Djokovic e Nadal se enfrentam neste domingo na aguardada final de Roland Garros

A final mais esperada de Roland Garros, realmente vai acontecer. Rafael Nadal e Novak Djokovic lutarão pelo título do Grand Slam parisiense neste domingo.

O espanhol garantiu sua vaga com mais tranqüilidade. Enfrentou um aguerrido argentino Diego Schwartzman, que endureceu sets, não desistiu, mas que não conseguiu repetir a façanha do Masters 1000 de Roma, quando saiu com a vitória pela primeira vez no confronto direto.

No fim, deu a lógica, deu Nadal por 3×0. Aliás, vitória dele no saibro francês é, sem dúvida, um dos resultados mais lógicos e esperados da História do tênis.

Na outra semifinal, muito mais tensão e muito mais equilíbrio. Novak Djokovic saiu na frente do grego Stefanos Tsitsipas, abriu dois sets de vantagem e parecia encaminhar tranquilamente sua classificação, mas tudo mudou. O grego equilibrou, voltou pro jogo, empatou, mas viu o sérvio se impor no quinto set e vencer por 6/1.

Nadal vai em busca da incrível marca de 13 títulos de Roland Garros, além da oportunidade de igualar a marca de 20 títulos de Grand Slam de Roger Federer.

Já o número 1 do mundo vai em busca do seu 2º título no Slam da terra batida, depois do triunfo de 2016.

Esse será o 56º jogo entre os dois, sendo que Djokovic tem uma vantagem de 29 vitórias, enquanto o espanhol saiu com a vitória em 26 oportunidades.

Djokovic acerta bolada involuntária em juíza de linha e é desclassificado nas oitavas do US Open

O domingo foi absolutamente atípico em Nova York. Se alguém estava sentindo falta de novidade, emoção ou algo parecido no US Open, não pode reclamar mais. Pena que não foi por um grande jogo. Pelo contrário.

Novak Djokovic disputava uma vaga nas quartas de final contra o espanhol Pablo Carreno Busta e não parecia estar em um dos seus dias mais calmos. Quando o espanhol conseguiu uma quebra de saque no 11º game, o sérvio acertou uma bolinha com a raquete em direção ao fundo da quadra. Foi certeiro, infelizmente. Atingiu uma juíza de linha e, posteriormente, Djokovic, o grande favorito ao título, foi desclassificado. A mulher precisou de atendimento médico em quadra.

Pelo que se viu na imagem, foi involuntário, mas não dá pra falar que o sérvio foi dos mais prudentes em quadra. Na verdade, um pouco antes, ele acertou uma bolinha com muita força em uma das proteções do lado da quadra. E, pra quem o acompanha um pouco mais, sabe que isso não é novidade na sua carreira.

O que se viu em seguida foi um sérvio ainda mais descontrolado. Se recusou a dar entrevista coletiva obrigatória. Uma pena. Assim, perde os pontos e a premiação das oitavas de final, 250 mil dólares. Mais tarde, nas redes sociais, admitiu o erro. Adotou uma postura que se espera dos grandes campeões.

Djokovic vira sobre Raonic, conquista seu 35º Masters 1000 e estreia na 2ª feira no US Open

Novak Djokovic vai chegar animado ao US Open, depois do título do Masters 1000 de Cincinnati, disputado no piso duro, mas em Nova Iorque.

Neste sábado, o sérvio virou a final sobre o canadense Milos Raonic, depois de perder o primeiro set por 6/1. Em seguida, se recuperou e venceu as parciais seguintes por 6/3 e 6/4.

Foi o 80º título de ATP da carreira de Djokovic, que chegou ao 35º Masters 1000, igualando a marca de Rafael Nadal.

Djokovic já estréia no US Open nesta segunda-feira, encarando o bósnio Damir Dzumhur. Os dois já se enfrentaram duas vezes, com duas vitórias do nº 1 do mundo.

Djokovic e Thiem, principais favoritos, conhecem primeiros adversários no US Open

Saiu nesta quinta-feira a chave do US Open, Grand Slam disputado no piso duro da cidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos, que neste ano terá uma dinâmica diferente em virtude da pandemia do novo coronavírus.

O nº 1 do mundo, Novak Djokovic, terá pela frente o bósnio Damir Dzumhur. Será o terceiro confronto entre eles e o sérvio venceu os dois anteriores.

Com a ausência de Rafael Nadal, Dominic Thiem será o cabeça de chave nº 2 e terá como primeiro adversário o espanhol Jaume Munar. Os dois já se enfrentaram três vezes, com três vitórias de Thiem.

O russo Daniil Medvedev, 3º favorito da chave, encara o argentino Federico Delbonis, enquanto Stefanos Tsitsipas joga contra o espanhol Albert Ramos Vinolas.

Vale destacar também o bom confronto de Alexander Zverev diante do sul-africano Kevin Anderson, além da partida do italiano Matteo Berrettini enfrenta o japonês Go Soeda.

Outro jogo interessante será entre o belga David Goffin, cabeça 7, e o norte-americano Reilly Opelka. Pra fechar os principais favoritos da chave, Roberto Bautista Agut terá pela frente o norte-americano Tennys Sandgren.

Djokovic vai ao 5º set pra bater Thiem, conquista o octa em Melbourne, seu 17º Slam, e coroa retorno ao topo do ranking

Dominic Thiem ensaiou, ficou relativamente, mas não foi neste domingo que ele conquistou seu primeiro título de Grand Slam, em Melbourne.

Novak Djokovic, mais uma vez, ratificou sua sede implacável de aproveitar oportunidades e conquistou seu oitavo título do Australian Open, em incríveis oito finais disputadas. Aproveitamento absurdo de 100%.

Depois de começar a todo vapor a partida, o sérvio viu Thiem dar mostras, ainda no primeiro set, que não seria uma facilidade, ao sair de 1/4 pra 4/4. Depois, com uma dupla falta, Thiem entregou o set.

Porém, não se deu por vencido. Elevou seu nível, viu o sérvio errar mais do que de costume, sacar menos e, com isso, o jogo virou. Literalmente. No quarto set, um game mal jogado de Thiem foi suficiente pra decisão ir ao 5º.

Na parcial decisiva, Djokovic começou melhor mais uma vez, abriu 2/0 e viu o adversário perder chances de devolver a quebra, especialmente no 4º game, quando viu uma bola flutuando na sua direita acertar em cheio no meio da rede, em um break point. Depois disso, Djokovic dominou e fechou a partida com parciais de 6/4 4/6 2/6 6/3 e 6/4.

Com o triunfo, o sérvio chegou ao seu 17º título de Grand Slam. Além dos 8 em Melbourne, foram 5 em Wimbledon, 3 no US Open e 1 em Roland Garros.

Além disso, ele volta ao topo do ranking da ATP, ultrapassando Rafael Nadal. O espanhol tem 19 títulos de Grand Slam. Federer, 20. O sérvio está cada vez mais perto.

 

Djokovic busca o octa do Australian Open, enquanto Thiem quer seu primeiro título de Grand Slam

Está definida a grande final masculina do Australian Open, primeiro Grand Slam da temporada, disputado no piso duro de Melbourne.

O primeiro a se garantir na grande decisão deste domingo foi Novak Djokovic, que viu Roger Federer fora das suas condições físicas ideais, mas que endureceu o jogo, especialmente o primeiro set, quando chegou a sacar pra fechar.

Depois disso, o sérvio elevou seu nível, principalmente nas trocas de bola do fundo de quadra, virou o set, o que parece ter sido decisivo e venceu por por 7/6(1) 6/4 e 6/3.

Djokovic chega a final com apenas um set perdido, logo na primeira rodada, diante do alemão Jan-Lennard Struff.

Seu adversário no domingo será o austríaco Dominic Thiem, que fez uma grande partida e virou sobre o Alexander Zverev por 3/6 6/4 7/6(3) e 7/6(4).

Será a primeira final de Grand Slam do austríaco, que já foi vice-campeão de Roland Garros nos últimos dois anos.

Thiem e Djokovic já se enfrentaram 11 vezes, com 7 vitórias do sérvio. Em Grand Slam, foram três confrontos, todos em Roland Garros, com duas vitórias de Thiem. No confronto mais recente entre eles, mais uma vitória do austríaco, no ATP Finals do ano passado.

 

Federer salva 7 match-points, bate Sandgren e faz semi do Australian Open contra Djokovic

Mais uma vez, Roger Federer fez História! Nas quartas de final do Australian Open, não esteve nos seus melhores dias, tecnicamente e fisicamente, mas foi buscar forças pra virar um jogo praticamente perdido.

O suíço perdia o jogo para o norte-americano Tennys Sandgren por dois sets a um e teve que salvar 7 match-points antes de conseguir levar pro set decisivo. Neste, viu o adversário também ter dificuldades físicas e se impôs. No fim gigante vitória por 6/3 2/6 2/6 7/6(8) e 6/3.

Agora na semifinal, Federer esperou a definição do seu adversário, que saiu da partida entre Novak Djokovic e Milos Raonic.

O saque do canadense não fez muito estrago e encontrou como antídoto a excelente devolução do sérvio. Sem o seu saque ganhando muitos pontos fáceis, Raonic encontrou dificuldades e acabou sendo superado por 3×0, com parciais de 6/4,6/4 e 7/6(1).

Os dois outros semifinalistas serão definidos nesta quarta-feira, com os dois jogos sendo disputados na Rod Laver Arena.

Primeiro, Stan Wawrinka, que vem de grande vitória sobre Daniil Medvedev, enfrenta o alemão Alexander Zverev. Depois, Rafael Nadal encara o austríaco Dominic Thiem.

 

 

 

Federer tem estreia tranquila em Melbourne e Djokovic perde set para Struff. Nadal joga na madrugada de terça-feira, dia de Medvedev x Tiafoe

Atual campeão, Novak Djokovic estreou com uma vitória mais difícil que o esperado no Australian Open, primeiro Grand Slam da temporada, disputado no piso duro de Melbourne.

Em um primeiro dia de chave principal que teve sua programação impactada pela chuva, o sérvio jogou com o teto retrátil fechado contra o alemão Jan-Lennard Struff, que equilibrou duas parciais, inclusive levando uma. No fim, o sérvio se impôs e venceu com parciais de 7/6(5) 6/2 2/6 e 6/1.

Na madrugada do Brasil, quem teve uma primeira rodada bem mais tranquila foi Roger Federer, que anotou  6/3 6/2 e 6/2 sobre o norte-americano Steve Johnson.

Dos cabeças de chave, o croata Borna Coric, 25º favorito, perdeu logo na estreia e de forma incontestável pelo norte-americano Sam Querrey, por 3×0.

Já o grego Stefanos Tsitsipas foi outro que nadou em águas tranquilas ao perder apenas cinco games diante do italiano Stefano Caruso.

A terça-feira será o dia de estreia de Rafael Nadal, que tem um grande favoritismo diante do boliviano Hugo Dellien, encerrando a programação diurna da Rod Laver Arena.

Abrindo a rodada noturna na mesma quadra, o destaque e um dos jogos mais aguardados da primeira rodada, entre o russo Daniil Medvedev e o norte-americano Francis Tiafoe.

A Margaret Court será o local da estreia de Alexander Zverev contra o italiano Marco Cecchinato, enquanto a Melbourne Arena terá os jogos de dois tenistas da casa. Primeiro, Alexey Popyrin enfrenta Jo-Wilfried Tsonga. Depois, Nick Kyrgios encara o italiano Lorenzo Sonego.

 

 

Nadal, Djokovic e Federer não devem ter dificuldade na estreia do Australian Open. Medvedev enfrenta Tiafoe

Começa na próxima segunda-feira o Australian Open, primeiro Grand Slam da temporada, disputado no piso duro de Melbourne.

Rafael Nadal aparece como cabeça de chave nº 1, apesar de não ser o favorito nas casas de apostas, e não deve dificuldade na sua estreia diante do boliviano Hugo Dellien.

Novak Djokovic também tem amplo favoritismo contra o alemão Jan-Lennard Struff, assim como Roger Federer na partida diante do norte-americano Steve Johnson.

Talvez o russo Daniil Medvedev tenha a estreia mais complicada entre os principais favoritos, já que joga contra o norte-americano Francis Tiafoe.

Como jogos interessantes na primeira rodada, destaque para o confronto entre o norte-americano Reilly Opelka e o italiano Fabio Fognini, além da partida entre os espanhóis Feliciano Lopez e Roberto Bautista Agut.

 

Retrospectiva 2019: Melbourne viu o hepta de Djokovic e a confirmação da japonesa Osaka

Como quase todos os anos na última década, Novak Djokovic chegou ao primeiro Grand Slam da temporada, o Australian Open, como um dos principais favoritos. E não deu muitas chances pra ninguém!

Depois da surpreendente eliminação na semifinal do ATP de Doha, na primeira semana do ano, diante do espanhol Roberto Bautista-Agut, o sérvio caminhou firme rumo ao seu 7º troféu em Melbourne, sendo seus principais obstáculos os sets perdidos para Denis Shapovalov e Daniil Medvedev.

Na grande final, cercada de expectativa, um sonoro 6/3 6/2 e 6/3 sobre Rafael Nadal e heptacampeonato garantido.

Já na chave feminina, a japonesa Naomi Osaka se consagrou na elite do tênis feminino. Depois da decisão polêmica contra Serena Williams no US Open 2018, no que foi seu primeiro título de Slam, ela entrou no torneio australiano pronta pra afastar qualquer possibilidade de acaso com a conquista anterior.

Caminhou na chave precisando virar algumas partidas e fez uma final muito equilibrada diante da tcheca Petra Kvitova, vencendo por 7/6 5/7 e 6/4. No fim, o 2º Slam da carreira e a confirmação de ser a primeira asiática líder do ranking da WTA.

Na chave de duplas, que não contou com o brasileiro Marcelo Melo, lesionado, e viu Bruno Soares perder nas quartas de final, ao lado do britânico Jamie Murray, para Kontinen/Peers, o título ficou com os Frances Nicolas Mahut e Pierre-Hugues Herbert.

Entre as mulheres, Samantha Stosur fez a festa da torcida da casa ao lado da chinesa Zhang Shuai.

No mais, Bia Haddad chegou a furar e entrar na chave principal, venceu um jogo, mas foi superada na segunda rodada pela alemã Angelique Kerber.

No mais, Thomaz Bellucci perdeu na primeira rodada do qualifying e Thiago Monteiro na terceira e última, também do quali.