Thiago Monteiro inicia pré-temporada na Argentina e mira top 100 em 2019

O tenista cearense Thiago Monteiro embarcou no começo desta semana para Buenos Aires para iniciar sua pré-temporada visando o ano de 2019. O jogador já está treinando na academia do técnico Fabian Blengino na capital argentina.

“Foi um ano de altos e baixos. Fiz minha primeira semifinal de ATP em Quito e quartas no ATP 500 de Hamburgo. Venci nomes como Gael Monfils, Fernando Verdasco e Gilles Simon, o que me deu muita confiança”, afirmou. “Por outro lado, troquei de centro de treinamento (saiu da Tennis Route, no Rio, para a Argentina) e sempre demora um pouco para adaptar. Engatei com um novo treinador (Fabian Blengino) no meio dos torneios. Agora vamos ter tempo para trabalhar nas coisas necessárias e quem sabe ter um ano mais consistente em 2019”, acrescentou Monteiro.

O cearense começa o ano no ATP de Pune, na Índia, disputa o qualifying do Australian Open e depois joga os torneios da América do Sul. “Quero voltar a disputar a chave principal de um Grand Slam. Fiquei perto na Austrália, e espero entrar direto em Roland Garros. Também gostaria de ganhar um Challenger novamente e voltar ao top 100”, revelou Monteiro.

Pela primeira vez o tenista fará a pré-temporada na Argentina, em que terá a oportunidade de estar próximo do técnico e treinar com os tops argentinos.

Em 2018, brasileiros tiveram grande queda no aproveitamento em partidas contra top-100

Em uma rápida percepção, é possível notar que o tênis masculino brasileiro, pelo menos no que se refere aos simplistas, não vive uma boa fase. Pelo contrário.

Nos últimos anos, o Brasil vem perdendo força não apenas em relação ao ranking ou às conquistas de grandes títulos, mas também no que tange ao aproveitamento em quadra diante de jogadores bem posicionados na lista da ATP.

Fizemos um levantamento do número de vitórias dos brasileiros em partidas contra jogadores do top-100, comparando com anos anteriores, e o que se percebe é um declínio acentuado no número de vitórias dos atletas nacionais contra jogadores desta faixa do ranking que, vale dizer, nem é das mais privilegiadas quando se trata de grandes torneios.

Vale apontar que não foi levado em conta o torneio em disputa, mas sim o ranking do adversário em questão, sendo possível notar que um dos melhores números do Brasil foi em 2015, quando foram conquistadas, no total, 36 vitórias sobre top-100, com a seguinte distribuição e aproveitamento de 36%.

Em 2016, o número de vitórias já começou a cair, apesar do aumento no aproveitamento, para 41%, com destaque ainda para o triunfo de Thiago Monteiro sobre o francês Jo-Wilfried Tsonga, então número 9 do mundo, na primeira rodada do Rio Open, na partida que praticamente apresentou o cearense o mundo. Além disso, também se destaca a vitória de Thomaz Bellucci sobre o belga David Goffin (13º) durante os Jogos Olímpicos.

Já em 2017, os números continuavam piorando, com queda nas vitórias e no aproveitamento, apesar do bom resultado de Bellucci sobre o japonês Kei Nishikori (5º) na estreia do Rio Open e de Rogerinho sobre Monfils no ATP 250 de Umag, além da vitória de Feijão sobre o argentino Horacio Zeballos na estreia do Brasil Open, última vitória do brasileiro sobre um jogador nesta faixa de ranking, até o momento.

Na atual temporada, os números pioraram de vez, com os brasileiros conseguindo um número muito abaixo, impulsionado pela quase ausência de vitórias de Bellucci, que não vem em sua melhor fase, com lesões e uma pausa por doping recentemente. O aproveitamento na temporada? 28%, em apenas 39 jogos disputados contra top-100 em todo ano.

Vale destacar que a única vitória de Bellucci sobre um top-100 em 2018 foi sobre o eslovaco Martin Klizan, no Challenger de Gênova. Pior do que isso, o jogador melhor ranqueado batido por um brasileiro no ano foi o espanhol Fernando Verdasco, superado por Monteiro nas oitavas do ATP 500 de Hamburgo. Mesmo ex-top 10, Verdasco era o 33º do mundo na ocasião.

Também é importante mencionar que não são apenas os números de vitórias e aproveitamento que ficam bem abaixo neste ano, mas também o número de partidas realizadas. Isso aponta para o declínio dos brasileiros no próprio ranking da ATP, já que a faixa do top-100 joga, em boa parte das semanas, torneios ATP’s, enquanto os tenistas do país ficaram nos Challengers em boa parte da temporada.

Pelo 2º ano seguido, Brasil fecha o ano sem um top-100 no ranking de simples da ATP

Pelo segundo ano consecutivo, o Brasil vai fechar o ano sem um representante no top-100 masculino da ATP.

Neste ano, o melhor brasileiro ficou ainda mais longe em comparação ao ano de 2017, no que se refere à proximidade aos 100 melhores mundo, com Thiago Monteiro ocupando o 123º posto.

Em 2017, Rogerinho fechou o ano na 101ª posição, com Monteiro em 124º. Thomaz Bellucci perdeu muitos postos na comparação entre os dois anos, saindo do 113º lugar em 2017 para o 242º neste ano.

Guilherme Clezar era o 205º há um ano e agora é o 252º, enquanto João Souza fechou 2017 como 246º do mundo e atualmente é o 312º.

Clezar passa pela estreia em Buenos Aires e Orlandinho fura o quali. Monteiro perde

Dois brasileiros estrearam nesta segunda-feira no Challenger de Buenos Aires, na Argentina, que é disputado no saibro.

Thiago Monteiro não se encontrou em quadra e foi facilmente superado pelo argentino Pedro Cachin em sets diretos, com parciais de 6/0 e 6/3. Depois, Guilherme Clezar conseguiu boa vitória sobre o sérvio Milan Zekic por 6/3 e 6/2.

Agora, nas oitavas de final o brasileiro o vencedor da partida entre o argentino Facundo Bagnis e o uruguaio Martin Cuevas.

Também nesta segunda, pela última rodada do quali, Orlando Luz, o Orlandinho, garantiu sua vaga na chave ao bater o local Agustin Velotti por duplo 6/3, enquanto João Pedro Sorgi acabou levando a virada do argentino Federico Coria, com parciais de 2/6 6/4 e 6/1.

Na primeira rodada, Orlandinho jogará contra o argentino Francisco Cerundolo, nº 571 do mundo e convidado pela organização.

Monteiro passa por argentino na estreia em Montevidéu. Wild e Clezar perdem

Dos quatro brasileiros na chave, apenas um saiu com a vitória na primeira rodada do Challenger de Montevidéu, no Uruguai, que é disputado no saibro.

Nesta terça-feira o brasileiro vencedor foi Thiago Monteiro, que passou em sets diretos pelo argentino Facundo Diaz Acosta, com parciais de 6/2 e 7/5, e agora terá pela frente, nas oitavas de final, o convidado local Martin Cuevas.

Também nesta terça, Thiago Wild, que furou o qualifying, foi superado pelo búlgaro Dimitar Kuzmanov, com parciais de 6/2 4/6 e 6/2, enquanto Guilherme Clezar perdeu para o português Pedro Sousa por 6/1 e 6/2.

Na segunda-feira, Thomaz Belluci já havia perdido para o italiano Lorenzo Giustino por duplo 6/3.

Monteiro conta com desistência de chileno e vai às quartas em Lima. Clezar perde

Thiago Monteiro está nas quartas de final do Challenger de Lima, no Peru, que é disputado no saibro.

Nesta quarta-feira, o brasileiro entraria em quadra pra enfrentar o chileno Marcelo Tomas Barrios Vera, que acabou desistindo da partida antes do jogo, dando a vaga nas quartas ao tenista cearense.

Agora, o brasileiro terá pela frente o vencedor da partida entre o equatoriano Emilio Gomez e o argentino Federico Delbonis.

Guilherme Clezar também entrou em quadra pelas oitavas, mas foi superado pelo chileno Christian Garin, em sets diretos, com um duplo 6/3.

Monteiro, Bellucci e Clezar entram em quadra nesta segunda no Challenger de Lima

Três brasileiros estreiam nesta segunda-feira no Challenger de Lima, no Peru, que é disputado no saibro.

Primeiro a entrar em quadra, Guilherme Clezar terá pela frente um amplo favoritismo contra o japonês Kento Tagashira, jogador que não está no ranking da ATP.

Mais tarde, Thiago Monteiro enfrenta o experiente colombiano Santiago Giraldo. Os dois já se enfrentaram três vezes, com duas vitórias do brasileiro.

Fechando a rodada, Thomaz Bellucci entra em quadra diante do dominicano José Hernandez, em confronto que será inédito.

Bellucci, Monteiro e Rogerinho conhecem adversários de estreia em Santo Domingo. Feijão vence no quali

Três brasileiros estão garantidos na chave principal do Challenger de Santo Domingo, na República Dominicana, que é disputado no saibro.

Depois de chegar à semifinal do Challenger de Campinas, quando perdeu para o argentino Federico Delbonis, Thiago Monteiro terá como primeiro adversário o local Jose Hernandez, que já o venceu em dois dos três confrontos anteriores.

Thomaz Bellucci joga na primeira rodada contra o croata Nino Sedarusic, nº 223 do mundo, em confronto que será inédito, enquanto Rogério Dutra Silva, o Rogerinho, terá pela frente o espanhol Mario Vilella Martinez, também em confronto inédito.

João Souza, o Feijão, está no quali, e venceu a primeira rodada contra o argentino Renzo Olivo por 6/4 e 6/2. Neste domingo, já a segunda rodada diante do italiano Ricardo Bellotti.

Foto: João Pires/Fotojump

Monteiro é superado por Delbonis na semi do Challenger de Campinas. Romboli fica com vice nas duplas

O argentino Federico Delbonis e o chileno Christian Garin decidem o título da oitava edição do Campeonato Internacional de Tênis, apresentado pelo Santander e Ministério do Esporte. Cabeça de chave 2, Delbonis, de 28 anos, derrotou neste sábado (06/10) o brasileiro Thiago Monteiro, enquanto Garin, de 22 anos, passou por Facundo Bagnis. A decisão do ATP Challenger de Campinas será neste domingo, às 12h, na Sociedade Hípica. A entrada é gratuita.

O cearense Monteiro, cabeça de chave 4 e 115º, lutou, mas acabou superado por Delbonis, 91º, com parciais de 6/0 6/7(3) 6/2, após 2h05, na semifinal. Monteiro estava perdendo por 6/0 5/2, conseguiu virar o segundo set, mas foi derrotado no set decisivo.”Joguei bem no início, mas me desconcentrei no segundo set. De qualquer maneira, estou contente por ter voltado na partida e por ter ficado bem mentalmente. Amanhã será um jogo muito duro, mas acho que estou jogando bem”, conta o argentino, dono de 2 títulos de ATPs e 10 troféus de ATP Challenger na carreira em 15 finais. Esta será sua segunda decisão da temporada, depois de vencer um troféu em Biella. Delbonis venceu Garin no único confronto entre os tenistas em 2015.

Cabeça de chave 8, Garin, 141º, foi o primeiro a se classificar para a decisão em Campinas. O chileno venceu neste sábado o argentino Facundo Bagnis, com duplo 6/1.“Hoje me senti muito bem em quadra. A primeira rodada foi muito difícil, (salvou um match point contra Guilherme Clezar), mas depois fui subindo o nível. O Bagnis veio de um jogo muito longo, acho que ele não estava em um bom dia, mas estou muito feliz por ter passado para a final. Estou em um ótimo ano e quero terminar da melhor maneira”, analisa Garin, que nesta temporada alcançou a final de três torneios ATP Challenger. O chileno deve figurar no 131º posto no ranking, com os pontos garantidos da final, ultrapassando o melhor ranking de sua carreira, na 137ª posição. Em Campinas, Garin disputa sua quinta final da carreira e busca seu segundo título de ATP Challenger.

Em todas as edições do ATP Challenger de Campinas, um representante da Argentina sempre esteve na decisão do evento. Cinco campeões do torneio são deste País: Facundo Bagnis (2016), Facundo Arguello (2015), Diego Swartzman (2014), Guido Pella (2012) e Máximo Gonzalez (2011). A decisão deste domingo terá transmissão ao vivo no canal SportTV3.

A decisão de duplas terminou neste sábado com o título da dupla formada pelo boliviano Hugo Dellien e o argentino Guillermo Duran. A parceria fez frente ao brasileiro Fernando Romboli e o argentino Franco Agamenone com parciais de 7/5 6/4.

Foto: João Pires/Fotojump

Monteiro elimina Bellucci e encara Delbonis por vaga na final em Campinas. Wild perde pra Bagnis

O brasileiro Thiago Monteiro alcançou pela primeira vez a semifinal do Campeonato Internacional de Tênis, apresentado pelo Santander e Ministério do Esporte, após eliminar Thomaz Bellucci nesta sexta-feira (05/10) no ATP Challenger de US$ 50 mil. Neste sábado, não antes das 13h, o cearense de 24 anos busca a primeira final da temporada contra o argentino Federico Delbonis, cabeça de chave 2, na Sociedade Hípica de Campinas. A entrada é gratuita.

Monteiro, cabeça de chave 4 e 115º, derrotou Bellucci de virada, por 6/2 2/6 6/1. Esta é a melhor campanha do cearense no evento, em sua sexta participação. “Foi um jogo um pouco estranho. Hoje as condições estão bem diferentes, com frio e vento. Acho que o Thomaz começou muito bem e firme, mas no final do primeiro set comecei a impor meu jogo e a sacar melhor. Estou muito feliz com essa vitória, minha primeira semifinal aqui em Campinas. Contra o Delbonis será um jogo bem duro, minha última semifinal foi contra ele, perdi em dois sets, mas aqui tenho o apoio da torcida e as condições estão favoráveis”, comenta o cearense, que enfrentou Delbonis, 91º, há duas semanas na semifinal do ATP Challenger de Biella e foi superado por 6/2 6/3.

A surpreendente campanha de Thiago Wild em Campinas chegou ao fim. Apesar de todo o apoio da torcida, o paranaense de 18 anos, que entrou no evento com um convite, foi superado pelo cabeça de chave 6, Facundo Bagnis, 139º, por 7/6(3) 6/7(4) 6/3, depois de 3h17. Após alcançar as quartas de final de um ATP Challenger pela primeira vez, Wild deve figurar na posição 408º da ATP, ultrapassando seu melhor ranking, na 453ª colocação.

Na semifinal, Bagnis abre a rodada deste sábado, às 11h, contra Christian Garin, cabeça de chave 8 e 141º, que foi o primeiro tenista a se classificar entre os quatro melhores jogadores do torneio. O chileno de 22 anos venceu hoje o uruguaio Martin Cuevas, por 6/4 6/3. Com os pontos obtidos em Campinas, o campeão juvenil de Roland Garros em 2013, ficará bem próximo do melhor ranking da carreira, por volta da 138ª colocação. Bagnis venceu os dois confrontos com Christian Garin.

Romboli avança à final de duplas

O brasileiro Fernando Romboli avançou à decisão de duplas ao lado do parceiro argentino Franco Agamenone. Nesta sexta-feira, os cabeças de chave 1 venceram Caio Silva e Thales Turini, por 7/6(3) 6/3. Agora, Romboli e Agamenone enfrentam o boliviano Hugo Dellien e o argentino Guillermo Duran. Com os pontos obtidos em Campinas, Romboli, atual 111º, que já venceu um título de ATP Challenger esse ano, pode chegar ao melhor ranking da carreira novamente, na posição 106º. A final de duplas deste sábado será não antes das 15h.

Foto: João Pires/Fotojump