Soares e Murray perdem na estreia em Indian Wells. Melo busca quartas neste domingo

Bruno Soares foi superado na primeira rodada do Masters 1000 de Indian Wells, que é disputado no piso duro norte-americano.

Na noite deste sábado, o brasileiro e seu parceiro, o britânico Jamie Murray, perderam para a dupla formada pelo indiano Rohan Bopanna e o canadense Denis Shapovalov, com um duplo 6/4.

Neste domingo, pelas oitavas de final, quem entra em quadra é Marcelo Melo. O mineiro e o polonês Lukasz Kubot terão pela frente a parceria formada pelo norte-americano Taylor Fritz e o australiano Nick Kyrgios.

Bellucci e Rogerinho eliminam Marcelo e Bruno e disputam vaga na final de duplas

Thomaz Bellucci e Rogério Dutra Silva surpreenderam Marcelo Melo e Bruno Soares, dupla cabeça-de-chave número 1, nesta quinta-feira, e garantiram vaga na semifinal do Rio Open. Bellucci e Rogerinho venceram Marcelo e Bruno por 6/2, 6/7 (6) e 10/5, e enfrentarão na semifinal, nesta sexta, no segundo jogo da quadra 1, o argentino Andres Molteni e o tcheco Roman Jebavy. Eles derrotaram o brasileiro Marcelo Demoliner e o dinamarquês Frederik Nielsen por 3/6, 6/4 e 10/3.

“Estamos bem contentes com a vitória, temos menos responsabilidade por sermos jogadores de simples e hoje deu tudo certo, fomos superiores a maior parte do jogo”, disse Bellucci.

Marcelo e Bruno, campeões de Grand Slam e que ainda não venceram no Rio, reconheceram a superioridade de Bellucci e Rogerinho. “Parece o fim do mundo quando perdemos, mas jogo de duplas é decidido em detalhes, e eles foram melhor hoje. Temos que olhar as coisas positivas, o momento especial de jogarmos juntos aqui, termos contato com a torcida, ver a quadra cheia”, disse Marcelo.

Na outra semifinal, os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah, campeões em 2014 e 2016, enfrentarão, às 15h, na quadra 1, a parceria formada pelo chileno Nicolas Jarry e pelo argentino Maximo Gonzalez. Cabal e Farah venceram os britânicos Luke Bambridge e Jonny O’Mara por 6/2 e 6/3. Jarry e Gonzalez derrotaram o croata Nikola Mektic e o argentino Horacio Zeballos por 4/6, 7/6 (5) e 12/10.

Foto: Fotojump

Bruno Soares e Marcelo Melo jogam juntos no Rio Open

Dois dos maiores nomes da história do tênis brasileiro, Marcelo Melo e Bruno Soares, disputarão juntos a sexta edição do Rio Open apresentado pela Claro, que acontece de 16 a 24 de fevereiro, no Jockey Club Brasileiro. Os mineiros, campeões de sete Grand Slams no total, estão entre os destaques em line-up que também apresenta os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah, bicampeões do torneio, além do brasileiro Marcelo Demoliner que jogará com o dinamarquês Frederik Nielsen. Com valores a partir de R$ 30, os ingressos estão à venda pelo site tudus.com.br/rioopen.

Tanto o britânico Jamie Murray quanto o polonês Lukasz Kubot, respectivos parceiros de Soares e Melo no circuito, não poderão viajar nesta data, o que possibilitou a retomada da parceria semifinalista do torneio em 2016. “Foi uma boa coincidência nossos parceiros não conseguirem vir ao Brasil este ano. O Jamie estava programado para vir, mas teve um problema pessoal e não poderá estar no Rio. A torcida que sempre marca forte presença em nossos jogos terá novamente uma dupla brasileira para torcer e quem sabe dar uma força extra para a gente buscar o nosso primeiro título do Rio Open e o primeiro título do Brasil no torneio”, disse Soares, campeão no início desta temporada em Sydney, na Austrália, com Murray.

Melo fez no último final de semana de Copa Davis a sua primeira apresentação desde que se recuperou da lesão muscular nas costas. O ex-número 1 do mundo tem boas expectativas para jogar ao lado de Soares, com quem soma 4 títulos na ATP. “Será um momento especial jogar mais uma vez o Rio Open com o Bruno. Tenho certeza que os torcedores ficarão felizes em poder nos ver jogando lado a lado mais uma vez”, afirma o tenista, que foi finalista do torneio em 2014, em parceria com o espanhol David Marrero. Antes de embarcar para o Rio de Janeiro, Melo ainda disputará o ATP 500 de Roterdã, na Holanda, com Kubot.

“É um privilégio para o Rio Open, ter o Marcelo e o Bruno jogando juntos. Eles são os principais expoentes do tênis nacional no circuito, são campeões de sete Grand Slams e é uma rara oportunidade da torcida poder ver essa dupla em ação no Brasil,” disse Luiz Carvalho, diretor do Rio Open.

Com o Brasil em busca do primeiro título no Rio Open, quem também disputará a competição é Marcelo Demoliner. O gaúcho, que conquistou seu primeiro título de ATP em 2018, virá ao Rio Open com seu novo parceiro de circuito, o dinamarquês Frederik Nielsen, campeão de Wimbledon em 2012.  Demoliner participou de todas as edições do torneio carioca, tendo como seu melhor resultado a semifinal em 2016, com o compatriota Thomaz Bellucci.

A chave também contará com os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah, bicampeões do Rio Open. A dupla, que foi finalista no Australian Open em 2018 e o segundo melhor time da última temporada, volta ao Rio de Janeiro para tentar o tricampeonato no maior torneio de tênis da América do Sul. O espanhol Marc Lopez, campeão de Roland Garros em 2016 (com Feliciano Lopez) e medalhista de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro (com Rafael Nadal), e o uruguaio Pablo Cuevas, campeão de Roland Garros em 2008 (com Luis Horna), completam os destaques da chave de duplas.

Além das 11 vagas anunciadas, outras cinco serão preenchidas, sendo duas on-site, outras duas por convites da organização e a última por meio do qualifying.

A sexta edição do maior torneio de tênis da América do Sul terá entre os seus destaques as presenças do austríaco Dominic Thiem, número 8 do mundo, do argentino Diego Schwartzman, atual campeão do Rio Open, do italiano Fabio Fognini, top 15 do ranking, além dos brasileiros Thiago Monteiro e Thiago Wild, ambos garantidos na chave principal, enquanto Rogério Dutra Silva e Thomaz Bellucci estão confirmados para a disputa no quali.

DUPLAS

Marcelo Melo e Bruno Soares (BRA/BRA)

Juan Sebastian Cabal e Robert Farah (COL/COL)

Nikola Mektic e Horacio Zeballos (CRO/ARG)

Pablo Carreno Busta e João Sousa (ESP/POR)

Marco Cecchinato e Dusan Lajovic (ITA/SRB)

Austin Krajicek e Artem Sitak (EUA/NZL)

Pablo Cuevas e Marc Lopez (URU/ESP)

Maximo Gonzalez e Nicolas Jarry (ARG/CHI)

Malek Jaziri e Leonardo Mayer (TUN/ARG)

Luke Bambridge e Jonny O’Mara (GBR/GBR)

Marcelo Demoliner e Frederik Nielsen (BRA/DIN)

CAMPEÕES

2018 – David Marrero e Fernando Verdasco (ESP/ESP)

2017 – Pablo Cuevas e Pablo Carreño Busta (URU/ESP)

2016 – Juan Sebastian Cabal e Robert Farah (COL/COL)

2015 – Martin Klizan e Philipp Oswald (ESV/AUT)

2014 – Juan Sebastian Cabal e Robert Farah (COL/COL)

Foto: João Pires

Depois da vitória da Bélgica em Uberlândia, João Zwetsch não é mais o capitão do Brasil na Davis

Mesmo com uma equipe reserva, os belgas levaram a melhor e eliminaram o Brasil no qualifying do Grupo Mundial da Copa Davis.

Neste sábado, no ginásio Sabiazinho, em Uberlândia, a equipe nacional sofreu uma dura derrota com os duplistas Bruno Soares e Marcelo Melo, que foram surpreendidos por Sander Gille e Joran Vliegen, que triunfaram com parciais de 6/4 e 7/6(4).

Depois, Thiago Monteiro não se encontrou diante de Kimmer Coppejans, que anotou 6/3 e 6/4, fechando o confronto para os visitantes por 3×1.

Neste domingo, a Confederação Brasileira de Tênis informou que João Zwetsch não ocupará mais a função de capitão. Ele colocou o cargo à disposição na noite do dia 02/02. “Eu e a CBT já vínhamos conversando sobre esse ciclo e no meu entendimento chegou o momento de fechamento”, avaliou Zwetsch.

“Foi um ciclo importante, que abrangeu várias gerações de atletas, um ciclo de aglutinação de jogadores, com grandes momentos como a vitória do Brasil sobre a Espanha, com a participação no Grupo Mundial da competição. Toda a equipe possui muito respeito com o trabalho desenvolvido pelo João, que sempre priorizou um clima de parceria e respeito na equipe, dentro e fora das quadras”,  salientou Westrupp.

“Gostaria de agradecer a confiança depositada em mim, primeiramente pelo Jorge Lacerda e depois por Rafael Westrupp. Também agradecer a todos os profissionais que estiveram comigo nesse desafio, o técnico Daniel Melo, o preparador físico Eduardo Faria, os médicos Ricardo Diaz e Gilbert Bang, os fisioterapeutas Paulo Roberto Santos e Otávio Kiefer. Agradecer aos atletas que passaram pela equipe brasileira enquanto estive nela. Vivi momentos de muito crescimento com cada um da equipe”, falou João.

O próximo confronto da equipe brasileira na Copa Davis será no mês de setembro e até lá será definido o próximo capitão.

Foto: Luiz Cândido/CBT

Bruno Soares é superado nas 4as das duplas masculinas, mas vai à semifinal nas mistas na Austrália

A dupla formada pelo brasileiro Bruno Soares e pelo britânico Jamie Murray parou nas quartas de final do Australian Open nesta quarta-feira (23). Eles foram superados pela forte dupla do finlandês Henri Kontinen com o australiano John Peers, por 6/3 6/4.

“O jogo foi complicado. Eles sacaram bem, não tivemos nenhuma chance de quebrar o saque deles durante o jogo. Não tivemos o que fazer. Eles dominaram e não encontramos a solução na devolução”, afirmou Soares.
Kontinen e Peers foram campeões do Australian Open em 2017 e também já conquistaram o ATP Finals. “Obviamente sempre queremos ir mais longe, mas o importante é que estamos jogando firme no começo de ano”, acrescentou o mineiro, que ao lado de Jamie Murray foi campeão já nesta temporada do ATP de Sidney.
Fora das duplas, Soares continua vivo nas duplas mistas em Melbourne. A parceria com a americana Nicole Melichar venceu mais uma partida, contra a americana Abigail Spears e o colombiano Juan Sebastian Cabal, por 6/1 7/6(3), e está na semifinal, a um jogo da decisão de um Grand Slam.
A vaga na final será disputada nesta quinta (24) na Rod Laver Arena contra os australianos Astra Sharma e John Patrick Smith, após o duelo entre Rafael Nadal e Stefanos Tsitsipas, que começa às 6h30 (horário de Brasília).
“Foi mais um grande jogo, estou bem entrosado com a Nicky. Amanhã tem semifinal, vamos jogar na Rod Laver à noite. Estou empolgado para tentar mais uma final de Grand Slam”, comentou Soares, que foi campeão no Australian Open em 2016 com a russa Elena Vesnina.

Com norte-americana Melichar, Bruno Soares vai às 4ªs de duplas mistas do Australian Open

Depois de chegar às quartas de duplas masculinas, Bruno Soares também se classificou para as quartas de duplas mistas do Australian Open, primeiro Grand Slam da temporada, disputado no piso duro de Melbourne.

Na madrugada desta terça-feira, no horário de Brasília, o brasileiro e a norte-americana Nicole Melichar passaram bem pela parceria húngara formada por Timea Babos e Marton Fucsovics, com parciais de 6/3 e 6/2.

Agora, por vaga na semifinal, eles terão pela frente a dupla formada pelo colombiano uan Sebastian Cabal e a norte-americana Abigail Spears, já na madrugada de quarta-feira.

Um pouco antes, por volta das 23:30hs desta terça, no horário de Brasília, Bruno entra em quadra ao lado do britânico Jamie Murray, para o confronto das quartas de duplas masculinas. Os dois terão pela frente o finlandês Henri Kontinen e o australiano John Peers.

Foto: Darrian Traynor

Soares e Murray salvam match points e chegam às 4ªs de final do Australian Open

Bruno Soares e Jamie Murray estão nas quartas de final do Australian Open, primeiro Grand Slam da temporada, disputado no piso duro de Melbourne.

Não foi uma partida fácil, é verdade, mas o brasileiro e o britânico usaram toda experiência e conseguiram superar a parceria formada pelo croata Nikola Mektic e o alemão Kevin Krawietz, de virada, com parciais de 6/7(3) 6/2 e 7/5.

Vale destacar que no terceiro set, quando Bruno sacavam em 4/5, eles salvaram 3 match points e, logo no game seguinte, conseguiram a quebra decisiva da partida.

Nas quartas, eles terão pela frente o finlandês Henri Kontinen e o australiano John Peers. As duas duplas já se enfrentaram nove vezes, com seis vitórias de Kontinen e Peers, mas Bruno e Jamie venceram o confronto mais recente, no ATP Finals de 2018.

Nesta terça-feira, Bruno ainda joga nas quartas de final de duplas mistas, ao lado da norte-americana Nicole Melichar. Os dois enfrentam os húngaros Marton Fucsovics e Timea Babos.

Foto: Luke Hemer/Tennis Australia

Soares e Demoliner já estão nas oitavas de final em Melbourne

Os dois brasileiros na chave de duplas estão nas oitavas de final do Australian Open, primeiro Grand Slam da temporada, disputado no piso duro de Melbourne.

O primeiro a garantir sua vaga foi Bruno Soares, ao lado do seu parceiro, o britânico Jamie Murray, mas depois de uma partida difícil.

Os dois tiveram pela frente os britânicos Luke Bambridge e Jonny O’Mara, que começaram bem e levaram a melhor no 1º set. Depois, Bruno e Jamie dominaram o 2º set e conseguiram a quebra decisiva no 3º depois de um lindo lob do tenista brasileiro.

No fim, vitória por 3/6 6/2 7/5 e vaga nas oitavas pra enfrentar a parceria formada pelo alemão Kevin Krawietz e o croata Nikola Mektic.

“Foi bastante duro. O Jamie já conhecia bem essa dupla por eles serem britânicos. São novos no circuito e jogam super bem. Conquistaram dois ATPs ano passado e fizeram final esse ano. Foi um jogo de altíssimo nível. Não jogamos tão bem o primeiro set, mas depois melhoramos bastante. Estou bem feliz de ter ganhado esse jogo porque foi pedreira”, afirmou Soares. “Nós estamos jogando bem, se mantivermos esse nível temos muita chance de passar para as quartas”, acrescentou o mineiro

Depois, foi a ver do aniversariante Marcelo Demoliner garantir sua vaga, jogando ao lado do dinamarquês Frederik Nielsen.

Os dois passaram pela dupla cabeça de chave nº 10, formada pelo britânico Dominic Inglot e o croata Franco Skugor, com parciais de 6/3 e 6/2.

Agora, por vaga nas quartas, eles não devem ter facilidade novamente, já que encaram o sul-africano Raven Klaasen e o neozelandês Michael Venus, cabeças de chave nº 6.

Foto: Luke Hemer/Tennis Australia

Bruno Soares e Marcelo Demoliner buscam vaga nas 8ªs do Australian Open

 

Depois da estreia vitoriosa, Bruno Soares e Marcelo Demoliner voltam à quadra do Australian Open, primeiro Grand Slam da temporada, em busca de vaga nas oitavas de final do torneio de dupla.

Os adversários de Bruno Soares e Jamie Murray na segunda rodada serão os britânicos Jonny O’Mara e Luke Bambridge e a partida será a primeira da programação da quadra 3, às 22hs desta sexta-feira, horário de Brasília.

Já Marcelo Demoliner e o dinamarquês Frederik Nielsen terão pela frente a dupla cabeça de chave nº 10, formada pelo britânico Dominic Inglot e o croata Franco Skugor.

A partida, terceira da programação da quadra 8, deve começar por volta de 1h da madrugada de sábado, horário de Brasília.

Na chave juvenil, o dia será de estreia para Natan Rodrigues, de 16 anos e nº 37 do ranking juvenil na ITF. O brasileiro terá um adversário difícil pela frente, já que encara o cabeça de chave nº 7, o tcheco Dalibor Svrcina, nº 11 do mundo.

Nas duplas mistas, Soares jogará com a americana Nicole Melichar, formando a dupla cabeça de chave 2. Ela é número 14 do mundo nas duplas. “Mais uma vez a (Ekaterina) Makarova estava em dúvida se jogaria ou não. Não quis esperar e fechei com a Melichar. A Makarova até me chamou depois mas era tarde demais”, contou o tenista, que tem três títulos de Slam nas mistas. Soares e Melichar estreiam contra os romenos Irina Begu e Horia Tecau.

Soares e Demoliner são os brasileiros na chave e conhecem adversários da estreia no Australian Open

Foi sorteada neste domingo a chave de duplas do Australian Open, primeiro Grand Slam da temporada, que é disputado no piso duro de Melbourne.

Vale destacar que Marcelo Melo, sempre um dos principais nomes do duplas do Brasil, não vai jogar o torneio, pois está se recuperando de uma lesão.

Com isso, Bruno Soares segue sendo o principal nome nacional, jogando ao lado do seu parceiro britânico Jamie Murray.

Embalados pelo título do ATP 250 de Sydney, no último sábado, os dois foram a dupla cabeça de chave nº 3 e terão pela frente na primeira rodada o tcheco Roman Jebavy e o argentino Andres Molteni.

O outro brasileiro na chave é Marcelo Demoliner, que também vem de título, no Challenger de Canberra, também na Austrália, quando levantou o troféu com o francês Hugo Nys.

Em Melbourne, o brasileiro joga com o dinamarquês Frederik Nielsen. Porém, não devem ter uma estreia fácil contra os espanhóis Marcel e Gerard Granolles.