Depois da recusa de Mauresmo, Grosjean será o novo capitão francês na Davis

O ex-tenista Sebastien Grosjean foi escolhido para ser o capitão da equipe francesa na Copa Davis e nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.

Campeão do Masters 1000 de Paris, em 2001, o francês, aposentado desde 2010, substitui Yannick Noah, que deixou o cargo após o vice da Davis neste ano, quando perdeu para o Croácia.

A primeira escolhida para o novo período foi Amélie Mauresmo, mas ela declinou do convite e preferiu ser treinadora do também francês Lucas Pouille.

Apesar das críticas recentes de alguns jogadores ao novo formato do torneio, o diretor técnico Pierre Cherret garantiu que os jogadores se comprometeram a jogar a competição em 2019.

Cilic confirma o ponto decisivo sobre a França e o bi da Croácia na Copa Davis

Depois do belo desempenho na sexta-feira, a Croácia confirmou neste domingo o título da Copa Davis, principal conflito entre países do tênis.

No saibro indoor de Lille, na França, os donos da casa até renovaram as esperanças com a vitória nas duplas, no sábado, mas Marin Cilic tratou de encerrar o confronto na primeira partida do domingo.

A equipe da casa alterou seu jogador para o primeiro jogo do dia, colocando Lucas Pouille no lugar do experiente Jeremy Chardy, mas mesmo assim não foi o suficiente. O tênis sólido de Cilic foi responsável por uma vitória em sets diretos, com parciais de 7/6(3) 6/3 e 6/3, confirmando o segundo título dos croatas na História da competição.

“Não é todo dia que você se torna um campeão mundial”, disse Cilic. “Para nós, é um sonho que se torna realidade. Nós somos tão apaixonados, você pode ver que os fãs estão se divertindo. Eu sinto que na Croácia isso vai ser incrível também.” concluiu.

Vale notar que, jogando com o apoio de mais de 20 mil torcedores, a França buscava seu 11º título, na última edição da Copa Davis no atual formato.

Fora de casa, Croácia abre vantagem sobre a França e fica perto do bi da Copa Davis

A Croácia está muito perto do título na última edição, nestes moldes, da Copa Davis, principal torneio entre países do tênis.

Na final contra a França, fora de casa, em Lille, os visitantes mostraram toda a qualidade da sua equipe para abrir vantagem no confronto disputado no saibro indoor.

Na primeira partida do dia, Borna Coric não deu muitas chances ao local jeremy Chardy e venceu em sets diretos, com parciais de 6/2 7/5 e 6/4.

Depois, muita experiência em quadra na partida entre Jo-Wilfried Tsonga e Marin Cilic, que levou a melhor, também em três sets, com parciais de 6/3 7/5 e 6/4.

Agora, com 2 x 0 de vantagem, basta mais uma vitória da Croácia para que o país conquiste seu segundo título da Copa Davis, enquanto os franceses buscam a 11ª conquista.

A definição pode acontecer neste sábado, na partida de duplas, com Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut defendendo a França e Ivan Dodig e Mate Pavic jogando pela Croácia.

França e Croácia decidem a Copa Davis a partir desta sexta, em Lille

Começa nesta sexta-feira a final da Copa Davis, principal competição entre países do tênis, que terá sua última decisão neste formato de disputa.

O local da decisão será o mesmo do ano passado, o Stade Pierre Mauroy, em Lille, na França, local que em 2017 viu os franceses ficarem com o troféu depois de 16 anos, em confronto contra os belgas.

Agora, em 2018, os adversários serão os croatas, em confronto que será disputado no saibro indoor.

Na primeira partida do dia, o local Jeremy Chardy terá pela frente o croata Borna Coric, enquanto Jo-Wilfried Tsonga está escalado pra representar os donos da casa no segundo jogo, diante de Marin Cilic.

Vale lembrar que a França luta pelo seu 11º título, enquanto a Croácia vai buscar o bicampeonato, depois do triunfo em 2005.

EUA igualam confronto, mas Coric dá ponto decisivo aos croatas, que encaram a França na final da Davis

Está definida a grande final da Copa Davis, principal competição entre países do tênis e que pela última vez é disputada neste formato.

A primeira classificada neste final de semana foi a França, atual campeã, que depois de abrir 2×0 na sexta-feira, fechou o confronto já no sábado, com a vitória de Julien Benneteau e Nicolas Mahut sobre Marcel Granollers e Feliciano Lopez, por 3×0.

No domingo, só cumprindo tabela, Albert Ramos bateu Richard Gasquet e Marcel Granollers venceu Nicola Mahut, definindo o confronto em 3×2 para os francês, donos da casa.

No outro confronto, muito mais equilíbrio, depois do que parecia ser mais tranquilo quando os croatas abriram 2×0 sobre os norte-americanos na sexta-feira.

No sábado, uma vitória do time visitante pra diminuir a vantagem, com Mike Bryan e Ryan Harrisson passando por Ivan Dodig e Mate Pavic por 3×2.

No domingo, Marin Cilic não confirmou o favoritismo e levou uma virada em quatro sets de Sam Querrey, que empatou o confronto e levou pro quinto e decisivo ponto.

Borna Coric e Francis Tiafoe fizeram um jogo nervoso, equilibrado, com chances pros dois lados, mas que acabou com um triunfo de virada do time da casa, com vitória por 3×2 no jogo e no confronto.

Campeã em 2005 e vice em 2016, os croatas terão que buscar o bicampeonato fora de casa, já que o mando será dos franceses, que já possuem 10 títulos do torneio.

Franceses e croatas abrem vantagem e podem garantir final da Davis neste sábado

Croácia e França estão muito perto da final da Copa Davis, principal competição entre países do mundo do tênis.

Nesta sexta-feira, a França, atual campeã, jogando em casa, no piso duro de Lille, não deu chances ao time da Espanha – sem Nadal – e abriu 2×0.

Primeiro, com Benoit Paire, que anotou um consistente 3×0 sobre Pablo Carreno Busta. Depois, Lucas Pouille foi ao 5º set pra superar Roberto Bautista-Agut.

Com isso, os franceses terão a chance de fechar o confronto neste sábado, na partida de duplas em que terão como representantes Julien Benneteau e Nicolas Mahut, enquanto os espanhóis terão Marcel Granollers e Feliciano Lopez.

No saibro de Zadar, na Croácia, o time dá casa se impôs diante dos Estados Unidos e também abriu 2×0, começando com Borna Coric, em vitória por 3×0 sobre Steve Johnson. Depois, Marin Cilic anotou o mesmo placar sobre Francis Tiafoe.

Com isso, os croatas, com Ivan Dodig e Mate Pavic, podem garantir a vitória neste sábado, mas terão pela frente a dupla formada por Mike Bryan e Ryan Harrisson.

Gasquet desabafa sobre título francês na Davis: “Não dirão mais que não ganhamos”

Sabidamente, há alguns anos a atual geração de tenistas franceses é considerada uma das mais talentosas. E ao que parece, a recente conquista da Copa Davis parece ter servido como um grande desabafo, uma pressão que deixa de existir sobre jogadores como Richard Gasquet, Jo-Wilfried Tsonga, Gilles Simon e Gael Monfils (apesar de este não ter jogado durante a campanha).

Pelo menos, é o que demonstrou Gasquet, que falou sobre o alívio para os franceses por ter conquistado o principal título entre países do tênis:

“É muito bonito ter vencido. Eu comecei a jogar a Copa Davis em 2005, então são 13 anos na equipe. Agora, não dirão mais que não ganhamos a Davis.”, disse o francês, que falou também sobre frustração de ter perdido a final para a Suíça de Roger Federer, em 2014.

“Tínhamos jogado duas finais, uma delas foi muito dolorosa, contra a Suíça de Federer e Wawrinka (o outro vice foi diante da Sérvia, em 2010), mas agora deixamos isso pra trás” continuou o atual nº 31 do mundo.

Além disso, Gasquet já se mostrou animado para a edição 2018 do torneio: “No próximo ano, poderemos tentar novamente. Este ano, éramos favoritos, então era importante ganhar.” concluiu.

Tsonga e Goffin confirmam favoritismo e o 1º dia da final da Copa Davis acaba empatado

Tudo igual depois do primeiro dia de jogos com vitória dos favoritismo na final da Copa Davis, no piso duro coberto em Lille, na França.

Na primeira partida, David Goffin, embalado pelo recente vice campeonato do ATP Finals, não deu muitas chances ao francês Lucas Pouille e venceu em sets diretos, com parciais de 7/5 6/3 e 6/1.

Na sequência, Jo-Wilfried Tsonha se impôs diante do belga Steve Darcis, perdeu apenas seis games  e anotou 6/3 6/2 e 6/1.

No sábado, será disputado o ponto de duplas, com os franceses representados por Pierre-Hugues Herbert e Richard Gasquet, enquando os belgas jogarão com Ruben Bemelmans e Joris De Loore.

Vale destacar que os franceses estão em busca do 10ª título do torneio, enquanto a Bélgica busca o primeiro troféu.

Bélgica vira sobre Austrália e enfrenta a França na final da Copa Davis

França e Bélgica farão a grande final da Copa Davis 2017, principal competição entre países do tênis, que teve suas semifinais disputadas neste final de semana.

Neste domingo, Jo-Wilfried Tsonga entrou em quadra com a chance de definir o confronto e não desperdiçou a chance diante da grande torcida presente no saibro do estádio Pierre Mauroy, em Lille.

De virada, o francês triunfou por 3×1 e definiu a vitória da equipe da casa, que vai em busca do 10º campeonato, sendo o mais recente em 2001.

Quem vai enfrentar a França na final será a Bélgica, que conseguiu uma bela virada sobre a Austrália diante dos seus torcedores no saibro de Bruxelas depois de ficar em desvantagem no jogo de duplas.

Na primeira partida do dia, David Goffin triunfou sobre Nick Kyrgios por 3×1 e no último ponto do confronto, Steve Darcis levou os belgas ao delírio vencendo Jordan Thompson por 3×0.

A Bélgica ainda não tem título de Copa Davis, mas ficaram com o vice recentemente, em 2015, quando perderam pra Grã-Bretanha liderada por Andy Murray.

Franceses e australianos vencem duplas e ficam mais perto da final da Copa Davis

França e Austrália ficaram mais perto da final da Copa Davis, principal competição entre países do tênis mundial, que tem semifinais disputadas neste final de semana.

No saibro de Lille, os franceses fizeram a festa da torcida da casa, com a confirmação do favoritismo da forte dupla formada por Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut, que venceram os sérvios Filip Krajinovic e Nenaz Zimonjic, por 3×0.

Agora, uma vitória de Jo-Wilfried Tsonga sobre Dusan Lajovic, no primeiro jogo do domingo, dá a vaga na decisão aos franceses. Se Lajovic vencer, os sérvios entram no quinto jogo com Laslo Djere diante de Lucas Pouille.

Já os australianos, jogando fora de casa, no saibro de Bruxelas, garantiram a virada no confronto com a dupla formada por John Peers e Jordan Thompson, que não deram chances aos locais Ruben Bemelmans e Arthur De Greef, vencendo por 3×0.

No domingo, David Goffin e Nick fazem o jogo que pode ser decisivo. Se a vitória for do belga, Steve Darcis tentará a virada pro time da casa contra John Millman.