Thiago Monteiro é vice na Itália

O tenista número um do Brasil e 89o. Colocado no ranking mundial, Thiago Monteiro ficou com o vice-campeonato do Challenger de Forli, na Itália. Neste sábado, na final, ele foi superado em uma disputada final pelo jovem italiano Lorenzo Musetti, por 7/6(2) 7/6(5) e parte agora para Paris, para disputar o torneio de Roland Garros.

“Foi um jogo duro. Estava com muito vento e meio difícil de jogar. O Musetti é muito habilidoso e jogou melhor nos momentos importantes. Ele é um cara novo e tem um grande futuro pela frente. Eu não comecei tão bem no jogo. Foi uma final dura, com dois sets no tie-break e 2hs de jogo. Mas o que vale foi essa boa semana e a confiança de vários jogos seguidos, que era o meu principal objetivo,” afirmou o cearense.

Thiago já está a caminho de Paris para disputar o torneio de Roland Garros que começa amanhã. Ele enfrenta o georgiano Nikoloz Basilashvili, cabeça de chave 31 e o 33º do ranking, em um confronto inédito.

“Disputei mais uma final, o que é sempre bom para a confiança, mas agora já estou focado em Roland Garros, indo para Paris e é concentrar para fazer uma boa estreia.”

Esta foi a oitava final de Challenger de Monteiro, que já foi campeão neste nível em cinco oportunidades: Aix en Provence (2016), Braunschweig (2019), Lima (2019) e Punta del Este (2019 e 2020).

Diana Gabanyi

Foto – Divulgação

Thiago Monteiro vai à semifinal na Itália

Thiago Monteiro continua vencendo no Challenger de Forli, na Itália. O tenista número um do Brasil superou o norte-americano Alexander Ritschard por 7/6(4) 6/3, e segue avançando no torneio preparatório para Roland Garros. Na semifinal, Monteiro enfrentará o anfitrião Andrea Pellegrino, 343º do mundo.

“Estou fazendo um bom torneio, já fiz cinco jogos aqui. Estou me sentindo bem e melhorando a cada jogo. O objetivo aqui era fazer o máximo de jogos, buscar uma final e um título, e estou cada vez mais perto disso. Amanhã é entrar focado no que estou trabalhando e no que tenho que fazer”, disse o cearense, contente com o desempenho no torneio.

Foi também nesta quinta-feira que Monteiro, atual 89º do ranking, conheceu o seu adversário na estreia em Roland Garros, o último Grand Slam desta temporada atípica. O brasileiro enfrentará o georgiano Nikoloz Basilashvili, cabeça de chave 31 e o 33º do ranking, num confronto inédito.

Esta será a terceira vez que Thiago Monteiro disputará a chave principal de Roland Garros. Em 2017, o cearense caiu na segunda rodada para o francês Gael Monfils, 16 do mundo na época. Já no ano passado, Monteiro furou o quali e foi superado pelo sérvio Dusan Lajovic na primeira rodada. Ao todo, será a quinta participação de Thiago no torneio parisiense, contando com duas disputas no qualifying.

Diana Gabanyi

Monteiro equilibra, tira set, mas perde para Auger-Aliassime no US Open. Wild é superado por Evans

Após 3h51 de uma partida muito disputada, Thiago Monteiro caiu nos detalhes na estreia do US Open, em Nova York. Nesta terça-feira, o tenista número um do Brasil e 83o. na ATP enfrentou o canadense Felix Auger-Alissime, 21º colocado no ranking, e foi superado por 6/3 6/7(7) 7/6(8) 7/6(8).

A partida foi marcada pelas oportunidades que Monteiro criou, chegando a ter chances de fechar o terceiro e o quarto set, mas vendo um Auger-Aliassime sólido do outro lado da quadra. “Foi um jogo difícil. É duro perder estes jogos assim, que eu estava tão próximo. Tive set point no terceiro e no quarto set. Joguei bem em muitos momentos do jogo, mas em certos pontos eu poderia ter encaixado melhor a devolução, pequei um pouco nisso. Eu estava devolvendo bem nos treinos, mas hoje estava complicado e o saque do Auger-Aliassime é bem chato de devolver. Ele também jogou bem nos pontos importantes,” resumiu Monteiro, chateado pelas chances perdidas.

“Sem dúvidas estou triste pela derrota, deixa um gosto amargo, mas também estou sentindo que venho evoluindo. Sei que este tipo de situação vai se converter em vitórias e que vai me dar confiança. Gostei de ter jogado bem depois de uma lesão e depois de tanto tempo parado, então é importante seguir nesta linha e usar esta confiança para ir bem nos torneios na Europa”, finalizou o brasileiro, que se recuperou de um estiramento leve no adutor direito sofrido durante a disputa do qualifying do Masters 1000 de Cincinnati.

Esta foi a terceira participação de Monteiro na chave principal do US Open, repetindo as campanhas de 2017 e 2019. O próximo destino do cearense será a Europa, onde disputará os qualifyings do ATP 250 de Kitzbuhel, do Masters 1000 de Roma e do ATP 500 de Hamburgo antes do início dos jogos em Roland Garros.

Outro brasileiro que estreou na terça-feira, também com derrota, foi Thiago Wild, que não teve muitas chances diante do britânico Daniel Evans, perdendo por 6/2 6/1 e 7/6(5).

 

Monteiro e Wild entram em quadra nesta terça-feira em Nova York

Os dois brasileiros na chave estreiam nesta terça-feira no US Open, em Nova York, torneio disputado no piso duro e, neste ano, em condições diferentes, sem público.

O tenista número um do Brasil, Thiago Moteiro, joga contra o francês Felix Auger Aliassime, 21o. Colocado na ATP.

“É uma estreia dura, mas acho que vai ser um bom jogo. A gente vem treinando para enfrentar os grandes nomes do circuito. Ele é um cara novo, apontado para ser o futuro do tênis, é o favorito, mas vou tentar usar bem o meu saque, ficar atento nas primeiras bolas que vem rápidas. As condições em Nova York estão bem boas e se eu estiver em um bom dia, acredito na vitória. Eu cheguei há muitos dias, joguei o quali de Cincinnati e apesar da lesão foi bom jogar. Foi leve e estou recuperado,” disse Thiago.

Nos últimos dias, o cearense, já 100% depois de ter sofrido a lesão no adutor direito na última rodada do qualifying em Cincinnati, que estava sendo disputado em Flushing Meadows, Thiago aproveitou para treinar com diferentes tenistas.

“Eu comecei a treinar bem desde quinta-feira e foram treinos variados. Treinei com o Munar, o Schwartzman e hoje com o Murray. Estou me sentindo bem e 100% preparado para fazer um bom jogo.”

Esta é a 3a. Vez que Thiago Monteiro, 83o colocado na ATP, joga o US Open na chave principal. Nas outras duas, em 2017 e 2019 ele perdeu na estreia.

O Grand Slam americano é o segundo torneio que ele disputa, depois de 5 meses do circuito parado pela pandemia do COVID.

Devido a pandemia, o torneio está sendo disputado sem público e com uma série de restrições. “Fazia muito tempo que a gente não sentia essas sensações de estar em um torneio novamente. A gente já sabia que seria desta maneira (sem público). Mas temos que aproveitar a oportunidade de estar jogando, mesmo não sendo da maneira ideal.”

Thiago Wild enfrenta o britânico Daniel Evans, 23º favorito e 28º do ranking mundial, em estreia que ocorre na terça-feira em torno das 15h no terceiro jogo da quadra 5.

Wild joga seu primeiro torneio após a quarentena. Ele vem treinando há cerca de uma semana no Billie Jean Tennis Center supervisionado pelo treinador João Zwetsch.

Thiago tem condições de enfrentar o Evans com ambições,ser inteligente para jogar. Evans joga bem em quadra rápida, bom slice,resolve bem na rede, quadra rápida. Ainda é um pouco inconstante. Quando está nos seus melhores dias consegue vitórias contra grandes nomes, é experiente. Jogo bem difícil, mas se o Thiago conseguir impôr um bom volume e principalmente mentalmente conseguir administrar em um controle por ser um jogo de cinco sets, ele tem uma boa chance, estamos treinando e trabalhando nessa linha. Tenho uma expectativa boa, muito tempo sem jogar, mas Thiago é um grande competir e tem boa chance de surpreender”, disse Zwetsch,

Monteiro e Wild terão adversários duros na estreia do US Open

Os dois brasileiros na chave já conhecem os adversários de estréia no US Open, Grand Slam disputado no piso duro da cidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos, que neste ano terá uma dinâmica diferente em virtude da pandemia do novo coronavírus.

Os dois não terão vida fácil na primeira rodada. Começando por Thiago Monteiro, atual nº 82 do mundo, que terá pela frente o canadense Felix Auger-Aliassime, nº 20 do mundo, em confronto que será inédito.

Outro brasileiro na chave, Thiago Wild também não deve ter facilidade diante do britânico Thiago Wild, nº 28 da ATP, em outro confronto inédito.

Com leve estiramento na perna, Thiago Monteiro desiste de jogo no quali do Masters 1000 de Cincinnati

O tenista brasileiro Thiago Monteiro sofreu um estiramento leve na perna direita, na última rodada do qualifying do Masters 1000 de Cincinnati, em Nova York, nesta sexta-feira e teve que desistir da partida que valia vaga na chave principal da competição.

Depois de estrear com vitória na noite de ontem, derrotando Federico Coria, por 6/3 6/4, o tenista número um do Brasil voltou à quadra em Flushing Meadows, para encarar o finlandês Emil Ruusuvuori. Quando o placar marcava 6/4 2/1 para o adversário, Monteiro sentiu a perna e abandonou a partida.

“Foi do nada. Eu não estava sentindo nada, estava jogando normal. Mas, em uma bola específica senti a perna travar,” contou Monteiro, que já fez exames e foi diagnosticado com um estiramento no adutor direito. “Eu tive um estiramento leve no adutor direito. Não foi nada grave e nem uma ruptura total. Acredito que dentro de 3 ou 4 dias já posso estar fazendo tudo normal e recuperado para o US Open. É uma pena. Eu vinha jogando bem, estava animado, mas é só o começo de uma retomada do circuito.”

Thiago Monteiro permanecerá em Nova York, se recuperando e se preparando para o US Open que começa na semana do dia 31 de agosto.

Thiago Monteiro embarca para os EUA para os torneios de Cincinnati e US Open

O tenista brasileiro Thiago Monteiro embarca na noite deste sábado para os Estados Unidos, onde disputará os torneios de Cincinnatti e o US Open, ambos em Nova York. Serão os dois primeiros torneios que ele jogará, desde que a pandemia do COVID-19 se alastrou em março.

Depois de ter passado por lockdown em sua cidade natal, Fortaleza, treinando por várias semanas em Itajaí e depois no Rio de Janeiro, na Tennis Route, ele embarca motivado e ansioso para retornar às competições.

“Consegui ir aumentando o ritmo aos poucos, depois de uma temporada no sul do Brasil e agora mais três semanas no Rio, em que treinei bastante com o Thiago Wild, na Tennis Route, sempre orientado pelo meu treinador à distância (o argentino Fabian Blengino),” disse o número um do Brasil. “Estou muito feliz de estar voltando a competir. Bate aquela ansiedade de retornar ao circuito. Depois de tanto tempo sem viajar para um torneio, vou com as baterias recarregadas. Senti muito falta desse frio na barriga de ir para uma competição, começar um novo torneio e  entrar em quadra para competir. Foi um período diferente para todos, especialmente para nós tenistas que estamos acostumados a uma vida dinâmica, cada semana em um lugar do mundo, mas foi bom para ter um tempo para ficar com a família e descansar,” contou.

Para o brasileiro, todos estarão na mesma situação com o reinício dos torneios. “Sei que vai estar todo mundo na mesma. Vou tentar me adaptar no dia a dia. Todos estarão do mesmo jeito mentalmente e a força mental vai fazer a diferença. Sabemos que não vamos voltar no nosso melhor nível, mas é o início de uma retomada. Com o passar dos dias e jogos, as coisas tendem a ir se encaixando cada vez melhor.”

Thiago jogará o qualifying do Masters 1000 de Cincinnati a partir de 5a. feira e encontrará o treinador argentino em Nova York. Para a disputa do Grand Slam americano,o US Open, ele já está na chave principal.

 

SOBRE THIAGO MONTEIRO

Thiago Monteiro nasceu no dia 31 de maio de 1994, em Fortaleza, no Ceará. Canhoto, começou a jogar tênis aos 8 anos de idade. Marcou a sua primeira vitória em um torneio ATP, em 2016, no Rio Open, ao derrotar Jo-Wilfried Tsonga.  Alcançou as primeiras quartas da carreira no Brasil Open, naquele mesmo ano, entrando no top 100 pela primeira vez. O melhor ranking da carreira veio em 2017, na posição de número 74. Neste ano alcançou a primeira semifinal de ATP da carreira, em Quito.
Atual 82o colocado no ranking mundial, o brasileiro tem carreira agenciada pela Linkinfirm de Marcio Torres e conta com o patrocínio da Angá Asset Management, OdontoCompany, Joma, Elemídia, SMZTO e Babolat.
Diana Gabanyi
Foto: Fotojump/Rio Open

Brasil sai atrás na Davis, mas empolga

O primeiro dia de Copa Davis, a Copa do Mundo do Tênis, terminou com a Austrália na frente do placar, mas a equipe mostrou que tem força para crescer na competição, independente do confronto em Adelaide, no sul do país da Oceania. A equipe da casa venceu os dois jogos de simples na sexta-feira, com as vitórias de Jordan Thompson e John Millman sobre Thiago Monteiro e Thiado Wild, respectivamente. Mas o duelo segue em aberto com as três partidas previstas para este sábado, a partir das 12h.

O primeiro duelo programado no Memorial Drive Tennis Club é entre a parceria formada por Marcelo Demoliner e Felipe Meligeni contra James Duckworth e John Peers. O capitão de cada time pode mudar a escalação até uma hora antes do início. O Brasil precisa da vitória neste jogo para se manter com chances na quarta partida, entre Thiago Monteiro e John Millman. A quinta partida programada é entre Thiago Wild e Jordan Thompson.

Nesta sexta-feira, Thiago Monteiro (82º do ranking da ATP) foi o primeiro a entrar em quadra para o jogo contra Jordan Thompson (63º). O brasileiro fez um jogo bastante equilibrado com Thompson, que contou com a força da torcida para fechar em duplo 6/4.

No segundo confronto, Thiago Wild (113º) mostrou toda confiança obtida após o título do ATP 250 de Santiago e teve um começo avassalador contra John Millman (43º). Ele chegou a abrir 5 a 2 no primeiro set antes de uma torcedora australiana precisar de atendimento médico por causa de um infarto, paralisando a partida em cerca de 30 minutos. Depois da pausa, o australiano conseguiu equiliberar o confronto para vencer por 4/6, 7/6 e 6/2.

“O Thiago Wild estava muito bem, mas a paralisação deu tempo para o Millman pensar no que fazer. Ele conseguiu aumentar o seu nível. Estou bem orgulhoso de nosso time, eles deram 100% em quadra. Não é como gostaríamos de estar, com 2 a 0 atrás, mas vejo um bom futuro para o nosso time. Ainda não está acabado. Temos três jogos neste sábado e vamos ver o que acontece”, destaca Jaime Oncins, capitão do time brasileiro.

“Eu tive minhas chances. Não diria que ele teve sorte, mas certamente ele conseguiu aumentar a sua intensidade, começou a sacar melhor e não errou mais nenhuma bola no terceiro set. Foi uma partida especial para mim, mas, no final, preciso tratar como apenas mais um jogo”, completa Thiago Wild.

O vencedor do confronto entre Brasil e Austrália vai se classificar para o Madrid Finals, em novembro, onde estarão as melhores equipes do planeta. O duelo é em melhor de cinco partidas, sendo necessárias três vitórias para obter a classificação. Os jogos são transmitidos pela DAZN, serviço online de streaming.

Antes da Davis, Thiago Monteiro anuncia novo patrocínio

Um dos representantes do Brasil na Copa Davis, o tenista brasileiro Thiago Monteiro, 82º colocado no ranking da ATP, acertou contrato de patrocínio com a OdontoCompany, empresa integrante da SMZTO Holding de Franquias. O valor do patrocínio não foi divulgado.

“É uma satisfação imensa estar ao lado de uma empresa sólida como o Grupo SMZTO e com uma marca que vem crescendo cada vez mais como a OdontoCompany”, celebra Monteiro. “A parceria me dá ainda mais confiança para seguir buscando os melhores resultados e também crescer como tenista,” continou o brasileiro que tem a carreira agenciada pela Linkinfirm do ex-tenista Marcio Torres e também conta com o patrocínio da Angá Asset Management, Joma, Elemídia e Babolat.

Atual número um do Brasil, Monteiro nasceu em Fortaleza, em 31 de maio de 1994. O atleta cearense, que começou a jogar tênis aos oito anos de idade, se tornou profissional em 2011. No ano seguinte, chegou a ser o segundo colocado no ranking mundial da categoria juvenil.

Aos 25 anos de idade, Monteiro tem 1m83cm e 78 quilos. É o atual 82o colocado no ranking mundial e está perto de bater o seu melhor ranking, de 74o. colocado. Único integrante do Brasil no top 100 tem 5 títulos de torneios Challenger, a semifinal do ATP de Quito. Nesta temporada começou com o troféu do Challenger de Punta del Este e alcançou as quartas de final nos ATPs de Buenos Aires e Santiago. Como juvenil foi o número dois do mundo.

Atual número um do Brasil, Monteiro nasceu em Fortaleza, em 31 de maio de 1994. O atleta cearense, que começou a jogar tênis aos oito anos de idade, se tornou profissional em 2011. No ano seguinte, chegou a ser o segundo colocado no ranking mundial da categoria juvenil.

Aos 25 anos de idade, Monteiro tem 1m83cm e 78 quilos. É o atual 82o colocado no ranking mundial e está perto de bater o seu melhor ranking, de 74o. colocado. Único integrante do Brasil no top 100 tem 5 títulos de torneios Challenger, a semifinal do ATP de Quito. Nesta temporada começou com o troféu do Challenger de Punta del Este e alcançou as quartas de final nos ATPs de Buenos Aires e Santiago. Como juvenil foi o número dois do mundo.

Thiago está na Austrália integrando o time brasileiro no confronto da Copa Davis, em Adelaide, que começa nesta sexta-feira.

Monteiro e Wild vencem mais uma e Brasil tem dois tenistas nas quartas do ATP de Santiago

O brasileiro Thiago Monteiro venceu mais uma no ATP 250 de Santiago, no Chile. Após derrotar o argentino Leonardo Mayer na estreia, nesta quarta-feira foi a vez do tenista número um do Brasil e 88o. colocado no ranking mundial superar o espanhol Roberto Carballes Baena, 97o por 6/1 6/4. Cabeça de chave 8, Thiago agora está nas quartas-de final do último torneio da gira sul-americana de saibro.

“A partida de hoje foi muito boa. Eu estava muito sólido, muito firme. A gira é longa, mas vim melhorando a cada semana e estou sentindo que estou jogando bem. Aqui, em Santiago, as condições são mais rápidas que das últimas semanas, mas consegui me adaptar desde o primeiro dia”, comentou o brasileiro, destacando a rápida adaptação e o bom desempenho.

Campeão do challenger de Punta Del Este e quadrifinalista de Buenos Aires, Thiago espera atingir o seu melhor resultado do ano em ATPs agora, em Santiago. “Agora, preciso me preparar para a próxima rodada, que vai ser bem dura, independente do adversário. Vou pra cima em busca da minha primeira semi de ATP do ano”, finalizou Monteiro, já focado nas quartas. O seu adversário será o espanhol Albert Ramos-Viñolas, que o venceu em três dos quatro confrontos anteriores entre eles.

Quem também se garantiu nas quartas de final do torneio chileno foi Thiago Wild, que conseguiu uma excelente vitória sobre o argentino Juan Ignacio Londero, com parciais de 7/6(7) e 6/4.

Agora, por vaga na semifinal, Wild terá pela frente o espanhol Alejandro Davidovich-Fokina, que eliminou o local Cristian garin. O brasileilro e o espanhol se enfrentaram na primeira rodada do Rio Open, com vitória de Wild em três sets.