Sakkari surpreende Swiatek e enfrenta Krejcikova na semi em Paris. Pavlyuchenkova encara Zidansek

Atual campeã e favorita para repetir o feito neste ano, a polonesa Iga Swiatek foi eliminada nas quartas de final de Roland Garros, segundo Grand Slam da temporada, disputado no saibro de Paris, na França.

Nesta quarta-feira, a número 9 do mundo foi superada pela grega Maria Sakkari, que triunfou em sets diretos, com um duplo 6/4, garantindo sua vaga na semifinal.

“É uma grande conquista, com certeza. Estou curtindo…Tenho pessoas ao meu redor dizendo que isso aconteceria…elas estavam certas” disse Sakkari depois da partida.

Agora, por vaga na final, ela terá pela frente a tcheca Barbora Krejcikova, que passou pela jovem norte-americana Coco Gauff. E isso depois de ver a adversária perder 5 set-points na primeira parcial. Krejcikova foi paciente pra virar o set e confirmar em seguida a vitória, com parciais de 7/6(6) e 6/3.

Sakkari e Krejcikova já se enfrentaram duas vezes ao longo da carreira, uma no saibro e outra no piso duro. Nas duas oportunidades, a tcheca levou a melhor.

A outra semi, que também será disputada nesta quinta-feira, será entre a russa Anastasia Pavlyuchenkova e a eslovena Tamara Zidansek, em confronto que será inédito.

Swiatek tem trabalho, mas aplica pneu e garante vaga nas oitavas de Roland Garros

A polonesa Iga Swiatek segue com seu excelente ritmo e garantiu neste sábado sua vaga nas oitavas de final de Roland Garros, segundo Grand Slam da temporada, disputado no saibro de Paris, na França.

A atual campeã até enfrentou resistência da estoniana Annet Kontaveit, que teve quebra de saque de vantagem na primeira parcial, mas não conseguiu sustentar e viu Swiatek reagir pra vencer o set no tiebreak e emendar com um pneu na sequência.

Agora sua próxima adversária será a ucraniana Marta Kostyuk, nº 81 do mundo, em confronto que será inédito.

Outra favorita que entrou em quadra neste sábado não se deu bem. A ucraniana Elina Svitolina, nº 6 do mundo, foi superada em sets diretos pela tcheca Barbora Krejcikova, com parciais de 6/3 e 6/2.

Em dia com grandes jogos, Melbourne terá Muguruza x Osaka, Sabalenka x Serena e Swiatek x Halep

O primeiro dia das oitavas de final do Australian Open tem promessa de jogão na chave feminina. Ou melhor, pelo menos três confrontos muito aguardados nesta fase do primeiro Grand Slam da temporada.

Abrindo a programação da Rod Laver Arena, um belo confronto entre a espanhola Garbine Muguruza e a japonesa Naomi Osaka, duas jogadoras que estão em grande forma, nunca se enfrentaram e ainda não perderam sets no torneio.

Depois, na mesma quadra, outro jogo de primeira linha, que será entre a bielorrussa Aryna Sabalenka e a norte-americana Serena Williams. As duas também se enfrentarão pela primeira vez. Enquanto Sabalenka tem 9 vitórias em 10 jogos na temporada, Serena venceu todas as 7 partidas disputadas.

Abrindo a sessão noturna da principal quadra do complexo, a polonesa Iga Swiatek e a romena Simona Halep farão um confronto entre campeãs de Grand Slams.

Na Margaret Court Arena, a experiente taiwanesa Su-wei Hsieh terá pela frente o desafio de encarar a jovem e talentosa Marketa Vondrousova

Iga Swiatek marca uma nação e esbanja talento ao conquistar Roland Garros aos 19 anos

Iga Swiatek. Nome que deve ser guardado e que deu no sábado, Paris, um passo decisivo para entrar no hall de, no mínimo, uma das grandes jogadoras que o mundo vai assistir nos próximos anos.

Ao bater a norte-americana na grande final e conquistar em Roland Garros o seu primeiro título de Grand Slam, a polonesa de apenas 19 anos inseriu seu nome no grupo mais do que seleto de vencedoras de um dos quatro maiores torneios da temporada.

E foi muito mais do que isso. Foi um torneio praticamente perfeito. Sem perder um único set, foi passando, de fase em fase, jogo a jogo, com um tênis bonito de ser visto, completo, agressivo quando tem que ser, se defendendo no momento certo.

Swiatek foi crescendo ao longo de duas semanas e passando por jogadoras com currículo, inclusive em Roland Garros, principalmente nas oitavas de final, quando dominou a romena Simona Halep.

Depois, foi favorita até a final, inclusive no derradeiro jogo da conquista, quando enfrentava a norte-americana Sofia Kenin, número 4 do mundo.

Não teve jeito. Ninguém parou a jovem que, pela primeira vez, leva um título de Grand Slam para a Polônia. De quebra, chega ao seu melhor no ranking da WTA, ocupando o 17º lugar.

Ah, é bom que se diga. O talento dela não é bem uma surpresa, pois isso já era percebido durante sua carreira de juvenil, quando conquistou o título de Wimbledon, em simples e do mesmo Roland Garros, nas duplas, ambos em 2018.

Iga Swiatek. Não devemos esquecer esse nome. É bom se acostumar. Provavelmente, falaremos muito dela nos próximos anos.