Nadal começa neste domingo caminhada rumo ao 1º título do ATP Finals. Melo também joga

Vai começar neste domingo a disputa do ATP Finals, torneio que reúne na O2 Arena, em Londres, os oito melhores tenistas da temporada.

E logo na primeira partida, o austríaco Dominic Thiem medirá forças diante do grego Stefanos Tsitsipas, em jogo que abre as disputas de simples da competição.

Mais tarde, o espanhol Rafael Nadal, que ainda busca seu primeiro título do Finals, joga contra o russo Andrey Rublev.

“Podemos encontrar desculpas ou razões, mas, no final do dia, os números são os números”, disse Nadal. “Penso que joguei menos em quadras indoor (as mesmas do torneio londrino) do que nas outras superfícies, sem dúvida… As quadras cobertas não têm sido as superfícies ideais para o meu jogo de ténis desde o início da minha carreira.” admitiu, para completar em seguida:

“Acho que consegui jogar um pouco melhor nos últimos anos em quadras cobertas do que no início da minha carreira no tênis, sem dúvida, mas [esses são] os números. Eu não posso dizer algo diferente. Espero mudar isso esta semana.” completou.

Vale destacar que dois brasileiros estão no Finals, na chave de duplas, sendo que o primeiro, Marcelo Melo, já estreia neste domingo, ao lado do polonês Lukasz Kubot, diante do norte-americano Rajeev Ram e do britânico Joe Salisbury. Melo fará sua oitava participação seguida (desde 2013) no Finals, recordista entre os brasileiros, a quarta ao lado de Kubot, que jogou em seis temporadas. Nos sete anos em que já participou do torneio, foi duas vezes vice-campeão – em 2014 com o croata Ivan Dodig e, em 2017, com o parceiro polonês. No ano passado, Melo e Kubot foram semifinalistas.

 

Duas coisas mudaram em Paris: A data e o público reduzido. No mais, tudo igual: Nadal campeão

Com o passar dos anos, fica cada vez mais difícil falar de Rafael Nadal e Roland Garros sem se tornar repetitivo. Esse ano foi quase do mesmo jeito. Quase. Dois eventos, em uma clara relação de causa e conseqüência, fizeram mudar um pouco mais o texto.

No domingo, o espanhol dominou. Completamente, aliás. Na verdade, não tomou muito conhecimento do número 1 do mundo, Novak Djokovic, do outro lado da rede. 3×0 avassalador, com direito a pneu no 1º set.

13º título de Roland Garros garantido e 20º troféu de Grand Slam da carreira de Nadal, que iguala a marca do suíço Roger Federer. Como já falamos no twitter logo depois do jogo, fica cada vez mais difícil adjetivar esse gênio quando o mesmo já parece um próprio adjetivo.

Uma coisa não muda em Paris: Nadal na final, título garantido. Foi assim também nas outras 12 vezes em que ele chegou à decisão. Neste ano, algo também se repetiu: não houve set perdido pela campanha. Enfileirou todo mundo por 3×0: Gerasimov, MsDonald, Travaglia, Korda, Sinner, Schwartzman e Djokovic.

De diferente apenas o torneio disputado em condições diferentes, com público reduzido e todas as precauções oriundas dos cuidados na pandemia do novo coronavírus. Isso, inclusive, gerou a segunda mudança: a data do torneio. Geralmente disputado em maio, o título de Nadal foi apenas adiado por alguns meses.

Porém, de resto, nada muda. E talvez seja a frase ais comum do tênis. Nadal favorito e campeão de Roland Garros. Pela incrível 13ª vez.

Djokovic e Nadal se enfrentam neste domingo na aguardada final de Roland Garros

A final mais esperada de Roland Garros, realmente vai acontecer. Rafael Nadal e Novak Djokovic lutarão pelo título do Grand Slam parisiense neste domingo.

O espanhol garantiu sua vaga com mais tranqüilidade. Enfrentou um aguerrido argentino Diego Schwartzman, que endureceu sets, não desistiu, mas que não conseguiu repetir a façanha do Masters 1000 de Roma, quando saiu com a vitória pela primeira vez no confronto direto.

No fim, deu a lógica, deu Nadal por 3×0. Aliás, vitória dele no saibro francês é, sem dúvida, um dos resultados mais lógicos e esperados da História do tênis.

Na outra semifinal, muito mais tensão e muito mais equilíbrio. Novak Djokovic saiu na frente do grego Stefanos Tsitsipas, abriu dois sets de vantagem e parecia encaminhar tranquilamente sua classificação, mas tudo mudou. O grego equilibrou, voltou pro jogo, empatou, mas viu o sérvio se impor no quinto set e vencer por 6/1.

Nadal vai em busca da incrível marca de 13 títulos de Roland Garros, além da oportunidade de igualar a marca de 20 títulos de Grand Slam de Roger Federer.

Já o número 1 do mundo vai em busca do seu 2º título no Slam da terra batida, depois do triunfo de 2016.

Esse será o 56º jogo entre os dois, sendo que Djokovic tem uma vantagem de 29 vitórias, enquanto o espanhol saiu com a vitória em 26 oportunidades.

Nadal, Thiem e Khachanov passam pela estreia em RG. Medvedev e Auger-Aliassime são eliminados

A terça-feira foi movimentada na chave masculina de Roland Garros, disputado no saibro de Paris, na França, em uma edição bem modificada, não apenas em virtude da Codid-19, mas também da presença de um teto retrátil na quadra Philippe Chartrier.

A principal surpresa do dia, que nem foi tanta assim, pelo histórico, foi a eliminação do russo Daniil Medvedev, cabeça de chave nº 4, que perdeu para o húngaro Marton Fucsovics por 3×1, sendo a sua 4ª eliminação em primeira rodada de Roland Garros nos últimos 4 anos.

Outra surpresa foi a vitória de Yoshihito Nishioka sobre o Felix Auger-Aliassime, principalmente pela forma que foi, por 3×0.

Dominic Thiem e Karen Khachanov não tiveram problemas e superaram em sets diretos Marin Cilic e Kamil Majchrzak, respectivamente, assim como Rafael Nadal, favorito ao título, que bateu o bielorrusso Egor Gerasimov.

A terça-feira vai marcar a estreia de Novak Djokovic, que tem todo o favoritismo diante do sueco Mikael Ymer. Também é o dia da estreia de Thiago Monteiro, que joga contra o georgiano Nikoloz Basilashvilli.

Stefanos Tsitsipas também é favorito diante do bom espanhol Jaume Munar, enquanto o italiano Matteo Berrettini enfrenta o canadense Vasek Pospsil

 

 

Roland Garros: Sorteada a chave. Veja os confrontos masculinos

A chave principal de Roland Garros foi sorteada nesta quinta-feira. Em vez da cerimônia cheia de pompas e circunstâncias que os franceses costumam fazer, o sorteio das chaves teve vídeo e tecnologia.

Cabeça-de-chave número um, Novak Djokovic enfrentará o sueco Mikael Ymer. Doze vezes campeão de Roland Garros, Rafael Nadal pegará o bielorrusso Egor Gerasimo.

Atual campeão do US Open, Dominic Thiem, que foi vice em Roland Garros na última edição, terá uma daquelas primeiras rodadas blockbuster. Enfrentará o croata Marin Cilic.

Roland Garros chave definida

Outra primeira rodada que já está dando o que falar é o desafio entre Andy Murray e Stan Wawrinka. A semifinal que eles disputaram em 2017, com Wawrinka vencedor, dizem ter sido o estopim para o quadril de Murray chegar ao limite e também para o joelho de Wawrinka ter que encarar uma cirurgia depois.

Único brasileiro na chave principal, Thiago Monteiro enfrentará Nikoloz Basilashvili na estreia.

Veja a chave completa neste link

https://www.rolandgarros.com/en-us/results/SM?round=1

 

Cheio de dúvidas, US Open tem cada vez mais ausências confirmadas

Marcado para ser disputado a partir do dia 31 de agosto, cada vez mais se percebe um ceticismo presente no mundo do tênis no que se refere à sua realização do US Open.

Nos últimos dias, alguns tenistas já confirmaram sua ausência, como Fabio Fognini, além de Roger Federer, que fez uma cirurgia no joelho e, independente da pandemia da Covid-19, só voltará a jogar no próximo ano.

Recentemente, Rafael Nadal voltou a treinar, mas no saibro, o que indica que pode abrir mão do torneio de Nova Iorque, que não terá a presença de público.

Simona Halep é outra que surge como grande dúvida, além da ucraniana Elina Svitolina, que parece querer voltar a jogar apenas na Europa.

O técnico francês Patrick Moratouglou foi outro que disse não acreditar na realização do evento, principalmente pela proximidade com Roland Garros, marcado para o dia 20 de setembro, levando em conta todos os torneios do saibro europeu.

Vale lembrar as várias restrições ainda existentes para o deslocamento entre os países e, especialmente, entre os continentes, impactando principalmente os tenistas de regiões fora do eixo europeu.

 

Thiem joga muito, vence Nadal em jogo muito equilibrado e enfrenta Zverev na semi em Melbourne

Foi mesmo o grande jogo que todos esperavam. Rafael Nadal e Dominic Thiem fizeram uma grande partida, que acabou com vitória do austríaco em quatro equilibrados sets, e sua vaga garantida na semifinal do Australian Open.

O nº 1 do mundo até lutou muito, como sempre, mas viu o austríaco segurar a pressão, jogar bem os pontos mais importantes e, principalmente, romper uma barreira mental, que o fez vencer três tiebreaks e o jogo por 7/6(3) 7/6(4) 4/6 e 7/6(6).

É a primeira vez que Thiem, vice em Roland Garros em 2018 e 2019, chega à semi do Slam disputado em Melbourne.

Seu adversário será o alemão Alexander Zverev, que mais cedo virou sobre o suíço Stan Wawrinka que teve uma ótima atuação no primeiro set, mas não segurou a onda e viu o adversário anotar 1/6 6/3 6/4 e 6/2.

A primeira semifinal será disputada na manhã desta quinta-feira, no horário de Brasília, entre o suíço Roger Federer, que vem de grande virada nas quartas, e o sérvio Novak Djokovic.

 

 

Federer salva 7 match-points, bate Sandgren e faz semi do Australian Open contra Djokovic

Mais uma vez, Roger Federer fez História! Nas quartas de final do Australian Open, não esteve nos seus melhores dias, tecnicamente e fisicamente, mas foi buscar forças pra virar um jogo praticamente perdido.

O suíço perdia o jogo para o norte-americano Tennys Sandgren por dois sets a um e teve que salvar 7 match-points antes de conseguir levar pro set decisivo. Neste, viu o adversário também ter dificuldades físicas e se impôs. No fim gigante vitória por 6/3 2/6 2/6 7/6(8) e 6/3.

Agora na semifinal, Federer esperou a definição do seu adversário, que saiu da partida entre Novak Djokovic e Milos Raonic.

O saque do canadense não fez muito estrago e encontrou como antídoto a excelente devolução do sérvio. Sem o seu saque ganhando muitos pontos fáceis, Raonic encontrou dificuldades e acabou sendo superado por 3×0, com parciais de 6/4,6/4 e 7/6(1).

Os dois outros semifinalistas serão definidos nesta quarta-feira, com os dois jogos sendo disputados na Rod Laver Arena.

Primeiro, Stan Wawrinka, que vem de grande vitória sobre Daniil Medvedev, enfrenta o alemão Alexander Zverev. Depois, Rafael Nadal encara o austríaco Dominic Thiem.

 

 

 

Wawrinka bate Seppi em 5 sets e vai à 3ª rodada do Australian Open. Nadal vence Delbonis

O 4º dia do Australian Open foi mais um no qual os favoritos avançaram e garantiram vaga na 3ª rodada do primeiro Grand Slam da temporada.

O dia começou com o russo Daniil Medvedev precisando de apenas três sets pra bater o espanhol Pedro Martinez, assim como o letão Ernests Gulbis, que passou pelo esloveno Aljaz Bedene.

Quem sofreu bem mais foi o austríaco Dominic Thiem, que teve que ir ao 5º set diante do empolgado local Alex Bolt, que vendeu caro sua eliminação, confirmada depois de uma virada do favorito.

Alexander Zverev também foi bem e venceu o bielorrusso Egor Gerasimov por 3×0, enquanto Nick Kyrgios passou pelo francês Gilles Simon por 3×1.

Rafael Nadal só teve trabalho no 2º set, quando precisou jogar um tiebreak contra o argentino Federico Delbonis. No mais, não enfrentou grandes dificuldades e venceu por 3×0.

Também já na manhã desta quinta-feira, no horário de Brasília, Stan Wawrinka não jogou seu melhor tênis, mas lutou muito pra bater o italiano Andrea Seppi.

O suíço se viu em muita dificuldade no 5º set, com quebra abaixo, mas ficou na partida, usou muito sua força mental e um aumento do número de erros do italiano pra virar a parcial e fechar a partida com 6/4.

 

Nadal, Medvedev e Zverev confirmam o favoritismo na estreia em Melbourne. Monteiro perde pra Isner em jogo equlibrado

Rafael Nadal não teve grandes dificuldades pra confirmar seu imenso favoritismo e estrear com vitória no Australian Open.

Na madrugada desta terça-feira, de Brasília, o espanhol não jogou seu melhor tênis, mas não foi ameaçado pelo boliviano Hugo Dellien e venceu por 6/2 6/3 e 6/0, garantindo vaga para enfrentar na segunda rodada o argentino Federico Delbonis.

Outro favorito que também precisou de apenas três sets na primeira partida foi Alexander Zverev, que bateu o italiano Marco Cecchinato, assim como o australiano Nick Kyrgios, que passou por outro italiano, Lorenzo Sonego.

Daniil Medvedev, como esperado, fez um belo jogo diante do norte-americano Francis Tiafoe, que acabou com vitória do russo por 3×1, mesmo placar do triunfo de Stan Wawrinka sobre o bósnio Damir Dzumhur.

Uma surpresa do dia foi a vitória do muito habilidoso mas nem sempre comprometido Ernests Gulbis. O letão aproveitou a fase não tão boa do jovem canadense Felix Auger-Aliassime pra vencer por 3×1.

Já na manhã de terça, Thiago Monteiro entrou em quadra pra um desafio diante do norte-americano John Isner. Porém, não deixou a desejar, equilibrou todos os sets, teve suas chances de vencer, mas acabou perdendo por 3×1, em quatro tiebreaks.