Cheio de dúvidas, US Open tem cada vez mais ausências confirmadas

Marcado para ser disputado a partir do dia 31 de agosto, cada vez mais se percebe um ceticismo presente no mundo do tênis no que se refere à sua realização do US Open.

Nos últimos dias, alguns tenistas já confirmaram sua ausência, como Fabio Fognini, além de Roger Federer, que fez uma cirurgia no joelho e, independente da pandemia da Covid-19, só voltará a jogar no próximo ano.

Recentemente, Rafael Nadal voltou a treinar, mas no saibro, o que indica que pode abrir mão do torneio de Nova Iorque, que não terá a presença de público.

Simona Halep é outra que surge como grande dúvida, além da ucraniana Elina Svitolina, que parece querer voltar a jogar apenas na Europa.

O técnico francês Patrick Moratouglou foi outro que disse não acreditar na realização do evento, principalmente pela proximidade com Roland Garros, marcado para o dia 20 de setembro, levando em conta todos os torneios do saibro europeu.

Vale lembrar as várias restrições ainda existentes para o deslocamento entre os países e, especialmente, entre os continentes, impactando principalmente os tenistas de regiões fora do eixo europeu.

 

Thiem joga muito, vence Nadal em jogo muito equilibrado e enfrenta Zverev na semi em Melbourne

Foi mesmo o grande jogo que todos esperavam. Rafael Nadal e Dominic Thiem fizeram uma grande partida, que acabou com vitória do austríaco em quatro equilibrados sets, e sua vaga garantida na semifinal do Australian Open.

O nº 1 do mundo até lutou muito, como sempre, mas viu o austríaco segurar a pressão, jogar bem os pontos mais importantes e, principalmente, romper uma barreira mental, que o fez vencer três tiebreaks e o jogo por 7/6(3) 7/6(4) 4/6 e 7/6(6).

É a primeira vez que Thiem, vice em Roland Garros em 2018 e 2019, chega à semi do Slam disputado em Melbourne.

Seu adversário será o alemão Alexander Zverev, que mais cedo virou sobre o suíço Stan Wawrinka que teve uma ótima atuação no primeiro set, mas não segurou a onda e viu o adversário anotar 1/6 6/3 6/4 e 6/2.

A primeira semifinal será disputada na manhã desta quinta-feira, no horário de Brasília, entre o suíço Roger Federer, que vem de grande virada nas quartas, e o sérvio Novak Djokovic.

 

 

Federer salva 7 match-points, bate Sandgren e faz semi do Australian Open contra Djokovic

Mais uma vez, Roger Federer fez História! Nas quartas de final do Australian Open, não esteve nos seus melhores dias, tecnicamente e fisicamente, mas foi buscar forças pra virar um jogo praticamente perdido.

O suíço perdia o jogo para o norte-americano Tennys Sandgren por dois sets a um e teve que salvar 7 match-points antes de conseguir levar pro set decisivo. Neste, viu o adversário também ter dificuldades físicas e se impôs. No fim gigante vitória por 6/3 2/6 2/6 7/6(8) e 6/3.

Agora na semifinal, Federer esperou a definição do seu adversário, que saiu da partida entre Novak Djokovic e Milos Raonic.

O saque do canadense não fez muito estrago e encontrou como antídoto a excelente devolução do sérvio. Sem o seu saque ganhando muitos pontos fáceis, Raonic encontrou dificuldades e acabou sendo superado por 3×0, com parciais de 6/4,6/4 e 7/6(1).

Os dois outros semifinalistas serão definidos nesta quarta-feira, com os dois jogos sendo disputados na Rod Laver Arena.

Primeiro, Stan Wawrinka, que vem de grande vitória sobre Daniil Medvedev, enfrenta o alemão Alexander Zverev. Depois, Rafael Nadal encara o austríaco Dominic Thiem.

 

 

 

Wawrinka bate Seppi em 5 sets e vai à 3ª rodada do Australian Open. Nadal vence Delbonis

O 4º dia do Australian Open foi mais um no qual os favoritos avançaram e garantiram vaga na 3ª rodada do primeiro Grand Slam da temporada.

O dia começou com o russo Daniil Medvedev precisando de apenas três sets pra bater o espanhol Pedro Martinez, assim como o letão Ernests Gulbis, que passou pelo esloveno Aljaz Bedene.

Quem sofreu bem mais foi o austríaco Dominic Thiem, que teve que ir ao 5º set diante do empolgado local Alex Bolt, que vendeu caro sua eliminação, confirmada depois de uma virada do favorito.

Alexander Zverev também foi bem e venceu o bielorrusso Egor Gerasimov por 3×0, enquanto Nick Kyrgios passou pelo francês Gilles Simon por 3×1.

Rafael Nadal só teve trabalho no 2º set, quando precisou jogar um tiebreak contra o argentino Federico Delbonis. No mais, não enfrentou grandes dificuldades e venceu por 3×0.

Também já na manhã desta quinta-feira, no horário de Brasília, Stan Wawrinka não jogou seu melhor tênis, mas lutou muito pra bater o italiano Andrea Seppi.

O suíço se viu em muita dificuldade no 5º set, com quebra abaixo, mas ficou na partida, usou muito sua força mental e um aumento do número de erros do italiano pra virar a parcial e fechar a partida com 6/4.

 

Nadal, Medvedev e Zverev confirmam o favoritismo na estreia em Melbourne. Monteiro perde pra Isner em jogo equlibrado

Rafael Nadal não teve grandes dificuldades pra confirmar seu imenso favoritismo e estrear com vitória no Australian Open.

Na madrugada desta terça-feira, de Brasília, o espanhol não jogou seu melhor tênis, mas não foi ameaçado pelo boliviano Hugo Dellien e venceu por 6/2 6/3 e 6/0, garantindo vaga para enfrentar na segunda rodada o argentino Federico Delbonis.

Outro favorito que também precisou de apenas três sets na primeira partida foi Alexander Zverev, que bateu o italiano Marco Cecchinato, assim como o australiano Nick Kyrgios, que passou por outro italiano, Lorenzo Sonego.

Daniil Medvedev, como esperado, fez um belo jogo diante do norte-americano Francis Tiafoe, que acabou com vitória do russo por 3×1, mesmo placar do triunfo de Stan Wawrinka sobre o bósnio Damir Dzumhur.

Uma surpresa do dia foi a vitória do muito habilidoso mas nem sempre comprometido Ernests Gulbis. O letão aproveitou a fase não tão boa do jovem canadense Felix Auger-Aliassime pra vencer por 3×1.

Já na manhã de terça, Thiago Monteiro entrou em quadra pra um desafio diante do norte-americano John Isner. Porém, não deixou a desejar, equilibrou todos os sets, teve suas chances de vencer, mas acabou perdendo por 3×1, em quatro tiebreaks.

 

Federer tem estreia tranquila em Melbourne e Djokovic perde set para Struff. Nadal joga na madrugada de terça-feira, dia de Medvedev x Tiafoe

Atual campeão, Novak Djokovic estreou com uma vitória mais difícil que o esperado no Australian Open, primeiro Grand Slam da temporada, disputado no piso duro de Melbourne.

Em um primeiro dia de chave principal que teve sua programação impactada pela chuva, o sérvio jogou com o teto retrátil fechado contra o alemão Jan-Lennard Struff, que equilibrou duas parciais, inclusive levando uma. No fim, o sérvio se impôs e venceu com parciais de 7/6(5) 6/2 2/6 e 6/1.

Na madrugada do Brasil, quem teve uma primeira rodada bem mais tranquila foi Roger Federer, que anotou  6/3 6/2 e 6/2 sobre o norte-americano Steve Johnson.

Dos cabeças de chave, o croata Borna Coric, 25º favorito, perdeu logo na estreia e de forma incontestável pelo norte-americano Sam Querrey, por 3×0.

Já o grego Stefanos Tsitsipas foi outro que nadou em águas tranquilas ao perder apenas cinco games diante do italiano Stefano Caruso.

A terça-feira será o dia de estreia de Rafael Nadal, que tem um grande favoritismo diante do boliviano Hugo Dellien, encerrando a programação diurna da Rod Laver Arena.

Abrindo a rodada noturna na mesma quadra, o destaque e um dos jogos mais aguardados da primeira rodada, entre o russo Daniil Medvedev e o norte-americano Francis Tiafoe.

A Margaret Court será o local da estreia de Alexander Zverev contra o italiano Marco Cecchinato, enquanto a Melbourne Arena terá os jogos de dois tenistas da casa. Primeiro, Alexey Popyrin enfrenta Jo-Wilfried Tsonga. Depois, Nick Kyrgios encara o italiano Lorenzo Sonego.

 

 

Nadal, Djokovic e Federer não devem ter dificuldade na estreia do Australian Open. Medvedev enfrenta Tiafoe

Começa na próxima segunda-feira o Australian Open, primeiro Grand Slam da temporada, disputado no piso duro de Melbourne.

Rafael Nadal aparece como cabeça de chave nº 1, apesar de não ser o favorito nas casas de apostas, e não deve dificuldade na sua estreia diante do boliviano Hugo Dellien.

Novak Djokovic também tem amplo favoritismo contra o alemão Jan-Lennard Struff, assim como Roger Federer na partida diante do norte-americano Steve Johnson.

Talvez o russo Daniil Medvedev tenha a estreia mais complicada entre os principais favoritos, já que joga contra o norte-americano Francis Tiafoe.

Como jogos interessantes na primeira rodada, destaque para o confronto entre o norte-americano Reilly Opelka e o italiano Fabio Fognini, além da partida entre os espanhóis Feliciano Lopez e Roberto Bautista Agut.

 

Retrospectiva 2019: Nadal leva seu 12º Roland Garros. Barty conquista Slam pela 1ª vez e brasileiro Pucinelli repete título de Guga

O segundo Grand Slam do ano foi, mais um a vez, com alta expectativa pelo favoritismo de Rafael Nadal. E o espanhol, mais uma vez, não decepcionou. Sem dar chances, faturou seu 12º título no saibro parisiense.

Em uma campanha quase irretocável, Nadal perdeu somente dois sets ao longo de toda jornada, culminando com os triunfos sobre Roger Federer na semifinal e Dominis Thiem na grande decisão. Aliás, o austríaco parecia endurecer a partida, chegou a empatar ao vencer o segundo set, mas acabou superado com parciais de 6/3 5/7 6/1 e 6/1.

Na chave feminina, uma campeã inédita: A australiana Ashleigh Barty surpreendeu não pela bela campanha em um Slam, mas por ser justamente no saibro, que não é seu piso favorito.

E por falar na australiana, que também só perdeu dois sets ao longo das duas semanas de torneio, vale destacar que ela encerra o ano como nº 1 do mundo.

Na chave de duplas, uma surpresa: O título dos alemães Kevin Krawietz e Andreas Mies, frustrando a torcida francesa na final com a vitória sobre os locais Jeremy Chardy e Fabrice Martin. Nas duplas, porém, a torcida comemorou com o triunfo de Kristina Mladenovic e a húngara Timea Babos.

Se os brasileiros não se deram bem nos profissionais, com Bruno Soares perdendo na estréia e Marcelo Melo nas oitavas da chave de duplas, o mesmo não se pode dizer entre os juvenis.

Matheus Pucinelli foi bem longe e comemorou o título ao lado do argentino Thiago Tirante, repetindo feito de anos atrás de Gustavo Kuerten, em 1994, quando venceu ao lado do equatoriano Nicolas Lapentti.

Retrospectiva 2019: Melbourne viu o hepta de Djokovic e a confirmação da japonesa Osaka

Como quase todos os anos na última década, Novak Djokovic chegou ao primeiro Grand Slam da temporada, o Australian Open, como um dos principais favoritos. E não deu muitas chances pra ninguém!

Depois da surpreendente eliminação na semifinal do ATP de Doha, na primeira semana do ano, diante do espanhol Roberto Bautista-Agut, o sérvio caminhou firme rumo ao seu 7º troféu em Melbourne, sendo seus principais obstáculos os sets perdidos para Denis Shapovalov e Daniil Medvedev.

Na grande final, cercada de expectativa, um sonoro 6/3 6/2 e 6/3 sobre Rafael Nadal e heptacampeonato garantido.

Já na chave feminina, a japonesa Naomi Osaka se consagrou na elite do tênis feminino. Depois da decisão polêmica contra Serena Williams no US Open 2018, no que foi seu primeiro título de Slam, ela entrou no torneio australiano pronta pra afastar qualquer possibilidade de acaso com a conquista anterior.

Caminhou na chave precisando virar algumas partidas e fez uma final muito equilibrada diante da tcheca Petra Kvitova, vencendo por 7/6 5/7 e 6/4. No fim, o 2º Slam da carreira e a confirmação de ser a primeira asiática líder do ranking da WTA.

Na chave de duplas, que não contou com o brasileiro Marcelo Melo, lesionado, e viu Bruno Soares perder nas quartas de final, ao lado do britânico Jamie Murray, para Kontinen/Peers, o título ficou com os Frances Nicolas Mahut e Pierre-Hugues Herbert.

Entre as mulheres, Samantha Stosur fez a festa da torcida da casa ao lado da chinesa Zhang Shuai.

No mais, Bia Haddad chegou a furar e entrar na chave principal, venceu um jogo, mas foi superada na segunda rodada pela alemã Angelique Kerber.

No mais, Thomaz Bellucci perdeu na primeira rodada do qualifying e Thiago Monteiro na terceira e última, também do quali.

 

Nadal vira mais uma vez, mas é eliminado do Finals depois da vitória de Zverev sobre Medvedev

Mesmo duas vitórias não foram suficientes para levar Rafael Nadal à semifinal do ATP Finals, torneio que reúne na O2 Arena, em Londres, os oito melhores tenistas da temporada.

Depois da virada sobre Daniil Medvedev, no jogo anterior, o espanhol precisou virar mais uma vez, desta vez contra o grego Stefanos Tsitsipas, triunfando com parciais de 6/7(4) 6/4 e 7/5.

Porém, com a vitória de Alexander Zverev sobre Medvedev na sequência, a vaga outra vaga na semi do grupo ficou com o alemão, que passou junto ao grego Tsitsipas.

As semis serão disputadas neste sábado. Primeiro, por volta das 11h de Brasília, Tsitispas encara o suíço Roger Federer.

Depois, por volta das 17h, Zverev terá pela frente o austríaco Dominic Thiem.

Vale lembrar que a eliminação de Djokovic, também na primeira fase, garantiu Nadal como nº 1 do mundo até o final da temporada.