Sá e Rogerinho estão na semi de duplas do Brasil Open. Demoliner busca vaga nesta 6ª

São Paulo-SP - 02/03/2017 - BRASIL OPEN 2017 - Nicholas MONROE (USA) e Artem SITAK (NZL) x Rogério DUTRA SILVA (BRA) e André SÁ (BRA) no Brasil Open 2017 no Esporte Clube Pinheiros. Foto: DGW Comunicação

As semifinais de duplas do Torneio Aberto do Brasil – ATP 250 – Brasil Open 2017 terão participação nacional. O mineiro André Sá e o paulista Rogério Dutra Silva se garantiram na penúltima fase ao derrotarem o norte-americano Nicholas Monroe e o neozelandês Artem Sitak por 7/6(4), 2/6 e 10-6 nesta quinta-feira.

Esta é a primeira semifinal de Sá, 39 anos, desde o ATP da Antuérpia, na Bélgica, em outubro do último ano. “O estilo dele (Rogerinho) de jogo aqui em São Paulo é ótimo, porque é mais alto, a bola sobe, a direita dele fica pesada e o saque anda mais. Faz diferença. Eu falo para ele meter a mão na bola, que eu cruzo em todas. A tática é fácil”, comentou o mineiro.

Sá e Rogerinho contaram bastante com o apoio da torcida durante o set decisivo, em que a dupla vencedora é a que chega a 10 pontos primeiro. “Jogar no Brasil faz toda a diferença. Nesses momentos, jogando lá fora, a cabeça fica baixa e a gente talvez perde o match tiebreak por 10-5. Mas ali conseguimos voltar, escutando o pessoal gritando, e isso afeta a nossa energia positivamente”, acrescentou o duplista.

Na semifinal, os brasileiros esperam os italianos Simone Bolelli e Fabio Fognini ou a dupla do espanhol Pablo Carreño Busta com o uruguaio Pablo Cuevas. “O André é uma lenda do tênis. Jogar duplas neste momento da minha carreira também é muito bom, dá confiança. Caí um pouco de energia e não voltei, mas na dupla consegui voltar no match tiebreak. Estar em uma semifinal em casa é muito especial, quem sabe uma final”, disse Rogerinho.

O gaúcho Marcelo Demoliner também buscará nesta sexta-feira o seu lugar nas semifinais, ao lado do neozelandês Marcus Daniell. Os dois terão ela frente o peruano Sergio Galdos e o chileno Hans Podlipnik-Castillo não antes das 17h.

Confira a programação de sexta-feira (03/03):

Quadra Central – 12h30
[7] Federico Delbonis (ARG) vs [4] João Sousa (POR)
Guido Pella (ARG) vs [2] Albert Ramos-Vinolas (ESP)
Não antes das 17h
Sergio Galdos (PER) / Hans Podlipnik-Castillo (CHI) vs [4] Marcus Daniell (NZL) / Marcelo Demoliner (BRA)
Não antes das 18h30
[1] Pablo Carreno Busta (ESP) vs [5] Fabio Fognini (ITA)
[3] Pablo Cuevas (URU) vs Gerald Melzer (AUT) ou [6] Diego Schwartzman (ARG)

Bellucci e Monteiro perdem para argentinos na estreia do Brasil Open

Bellucci peqAs duas maiores esperanças brasileiras no Torneio Aberto do Brasil – ATP 250 – Brasil Open 2017, se despediram na primeira rodada nesta terça-feira, no Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo. O paulista Thomaz Bellucci e o cearense Thiago Monteiro foram eliminados pelos argentinos Diego Schwartzman e Carlos Berlocq, respectivamente.

No começo da noite, Berlocq virou contra Monteiro, com parciais de 4/6, 6/4 e 6/4, em 2h29 de partida. Foi a segunda derrota do número 2 do Brasil para o argentino de 34 anos na gira sul-americana.

“O jogo foi de altos e baixos dos dois. Sabia que ia ser complicado, porque você não pode desperdiçar chances contra ele, porque ele luta por todos o pontos, é muito competitivo e experiente. Ele me quebrou no começo do segundo e o jogo ficou mais duro”, avaliou Monteiro. “Ele teve mérito porque se puxou e se manteve positivo o tempo todo, conseguindo levar o jogo para o lado dele. Depois disso, foi complicado ter de novo o controle da partida”.

Monteiro, que alcançou as quartas de final do Brasil Open em 2016, teve muitos problemas em seus games de serviço durante o jogo. Berlocq teve 14 oportunidades de quebra e converteu cinco delas. “Queria poder seguir mais nesta competição e contar com o apoio e a energia de todos, mas vou tentar aprender com este jogo. Vou assistir e tirar algumas lições das coisas que poderia fazer melhor”, disse o cearense.

Em busca de uma vaga nas quartas de final do Brasil Open pela quarta vez, Berlocq enfrenta seu compatriota Guido Pella não antes de 18h30 desta quarta-feira. Outro argentino que avançou para a segunda rodada foi Facundo Bagnis, que superou o sérvio Dusan Lajovic por 6/2 e 7/5. Seu próximo oponente será o atual bicampeão do torneio, o uruguaio Pablo Cuevas.

Já Bellucci perdeu para Diego Schwartzman no final da rodada por 6/2 e 6/0 em 57 minutos de jogo. “Eu errei bastante hoje. Minhas bolas estavam sem intensidade, eu estava sem a energia certa para imprimir no jogo. Mas ele tem os méritos dele também”, afirmou o paulista.

Na segunda-feira, Bellucci havia desistido da chave de duplas com problemas estomacais e admitiu que não estava 100% fisicamente. “Vida de atleta é assim, são poucos dias que você entra em quadra não sentindo nada. Sabia que hoje teria que me superar. Acabei jogando aquém do que poderia. Talvez eu tenha me colocado muita pressão de jogar bem e as coisas não saíram como eu gostaria”, acrescentou.

“Tenho que esfriar a cabeça e reencontrar a alegria e a motivação de estar na quadra que só o dia a dia vai me dar. Tenho que pensar no que a gente tem que fazer para dar a volta por cima”, concluiu Bellucci.

O oponente de Schwartzman na segunda fase será o austríaco Gerald Melzer, responsável pela eliminação do dominicano Victor Estrella Burgos por 6/2 e 7/6(3).

Feijão bate Zeballos na estreia do Brasil Open. Rogerinho perde para italiano

São Paulo - SP - 28/02/2017 - BRASIL OPEN 2017 - João SOUZA (BRA), durante Brasil Open 2017 no Esporte Clube Pinheiros. Foto: ©DGW Comunicação

O primeiro brasileiro na segunda rodada do Torneio Aberto do Brasil – ATP 250 – Brasil Open 2017 é o paulista João “Feijão” Souza. O jogador de 28 anos derrotou o argentino Horacio Zeballos com parciais de 6/2 e 7/6(3) nesta quarta-feira, no Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo.

Esta foi a primeira vitória de Feijão em chaves principais na temporada. “É um sentimento de alívio. O começo do ano não foi fácil, não vinha ganhando jogos. Tentei da melhor maneira possível dar a volta por cima. Joguei com uma atitude diferente. Os torneios do Brasil eu prezo muito. Joguei um tênis excelente no primeiro set, o segundo foi mais difícil, mas estava firme de cabeça, sólido”, comentou o paulista.

Seu próximo adversário será o principal candidato ao título, o espanhol Pablo Carreño Busta. Campeão de duplas e vice-campeão de simples no Rio de Janeiro, vencendo Feijão na primeira rodada, o tenista de 25 anos alcançou nesta semana a 23ª colocação do ranking, a melhor de sua carreira.

“O favoritismo é todo do Pablo, a gente jogou há poucos dias. Ele vem de final, confiante, mas venho de franco-atirador. Mas saí de quadra hoje com uma energia muito boa. Fazia tempo que não saía tão aliviado e feliz comigo mesmo como hoje”, analisou Feijão.

Rogerinho para diante de italiano, Fognini confirma favoritismo

Já o paulista Rogério Dutra Silva parou na primeira rodada diante do italiano Alessandro Giannessi por 6/3 e 6/4. “É uma pena, porque eu me sentia jogando bem, depois acabei me atrapalhando muito. Cheguei a ter 3/0 no segundo set, mas minha cabeça já estava embaralhada e não consegui dar a volta no jogo”, acrescentou o paulista, que converteu duas de 17 chances de quebra.

Rogerinho segue no Brasil Open para a disputa de duplas, ao lado do mineiro André Sá. Os dois já estão garantidos nas quartas de final. “Agora é focar na dupla. Eu sinto que estou jogando bem, só falta encaixar na hora certa, mas estou trabalhando e vai vir”, concluiu.

Giannessi joga na segunda fase contra o quinto favorito ao troféu, Fabio Fognini. O italiano teve dificuldades no segundo set, mas venceu o compatriota Marco Cecchinato por 6/4 e 7/6(4). “Jogar com um rival que você conhece bem é difícil. Comecei bem, depois dei uma caída. No segundo, não joguei bem. Mas lutei como podia e ganhei um jogo que era importante para mim agora”, disse Fognini, cuja melhor campanha no torneio foi semifinal em 2008.

Fognini também revelou que conhece ainda mais o jogo de Giannessi. “Nós treinamos e fizemos a pré-temporada juntos, e ele está jogando muito bem. Todos os jogos aqui são duros”, afirmou o esposo de Flavia Pennetta, que espera o primeiro filho do casal.

Semifinalista no ATP 500 do Rio, o norueguês Casper Ruud eliminou o japonês Akira Santillan por duplo 6/4. “Tem sido difícil, porque fiquei triste por ter perdido aquela semifinal acirrada. Mas assim que pousei aqui, parei de pensar nisso. Estou encarando como se a semana passada não tivesse acontecido e este é meu primeiro evento”, disse o tenista de 18 anos.

Cabeças 2 e 4 e Demoliner iniciam campanha nesta quarta

Dois dos favoritos ao título do Brasil Open estreiam nesta quarta-feira: o espanhol Albert Ramos-Viñolas, cabeça de chave 2, fecha a rodada não antes de 20h30 contra o português Gastão Elias. O outro representante lusitano do torneio, o cabeça 4 João Sousa, encara o argentino Renzo Olivo por volta de 13h30, após a partida de duplas do gaúcho Marcelo Demoliner e do neozelandês Marcus Daniell contra o sérvio Dusan Lajovic e o paulista Eduardo Russi às 12h30.

A rodada também terá o argentino Federico Delbonis diante do norueguês Casper Ruud. Não antes de 18h30, Guido Pella joga contra quem triunfar no jogo do também argentino Carlos Berlocq contra o cearense Thiago Monteiro.

Confira a programação de quarta-feira (01/03):

Quadra Central – 12h30
[WC] Dusan Lajovic (SRB) / Eduardo Russi Assumpção (BRA) vs [4] Marcus Daniell (NZL) / Marcelo Demoliner (BRA)
Renzo Olivo (ARG) vs [4] João Sousa (POR)
Não antes de 17h
[7] Federico Delbonis (ARG) vs Casper Ruud (NOR)
Não antes de 18h30
[8] Carlos Berlocq (ARG) ou Thiago Monteiro (BRA) vs Guido Pella (ARG)
Não antes de 20h30
Gastão Elias (POR) vs [2] Albert Ramos-Vinolas (ESP)

Quadra 1 – 13h
[1] Pablo Carreño Busta (ESP) / Pablo Cuevas (URU) vs Johan Brunstrom (SWE) / Andreas Siljestrom (SWE)
Facundo Bagnis (ARG) / Guillermo Duran (ARG) vs [2] Julio Peralta (CHI) / Horacio Zeballos (ARG)

Bellucci, Monteiro, Rogerinho e Feijão estreiam nesta 3ª no Brasil Open. Clezar e Orlandinho perdem

Bellucci 4 peqOs quatro brasileiros mais bem colocados no ranking mundial estreiam nesta terça-feira no Torneio Aberto do Brasil – ATP 250 – Brasil Open 2017. O paulistano Rogério Dutra Silva abre a rodada às 12h30, o cearense Thiago Monteiro joga não antes de 18h30 e Thomaz Bellucci fecha o dia às 20h30 no na Quadra Central do Esporte Clube Pinheiros, na capital paulista. João “Feijão” Souza joga não antes de 16h na Quadra 1.

Após surpreender o número 5 do mundo Kei Nishikori no Rio de Janeiro, Bellucci inicia sua décima participação no Brasil Open contra o argentino Diego Schwartzman, cabeça de chave 6. “É uma partida complicada. O Diego joga muito bem no saibro e luta bastante. Mas as condições aqui em São Paulo me favorecem e espero mostrar o meu melhor tênis nesta semana”, afirmou Bellucci.

Em grande fase, Thiago Monteiro reencontra o argentino Carlos Berlocq após enfrentá-lo nas quartas de final em Buenos Aires. O cearense atingiu esta fase na Argentina e no Rio na última semana. “O Berlocq é um jogador muito experiente e extremamente competitivo. Nossos últimos jogos foram duros e tenho que estar muito firme mentalmente em todos os momentos para aproveitar bem as poucas oportunidades que aparecem no jogo. Vou contar com a boa energia da minha equipe, amigos e torcida, que também ajudam muito”, avaliou Monteiro.

A estreia de Rogerinho Silva também será uma revanche de Buenos Aires, com o paulista encarando novamente o italiano Alessandro Gianessi. A seguir, o italiano Fabio Fognini, cabeça de chave 5, joga contra seu compatriota Marco Cecchinato. Não antes das 17h, a sensação norueguesa Casper Ruud enfrenta o japonês Akira Santillan. Com apenas 18 anos de idade, Ruud alcançou a semifinal do ATP 500 do Rio e chegou a ter match-point para avançar à final.

Na Quadra 1, João “Feijão” Souza duela com o argentino Horacio Zeballos não antes das 16h. “Jogo duro. Nós nos conhecemos muito bem e somos grandes amigos também, mas quando entramos na quadra, isso fica de lado. Ainda não engrenei na temporada, mas estou me sentindo bem e posso ganhar esse jogo”, comentou Feijão.

Pella vence primeira na temporada contra Clezar

Na rodada desta segunda-feira, o argentino Guido Pella superou o gaúcho Guilherme Clezar com parciais de 6/2 e 6/3 e venceu seu primeiro jogo neste ano. “Vinha jogando bem, mostrando um bom tênis, mas infelizmente este começo de ano não foi muito bom para mim. Tive uma derrota muito dura para (Fabio) Fognini na Copa Davis, mas assim é o tênis. Às vezes você ganha, às vezes perde”, disse Pella, que espera o vencedor entre Thiago Monteiro e Carlos Berlocq.

Já Orlando Luz, o Orlandinho, convidado pela organização, foi superado pelo português Gastão Elias, em sets diretos, com parciais de 6/2 e 7/5.

Outro argentino, Renzo Olivo, também se garantiu na segunda rodada ao derrotar o espanhol Iñigo Cervantes por 7/6(6) e 6/4. Seu próximo oponente será o português João Sousa, cabeça de chave 4.

Confira a programação desta terça-feira (28/2):

Quadra Central – 12h30
Rogério Dutra Silva (BRA) vs. [Q]Alessandro Gianessi (ITA)
[Q]
Marco Cecchinato (ITA) vs. [5]Fabio Fognini (ITA)

Não antes de 17h

[WC]Akira Santillan (JPN) vs. Casper Ruud (NOR)
(Sportv 3 ao vivo)
Não antes de 18h30
[8]Carlos Berlocq (ARG) vs. Thiago Monteiro (BRA) (Sportv 3 ao vivo)
Não antes de 20h30

Thomaz Bellucci (BRA) vs. [6]Diego Schwartzman (ARG) (Sportv 3 ao vivo)

Quadra 1 – 12h30
[7]Federico Delbonis (ARG) vs. [Q]Jozef Kovalik (SVK)

Não antes de 14h

Facundo Bagnis (ARG) vs. Dusan Lajovic (SRB)

Não antes de 16h

Horacio Zeballos (ARG) vs. [WC]João Souza (BRA)

Quadra 2 – 12h30

Gerald Melzer (AUT) vs. Victor Estrella Burgos (DOM)

Não antes de 14h
[3]Nicholas Monroe (EUA)/Artem Sitak (NZL) vs. Gastão Elias (POR)/João Sousa (POR)

Alessandro Gianessi (ITA)/Albert Ramos-Vinolas (ESP) vs. Sergio Galdos (PER)/Hans Podlipnik-Castillo (CHI)

Foto: Fotojump

Orlandinho e Clezar estreiam nesta 2ª no Brasil Open. Duplas brasileiras entram em quadra

Orlandinho peqComeça nesta segunda-feira a chave principal do Brasil Open, ATP 250 disputado no saibro, em São Paulo, com muitos brasileiros em quadra, principalmente nas duplas.

Na quadra central, nas antes das 17hs, Rogerinho e André Sá fazem um confronto totalmente nacional contra Thomaz Bellucci e Thiago Monteiro.

Outra dupla brasileira que entra em quadra é Feijão e Fabrício Neis, que jogam contra os argentinos Facundo Bagnis e Guillermo Duran.

Orlando Luz, que ganhou um convite pra chave principal, encerra a programação da quadra central contra o português Gastão Elias.

Depois de passar pelo qualifying, Guilherme Clezar joga na quadra 1 contra argentino Guido Pella.

Foto: Fotojump

Monteiro reencontra Berlocq na estreia do Brasil Open. Bellucci encara Schwartzman

Bellucci 4 peqFoi sorteada, neste sábado, a chave principal do Brasil Open, ATP 250 disputado no saibro, em São Paulo, com cinco brasileiros já garantidos.

Depois de chegar às quartas de final do Rio Open, Thiago Monteiro estreia em São Paulo contra o argentino Carlos Berlocq, cabeça de chave nº 8, repetindo confronto do ATP de Buenos Aires, há alguns dias, quando o argentino venceu de virada.

Thomaz Bellucci é o cabeça 6 e estreia em São Paulo contra o argentino Diego Schwartzman, enquanto Rogerinho aguarda um qualifier.

Convidado pela organização, Feijão terá pela frente o argentino Horacio Zeballos, enquanto Orlando Luz encara o português Gastão Elias.

No qualifying, que começou neste sábado, Guilherme Clezar conseguiu uma boa vitória sobre o japonês Taro Daniel, com parciais de 7/5 e 6/2, enquanto Caio Zampieri foi superado pelo belga Arthur De Greef por 6/2 e 6/4.

Ingressos para o Brasil Open 2017 começam a ser vendidos nesta sexta

São Paulo-SP - 25/02/2016 - BRASIL OPEN 2016 - Jogo entre, Thiago Monteiro (BRA) vs Daniel Munoz De La Nava (ESP), durante Brasil Open 2016 no Esporte Clube Pinheiros. Foto: Leandro Martins/DGW Comunicação

O primeiro lote de ingressos para o Brasil Open 2017, com preços promocionais, começa a ser vendido nesta sexta-feira, dia 3 de fevereiro, pelo site www.ingressorapido.com.br. A 17a. edição do Brasil Open será realizada de 27 de fevereiro a 5 de março, no Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo.

Confira:

Dias 27 e 28 de fevereiro (segunda e terça, por dia):
Cadeira Lateral – R$ 70,00 / R$ 35,00 (meia-entrada)
Cadeira Fundo de Quadra – R$ 85,00 / R$ 42,50 (meia-entrada)
Cadeira Fundo Especial – R$ 100,00 / R$ 50,00 (meia-entrada)

Dia 1 de março (quarta)
Cadeira Lateral – R$ 75,00 / R$ 37,50 (meia-entrada)
Cadeira Fundo de Quadra – R$ 100,00 / R$ 50,00 (meia-entrada)
Cadeira Fundo Especial – R$ 120,00 / R$ 60,00 (meia-entrada)

Dia 2 de março (quinta)
Cadeira Lateral – R$ 95,00 / R$ 47,50 (meia-entrada)
Cadeira Fundo de Quadra – R$ 115,00 / R$ 57,50 (meia-entrada)
Cadeira Fundo Especial – R$ 135,00 / R$ 67,50 (meia-entrada)

Dia 3 de março (sexta)
Cadeira Lateral – R$ 110,00 / R$ 55,00 (meia-entrada)
Cadeira Fundo de Quadra – R$ 140,00 / R$ 70,00 (meia-entrada)
Cadeira Fundo Especial – R$ 160,00 / R$ 80,00 (meia-entrada)

Dia 4 de março (sábado) – Semifinais
Cadeira Lateral – R$ 190,00 / R$ 95,00 (meia-entrada)
Cadeira Fundo de Quadra – R$ 220,00 / R$ 110,00 (meia-entrada)
Cadeira Fundo Especial – R$ 250,00 / R$ 125,00 (meia-entrada)

Dia 5 de março (domingo) – Finas de simples e duplas
Cadeira Lateral – R$ 260,00 / R$ 130,00 (meia-entrada)
Cadeira Fundo de Quadra – R$ 290,00 / R$ 145,00 (meia-entrada)
Cadeira Fundo Especial – R$ 320,00 / R$ 160,00 (meia-entrada)

Pacote semifinais e finais (4 e 5 de março)
Cadeira Lateral – R$ 380,00 / R$ 190,00 (meia-entrada)
Cadeira Fundo de Quadra – R$ 435,00 / R$ 217,50 (meia-entrada)
Cadeira Fundo Especial – R$ 485,00 / R$ 242,50 (meia-entrada)

Pacote para todos os dias (27 de fevereiro a 5 de março)
Cadeira Lateral – R$ 740,00 / R$ 370,00 (meia-entrada)
Cadeira Fundo de Quadra – R$ 880,00 / R$ 440,00 (meia-entrada)
Cadeira Fundo Especial – R$ 1.005,00 / R$ 502,50 (meia-entrada)

Tipsarevic recebe primeiro convite para o Brasil Open 2017

Tipsarevic peqO sérvio Janko Tipsarevic recebeu, nesta quarta-feira, o primeiro wild card (convite) para o Torneio Aberto do Brasil – ATP 250 – Brasil Open 2017, que será disputado no Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo, de 27 de fevereiro a 5 de março.

“Estou muito ansioso para jogar pela primeira vez na América do Sul”, afirmou Tipsarevic, que além de São Paulo, jogará em Quito, Buenos Aires e Rio de Janeiro. “Alguns jogadores já me falaram muito bem sobre o Brasil Open. Agradeço a oportunidade de jogar em São Paulo”, completou.

Ex-número 8 do mundo e atual 104o., o sérvio tenta voltar à elite do tênis mundial em 2017. E já começou bem a temporada. Venceu dois challengers consecutivos no início deste mês em Bangkok. Com as duas recentes conquistas, Tipsarevic ganhou 40 posições no ranking mundial e está perto de entrar no top 100.

Campeão da Copa Davis em 2010, Tipsarevic também é dono de quatro títulos da ATP – Chennai (2013), Stuttgart (2012), Moscou (2011) e Kuala Lumpur (2011).

No Brasil Open, Tipsarevic se junta ao uruguaio Pablo Cuevas, bicampeão do Brasil Open (2016 e 2015), aos espanhóis Albert Ramos-Vinolas e Pablo Carreno Busta, vice-campeão no ano passado, o português João Sousa, o argentino Federico Delbonis, campeão do Brasil Open 2014, o italiano Fabio Fognini, o argentino Diego Schwartzman, Thomaz Bellucci, o número 1 do Brasil, entre outros.

Pablo Cuevas conquista bicampeonato no Brasil Open com nona vitória seguida

Pablo Cuevas (URU)O uruguaio Pablo Cuevas conquistou o bicampeonato do Torneio Aberto Internacional de Tênis do Brasil – Brasil Open 2016 neste domingo, com sua nona vitória consecutiva no país. O número 27 do ranking mundial derrotou o espanhol Pablo Carreño Busta, com parciais de 7/6(4) e 6/3, no Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo.

O jogador de 30 anos levantou seu quinto troféu na carreira, terceiro no país. Além do Brasil Open de 2015, Cuevas venceu seu primeiro ATP 500 no Rio de Janeiro há sete dias. São 16 vitórias nos últimos 17 jogos no país.

“Sem dúvida, o Brasil me dá sorte. Antes de ser campeão pela primeira vez em São Paulo, havia perdido na estreia e não gostava de a quadra ser um pouco mais rápida. Mas depois de ganhar o primeiro, minha mentalidade mudou. Mesmo no Rio, no ano passado, estive perto de vencer o (Rafael) Nadal e sabia que poderia ir bem aqui. Acho que a torcida também gosta do meu jogo, sempre torcem por mim, exceto contra brasileiros”, afirmou o campeão.

Cuevas somará 250 pontos no ranking da ATP e embolsou US$ 77.600 de premiação. Já Carreño Busta, que disputou sua primeira decisão de simples, levou US$ 40.870 e 150 pontos, subindo 14 colocações e alcançando o posto de número 53 do mundo. A campanha em São Paulo, na qual perdeu apenas um set, para o cearense Thiago Monteiro, levará o uruguaio à sétima colocação na corrida para o ATP Finals.

“Estou feliz por finalizar a melhor gira sul-americana da minha carreira. Vou tentar seguir neste nível nas quadras rápidas, fazer a adaptação a outras condições e tentar me consolidar entre os 20 melhores do mundo”, destacou Cuevas.

Se a classificação para o ATP Finals ainda está distante, a vaga para as Olimpíadas do Rio já é praticamente certa para Cuevas: “Nos outros Jogos, não pude competir por lesão nas costas e no joelho. Mas agora, com estes pontos, acho que já estou classificado. Gosto muito dos outros esportes e vai ser uma experiência inesquecível. Espero poder chegar em boa forma e ganhar jogos. Fico feliz por representar o Uruguai”.

A final durou 1h25, com um primeiro set bastante disputado. Os dois jogadores mantiveram seus serviços até o tie-break, no qual Cuevas foi mais decisivo. Já no segundo, o uruguaio abriu 5/2 de vantagem e, mesmo perdendo o serviço no oitavo game, conseguiu fechar quebrando o saque de Carreño Busta na oportunidade seguinte.

“No Rio, os últimos dois jogos foram bem tensos e longos, além da pressão extra por ter vencido o Nadal. Terminei o torneio cansado e com uma pequena dor na perna, mas fiquei três dias sem jogar, não disputei duplas, trabalhei com o fisioterapeuta e me recuperei. Hoje foi um jogo difícil. O primeiro set foi bem apertado e acho que não consegui jogar no mesmo nível da semana anterior. Depois que venci o primeiro, ele cansou um pouco”, declarou o uruguaio.

Cuevas contou com a torcida de um compatriota ilustre na final: o jogador de futebol Diego Lugano. “Temos um amigo em comum, que é a pessoa que me ajuda no Uruguai a conseguir patrocínio. Eu o conhecia de ter visto a seleção algumas vezes. Não sou amigo dele, mas agora conversamos e sei que ele é uma grande pessoa e um importante representante do país”, revelou o tenista.

Chileno Peralta e argentino Zeballos viram e são campeões nas duplas

O título de duplas do Brasil Open 2016 ficou com o chileno Julio Peralta e com o argentino Horacio Zeballos. A parceria sul-americana triunfou diante dos espanhóis Pablo Carreño Busta e David Marrero na decisão deste domingo, de virada, por 4/6, 6/1 e 10-5 no match tiebreak.

“Estou feliz por ter chegado às duas finais. Obviamente não gostei de ter perdido ambas. Mas acho que a semana foi muito positiva, a gira foi muito boa e tenho que sair de cabeça erguida e seguir trabalhando para conseguir os resultados”, disse Carreño Busta.

Peralta e Zeballos receberam a premiação de US$ 23.600 e a dupla espanhola embolsou US$ 12.400. Este foi o primeiro troféu do chileno, de 34 anos, e o terceiro do argentino no circuito ATP. Já Carreño Busta e Marrero amargaram o segundo vice-campeonato consecutivo, após perderem a final no Rio de Janeiro.

A campanha dos campeões teve vitórias sobre a dupla europeia do polonês Mateusz Kowalczyk com o sueco Andreas Siljestrom, contra os brasileiros Rogério Silva e João Souza e diante dos argentinos Guillermo Duran e Andres Molteni, antes da final.

Foto: Marcello Zambrana/DGW Comunicação

Pablo Cuevas busca bicampeonato do Brasil Open contra espanhol Carreno Busta

Cuevas 2 peqA decisão do Torneio Aberto Internacional de Tênis do Brasil – Brasil Open 2016 terá o uruguaio Pablo Cuevas em busca do bicampeonato da competição contra o espanhol Pablo Carreño Busta, estreante em finais de simples na ATP. A grande final será às 14h deste domingo, no Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo, com transmissão da TV Bandeirantes, do Bandsports e do SporTV 3.

Cuevas derrotou o sérvio Dusan Lajovic com parciais de 6/3 e 6/4, e tentará seu segundo título consecutivo em São Paulo, uma semana após ser campeão no Rio de Janeiro. O tenista de 30 anos já soma oito vitórias consecutivas. “Estou jogando um pouco mais agressivo e estou muito tranquilo em quadra, mesmo quando as coisas não dão certo”, analisou o finalista.

Lajovic chegou a ter uma quebra de vantagem no segundo set da semifinal, mas Cuevas a devolveu logo em seguida e deslanchou para a vitória. “Nós dois estávamos muito atentos ao que o outro estava fazendo e muito conservadores. Houve muitos erros dos dois lados. Foi muito importante quando quebrei o saque dele. A chave foi esperar e aproveitar os seus erros”, afirmou o uruguaio.

Esta será a sexta final da carreira de Cuevas, em busca do quinto título, todos no saibro. Seu histórico é favorável contra Carreño Busta: duas vitórias em três jogos. “Tenho mais um jogo para encerrar a gira sul-americana e vou dar o meu melhor para terminar de forma espetacular”, garantiu o número 27 do ranking, atual oitavo colocado na corrida para o ATP Finals.

Principal nome da nova geração espanhola, Carreño Busta passou pelo compatriota Iñigo Cervantes por duplo 6/1 em 52 minutos. “Estou muito feliz. Já havia feito duas semifinais e agora venci. Fico muito contente por estar na final, mas principalmente por fazer isso jogando muito bem”, disse o jogador de 24 anos, que enfrentou apenas compatriotas durante a campanha. Um título colocaria Carreño Busta no top 50 do ranking.

O finalista esteve bem perto da eliminação na estreia, quando perdia por 6/0 e 3/0 para Albert Ramos-Viñolas. “O primeiro jogo foi muito complicado. Estive no Rio até domingo para final de duplas e as condições aqui são diferentes, tem altitude. Consegui virar o jogo, mas não foi fácil começar perdendo por 9/0, principalmente contra Albert. Venci, fui subindo meu nível e joguei muito bem nessas últimas partidas”, analisou Carreño Busta.

Carreño Busta também disputa final de duplas

Pablo Carreño Busta terá a chance de fazer uma “dobradinha” em São Paulo, já que também disputará a final de duplas neste domingo, não antes das 16h. O espanhol e seu compatriota David Marrero venceram o eslovaco Andrej Martin e o chileno Hans Podlipnik-Castillo por 6/3, 3/6 e 10-6 e estão em uma final pela segunda semana consecutiva, já que foram vice-campeões no Rio.

A dupla espanhola enfrentará o chileno Julio Peralta e o argentino Horacio Zeballos, que levaram a melhor contra Guillermo Duran e Andres Molteni, algozes de Bruno Soares e Marcelo Melo na semifinal, por 6/1 e 6/4.

Resultados 27/2 (sábado):
Pablo Carreño Busta (ESP) d. Iñigo Cervantes (ESP), 6/1 6/1
[2] Pablo Cuevas (URU) d. Dusan Lajovic (SRB), 6/3 6/4
Duplas:
Julio Peralta (CHI)/Horacio Zeballos (ARG) d. Guillermo Duran/Andres Molteni (ARG), 6/1 6/4
Pablo Carreño Busta/David Marrero (ESP) d. Andrej Martin (SVK)/Hans Podlipnik-Castillo (CHI), 6/3 3/6 10-6

Programação 28/2 (domingo):
14h – Final de simples: Pablo Carreño Busta (ESP) vs [2] Pablo Cuevas (URU)
Não antes de 16h – Final de duplas: Pablo Carreño Busta/David Marrero (ESP) vs Julio Peralta (CHI)/Horacio Zeballos (ARG)