Wild, Feijão e Menezes vencem em Santiago. Bellucci e Rogerinho estreiam na 3ª feira

Três brasileiros estrearam com vitória no Challenger de Santiago, no Chile, que é disputado no saibro.

Nesta segunda-feira, o primeiro a vencer foi Thiago Wild, que anotou uma virada sobre o compatriota Pedro Sakamoto, com parciais de 2/6 6/2 e 6/3.

Agora, na segunda rodada, seu adversário será o experiente espanhol Pablo Andujar, em confronto que será inédito.

João Souza também passou pela estreia ao bater o austríaco Gerard Granollers em sets diretos, com parciais de 6/1 e 6/3, e já nesta terça terá pela frente o argentino Facundo Arguello.

João Menezes foi o outro brasileiro a vencer, anotando 6/2 e 7/6(4) sobre o russo Alen Avidzba e agora encara o boliviano Hugo Dellien, que vem de boas campanhas no Rio Open e no Brasil Open.

A terça-feira também será o dia da estreia de dois brasileiros que ficaram de bye na primeira rodada. Primeiro, Thomaz Bellucci, que joga contra o argentino Renzo Olivo. Depois, Rogerinho enfrenta o também argentino Camilo Ugo Carabelli.

Foto: Marcello Zambrana/DGW Comunicação

Bellucci vence português em Challenger nos EUA. Feijão e Sorgi vence no Uruguai

Thomaz Bellucci estreou com boa vitória no Challenger de Newport Beach, nos Estados Unidos, que é disputado no piso duro.

Nesta segunda-feira, o brasileiro superou o português Gastão Elias, em sets diretos, com parciais de 7/5 e 6/4, se classificando para a segunda rodada.

Seu próximo adversário, já nesta terça-feira, será o alemão Dominik Koepfer, nº 160 do mundo. Os dois já se enfrentaram uma vez, no quali do ATP de Wintson-Salem, no ano passado, com vitória do jogador europeu em três sets.

No Challenger de Punta del Este, no Uruguai, disputado no saibro, João Pedro Sorgi superou a primeira rodada ao bater o italiano Fabrizio Ornago por duplo 6/4, enquanto João Souza passou pelo norte-americano Preston Brown.

Sorgi, agora, enfrenta o eslovaco Andrej Martin, enquanto Feijão faz um confronto brasileiro contra Thiago Monteiro, já nesta terça.

Também em Punta del Este, Thiago Wild perdeu de virada para o argentino Gonzalo Villanueva, com parciais de 1/6  6/4 e 6/3, João Menezes perdeu para o francês Alexandre Muller por 6/2 6/1 e Oscar Gutierrez foi superado pelo chileno Gonzalo Lama por 7/6(2) e 6/2.

Bellucci estreia nesta 2ª feira em Challenger nos EUA. 5 brasileiros jogam no Uruguai

Thomaz Bellucci estreia nesta segunda-feira no Challenger de Newport Beach, nos Estados Unidos, que é disputado no piso duro.

O brasileiro, que vem do quali do Australian Open, terá pela frente um velho conhecido dos brasileiros, já que enfrenta o português Gastão Elias, nº 245 do mundo.

Os dois já se enfrentaram duas vezes, com o brasileiro vencendo no piso duro do ATP de Shenzen, em 2016, e o português levando a melhor no Challenger de Braunschweig, em 2017.

No Challenger de Punta del Este, no Uruguai, disputado no saibr, Thiago Wild joga a primeira rodada nesta segunda-feira, diante do argentino Gonzalo Villanueva. Em dois confrontos anteriores entre eles, uma vitória pra cada lado.

Mais quatro brasileiros entram em quadra nesta segunda, com João Souza enfrentando o jovem norte-americano Preston Brown, João Pedro Sorgi encarando o italiano Fabrizio Ornago e João Menezes jogando contra o francês Alexandre Muller.

Pra finalizar, Oscar Gutierrez terá pela frente o chileno Gonzalo Lama, nº 633 do mundo, em outro confronto que será inédito.

Clezar perde na estreia do Challenger de Noumea. Feijão joga nos EUA e Rogerinho na Austrália

Guilherme Clezar não começou bem sua temporada 2019 e foi eliminado na estreia do Challenger de Noumea, que  é disputado no piso duro.

Na madrugada de domingo para segunda-feira, o brasileiro perdeu de virada para o chileno Marcelo Tobias Barros Vera, com parciais de 4/6 6/2 e 6/3.

Nesta segunda-feira, será a vez de João Souza, o Feijão, estrear na temporada, jogando no Challenger de Orlando, nos Estados Unidos, diante do local Jared Hiltzik, em confronto que será inédito.

Rogério Dutra Silva, o Rogerinho, vai estrear na madrugada de terça-feira no Challenger de Playford, na Austrália, contra o francês Sadio Doumbia, nº 412 do mundo, também em confronto inédito.

Vale lembrar que partida de Rogerinho já será pela segunda rodada, com a nova chave de 48 jogadores deste tipo de torneio e, por ser cabeça de chave nº 10, o brasileiro ganhou bye na primeira rodada.

Em 2018, brasileiros tiveram grande queda no aproveitamento em partidas contra top-100

Em uma rápida percepção, é possível notar que o tênis masculino brasileiro, pelo menos no que se refere aos simplistas, não vive uma boa fase. Pelo contrário.

Nos últimos anos, o Brasil vem perdendo força não apenas em relação ao ranking ou às conquistas de grandes títulos, mas também no que tange ao aproveitamento em quadra diante de jogadores bem posicionados na lista da ATP.

Fizemos um levantamento do número de vitórias dos brasileiros em partidas contra jogadores do top-100, comparando com anos anteriores, e o que se percebe é um declínio acentuado no número de vitórias dos atletas nacionais contra jogadores desta faixa do ranking que, vale dizer, nem é das mais privilegiadas quando se trata de grandes torneios.

Vale apontar que não foi levado em conta o torneio em disputa, mas sim o ranking do adversário em questão, sendo possível notar que um dos melhores números do Brasil foi em 2015, quando foram conquistadas, no total, 36 vitórias sobre top-100, com a seguinte distribuição e aproveitamento de 36%.

Em 2016, o número de vitórias já começou a cair, apesar do aumento no aproveitamento, para 41%, com destaque ainda para o triunfo de Thiago Monteiro sobre o francês Jo-Wilfried Tsonga, então número 9 do mundo, na primeira rodada do Rio Open, na partida que praticamente apresentou o cearense o mundo. Além disso, também se destaca a vitória de Thomaz Bellucci sobre o belga David Goffin (13º) durante os Jogos Olímpicos.

Já em 2017, os números continuavam piorando, com queda nas vitórias e no aproveitamento, apesar do bom resultado de Bellucci sobre o japonês Kei Nishikori (5º) na estreia do Rio Open e de Rogerinho sobre Monfils no ATP 250 de Umag, além da vitória de Feijão sobre o argentino Horacio Zeballos na estreia do Brasil Open, última vitória do brasileiro sobre um jogador nesta faixa de ranking, até o momento.

Na atual temporada, os números pioraram de vez, com os brasileiros conseguindo um número muito abaixo, impulsionado pela quase ausência de vitórias de Bellucci, que não vem em sua melhor fase, com lesões e uma pausa por doping recentemente. O aproveitamento na temporada? 28%, em apenas 39 jogos disputados contra top-100 em todo ano.

Vale destacar que a única vitória de Bellucci sobre um top-100 em 2018 foi sobre o eslovaco Martin Klizan, no Challenger de Gênova. Pior do que isso, o jogador melhor ranqueado batido por um brasileiro no ano foi o espanhol Fernando Verdasco, superado por Monteiro nas oitavas do ATP 500 de Hamburgo. Mesmo ex-top 10, Verdasco era o 33º do mundo na ocasião.

Também é importante mencionar que não são apenas os números de vitórias e aproveitamento que ficam bem abaixo neste ano, mas também o número de partidas realizadas. Isso aponta para o declínio dos brasileiros no próprio ranking da ATP, já que a faixa do top-100 joga, em boa parte das semanas, torneios ATP’s, enquanto os tenistas do país ficaram nos Challengers em boa parte da temporada.

Feijão conquista terceiro título consecutivo, em Ribeirão Preto

João Souza, o Feijão, é o grande campeão da quarta etapa do Circuito Internacional de Tênis, apresentada pelo Santander e Ministério do Esporte. O paulista de Mogi das Cruzes de 30 anos conquistou neste domingo (18/11) seu terceiro troféu consecutivo diante de um grande público no Ipê Golf Club. Com o título da etapa final da disputa, o ex-top 70 fatura US$ 2.160 de premiação (equivalente a R$ 8.090,00) e soma 18 pontos na ATP.

Antes de triunfar em Ribeirão Preto, o principal favorito Feijão havia ficado com os títulos em São Carlos e em São Paulo. Este é seu quarto título da temporada do paulista, que também triunfou na Itália, em Bolzano, em agosto. Neste domingo, Feijão conquistou sua 15ª vitória consecutiva, após vencer o cabeça de chave 3 Christian Lindell, por 4/6 6/4 3-0 e desistência. O sueco abandonou a partida com dores na lombar.

“Fechar a temporada dessa forma é muito bom. Em 2019, vou começar muito bem, de uma forma que eu não estava esperando. Estou muito feliz mesmo. Hoje foi uma superação, estava muito cansado e ele (Lindell) estava melhor no jogo. Posso dizer que cheguei em um nível mental que queria chegar. Agora, falta melhorar tenisticamente para voltar pra cima de verdade mesmo”, afirma Feijão, após conquistar seu nono troféu de Future e que já possui nove títulos em ATP Challengers.

Com o título no Ipê Golf Club, Feijão, 366º, pode saltar mais de 50 posições no ranking, depois pouco de uma semana, quando os pontos forem adicionados. Após a gira dos cinco Futures do Brasil (Mogi das Cruzes, Curitiba, São Carlos, São Paulo e Ribeirão Preto), Feijão escalou por volta de 100 posições no ranking. “Pretendo jogar Challengers no início do próximo ano. Foi um ano de muito amadurecimento, estou muito satisfeito. Meu objetivo é disputar Roland Garros em maio”, analisa Feijão.

Com o vice, Lindell fica com US$ 1.272 (R$ 4.765,00) e ganha 10 pontos a mais no ranking. Apesar de não ter saído com o troféu de campeão, o sueco teve uma boa semana. “Gostaria de me desculpar por ter abandonado hoje, mas não tive condições físicas. Também quero agradecer a todos que compareceram e ao Instituto Sport por organizar o evento. Quero também parabenizar o Feijão pelo resultado”, disse, Lindell, 532º, que deve ficar próximo de 447º com os pontos conquistados nesta semana.

Após percorrer São José do Rio Preto, Brasília, Curitiba e Ribeirão Preto, foram concluídas as quatro etapas de 2018 do Circuito Internacional de Tênis. Foram três campeões brasileiros, com João Souza, Thiago Wild e Oscar Gutierrez, e um argentino, Francisco Cerundolo. Além disso, ao todo foram distribuídos US$ 60 mil (cerca de R$ 225 mil) em prêmios e pontos para o ranking mundial da ATP.

Foto: João Pires/Fotojump

Feijão vence 14ª partida consecutiva e decide título com Lindell em Ribeirão Preto

João Souza, o Feijão, e Christian Lindell decidem o título da quarta etapa do Circuito Internacional de Tênis, neste domingo (18/11), às 10h30, no Ipê Golf Club. O duelo entre Feijão e Lindell será uma reedição da final da semana passada em São Paulo. A partida de amanhã vai desempatar os confrontos entre os tenistas com três vitórias para cada lado. A etapa final do evento é apresentada pelo Santander e Ministério do Esporte. A entrada é gratuita.

Segundo favorito, Feijão, 366º, segue embalado e derrotou na semifinal o qualifier Alex Blumenberg por 6/3 6/1, sua 14ª vitória consecutiva. “Foi muito bom vencer em dois sets, assim tenho mais tempo para me recuperar para amanhã. Agora, estou quase lá, sair dessa gira com três títulos seria melhor do que o esperado. Amanhã, espero fechar a gira com chave de ouro”, conta o ex-top 70, que disputa sua terceira final consecutiva e 12ª da carreira de Futures.

Lindell, cabeça de chave 3, superou o segundo favorito, Daniel Dutra da Silva, por 6/2 6/1. Esta é a segunda final seguida de Lindell. Na semana passada, o sueco foi superado por Feijão em São Paulo. “Me concentrei muito para jogar hoje e fiquei muito feliz com meu desempenho. Agora, contra o Feijão, nos conhecemos muito bem, treinamos juntos por 12 anos. Ele vem confiante, mas espero poder jogar no meu melhor nível”, analisa Lindell, 532º, que disputa amanhã sua 24ª decisão em Futures.

Resultados de 17/11 – Sábado

Semifinais de simples

João Souza (BRA) [1] d. Alex Blumenberg (BRA) [Q]: 6/3 6/1

Christian Lindell (SUE) [3] d. Daniel Dutra da Silva (BRA) [2]: 6/2 6/1

Programação de 18/11 – Domingo

Final de simples

10h30

João Souza (BRA) [1] vs. Christian Lindell (SUE) [3]

Foto: João Pires/Fotojump

Feijão supera jovem Reis e chega à semi em Ribeirão Preto. Dutra da Silva enfrenta Lindell

João Souza, o Feijão, e Alex Blumenberg alcançaram as semifinais da quarta etapa do Circuito Internacional de Tênis, apresentada pelo Santander e Ministério do Esporte, nesta sexta-feira (16/11).  Em busca de uma vaga na final, os paulistas se enfrentam neste sábado, em horário a definir, no Ipê Golf Club. A revelação local de 16 anos, Gustavo Heide, vindo do qualifying, finalizou a campanha em Ribeirão Preto nas oitavas de final. A entrada é gratuita.

Feijão, principal favorito, conquistou sua 13ª vitória consecutiva depois de vencer uma batalha de 3h23 contra João Lucas Reis, de 18 anos, por 6/4 5/7 6/4, e sob um calor de 33 graus. “Acho que a minha experiência foi fundamental hoje. Senti um pouco o cansaço, depois de tantos jogos e também com o calor. Foi o jogo mais duro que fiz até agora dessa gira. Estou me elevando mentalmente nos momentos chaves do jogo e isso está fazendo a diferença”, afirma o paulista de 30 anos.

Feijão e Blumenberg se enfrentaram na semana passada em São Paulo, com vitória para o ex-top 70 por 7/6(4) 7/6(4). “O Blumenberg está jogando bem e está confiante, mas eu também estou confiante, depois de tantas vitórias. Espero poder tirar vantagem da minha experiência”, conta o paulista, 366º.

O qualifier Alex Blumenberg foi o primeiro tenista a garantir vaga na semifinal no Ipê Golf Club. O paulista de 26 anos superou o carioca Carlos Eduardo Severino, com duplo 6/4. Esta é sua primeira semifinal desde setembro de 2016 e ele enfrenta Feijão em busca de uma final inédita na carreira.  O paulista Daniel Dutra da Silva e o sueco Christian Lindell se enfrentam na semifinal.

Segundo favorito, Dutra da Silva derrotou nas quartas de final o paulista Fernando Yamacita, por 6/0 6/2. “Entrei bem firme, taticamente joguei muito bem e aproveitei minhas chances. Estou me sentindo bem para jogar aqui, apesar do calor”, conta Dutra da Silva, 499º, que tenta sua segunda final da temporada. Recordista brasileiro em Futures, com 23 troféus, Dutra da Silva venceu o único confronto com Lindell, em 2013.

No último duelo de quartas de final da programação, o cabeça de chave 3, Christian Lindell ganhou rodada dupla, após passar pelo suíço Aaron Schmid por 6/2 7/6(3). Mais cedo, o sueco havia vencido Gustavo Heide, na partida adiada pela chuva.

Foto: João Pires/Fotojump

Feijão vence mais uma e encara João Lucas Reis por vaga na semi em Ribeirão Preto

João Souza, o Fejão, avançou às quartas de final do Circuito Internacional de Tênis. O principal favorito conquistou sua 12ª vitória consecutiva nesta quinta-feira (15/11) e agora enfrenta pela primeira vez João Lucas Reis, cabeça de chave 5, de 18 anos, por vaga na semifinal, amanhã por volta das 12h30. A quarta etapa do Future é apresentada pelo Santander e Ministério do Esporte. A entrada é gratuita no Ipê Golf Club.

Feijão superou João Okano, que ganhou um wild card e marcou seu primeiro ponto em Ribeirão Preto, por 6/2 6/1. “Joguei bem e sólido, tentando encurtar os pontos. Agora, é me hidratar bem para amanhã. Jogo contra o Reis, um garoto bem promissor e profissional. Temos bons nomes de jogadores da nova geração, além do João (Reis), principalmente o Thiago Wild. Tem também o (Matheus) Pucinelli, entre outros. É difícil falar até onde eles vão chegar, mas eles têm nível para ir longe. Precisamos de nomes fortes para substituir a minha geração de tenistas”, conta o paulista de 30 anos.

A chuva atrapalhou o andamento da última rodada desta quinta-feira. Cabeça de chave 3, o sueco Lindell havia vencido o primeiro set, por 7/5. Mas, no tiebreak da segunda parcial, quando o tenista de Ribeirão Preto, de 16 anos, liderava por 2-0, o mau tempo atrapalhou a partida. Lindell e Heide retomam o duelo nesta sexta-feira, por volta das 12h30. O vencedor do confronto entrará em quadra novamente não antes das 17h30.

A programação de amanhã foi reajustada por conta da chuva. Alex Blumenberg e Carlos Eduardo Severino abrem a rodada às 11h. A seguir, acontece o término do duelo de Lindell e Heide. João Souza, o Feijão, e João Lucas Reis se enfrentam não antes das 13h30. Fernando Yamacita e Daniel Dutra da Silva duelam não antes das 15h30.

Programação de 16/11 – Sexta-feira – Revisada

Quadra Central

11h

Alex Blumenberg (BRA) vs. Carlos Eduardo Severino (BRA)

A seguir

A terminar 7/5 6/6 0/-2 Lindell

Gustavo Heide (BRA) [Q] vs. Christian Lindell (SUE) [3]

Não antes das 13h30

João Souza (BRA) [1] vs. João Lucas Reis (BRA) [5]

Não antes das 15h30

Fernando Yamacita (BRA) [8] vs. Daniel Dutra da Silva (BRA) [2]

Não antes das 17h30

Aaron Schmid (SUI) [7] vs. Christian Lindell (SUE) ou Gustavo Heide (BRA)

Não antes das 19h

Bernardo Oliveira (BRA)/Eduardo Ribeiro (BRA) vs. João Lucas Reis (BRA)/Fernando Yamacita (BRA) [4]

 

Quadra 3

Não antes das 16h30

Mateus Alves (BRA)/Augusto Laranja (BRA) vs. Rafael Matos (BRA)/ André Miele (BRA)

Feijão bate Lindell na decisão do Future de São Paulo e conquista seu 2º título seguido

João Souza, o Feijão, celebrou neste domingo a conquista do IS Open São Paulo Ano VI. O brasileiro, ex-top 70 do mundo, manteve o bom nível de tênis da semana ao derrotar o sueco Christian Lindell, parciais 6/1 7/6 (4), e coroou o momento de recuperação no circuito internacional com o segundo troféu Future em duas semanas e o terceiro em 2018.

“Tem sido um momento muito especial, me sinto bem fisicamente e com bastante confiança, o que sem dúvida contou bastante nesta final e tem feito toda a diferença para atingir essa sequência de 10 vitórias consecutivas”, disse o paulista, que deve subir próximo para a 336ª colocação do ranking mundial com os 18 pontos conquistados em São Paulo.

“Meu objetivo era jogar bem nestes últimos cinco torneios do Brasil. Vejo que meu mental está voltando, a clareza do jogo também e agora eu quero atingir os 15 jogos de invencibilidade”, analisou o tenista, que comemorou a conquista do IS Open ao lado da família e dos amigos que vieram de Mogi das Cruzes/SP, sua cidade natal.

Além dos pontos no ranking, Feijão recebe US$ 2.160 pelo título. Após São Paulo, o tenista segue para Ribeirão Preto, onde jogará o seu último torneio na temporada. O vice-campeão Christian Lindell somará 10 pontos e fatura US$ 1.272 pela campanha no saibro paulista.

Campanha João Souza – IS Open São Paulo Ano VI

1ª rodada – d. Alex Blumenberg (BRA) – 7/6 (4) 7/6 (4)

2ª rodada – d. Alexandre Tsuchiya (BRA) – 6/4 6/4

Quartas de Final – d. José Pereira (BRA) 3/6 7/5 6/4

Semifinal – d. Nicolas Santos (BRA) – 6/2 7/6 (2)

Final – d. Christian Lindell (SUE) – 6/1 7/6 (4)

Foto: João Pires/Fotojump