Bellucci vence outra e vai às 8ªs em Newport Beach. Monteiro bate Feijão no Uruguai

Thomaz Bellucci conseguiu sua segunda vitória seguida no Challenger de Newport Beach, nos Estados Unidos, que é disputado no piso duro.

Nesta terça-feira, o brasileiro passou bem pelo alemão Dominik Koepfer, em sets diretos, com um duplo 6/4, conquistado sua vaga nas oitavas de final do torneio.

Agora, por vaga nas quartas de final, ele terá um desafio que deve ser mais duro pela frente, já que enfrenta o sérvio Miomir Kecmanovic, nº 125 do mundo e cabeça de chave nº 7. Os dois já se enfrentaram duas vezes, ambos no ano passado e em Challengers, com Bellucci vencendo em Tallahassee e Kecmanovic levando a melhor em Lisboa.

Já no Challenger de Punta del Este, no Uruguai, disputado no saibro, Thiago Monteiro levou a melhor no confronto nacional contra João Souza, ao triunfar com parciais de 7/6(6) 6/2 e garantindo sua vaga nas oitavas para enfrentar na quinta-feira o chileno Gonzalo Lama, que superou o brasileiro nas duas partidas disputadas entre eles até o momento.

Também no Uruguai, Pedro Sakamoto perdeu na primeira rodada para o argentino Matias Descotte, com parciais de 6/4 e 6/1,

Para esta quarta-feira está marcada a estreia de Rogério Dutra Silva, o Rogerinho, já na segunda rodada, enfrentando o colombiano Alejandro Gonzalez, nº 326 da ATP. Os dois já se enfrentaram cinco vezes, com três vitórias de Gonzalez.

No Challenger de Burnie, na Austrália, disputado no piso duro, Guilherme Clezar parou na primeira rodada diante do local Jeremy Beale, que venceu por 6/2 e 6/4.

Thiago Monteiro é superado na última rodada do qualfiying em Melbourne

O tenista brasileiro Thiago Monteiro foi superado na madrugada desta sexta-feira, na última rodada do qualifying em Melbourne, onde está sendo disputado o primeiro Grand Slam da temporada. Ele foi derratado pelo sérvio Miomir Kecmanovic, por 6/2 6/1.

“O adversário realmente foi bem superior durante o jogo tudo. Tive um pouco de chance no começo da partida, não aproveitei e ele subiu rápido de nível de jogo até o final,” disse o cearense.

Thiago Monteiro permanecerá em Melbourne nos próximos dias, caso haja alguma desistência de jogador da chave principal. É o quinto na lista de lucky losers.

Depois ele volta para a América do Sul para jogar o Challenger de Punta del Este e os ATPs da Argentina (Córdoba e Buenos Aires) e do Brasil (Rio Open e Brasil Open).

Thiago Monteiro supera francês e alcança a última rodada do quali do Australian Open

O tenista brasileiro Thiago Monteiro, número 127 do ranking mundial, é o único brasileiro na rodada final do qualifying masculino do Australian Open, o primeiro Grand Slam do ano. O cearense de 24 anos derrotou o francês Gregoire Barrere por duplo 6/3 na noite de quarta-feira em Melbourne e está a uma vitória da chave principal do primeiro Grand Slam de 2019.

“Foram dois jogos muito bons. Estou bem consistente, sacando bem, fazendo meu jogo e entrando bem na devolução, algo que eu melhorei bastante. Estou me sentindo bem sólido”, disse Monteiro, que joga contra o sérvio Miomir Kecmanovic, 126º do mundo, nesta quinta-feira (10). “Rodada final de quali de Grand Slam é sempre dura, não importa o adversário. Estou fazendo uma boa recuperação para jogar meu melhor tênis”, acrescentou.

O resultado contra Barrere foi mais tranquilo do que o da primeira rodada, em que Monteiro precisou virar contra o australiano Aleksandar Vukic. “Era um convidado sem pressão e bom sacador, mas eu fui forte mentalmente para entrar no jogo no segundo set. Hoje eu sabia que o adversário era perigoso também, muito agressivo, mas pude administrar bem no meu saque”, avaliou o cearense.

Monteiro também destacou sua preparação para o quali em Melbourne. “As quadras estão rápidas. Os estádios maiores são mais lentos, mas não jogamos neles no quali, então consegui me adaptar bem. Joguei bem em Pune, depois cheguei alguns dias antes na Austrália”, concluiu.

Monteiro vira sobre australiano no quali do Australian Open. Clezar perde

Thiago Monteiro conseguiu uma ótima virada e passou pela estreia do qualifying do Australian Open, primeiro Grand Slam da temporada, disputado no piso duro de Melbourne.

O brasileiro saiu atrás, mas conseguiu se recuperar e vencer o australiano Aleksandar Vukic, com parciais de 3/6 7/6(5) e 6/3, garantindo sua vaga na segunda rodada.

Agora, Monteiro terá pela frente o francês Gregoire Barrere, nº 158 do mundo. Os dois já se enfrentaram duas vezes, com o brasileiro levando a melhor no saibro do Challenger de Lyon, em 2016, enquanto o francês venceu no quali de Wimbledon, no ano passado.

Quem não conseguiu vencer foi Guilherme Clezar, que fez um jogo muito duro contra o alemão Rudolf Molleker, mas acabou superado em dois tiebreaks, com parciais de 7/6(10) e 7/6(6).

Na noite desta terça-feira, o Brasil entra em quadra novamente, com Rogério Dutra Silva fazendo sua estreia no quali diante do britânico Daniel Evans.

Já na madrugada de quarta-feira, Thomaz Bellucci fará sua primeira partida em Melbourne, enfrentando o experiente tcheco Lukas Rosol.

Monteiro e Clezar jogam no 1º dia do quali do Australian Open. Bellucci e Rogerinho conhecem adversários

Foi sorteada nesta segunda-feira a chave do qualifying do Australian Open, primeiro Grand Slam da temporada, disputado no piso duro de Melbourne.

O primeiro tenista do país a entrar em quadra será Guilherme Clezar, que terá pela frente, por volta da 0h da madrugada de terça-feira, o alemão Rudolf Molleker, nº 200 do mundo, em confronto que será inédito.

Quem também joga no primeiro dia é Thiago Monteiro, que enfrenta o local Aleksandar Vukic, nº 340 da ATP, em outro confronto inédito.

No segundo dia, quem vai jogar é Thomaz Bellucci, encarando o experiente tcheco Lukas Rosol. Os dois já se enfrentaram quatro vezes, com três vitórias do brasileiro.

Embalado pelo título do Challenger de Playford City, Rogério Dutra Silva joga contra o britânico Daniel Evans. Será o primeiro jogo entre eles.

Depois de entrar como lucky-loser, Monteiro perde para Paire na 1ª rodada do ATP de Pune

Depois de ser eliminado na última rodada do qualifying, Thiago Monteiron conseguiu entrar como lucky-loser no ATP 250 de Pune, na Índia, que é disputado no piso duro.

Porém, o brasileiro não foi bem e acabou perdendo na primeira rodada. O responsável por sua eliminação foi o francês Benoit Paire, que venceu em sets diretos, com parciais de 7/6(6) e 6/3.

Por não defender os pontos do ano passado, quando furou o quali e parou nas oitavas de final, Monteiro vai caindo no ranking da ATP. Por enquanto, vai perdendo 7 posições, indo para o 127º lugar.

Monteiro leva virada no quali do ATP 250 de Pune, na Índia

Thiago Monteiro foi eliminado no qualifying do ATP 250 de Pune, na Índia, que é disputado no piso duro.

Neste domingo, o brasileiro até começou bem, mas acabou levando a virada do francês Antoine Hoang, que triunfou com parciais e 4/6 6/3 e 6/2.

Com a campanha, o brasileiro não tem alterações no seu atual ranking, 123º posto, mas pode cair na lista da ATP por não defender a campanha do ano passado, quando furou o quali e parou nas oitavas de final.

Monteiro bate alemão e vai à rodada final do quali do ATP 250 de Pune, na Índia

Thiago Monteiro começou muito bem sua temporada, com uma boa vitória na primeira rodada do quali do ATP 250 de Pune, na Índia, que é disputado no piso duro.

Neste sábado, o brasileiro venceu o alemão Daniel Brands, em sets diretos, com parciais de 7/6(5) e 7/5, garantindo sua vaga na segunda rodada do quali.

Agora, por vaga na chave principal, Monteiro terá pela frente o francês Antoine Hoang, nº 145 do mundo, em confronto que será inédito.

Thiago Monteiro embarca para a temporada 2019 com novo patrocínio

Thiago Monteiro embarca nesta segunda-feira para iniciar a temporada 2019 com novo patrocínio, o da SMZTO Holding de Franquias, empresa responsável pela expansão de grandes marcas do franchising brasileiro e pela Espaçolaser, maior rede de depilação a laser do mundo. Thiago viaja para Pune, para disputar o ATP indiano depois de uma inédita pré-temporada em Buenos Aires, ao lado do treinador argentino, Fabian Blengino.

“Para nós é um privilégio apoiar o esporte brasileiro, ainda mais em se tratando de uma carreira tão promissora quanto a de Thiago Monteiro. Esperamos contribuir para seu avanço”, afirma José Carlos Semenzato, fundador da SMZTO.

A escolha do atleta se deu pelo alinhamento de sua postura e princípios com a filosofia da holding. “Responsabilidade, excelência e persistência são valores muito importantes no nosso dia a dia, que queremos propagar em diversos aspectos da sociedade”, completa Semenzato.

Para a Espaçolaser, a parceria com o jogador tem como propósito também a melhor comunicação com o público masculino, que compreende 20% do total de clientes da rede. “Os homens são extremamente estratégicos para o nosso negócio, tanto que acabamos de inaugurar uma unidade exclusiva para atendimento masculino. O Thiago chega para reforçar o diálogo com esse público.”, explicam os sócios fundadores da Espaçolaser, Paulo Morais e Ygor Moura.

Nascido em Fortaleza (CE), o esportista de apenas 24 anos conquistou importantes feitos no esporte, como uma vitória sobre Jo-Wilfried Tsonga, ranking #9 do mundo, em 2016. Thiago também alcançou um incrível resultado no Brasil Open, chegando às quartas de final, que contribuiu para o crescimento de sua popularidade no Brasil. Atualmente é o tenista número um do Brasil e 123o. do ranking mundial.

“É uma satisfação imensa estar ao lado de uma empresa sólida e que vem crescendo cada vez mais como o Espaçolaser. Me dá ainda mais confiança para seguir buscando também crescer como tenista,” disse Thiago, que tem a carreira agenciada pela Linkinfirm do ex-tenista Marcio Torres e também conta com o patrocínio da Angá Asset Management, Joma, Elemídia e Babolat.

O tenista disputa na Índia o primeiro ATP da temporada, depois parte para o qualifying do Australian Open e para os torneios da América do Sul que compreendem os ATPs de Cordoba, Buenos Aires, o Rio Open e o Brasil Open.

Monteiro, Rogerinho, Soares e Melo defendem o Brasil na Davis, contra a Bélgica

O Brasil irá com força total em busca de uma vaga no Grupo Mundial da Copa Davis, contra a Bélgica. A equipe comandada pelo capitão João Zwetsch será formada pelos dois brasileiros mais bem colocados no ranking de simples da ATP, o cearense Thiago Monteiro (123o) e o paulista Rogério Dutra Silva (165o), e terá a forte dupla composta pelos mineiros Bruno Soares (7o) e Marcelo Melo (9o), além do paranaense Thiago Wild (530o), de apenas 18 anos, como quinto jogador.

O confronto será disputado nos dias 1 e 2 de fevereiro de 2019 no saibro do Ginásio Sabiazinho, em Uberlândia-MG. (Clique aqui para adquirir seu ingresso).

“A equipe está bem formada. Rogerinho e Monteiro são os dois jogadores que tiveram os melhores resultados em 2018. A volta do Bruno também é importante para a equipe. O Bruno e o Marcelo são uma das melhores duplas da Copa Davis nos últimos anos, apesar de o Marcelo Demoliner ter demonstrado que pode suprir uma eventual ausência de um dos dois com qualidade. E o Thiago Wild como quinto jogador, de acordo com nosso critério de sempre chamar um garoto na fase de transição, que tenha qualidade e possa jogar eventualmente”, explicou Zwetsch.

O capitão brasileiro acredita em um confronto duro contra os belgas, que devem ter David Goffin, atual 22 do mundo e ex-top 10, na equipe. Mas Zwetsch aposta no fator casa para fazer a diferença. A última vez que o Brasil jogou em casa na Copa Davis foi em 2016, em Belo Horizonte, quando venceu o Equador por 3 a 1.

“A gente prevê um jogo muito difícil contra a Bélgica do Goffin, que vem jogando em um nível muito alto nos últimos anos e consequentemente eleva o nível da equipe. Será um confronto difícil, mas o fator local ainda é importante na Copa Davis. O apoio da torcida, a energia que ela traz para dentro do jogo é muito importante. Temos que aproveitar bem isso. Nossa torcida é sempre forte, nos ajuda muito e tenho certeza que dessa vez será da mesma forma”, destacou.

O número 1 do Brasil, Thiago Monteiro também confia na força do fator local. O tenista, que está em pré-temporada com sua nova equipe na Argentina, está bastante motivado para o confronto contra a Bélgica e tem como uma das metas para 2019 obter um bom resultado na Copa Davis.

“Sem dúvida jogar em casa depois de cinco confrontos fora será uma motivação a mais. Sentir o calor da torcida, aquele clima diferenciado que a Davis proporciona. Estou muito motivado com minha nova equipe fazendo a pré-temporada, pretendo ter um grande ano em 2019 e jogar bem na Davis, ajudando a classificar o Brasil para o Grupo Mundial. Essa é uma meta não apenas minha, mas de toda a equipe”, ressaltou Monteiro.

De volta à equipe, após priorizar seu calendário na ATP em 2018, Rogerinho também está motivado. “Muito legal estar voltando para a Copa Davis, uma das competições que eu mais gosto. Jogar em casa, ainda mais agora que será diferente daqui pra frente. Então, vai ser muito bacana jogar, espero que possamos sair com a vitória em casa e quem sabe jogar o Grupo Mundial”, projetou.

Bruno Soares, que também não jogou os confrontos da Davis em 2018 por questões pessoais – o nascimento do segundo filho –, também está feliz por voltar a representar o Brasil na competição entre países. “Depois de um ano afastado por questões pessoais será legal demais voltar para a equipe. Jogar em casa para classificar nesse formato novo. Muito bacana para o Brasil. Estou muito feliz em ser chamado e ter a confiança do capitão. Expectativa boa demais de jogar em terras mineiras. Muito especial. Espero que eu e Marcelo possamos contribuir com nosso ponto”, afirmou o tenista de Belo Horizonte.

Sétimo jogador que mais defendeu o Brasil em Copa Davis com 21 participações, Marcelo Melo comemorou mais uma convocação. “Estou muito feliz em mais uma vez ser convocado para fazer parte da equipe. Todos sabem a importância que eu dou para a Copa Davis, tenho um orgulho enorme em defender o Brasil”, revelou.

Por fim, o jovem Thiago Wild, que fez uma excelente temporada em 2018, conquistando o inédito título do US Open juvenil para o Brasil, e fazendo bons jogos no profissional, também ficou feliz com a convocação.

“Fazer parte da equipe da Davis é sempre muito interessante, o ambiente é bom e a convivência é legal. Eu já faço parte da equipe da Davis há dois anos, mas como jogador será a segunda vez. Como estou começando agora, acho que aos poucos irei me acostumando com o torneio, com o modo dos jogos e irei ganhando espaço na equipe”, avaliou Wild, que foi convocado pela primeira vez em Santo Domingo e participou do Programa Juniors/Pró da CBT, que dá a oportunidade para jovens tenistas acompanharem os profissionais na Copa Davis e em grandes torneios.

Este será o quarto confronto entre Brasil e Bélgica e a equipe brasileira tentará quebrar o tabu de nunca ter vencido os belgas na Copa Davis. Os europeus venceram os três duelos anteriores, todos em casa, em 1960, em 1993 (quando o Brasil perdeu o mando de quadra) e em 2016.

Caso vença a Bélgica, o Brasil garantirá vaga na fase final da competição, na Espanha, entre os dias 18 e 24 de novembro. Em 2019, a tradicional competição terá novo formato com 18 países disputando o cobiçado troféu em Madri, ao fim da temporada, depois do ATP Finals.