Brasil treina na Eslováquia, onde jogará playoff da Fed Cup

A delegação brasileira que disputará a Fed Cup já está em Bratislava, onde irá enfrentar a Eslováquia pelos playoffs do Grupo Mundial II, nos próximos sábado e domingo (20 e 21 de abril). Nesta segunda-feira, um dia após o desembarque na capital do país do leste europeu, as atletas e a comissão técnica fizeram a primeira atividade na AXA Arena NTC, local das disputas.

“Foi um trabalho bom. Como chegamos de uma viagem cansativa, escolhemos conhecer o complexo pela manhã e treinar à tarde, em dois períodos de uma hora. Foi bom para conhecermos as condições de jogo daqui: a quadra é lenta, a bola é lenta. Apesar de ser uma quadra coberta, as condições são mais lentas. Mas, para as nossas jogadoras, é bom, porque todas estão muito acostumadas a jogar no saibro e se sentiram bem aqui”, destaca a capitã Roberta Burzagli.

Para este confronto, a capitã da Fed Cup convocou as mesmas tenistas que venceram o Zonal Americano: Beatriz Haddad Maia (124º do ranking da WTA), Carolina Meligeni Alves (354ª), Gabriela Cé (441ª), Luisa Stefani (446ª) e Thaísa Pedretti (672ª). Elas superaram Argentina (2 a 1), Chile (3 a 0) e Porto Rico (2 a 1). Na final contra o Paraguai a vitória foi por 2 a 0.

Nesta segunda-feira, Carolina, Gabriela, Luisa e Thaísa fizeram trabalhos físicos e bateram bola na arena dos confrontos. Bia Haddad Maia, que no sábado fez a semifinal do WTA de Bogotá, na Colômbia, se juntará à delegação para os treinos a partir de quarta-feira.

Depois da derrota por 4 a 0 para a Letônia em confronto pelo Grupo Mundial II, a Eslováquia mudou sua convocação e chamou as melhores atletas ranqueadas do país. O capitão Matej Liptak terá as tenistas Dominika Cibulkova (33ª), Viktoria Kuzmova (46ª), Magdalena Rybarikova (68ª) e Anna Karolina Schmiedlova (105ª). Em Bogotá, na última semana, Bia Haddad Maia superou Schmiedlova por 2 sets a 0: 7/6 (3) e 7/6 (6).

“Teremos uma grande semana pela frente. Tivemos uma boa recepção, com todo o processo muito bem planejado pela organização. A quadra já está pronta, com condições extremamente adequadas para um confronto deste porte, e permitindo que a Roberta e sua comissão técnica possam desenvolver bem o trabalho”, frisa Eduardo Frick, gerente de Eventos e Esportes da CBT e chefe de delegação.

A equipe brasileira tem atividades programadas para todos os dias da semana. Na sexta-feira será realizado o sorteio dos confrontos desta fase da Fed Cup, com a definição da ordem dos jogos de sábado e domingo.

Além da capitã Roberta Burzagli, a comissão técnica do Time Brasil conta com o auxiliar técnico Luiz Peniza, o preparador físico Miguel Cantori, e o fisioterapeuta Paulo Cerutti.

Brasil conquista o Zonal Americano e volta a disputar Playoff Mundial da Fed Cup

O Brasil disputará, mais uma vez, o Playoff do Grupo Mundial II da Fed Cup, principal competição entre países do tênis feminino.

Com uma campanha invicta, as brasileiras chegaram à final, disputada neste sábado, no saibro colombiano de Medellín, para mais uma disputa equilibrada contra o Paraguai.

Porém, Carolina Meligeni Alves não sentiu a pressão e se impôs diante da experiente Montserrat Gonzalez para anotar 6/3 e 6/2 com certa tranquilidade.

Depois foi a vez de Bia Haddad passar por mais uma dura adversária, Veronica Cepde Royg, também em sets diretos, com parciais de 6/2 e 6/3, garantindo o título do Brasil no Zonal Americano.

A última vez que o Brasil disputou o Playoff do Grupo Mundial II foi em 2014, quando a equipe foi superada em casa pela forte equipe suíça de Timea Bacsinszky e Belinda Bencic.

Vale lembrar também que foi uma estreia vitoriosa da capitã Roberta Burzagli no comando da equipe brasileira.

Depois da vitória da Bélgica em Uberlândia, João Zwetsch não é mais o capitão do Brasil na Davis

Mesmo com uma equipe reserva, os belgas levaram a melhor e eliminaram o Brasil no qualifying do Grupo Mundial da Copa Davis.

Neste sábado, no ginásio Sabiazinho, em Uberlândia, a equipe nacional sofreu uma dura derrota com os duplistas Bruno Soares e Marcelo Melo, que foram surpreendidos por Sander Gille e Joran Vliegen, que triunfaram com parciais de 6/4 e 7/6(4).

Depois, Thiago Monteiro não se encontrou diante de Kimmer Coppejans, que anotou 6/3 e 6/4, fechando o confronto para os visitantes por 3×1.

Neste domingo, a Confederação Brasileira de Tênis informou que João Zwetsch não ocupará mais a função de capitão. Ele colocou o cargo à disposição na noite do dia 02/02. “Eu e a CBT já vínhamos conversando sobre esse ciclo e no meu entendimento chegou o momento de fechamento”, avaliou Zwetsch.

“Foi um ciclo importante, que abrangeu várias gerações de atletas, um ciclo de aglutinação de jogadores, com grandes momentos como a vitória do Brasil sobre a Espanha, com a participação no Grupo Mundial da competição. Toda a equipe possui muito respeito com o trabalho desenvolvido pelo João, que sempre priorizou um clima de parceria e respeito na equipe, dentro e fora das quadras”,  salientou Westrupp.

“Gostaria de agradecer a confiança depositada em mim, primeiramente pelo Jorge Lacerda e depois por Rafael Westrupp. Também agradecer a todos os profissionais que estiveram comigo nesse desafio, o técnico Daniel Melo, o preparador físico Eduardo Faria, os médicos Ricardo Diaz e Gilbert Bang, os fisioterapeutas Paulo Roberto Santos e Otávio Kiefer. Agradecer aos atletas que passaram pela equipe brasileira enquanto estive nela. Vivi momentos de muito crescimento com cada um da equipe”, falou João.

O próximo confronto da equipe brasileira na Copa Davis será no mês de setembro e até lá será definido o próximo capitão.

Foto: Luiz Cândido/CBT

Roberta Burzagli convoca equipe para a Fed Cup com Bia Haddad e Carol Meligeni

A capitã Roberta Burzagli definiu a equipe do Brasil que disputará o Zonal Americano I da Fed Cup, entre 6 e 9 de fevereiro de 2019, no Club Campestre, em Medellin, na Colômbia. A nova técnica da equipe brasileira convocou as paulistas Beatriz Haddad Maia e Carolina Meligeni, números 1 e 2 do país no ranking de simples da WTA, respectivamente, a gaúcha Gabriela Cé, terceira brasileira mais bem colocada, e também a paulista Luisa Stefani – que deve reeditar a parceria vitoriosa com Bia na dupla. Além da estreante Thaísa Pedretti, de 19 anos, que integrará o time como jogadora de transição do juvenil para o profissional para adquirir experiência.

Em 2018, a equipe brasileira fez uma excelente campanha no Playoff, em Assunção, no Paraguai, e por pouco não conseguiu a vaga para o Grupo Mundial. As meninas do Brasil conquistaram uma vitória histórica sobre a favorita Argentina na negra da dupla, na semifinal, mas acabaram superadas pelas paraguaias, donas da casa, na decisão e ficaram com o vice-campeonato.

“Fizemos uma excelente campanha este ano, a classificação não veio por pouco. Com a total autonomia que a CBT me dá para compor tecnicamente a equipe, optei por manter a mesma base. Conheço super bem as meninas. Trabalhei com a Carol e a Luisa na ITF. A Bia conheço desde criança, a Gabi também estava com a gente na Fed deste ano, que fui como auxiliar. E também conheço a Thaísa do juvenil. Estou muito feliz de poder trabalhar com meninas do meu país”, afirmou Burzagli, que há 14 anos é técnica do quadro da ITF.

“A convocação atendeu a critérios técnicos, levou bastante em conta o ano das meninas, principalmente da Carol e da Gabi, que foram bem. A Bia teve uma lesão que a afastou das quadras por um tempo, mas já está totalmente recuperada e fez final num ITF de $80 mil, no mês passado. A Luisa é uma jogadora nova, ótima duplista, tem um excelente entrosamento com a Bia. As duas foram decisivas no ponto da dupla na nossa campanha na Fed deste ano e terminaram a competição invictas. Elas, incluive, jogaram alguns torneios do Circuito juntas este ano. E a Thaísa, que é outra menina nova, faz parte do nosso processo de renovação, e pude conhecer melhor no Encontro Internacional da CBT”, explicou Burzagli, que terá como auxiliar o técnico Luiz Peniza.

A número 1 do Brasil e atual 185 da WTA, Bia Maia, de 22 anos, foi um dos destaques na última edição da Fed Cup, no Paraguai, e está motivada para fazer mais uma boa campanha. “Estou bem contente com a convocação. É muito especial jogar a Fed Cup pelo Brasil, jogar por equipe durante uma semana, já que sempre jogamos sozinhas. Será mais uma semana especial, onde cada uma tem um papel fundamental para a energia do time ficar top. Este ano fomos vice, mas tenho certeza que estamos no caminho certo. Todas as equipes são duras, mas temos totais condições também”, avaliou Bia, que também falou sobre a parceria bem-sucedida com Luisa Stefani. “Nós estamos ainda mais entrosadas, jogamos juntas alguns torneios este ano quando nosso calendário coincidiu. Nos damos muito bem dentro e fora das quadras e isso ajuda muito”, ressaltou.

Após ficar de fora da Fed deste ano por questões de calendário e ter uma excelente temporada encerrando como número 2 do país, Carol Meligeni também está contente em voltar a defender o Brasil. “Queria agradecer à Beta, ao Peniza e à CBT pela confiança. Fiquei muito feliz quando soube da convocação, tem um gostinho muito especial representar o Brasil numa competição por equipes, que quase não tem no tênis. Ainda mais ao lado dessas meninas, com as quais me dou super bem. A comissão técnica também, com a Beta e o Peniza, que conheço desde pequenininha, já viajamos juntos algumas vezes e as experiências sempre foram positivas. Estou muito contente em fazer parte desse time, muito motivada para fazer o melhor possível junto com as meninas. Temos tudo para fazer uma bela campanha na Fed”, projetou.

Atleta mais experiente do time, Gabriela Cé, de 25 anos, vai para sua sétima convocação e acredita que a equipe chegará com mais confiança e ritmo na Colômbia”. “Sempre legal representar o Brasil. Tomara que este ano consigamos ir ainda melhor. Estou bem motivada pelo que vem pela frente. Será legal que todas nós já vamos chegar com bastante ritmo de torneios para a Fed, o que ajuda bastante. Eu também comecei a me encontrar um pouco mais, estou longe de onde quero estar, mas agora sei que pelo menos estou no caminho”, destacou Cé, que foi campeã do ITF de Luque, no Paraguai, em setembro.

Convocada pela terceira vez e invicta em jogos de Fed Cup, Luisa Stefani, de 21 anos, destacou o bom relacionamento com a capitã Roberta Burzagli. “Queria agradecer à Beta e à CBT pela confiança mais uma vez. Já viajei com a Beta algumas vezes no juvenil e confio muito nela como amiga, treinadora, alguém que eu posso ligar para pedir conselhos. Ela se dá bem com todas as meninas e tem muito a acrescentar com a experiência dela. Estou bem animada com essa equipe e minha expectativa é que a gente se classifique para o Grupo Mundial”, projetou a tenista, que ainda falou sobre a parceria com a Bia. “Sobre a dupla com a Bia, ano passado fomos bem. Foi a primeira vez que jogamos juntas e acho que nosso estilo de jogo se encaixou bem. Jogamos o ITF de Vancouver juntas esse ano também. Tem alguns detalhes que temos que melhorar, mas acho que é só questão de treino para nos entrosarmos ainda mais”, acrescentou.

A paulista Thaísa Pedretti, que integrará a equipe como alteta de transição para ganhar mais experiência, também está empolgada por fazer parte do time. “Estou muito contente. Sempre foco muito no trabalho, consequentemente muitas coisas boas aparecem. Tenho certeza que essa experiência será muito positiva para meu crescimento como atleta profissional. Há duas semanas estivemos no Encontro Internacional em Florianópolis, onde convivi com a Beta e as meninas, e também foi incrível, então estou bastante feliz”, concluiu.

Após campanha invicta na 1ª fase, Brasil é superado nas quartas da Copa Davis Junior

Após a excelente campanha na primeira fase da Copa Davis Junior, o Brasil acabou superado pela França, cabeça de chave número 2, nas quartas de final, nesta sexta-feira, em Budapeste, na Hungria. Os dois jogos de simples foram decididos na negra.

O catarinense Pedro Boscardin perdeu para Lilian Marmousez por 6/0, 3/6 e 6/3 e, na sequência, o baiano Natan Rodrigues foi derrotado por Harold Mayot, com parciais de 4/6, 6/3 e 6/0.

O Brasil terminou a primeira fase da competição invicto, com grandes vitórias sobre Uzbesquistão, Estados Unidos e Grã-Bretanha, e agora irá disputar o quinto lugar com o Japão neste sábado.

 

Equipe feminina disputará 13o lugar na Fed Cup Junior

A equipe feminina da Fed Cup Junior acabou superada por 2 a 1 para a Argentina e irá disputar o 13o lugar com a Espanha.

No confronto com as hermanas, a paulista Camilla Bossi teve chances, mas foi derrotada em três sets por Julia Riera, com parciais de 6/4, 2/6 e 6/1. Na sequência, a goiana Lorena Cardoso perdeu por 6/1 e 6/0 de Ana Geller. Nas duplas, Camilla e a também goiana Nalanda Teixeira venceram Julia e Juana Larrañaga por 6/4 e 6/3.

A Copa Davis Junior e a Fed Cup Junior são o Mundial da categoria 16 anos, que reúnem as 16 melhores equipes do mundo em cada naipe.

Brasil termina 1ª fase invicto e encara a França nas quartas da Copa Davis Junior

O Brasil conquistou mais uma grande vitória e se classificou em primeiro lugar do Grupo B para as quartas de final da Copa Davis Junior, em Budapeste, na Hungria. Nesta quinta-feira, a equipe comandada pelo capitão Rodrigo Ferreiro venceu a Grã-Bretanha por 2 a 0 (os britânicos desistiram da dupla) e segue invicta na competição.

O catarinense Pedro Boscardin abriu o confronto e venceu James Pinnington-Jones por 6/1 e 6/4. Na sequência, o baiano Natan Rodrigues ganhou de Felix Gill em três sets, por 6/4, 4/6 e 6/4, e garantiu o triunfo brasileiro.

“Mais um excelente dia para nossa equipe aqui em Budapeste. Ganhamos de 2 a 0 da Grã-Bretanha, o terceiro ponto não foi jogado porque um dos britânicos desistiu da dupla. Foi um confronto difícil, principalmente o jogo do Natan, que foi definido no terceiro set. Foi um jogo bem disputado, bem duro e no final deu tudo certo”, afirmou Ferreiro.

Nesta sexta, o Brasil enfrentará a França em busca de uma vaga na semifinal, a partir das 5h30 (horário de Brasília).

“Amanhã [sexta] contra a França esperamos um jogo difícil também. A França é uma das fortes equipes deste Mundial, tradicionalmente eles sempre fazem boas campanhas na competição. Mas estamos bem preparados, os meninos estão confiantes e agora é colocar tudo na quadra, competir bem e tentar pegar essa vaga para a semifinal”, ressaltou o capitão.

 

Feminino enfrenta Argentina em disputa pelo nono lugar na Fed Cup Junior

Já a equipe feminina foi superada pelo Japão por 3 a 0 e disputará entre o nono e o 16o lugar na Fed Cup Junior.

A paulista Camilla Bossi perdeu para Ange Oby Kajuru por 6/1 e 6/3 na abertura do confronto. Na sequência, Nalanda Silva também foi derrotada por Himari Sato por 6/2 e 6/0. Mesmo com o confronto definido a favor das japonesas, Nalanda e Lorena Cardoso lutaram até o último ponto nas duplas, mostrando grande competitividade, e tiveram boas chances de ganharem de Sato e Kirara Morioka, mas acabaram superadas no super tie-break, com parciais de 6/0, 5/7 e 10-7.

Nesta sexta, a equipe comandada pela capitão Fernanda Ferreira enfrentará a Argentina.

Brasil encara a Bélgica em casa, na nova Copa Davis, em fevereiro de 2019

Em sorteio realizado nesta quarta-feira, o Brasil conheceu seu adversário na rodada eliminatória da nova Copa Davis, em 2019.

A equipe brasileira terá como adversário a equipe da Bélgica, que pode ser liderada por David Goffin, já que o belga costuma marcar presença nos confrontos de Copa Davis.

Como na última vez em que se enfrentaram o confronto foi realizado na Bélgica, essa disputada, marcada para fevereiro do ano que vem, será em território brasileiro.

Vale destacar que, futuramente, a Confederação Brasileira vai divulgar a sede e o piso do confronto que terá jogos em melhor de três sets.

Os vencedores estarão classificados para fase a final, que será disputada no piso duro, em novembro, em Madri, na Espanha.

Brasil vence no feminino e no masculino do Sul-Americano 16 anos, no Uruguai

O Brasil conquistou duas grandes vitórias em ambos os naipes, ontem, no Sul-Americano 16 anos, que está sendo disputado em Punta del Este, Uruguai.

No masculino, a equipe nacional aplicou novo 3 a 0, desta vez no confronto contra a Colômbia. Pedro Boscardin venceu Gabriel Hurtado por 6/0 e 6/2, Natan Rodrigues bateu Mateo Gomez por duplo 6/1 e, na dupla, os brasileiros venceram novamente por 7/6 (5) e 6/4.

No feminino, o  Brasil venceu o Chile por 2 a 1, na dupla. Camilla Bossi ganhou de Javiera Lozano por 6/1 e 6/3, Nalanda Silva acabou superada por 6/3 e 6/0 e, na dupla, as brasileiras bateram as chilenas por duplo 6/2.

Nesta quinta, o feminino está de day off e o masculino, que folgou na rodada, busca a terceira vitória consecutiva na competição contra o Peru.

A equipe feminina é formada pelas goianas Lorena Cardoso e Nalanda Teixeira e pela paulista Camilla Bossi e tem a mineira Fernanda Ferreira como capitã.

A equipe masculina é formada pelo baiano Natan Rodrigues, pelo mineiro Bruno Oliveira e pelo catarinense Pedro Boscardin e tem o gaúcho Rodrigo Ferreiro como capitão.

O Sul-Americano 16 anos por equipes vale vaga para o Mundial da categoria. A Copa Davis Junior e a Fed Cup Junior serão disputados em setembro, em Budapeste, na Hungria.

Brasil estreia com vitória no Sul-Americano 16 anos masculino. Equipe feminina perde para Argentina

O Brasil fez valer sua condição de cabeça 1 no masculino e iniciou a campanha no Sul-Americano 16 anos, em Punta del Este, no Uruguai, com uma grande vitória por 3 a 0 sobre os donos da casa, nesta segunda-feira. O catarinense Pedro Boscardin abriu o confronto contra os uruguaios e venceu Juan Martin Fumeaux por 7/6 (8), 2/6 e 7/5. Na sequência, o baiano Natan Rodrigues aplicou 6/2 e 6/0 em Francisco Llanes e garantiu o ponto brasileiro. Depois, eles voltaram à quadra e também ganharam dos uruguaios na dupla por duplo 6/4.

Já a equipe feminina acabou superada por 2 a 1 pela Argentina. Lorena Cardoso perdeu por 6/1 e 6/2 para Julia Riera e Nalanda Teixeira foi derrotada por duplo 6/0 por Ana Geller. Depois, Nalanda e Camilla Bossi venceram Geller e Juana Larrañaga por 6/1 6/2.

Nesta terça, o masculino enfrenta a Colômbia e o feminino encara o Chile.

O Sul-Americano 16 anos por equipes vale vaga para o Mundial da categoria. A Copa Davis Junior e a Fed Cup Junior serão disputados em setembro, em Budapeste, na Hungria.

Brasil estreia no Sul-Americano 16 anos nesta segunda-feira, no Uruguai

O Brasil inicia, nesta segunda-feira, sua campanha no Sul-Americano 16 anos por equipes, em Punta del Este, no Uruguai, torneio que vale vaga para o Mundial da categoria. A Copa Davis Junior e a Fed Cup Junior serão disputados em setembro, em Budapeste, na Hungria.

A equipe masculina é formada pelo baiano Natan Rodrigues, pelo mineiro Bruno Oliveira e pelo catarinense Pedro Boscardin e tem o gaúcho Rodrigo Ferreiro como capitão.

A equipe feminina é formada pelas goianas Lorena Cardoso e Nalanda Teixeira e pela paulista Camilla Bossi e tem a mineira Fernanda Ferreira como capitã.

Cabeça de chave número 1 no masculino, o Brasil está no Grupo A e estreia contra o Uruguai. Equador, Peru e Colômbia serão os outros adversários do time nacional na primeira fase. Segunda pré-classificada, a equipe feminina tem logo pela frente na estreia a Argentina. Depois, as meninas do Brasil ainda enfrentam Bolívia, Paraguai e Chile pelo Grupo B.

Nos dias 19 e 20, o Brasil fez a preparação em Porto Alegre no clube Associação Leopoldina Juvenil.

“Foi muito importante essa preparação, encontrar antes para a equipe treinar, se conhecer, eles ficam muito unidos e num torneio por equipes é muito importante essa união, esse entrosamento. As meninas estão muito bem, estamos com uma equipe muito forte e com certeza estamos indo buscar o título”, afirmou Fernanda.

Nesse tipo de competição não tem jogo fácil, não adianta ter só um jogador, é importante ter uma equipe equilibrada e ter três bons jogadores e esse é o nosso diferencial. Temos um confronto muito duro contra a Argentina na estreia, elas tem uma jogadora muito boa, mas nós temos uma equipe muito equilibrada. Sabemos que contra a Argentina nunca é fácil, todo ponto será bastante disputado. No domingo, fizemos um jogo treino contra o Peru, que é o cabeça 1, fomos muito bem e acredito que estamos preparadas”, ressaltou a capitã.

“Nossa preparação antes do Sul-Americano em Porto Alegre foi muito positiva, porque tivemos dois dias pra treinar, pra interagir com a equipe, já que muitos a gente só conhecia  de ver jogar em campeonatos. Então, foi um bom período para se adaptar bem, colocar algumas ideias para esse Sul-Americano, que é muito importante. Um ponto positivo também foram as condições climáticas de Porto Alegre, que são muito parecidas com as de Porto Alegre. Nosso objetivo é se classificar para o Mundial, de preferência como campeões”, destacou o capitão Rodrigo.

Masculino

Grupo A

Brasil (cabeça 1)

Equador (cabeça 3)

Peru

Uruguai

Colômbia

Brasil estreia no Sul-Americano 16 anos nesta segunda

Grupo B

Brasil (cabeça 2)

Bolívia (cabeça 4)

Paraguai

Chile

Argentina