Carol Meligeni e João Menezes vencem e se classificam para as semifinais do Pan de Lima

A sexta-feira foi de ótimos resultados para o tênis brasileiro nos Jogos  Pan-Americanos de Lima, no Peru, torneio que é disputado no saibro e que vale vaga pros Jogos Olímpicos de Tóquio, no ano que vem.

Carolina Meligeni começou bem o dia com uma grande vitória diante da mexicana Renata Zarazua, nº 296 do mundo e cabeça de chave nº 6, com parciais de 6/2 e 6/0, depois de vencer 11 games seguidos, em menos de uma hora de jogo.

Agora, Carol terá pela frente, em busca de uma vaga na final, a norte-americana Caroline Dolehide, nº 261 da WTA, em confronto que será inédito.

Vale destacar que, se chegar à final, a brasileira terá grandes chances de garantir sua vaga nas Olimpíadas de 2020.

Depois, foi a vez de João Menezes garantir outra grande vitória do Brasil no dia, ao bater o chileno Nicolas Jarry, nº 55 do mundo e único top-100 na chave, ao anotar 7/5 e 6/4.

Na semi, também em busca de vaga em Tóquio-2020, Menezes terá pela frente o argentino Facundo Bagnis, em outro confronto que será inédito.

Brasil treina na Eslováquia, onde jogará playoff da Fed Cup

A delegação brasileira que disputará a Fed Cup já está em Bratislava, onde irá enfrentar a Eslováquia pelos playoffs do Grupo Mundial II, nos próximos sábado e domingo (20 e 21 de abril). Nesta segunda-feira, um dia após o desembarque na capital do país do leste europeu, as atletas e a comissão técnica fizeram a primeira atividade na AXA Arena NTC, local das disputas.

“Foi um trabalho bom. Como chegamos de uma viagem cansativa, escolhemos conhecer o complexo pela manhã e treinar à tarde, em dois períodos de uma hora. Foi bom para conhecermos as condições de jogo daqui: a quadra é lenta, a bola é lenta. Apesar de ser uma quadra coberta, as condições são mais lentas. Mas, para as nossas jogadoras, é bom, porque todas estão muito acostumadas a jogar no saibro e se sentiram bem aqui”, destaca a capitã Roberta Burzagli.

Para este confronto, a capitã da Fed Cup convocou as mesmas tenistas que venceram o Zonal Americano: Beatriz Haddad Maia (124º do ranking da WTA), Carolina Meligeni Alves (354ª), Gabriela Cé (441ª), Luisa Stefani (446ª) e Thaísa Pedretti (672ª). Elas superaram Argentina (2 a 1), Chile (3 a 0) e Porto Rico (2 a 1). Na final contra o Paraguai a vitória foi por 2 a 0.

Nesta segunda-feira, Carolina, Gabriela, Luisa e Thaísa fizeram trabalhos físicos e bateram bola na arena dos confrontos. Bia Haddad Maia, que no sábado fez a semifinal do WTA de Bogotá, na Colômbia, se juntará à delegação para os treinos a partir de quarta-feira.

Depois da derrota por 4 a 0 para a Letônia em confronto pelo Grupo Mundial II, a Eslováquia mudou sua convocação e chamou as melhores atletas ranqueadas do país. O capitão Matej Liptak terá as tenistas Dominika Cibulkova (33ª), Viktoria Kuzmova (46ª), Magdalena Rybarikova (68ª) e Anna Karolina Schmiedlova (105ª). Em Bogotá, na última semana, Bia Haddad Maia superou Schmiedlova por 2 sets a 0: 7/6 (3) e 7/6 (6).

“Teremos uma grande semana pela frente. Tivemos uma boa recepção, com todo o processo muito bem planejado pela organização. A quadra já está pronta, com condições extremamente adequadas para um confronto deste porte, e permitindo que a Roberta e sua comissão técnica possam desenvolver bem o trabalho”, frisa Eduardo Frick, gerente de Eventos e Esportes da CBT e chefe de delegação.

A equipe brasileira tem atividades programadas para todos os dias da semana. Na sexta-feira será realizado o sorteio dos confrontos desta fase da Fed Cup, com a definição da ordem dos jogos de sábado e domingo.

Além da capitã Roberta Burzagli, a comissão técnica do Time Brasil conta com o auxiliar técnico Luiz Peniza, o preparador físico Miguel Cantori, e o fisioterapeuta Paulo Cerutti.

Roberta Burzagli convoca equipe para a Fed Cup com Bia Haddad e Carol Meligeni

A capitã Roberta Burzagli definiu a equipe do Brasil que disputará o Zonal Americano I da Fed Cup, entre 6 e 9 de fevereiro de 2019, no Club Campestre, em Medellin, na Colômbia. A nova técnica da equipe brasileira convocou as paulistas Beatriz Haddad Maia e Carolina Meligeni, números 1 e 2 do país no ranking de simples da WTA, respectivamente, a gaúcha Gabriela Cé, terceira brasileira mais bem colocada, e também a paulista Luisa Stefani – que deve reeditar a parceria vitoriosa com Bia na dupla. Além da estreante Thaísa Pedretti, de 19 anos, que integrará o time como jogadora de transição do juvenil para o profissional para adquirir experiência.

Em 2018, a equipe brasileira fez uma excelente campanha no Playoff, em Assunção, no Paraguai, e por pouco não conseguiu a vaga para o Grupo Mundial. As meninas do Brasil conquistaram uma vitória histórica sobre a favorita Argentina na negra da dupla, na semifinal, mas acabaram superadas pelas paraguaias, donas da casa, na decisão e ficaram com o vice-campeonato.

“Fizemos uma excelente campanha este ano, a classificação não veio por pouco. Com a total autonomia que a CBT me dá para compor tecnicamente a equipe, optei por manter a mesma base. Conheço super bem as meninas. Trabalhei com a Carol e a Luisa na ITF. A Bia conheço desde criança, a Gabi também estava com a gente na Fed deste ano, que fui como auxiliar. E também conheço a Thaísa do juvenil. Estou muito feliz de poder trabalhar com meninas do meu país”, afirmou Burzagli, que há 14 anos é técnica do quadro da ITF.

“A convocação atendeu a critérios técnicos, levou bastante em conta o ano das meninas, principalmente da Carol e da Gabi, que foram bem. A Bia teve uma lesão que a afastou das quadras por um tempo, mas já está totalmente recuperada e fez final num ITF de $80 mil, no mês passado. A Luisa é uma jogadora nova, ótima duplista, tem um excelente entrosamento com a Bia. As duas foram decisivas no ponto da dupla na nossa campanha na Fed deste ano e terminaram a competição invictas. Elas, incluive, jogaram alguns torneios do Circuito juntas este ano. E a Thaísa, que é outra menina nova, faz parte do nosso processo de renovação, e pude conhecer melhor no Encontro Internacional da CBT”, explicou Burzagli, que terá como auxiliar o técnico Luiz Peniza.

A número 1 do Brasil e atual 185 da WTA, Bia Maia, de 22 anos, foi um dos destaques na última edição da Fed Cup, no Paraguai, e está motivada para fazer mais uma boa campanha. “Estou bem contente com a convocação. É muito especial jogar a Fed Cup pelo Brasil, jogar por equipe durante uma semana, já que sempre jogamos sozinhas. Será mais uma semana especial, onde cada uma tem um papel fundamental para a energia do time ficar top. Este ano fomos vice, mas tenho certeza que estamos no caminho certo. Todas as equipes são duras, mas temos totais condições também”, avaliou Bia, que também falou sobre a parceria bem-sucedida com Luisa Stefani. “Nós estamos ainda mais entrosadas, jogamos juntas alguns torneios este ano quando nosso calendário coincidiu. Nos damos muito bem dentro e fora das quadras e isso ajuda muito”, ressaltou.

Após ficar de fora da Fed deste ano por questões de calendário e ter uma excelente temporada encerrando como número 2 do país, Carol Meligeni também está contente em voltar a defender o Brasil. “Queria agradecer à Beta, ao Peniza e à CBT pela confiança. Fiquei muito feliz quando soube da convocação, tem um gostinho muito especial representar o Brasil numa competição por equipes, que quase não tem no tênis. Ainda mais ao lado dessas meninas, com as quais me dou super bem. A comissão técnica também, com a Beta e o Peniza, que conheço desde pequenininha, já viajamos juntos algumas vezes e as experiências sempre foram positivas. Estou muito contente em fazer parte desse time, muito motivada para fazer o melhor possível junto com as meninas. Temos tudo para fazer uma bela campanha na Fed”, projetou.

Atleta mais experiente do time, Gabriela Cé, de 25 anos, vai para sua sétima convocação e acredita que a equipe chegará com mais confiança e ritmo na Colômbia”. “Sempre legal representar o Brasil. Tomara que este ano consigamos ir ainda melhor. Estou bem motivada pelo que vem pela frente. Será legal que todas nós já vamos chegar com bastante ritmo de torneios para a Fed, o que ajuda bastante. Eu também comecei a me encontrar um pouco mais, estou longe de onde quero estar, mas agora sei que pelo menos estou no caminho”, destacou Cé, que foi campeã do ITF de Luque, no Paraguai, em setembro.

Convocada pela terceira vez e invicta em jogos de Fed Cup, Luisa Stefani, de 21 anos, destacou o bom relacionamento com a capitã Roberta Burzagli. “Queria agradecer à Beta e à CBT pela confiança mais uma vez. Já viajei com a Beta algumas vezes no juvenil e confio muito nela como amiga, treinadora, alguém que eu posso ligar para pedir conselhos. Ela se dá bem com todas as meninas e tem muito a acrescentar com a experiência dela. Estou bem animada com essa equipe e minha expectativa é que a gente se classifique para o Grupo Mundial”, projetou a tenista, que ainda falou sobre a parceria com a Bia. “Sobre a dupla com a Bia, ano passado fomos bem. Foi a primeira vez que jogamos juntas e acho que nosso estilo de jogo se encaixou bem. Jogamos o ITF de Vancouver juntas esse ano também. Tem alguns detalhes que temos que melhorar, mas acho que é só questão de treino para nos entrosarmos ainda mais”, acrescentou.

A paulista Thaísa Pedretti, que integrará a equipe como alteta de transição para ganhar mais experiência, também está empolgada por fazer parte do time. “Estou muito contente. Sempre foco muito no trabalho, consequentemente muitas coisas boas aparecem. Tenho certeza que essa experiência será muito positiva para meu crescimento como atleta profissional. Há duas semanas estivemos no Encontro Internacional em Florianópolis, onde convivi com a Beta e as meninas, e também foi incrível, então estou bastante feliz”, concluiu.

Brasil terá equipe com estreantes no Zonal Americano da Fed Cup

teliana-bogota-peqO Brasil teve nesta segunda-feira a definição da equipe que defenderá o país no Zonal Americano I da Fed Cup, que acontece entre os dias 6 e 11 de fevereiro, na cidade de Metepec, no México. O capitão Fernando Roese convocou uma equipe renovada para ir ao México ao promover a estreia das jovens tenistas Carolina Meligeni Alves e Luisa Stefani, que integram ao time com as remanescentes Teliana Pereira e Gabriela Cé.

Atuais tenistas número 1 e 2 do país no ranking da WTA, Paula Gonçalves e Beatriz Haddad Maia não jogam este Zonal Americano da Fed Cup. Paula Gonçalves optou por não jogar a competição, enquanto Bia ainda se recupera de um acidente doméstico que adiou o seu início de temporada.

“Esse ano vamos de equipe renovada. Renovada até pela ausência da Paula Gonçalves, que eu chamei, mas ela não quis jogar. Acho que todo atleta tem a livre escolha, logicamente que a Paula no momento dela hoje nos ajudaria bastante, mas em se tratando de ela não querer jogar, não se pode fazer nada”, explica o capitão Roese. “Tivemos azar com a Bia, que também vive um bom momento, teve essa lesão dela e justamente as duas atletas que vivem um bom momento, terminaram o ano de 2016 jogando muito bem, não vamos poder contar com elas. Mas equipe é isso”, complementa sobre as ausências.

A mudança na equipe brasileira é a maior desde 2013, quando a base atual foi montada contando com Teliana, Paula e Bia. Naquela ocasião o Brasil fez grande campanha, perdendo apenas para o Canadá na final do Zonal Americano. Roese destaca a oportunidade para as jovens estreantes e acredita que o time pode alcançar um bom resultado no México.

“Isso dá uma chance para a Luisa Stefani, que é uma menina jovem e fez uma boa temporada em 2016. Ela vem tendo bons resultados, joga no tênis universitário americano e é acostumada à quadra dura, que combina com o que a gente vai ter no México. Ela já entra como uma renovação na equipe. A Carol Alves no ano passado foi convocada para treinar com o time e desta vez vai estar no time, ela também jogou bem no final do ano”, analisa o capitão.

Aos 19 anos, Luisa integra pela primeira vez uma equipe profissional brasileira após ter passado com sucesso por seleções na base do país. A paulistana iniciou em 2016 a disputa do circuito universitário americano pela Universidade de Pepperdine, em Malibu, na Califórnia. Logo na primeira temporada se destacou e foi eleita a melhor estreante, além de ser semifinalista nos Playoffs da primeira divisão da NCAA. No final do ano passado, obteve seu maior título nas duplas do ITF US$ 50 mil de Atlanta. Carolina fechou a temporada 2016 com o melhor ranking da carreira após jogar 11 semanas na Tunísia, onde obteve os dois primeiros títulos profissionais de simples, além três conquistas nas duplas.

A principal jogadora do time brasileiro segue sendo Teliana Pereira, que lidera a equipe ininterruptamente desde 2013 e vem se recuperando de uma temporada abaixo do esperado. Ela já iniciou o ano com bons resultados na Austrália. Gabriela Cé também inicia um ano de recuperação após não ter conseguido repetir os resultados de 2015.

“A Teliana que vem buscando a melhor forma dela, é legal de ver ela passando um quali na Austrália, tem a Gabi, que não fez um bom ano de 2016, mas vem tentando buscar também seus melhores resultados. É uma pena não contar com as duas melhores tenistas do momento, mas equipe é isso, a gente tem de tentar unir o grupo, achar a melhor forma de vencer os confrontos e eu acho que é mais uma experiência legal que a gente tem de poder fazer alguma coisa melhor pelo tênis feminino”, finalizou o capitão.

O Brasil terá como adversários no Zonal Americano I da Fed Cup 2017 as equipes de Argentina, Bolívia, Canadá, Chile, Colômbia, México, Paraguai e Venezuela. A disputa será em quadras descobertas de piso duro no Club Deportivo la Asuncion, em Metepec, no México.

Carolina Meligeni bate favorita e está na semifinal do ITF de São José do Rio Preto

Carol Meligeni - Rio Preto peqFavorita ao título da 1ª etapa do Circuito Feminino de Tênis do Estado de São Paulo, a tenista Eduarda Piai, de Marília, e cabeça de chave nº1, foi eliminada por Carolina Meligeni Alves, por 2 sets a 0, parciais de 6/3 e 6/2, nesta quinta-feira, pelas quartas de final.

Carolina duela na semifinal com Nathalia Rossi, que contou com a retirada da gaúcha Suellen Abel no terceiro set devido a cãibras. Nathalia havia perdido o primeiro set por 6/7(1) e vencido o segundo de 7/6(3). No terceiro set, Nathalia vencia de 4/1, quando Suellen optou por deixar a partida. “Foram cãibras muito fortes e como teria o jogo de duplas mais tarde, resolvi sair do jogo”, disse a tenista de Novo Hamburgo-RS.

O evento, que vale pontos para o ranking da WTA (Associação Feminina de Tênis Profissional), tem premiação de US$ 10 mil. A entrada é gratuita ao público.

A paulistana Nathaly Kurata, cabeça 4, mostrou que está determinada a buscar o título inédito do Circuito. Ela eliminou Flávia Bueno com um duplo 6/3, e vai encarar na semifinal a cabeça 2, Gabriela Cé, que derrotou a portuguesa Ivone Álvaro por 6/3 e 6/0. A final de simples está marcada o para sábado, às 11 horas.

Duplas

O título de duplas será disputado por tenistas brasileiras. Carolina Meligeni Alves e Juliana Cardoso vão enfrentar Gabriela Cé e Nathalia Rossi, nesta sexta-feira . Pela semifinal, Carolina e Juliana venceram Nathaly Kurata e Giovanna Tomita por 6/3 e 6/1. Já Gabriela e Nathalia passaram por Eduarda Piaia e Suellen Abel, com parciais de 7/5 e 6/4.

Carolina Meligeni perde nas quartas de duplas em Wimbledon

A brasileira Carolina Meligeni foi eliminada nas quartas de final da chave juvenil de duplas de Wimbledon, terceiro Grand Slam da temporada, disputado na grama londrina.

Nesta sexta-feira, ela e a australiana Sara Tomic, irmã do tenista Bernard Tomic, perderam para as tchecas Barbora Krejcikova e Katerina Siniakova, principais favoritas da chave, com parciais de 6/4 e 6/0.

Carolina encerrou em Wimbledon uma gira europeia de dois meses. Ela participou de vários torneios importantes fazendo parte de uma equipe coordenada por técnicos da ITF.

Carolina Meligeni vence e está nas quartas de duplas de Wimbledon. Bia Haddad perde

Carolina Meligeni conseguiu um importante resultado nesta quarta-feira, em partida válida pela segunda rodada da chave juvenil de duplas de Wimbledon, terceiro Grand Slam da temporada.

Ela e a australiana Sara Tomic, irmã de Bernard Tomic, venceram as britânicas Anna Brogan e Maia Lumsden por dois sets a um, com parciais de 6/4 6/7(3) e 6/0, garantindo um lugar nas quartas de final do torneio.

Suas próximas adversárias serão as tchecas Barbora Krejcikova e Katerina Siniakova, principais favoritas da chave, ou a italiana Giulia Pairone e a russa Alina Silich.

Bia perde e se despede da categoria juvenil

Também nesta quarta, a paulista Bia Haddad foi derrotada nas oitavas de final da chave de simples.

A responsável pela eliminação da brasileira foi a croata Ana Konjuh, cabeça de chave nº 2, que conseguiu uma vitória por 6/2 e 6/3.

Dessa forma, a brasileira se despede da categoria na qual já ocupou o 15º lugar do ranking, em abril do ano passado, e concentra suas atenções nos torneios profissionais. Ela é atual 328º da WTA.

Masculino

Entre os meninos, Marcelo Zormann e Rafael Matos perderam na estreia da chave de duplas para os australianos Thanasi Kokkinakis e Nick Kyrgios, com parciais de 4/6 6/3 e 6/4.

 

Bia Haddad estreia com vitória na chave juvenil de Roland Garros

Dos quatro juvenis brasileiros que fizeram neste domingo a sua estreia em Roland Garros, apenas Bia Haddad Maia conseguiu a vitória.

Ela venceu a francesa Theo Gravouil por dois sets a zero, com parciais de 6/1 e 6/2 e sua adversária na próxima rodada será a tcheca Barbora Krejcikova, cabeça de chave nº 13.

Carolina Meligeni Alves foi derrotada pela equatoriana Domeniza Gonzalez por um duplo 6/2.

Entre os meninos, Rafael Matos perdeu para o russo Karen Kachanov por 6/2 6/0,e Marcelo Zormann foi superado pelo australiano Bradley Mousley em uma partida equilibrada, com parciais de 6/1 4/6 e 6/4.

Foto: Diana Gabanyi