profissionais de tênis no Brasil.

ATP Challenger

Em setembro, importantes nomes nacionais e estrangeiros do tênis chegam a Campinas (SP) para a realização da oitava edição consecutiva do ATP Challenger de Campinas, torneio com premiação de US$ 50 mil na Sociedade Hípica e que oferece hospedagem aos jogadores. A competição já teve entre os seus participantes destaques do circuito, como o argentino Diego Schwartzman, atual campeão do Rio Open e top 15 do mundo, Thiago Monteiro, atual número 1 do Brasil, o gaúcho Marcelo Demoliner, semifinalista de Wimbledon nas duplas mistas, e Federico Delbonis, campeão da Copa Davis com a Argentina.

Sobre o Santander e Atividades físicas

O Santander investe no esporte por meio de ações que promovem o acesso e democratização das atividades físicas, desde 2010. Entre julho e outubro de 2017, foram atendidas cerca de 16 mil pessoas nos projetos patrocinados pelo Banco, além de centenas de milhares de pessoas que utilizam diariamente as estações de exercícios espalhadas nas cidades brasileiras.

As iniciativas do Santander relacionadas ao esporte e atividades físicas, desde 2010, incluem mais de 300 estações de ginástica e alongamento ao ar livre, algumas, inclusive, com acessibilidade e espaço destinado a pessoas com deficiência. As capitais contempladas com as estações, até o momento, são: São Paulo (165 estações), Rio de Janeiro (100 estações), Goiânia (35 estações), Curitiba (36 estações), e Brasília (37 estações). As estações de ginástica para pessoas com deficiência, entregues em São Paulo (9), Rio de Janeiro (9) e Brasília (6), possuem uma área total de 27m² com rampa de acesso, barras e paralelas em alturas reduzidas, mecanismo para exercícios aeróbicos de membros superiores, áreas de circulação ampliadas, além de fitas e limitadores de segurança extras.

O Banco apresenta ainda o projeto SP Academia, em São Paulo, oferecendo a mais de 8 mil alunos cadastrados, duas academias completas, totalmente gratuitas. Uma localizada no Parque Villa Lobos, com 350m2, sala de musculação com equipamentos em aço inoxidável e sala de aulas coletivas com modalidades como Yoga, HIIT, TaeKwonDo e Zumba. A segunda unidade fica na CEPE USP (Centro de Práticas Esportivas da USP), que funciona na Universidade de São Paulo, com uma área de 200m², podendo atender, gratuitamente, os mais de 90 mil alunos da instituição. Há ainda, no campus da Universidade, 10 estações de ginástica e alongamento disponíveis.

No Rio de Janeiro, o Santander apresenta o projeto pioneiro dessas ações, a Rio Academia, uma instalação completíssima na Praia de Ipanema, com espaço principal de 316m² e núcleos espalhados pela orla, em pontos como Leme, Copacabana, Arpoador e Pontal do Leblon. A estrutura principal dispõe de equipamentos em aço inox, simuladores de remo, um rig para exercícios livres, uma sala para as aulas em grupo e acessibilidade para cadeirantes à área de atividades funcionais.

Outra iniciativa são os Training Trucks. O projeto consiste em um furgão móvel, que pode se deslocar para diferentes pontos das cidades, ofertando aulas e equipamentos para modalidades como Yoga, Treinamento Funcional e HIIT. As cidades que já possuem o Training Truck são: Rio de Janeiro, com base na Praça Zózimo do Amaral; Goiânia, com base no Parque Areião e Brasília, com base no Parque da Cidade.

 

Calendário – Temporada 2018

Circuito Internacional de Tênis

ITF Future – Etapa 1

Local: São José do Rio Preto (SP)

Data: 21 a 29 de abril

Premiação: US$ 15 mil

Sede: Clube Harmonia de Tênis

ITF Future – Etapa 2

Local: Brasília (DF)

Data: 5 a 13 de maio

Premiação: US$ 15 mil

Sede: Clube do Exército

ITF Future – Etapa 3

Local: Ribeirão Preto (SP)

Data: 13 a 21 de outubro

Premiação: US$ 15 mil

Sede: a definir

ITF Future – Etapa 4

Local: Curitiba (PR)

Data: 20 a 28 de outubro

Premiação: US$ 15 mil

Sede: Graciosa Country Club

Tennis Classic

ITF Future

Local: São Paulo (SP)

Data: 28 de abril a 6 de maio

Premiação: US$ 15 mil

Sede: Clube Paineiras do Morumby

Campeonato Internacional de Tênis

ATP Challenger

Local: Campinas (SP)

Data: 29 de setembro a 7 de outubro

Premiação: US$ 50 mil + Hospedagem

Sede: Sociedade Hípica de Campinas