Nadal, Djokovic e Federer não devem ter dificuldade na estreia do Australian Open. Medvedev enfrenta Tiafoe

Começa na próxima segunda-feira o Australian Open, primeiro Grand Slam da temporada, disputado no piso duro de Melbourne.

Rafael Nadal aparece como cabeça de chave nº 1, apesar de não ser o favorito nas casas de apostas, e não deve dificuldade na sua estreia diante do boliviano Hugo Dellien.

Novak Djokovic também tem amplo favoritismo contra o alemão Jan-Lennard Struff, assim como Roger Federer na partida diante do norte-americano Steve Johnson.

Talvez o russo Daniil Medvedev tenha a estreia mais complicada entre os principais favoritos, já que joga contra o norte-americano Francis Tiafoe.

Como jogos interessantes na primeira rodada, destaque para o confronto entre o norte-americano Reilly Opelka e o italiano Fabio Fognini, além da partida entre os espanhóis Feliciano Lopez e Roberto Bautista Agut.

 

Retrospectiva 2019: Nadal leva seu 12º Roland Garros. Barty conquista Slam pela 1ª vez e brasileiro Pucinelli repete título de Guga

O segundo Grand Slam do ano foi, mais um a vez, com alta expectativa pelo favoritismo de Rafael Nadal. E o espanhol, mais uma vez, não decepcionou. Sem dar chances, faturou seu 12º título no saibro parisiense.

Em uma campanha quase irretocável, Nadal perdeu somente dois sets ao longo de toda jornada, culminando com os triunfos sobre Roger Federer na semifinal e Dominis Thiem na grande decisão. Aliás, o austríaco parecia endurecer a partida, chegou a empatar ao vencer o segundo set, mas acabou superado com parciais de 6/3 5/7 6/1 e 6/1.

Na chave feminina, uma campeã inédita: A australiana Ashleigh Barty surpreendeu não pela bela campanha em um Slam, mas por ser justamente no saibro, que não é seu piso favorito.

E por falar na australiana, que também só perdeu dois sets ao longo das duas semanas de torneio, vale destacar que ela encerra o ano como nº 1 do mundo.

Na chave de duplas, uma surpresa: O título dos alemães Kevin Krawietz e Andreas Mies, frustrando a torcida francesa na final com a vitória sobre os locais Jeremy Chardy e Fabrice Martin. Nas duplas, porém, a torcida comemorou com o triunfo de Kristina Mladenovic e a húngara Timea Babos.

Se os brasileiros não se deram bem nos profissionais, com Bruno Soares perdendo na estréia e Marcelo Melo nas oitavas da chave de duplas, o mesmo não se pode dizer entre os juvenis.

Matheus Pucinelli foi bem longe e comemorou o título ao lado do argentino Thiago Tirante, repetindo feito de anos atrás de Gustavo Kuerten, em 1994, quando venceu ao lado do equatoriano Nicolas Lapentti.

Retrospectiva 2019: Melbourne viu o hepta de Djokovic e a confirmação da japonesa Osaka

Como quase todos os anos na última década, Novak Djokovic chegou ao primeiro Grand Slam da temporada, o Australian Open, como um dos principais favoritos. E não deu muitas chances pra ninguém!

Depois da surpreendente eliminação na semifinal do ATP de Doha, na primeira semana do ano, diante do espanhol Roberto Bautista-Agut, o sérvio caminhou firme rumo ao seu 7º troféu em Melbourne, sendo seus principais obstáculos os sets perdidos para Denis Shapovalov e Daniil Medvedev.

Na grande final, cercada de expectativa, um sonoro 6/3 6/2 e 6/3 sobre Rafael Nadal e heptacampeonato garantido.

Já na chave feminina, a japonesa Naomi Osaka se consagrou na elite do tênis feminino. Depois da decisão polêmica contra Serena Williams no US Open 2018, no que foi seu primeiro título de Slam, ela entrou no torneio australiano pronta pra afastar qualquer possibilidade de acaso com a conquista anterior.

Caminhou na chave precisando virar algumas partidas e fez uma final muito equilibrada diante da tcheca Petra Kvitova, vencendo por 7/6 5/7 e 6/4. No fim, o 2º Slam da carreira e a confirmação de ser a primeira asiática líder do ranking da WTA.

Na chave de duplas, que não contou com o brasileiro Marcelo Melo, lesionado, e viu Bruno Soares perder nas quartas de final, ao lado do britânico Jamie Murray, para Kontinen/Peers, o título ficou com os Frances Nicolas Mahut e Pierre-Hugues Herbert.

Entre as mulheres, Samantha Stosur fez a festa da torcida da casa ao lado da chinesa Zhang Shuai.

No mais, Bia Haddad chegou a furar e entrar na chave principal, venceu um jogo, mas foi superada na segunda rodada pela alemã Angelique Kerber.

No mais, Thomaz Bellucci perdeu na primeira rodada do qualifying e Thiago Monteiro na terceira e última, também do quali.

 

Nadal vira mais uma vez, mas é eliminado do Finals depois da vitória de Zverev sobre Medvedev

Mesmo duas vitórias não foram suficientes para levar Rafael Nadal à semifinal do ATP Finals, torneio que reúne na O2 Arena, em Londres, os oito melhores tenistas da temporada.

Depois da virada sobre Daniil Medvedev, no jogo anterior, o espanhol precisou virar mais uma vez, desta vez contra o grego Stefanos Tsitsipas, triunfando com parciais de 6/7(4) 6/4 e 7/5.

Porém, com a vitória de Alexander Zverev sobre Medvedev na sequência, a vaga outra vaga na semi do grupo ficou com o alemão, que passou junto ao grego Tsitsipas.

As semis serão disputadas neste sábado. Primeiro, por volta das 11h de Brasília, Tsitispas encara o suíço Roger Federer.

Depois, por volta das 17h, Zverev terá pela frente o austríaco Dominic Thiem.

Vale lembrar que a eliminação de Djokovic, também na primeira fase, garantiu Nadal como nº 1 do mundo até o final da temporada.

 

 

Nadal é superado por Zverev na estreia do Finals. Federer tem jogo decisivo na terça-feira

Rafael Nadal fez suspense, foi dúvida, resolveu entrar em quadra no ATP Finals, mas esteve longe do seu melhor e foi superado na primeira rodada do torneio que reúne os oito melhores tenistas da temporada.

Diante do alemão Alexander Zverev, Nadal não teve muitas chances, foi vencido com relativa tranquilidade e ficou mais distante do único grande título que falta em sua coleção.

Mais cedo, abrindo o grupo Andre Agassi, Stefanos Tsitsipas não tomou conhecimento da excelente fase do russo Daniil Medvedev e venceu também em sets diretos, com parciais de 7/6(5) e 6/4.

Nesta terça-feira, Roger Federer, depois de perder na primeira rodada, terá um jogo decisivo pela frente diante do italiano Matteo Berrettini, enquanto Novak Djokovic disputa a liderança do grupo contra o austríaco Dominic Thiem.

 

FABERG anuncia pacote para Federer x Nadal na Cidade do Cabo; 50 mil ingressos para o Match in Africa se esgotaram em 18 minutos

A FABERG Tour Experience, divulgou um pacote de viagens exclusivo para quem quiser acompanhar a partida beneficente entre Roger Federer e Rafael Nadal na Cidade do Cabo, África do Sul. Nos pacotes, além de ingressos VIPs, também são oferecidas diversas atividades e passeios que garantem uma experiência completa. Dentre elas, estão inclusas visitas guiadas pelos principais pontos turísticos da cidade, degustação em vinícolas e clínica de tênis, além de um serviço especializado in loco durante toda a viagem. Como pacote opcional, também é possível incluir um safari no luxuoso Sabi Sabi Game Reserve.
 
Detentor de 20 títulos de Grand Slam, Roger Federer anunciou em julho que irá disputar sua primeira partida no país, no dia 7 de fevereiro de 2020. O Match in Africa será a sexta edição do seu evento beneficente que terá Rafael Nadal como oponente, 19 vezes campeão de Grand Slams e rival de longa data.
 
Além de ser a única agência no Brasil a realizar vendas oficiais para o evento, a FABERG também irá destinar parte da renda para a Fundação Roger Federer. No dia do lançamento das vendas dos ingressos pelo site oficial, todos os 50 mil ingressos que foram colocados à venda se esgotaram em incríveis 18 minutos, garantindo o recorde de maior público da história do tênis.
 
A FABERG, em parceria com a Roger Federer Foundation, oferece a melhor experiência para quem busca se emocionar com este jogo além de também passear e curtir o que há de melhor na Cidade do Cabo, uma das mais lindas do mundo”, disse Fabio Silberberg, CEO e Fundador da FABERG. “É um grande privilégio para nós e nossos clientes participar deste evento sensacional. A nossa empresa também irá doar parte dos valores arrecadados com as vendas dos pacotes contribuindo com esta nobre causa”, concluiu Silberberg.
 
O Cape Town Stadium, com capacidade para 50 mil pessoas é, segundo Roger Federer, o lugar perfeito para receber o evento.
 
“O Match in Africa é um sonho que se torna realidade. Poderei jogar na terra natal da minha mãe contra meu maior rival e amigo, Rafael Nadal”, comentou Roger Federer. “Nós compartilhamos o amor pelo tênis, mas também a paixão de contribuir para dar as crianças uma melhor educação e condição de vida. Me sinto privilegiado de poder entreter milhões de pessoas no estádio e pela TV. Será um momento único para mim e minha família”, concluiu. Além de Rafael Nadal, estão confirmadas as presenças de Bill Gates e Trevor Noah, famoso comediante natural da África do Sul.
 
Em 15 anos, a Roger Federer Foundation já atendeu mais de um milhão de crianças carentes no continente através de suas ações que incentivam a educação.
 

Mesmo com desfalque de Nadal, Time Europa consegue virada no último dia e repete o título da Laver Cup

Acabou neste domingo mais uma edição da Laver Cup, competição amistosa disputada na cidade de Genebra, na Suíça.

Depois de ver o Time Mundo assumir a liderança da competição, o Time Europa foi buscar a virada nas duas partidas finais de simples para repetir o título do torneio que reúne algumas das principais estrelas do tênis mundial.

Logo cedo, uma notícia não foi nada boa pro time europeu e pros fãs que aguardavam a reedição da parceria entre Roger Federer e Rafael Nadal. O espanhol, com dores no punho, acabou vetado pelos médicos e o suíço teve que jogar ao lado do grego Stefanos Tsitsipas.

Os dois fizeram jogo duro, mas perderam de virada, no match-tiebreak, para Jack Sock e John Isner.

Depois, o Time Mundo conseguiu sua segunda vitória no dia, com o triunfo de Taylor Fritz sobre Dominic Thiem.

Sendo assim, o Time Europa só seria campeão vencendo as duas últimas partidas. E aconteceu. Primeiro, com Federer, que bateu Isner. Depois, Zverev foi ao match-tiebreak pra superar Milos Raonic, garantindo o bicampeonato ao time, que fez muita festa ao final.

 

Nadal vence final épica contra Medvedev, conquista o tetra do US Open e seu 19º título de Grand Slam

UM JOGÃO! Assim mesmo, em letras garrafais, deve descrito o que foi esse jogo da final do US Open, neste domingo, em Nova Iorque.

Depois de sair na frente e assumir a dianteira com muita tranqüilidade, Rafael Nadal chegou a abrir dois sets a zero e ter quebra de vantagem na terceira parcial, caminhava em águas calmas, mas viu tudo mudar.

O russo Daniil Medvedev não se abateu. Foi frio. Calculista. Jogou seu jogo e reagiu. Reagiu tão bem que não apenas devolveu a quebra, como venceu o set. Não apenas o 3º, mas o 4º também. Teve chance de quebrar o saque do espanhol no primeiro game do 5º set, mas não o fez. Aí, já é demais. Nadal não perdoa e não perdoou. No fim, mais drama, salvando break point quando sacou pro jogo: 7/5 6/3 5/7 4/6 e 6/4 . Rafael Nadal é tetracampeão do US Open!

Neste domingo, o espanhol confirmou seu favoritismo e triunfou pela quarta vez no piso duro do Arthur Ashe Stadium, em Nova Iorque.

Depois de ver Roger Federer e Novak Djokovic – seus principais rivais – ficarem pelo caminho, Nadal assumiu o favoritismo não desperdiçou a oportunidade, ficando com o troféu do quarto e último Grand Slam da temporada.

Essa, aliás, foi a terceira vez que o número 2 do mundo chegou à final de um Slam sem precisar enfrentar um top-20, sendo campeão em todas as oportunidades.

O espanhol chega ao seu 18º título de Grand Slam, ficando mais perto do 20º do recordista Roger Federer, e eleva sua marca de títulos de ATP, com 88 conquistas. O nº 1 neste quesito, vale dizer, é Jimmy Connors, com 109. Federer tem 102.

Medvedev, sem dúvida alguma, também tem seus méritos e se destacou ao longo das últimas semanas, com um tênis sólido, que o levou às finais dos principais torneios pré-US Open.

Em Nova Iorque, porém, talvez até por imaturidade, deixou o extra-quadra falar alto e provocou o público norte-americano em algumas oportunidades. Mesmo assim, não se pode deixar de levar em consideração seu feito. O russo é, por exemplo, o mais novo tenista a chegar à final do torneio desde Djokovic, em 2010.

Medvedev marcou seu nome como um dos grandes potenciais da sua geração, mas ainda é cedo pra falar em transição ou passagem de bastão da velha pra nova guarda, principalmente com jogadores como Nadal querendo mais e mais.

Foto: Cynthia Lum

Medvedev vence Dimitrov, Nadal confirma o favoritismo e os dois se enfrentam pelo título do US Open

Sem surpresas, Rafael Nadal e Daniil Medvedev venceram seus jogos e farão a final do US Open, neste domingo.

O russo foi o primeiro a garantir sua vaga na decisão, depois de conseguir uma vitória firme sobre o búlgaro Grigor Dimitrov, em sets diretos, com parciais de 7/6(5) 6/4 e 6/3.

Depois de polemizar ao longo do torneio, com comportamento inadequado com um boleiro e provocações ao público, ele mostra toda sua qualidade e potencial ao ratificar seu grande momento, já que vem da conquista do Masters 1000 de Cincinnati, além de ter sido vice em Montreal e Washington.

O espanhol se classificou para a final ao bater o surpreendente italiano Matteo Berrettini, também em sets diretos, com parciais de 7/6(6) 6/4 e .

O italiano chegou a ter uma grande chance no 1º set, quando abriu 4/0 e teve dois set points antes de levar a virada.

Os dois já se enfrentaram uma vez, justamente na final de Montreal, neste anol, com vitória do espanhol por 6/3 e 6/0.

Foto: Cynthia Lum

 

Nadal fecha a porta, passa por Schwartzman e assume claro favoritismo na semi do US Open

Rafael Nadal, sem dúvida, já aparece como grande favorito ao título do US Open deste ano, depois de tudo que aconteceu na chave do quarto Grand Slam da temporada.

Nesta quarta-feira, o espanhol deu mais um passo significativo ao superar o argentino Diego Schwartzman por 3×0, garantindo sua vaga na semifinal do torneio pela oitava vez na carreira.

Agora, terá pela frente um jovem italiano, com muita potência nos golpes, é verdade, que deve estar exalando confiança, mas que é um estreante em semis de torneios deste nível.

É Matteo Berrettini, que conseguiu sua vaga depois de lutar por mais de 4hs diante do francês Gael Monfils pra vencer de virada, no tiebreak do 5º set.

Nadal e Berretini vão se enfrentar pela primeira vez na carreira, com um favoritismo absurdo do nº 2 do mundo, que tem tudo pra chegar à decisão do torneio.

O jogo será disputado nesta sexta-feira, logo depois da partida entre o russo Daniil Medvedev e o búlgaro Grigor Dimitrov.