Monteiro vence Giraldo, Clezar leva virada e Brasil e Colômbia empatam no 1º dia da Davis

O primeiro dia do confronto entre Colômbia e Brasil, pelo Zonal Americano I da Copa Davis, terminou empatado em 1 a 1, nesta sexta-feira, no piso duro do Parque Distrital de Raquetas, em Barranquilla. A equipe brasileira saiu na frente com a grande vitória do cearense Thiago Monteiro, que bateu o ex-top 30 do mundo e experiente Santiago Giraldo, por 2 sets a 0, com parciais de 6/1 e 6/2.

O Brasil teve a chance de abrir 2 a 0 de vantagem, mas o 2º  jogador nacional, o gaúcho Guilherme Clezar, acabou sofrendo a virada para Daniel Galán e foi superado por 3/6, 6/2 e 6/1.

Neste sábado, o número 1 do mundo Marcelo Melo e Marcelo Demoliner tentam deixar o Brasil outra vez na frente. Eles enfrentam a forte parceria formada por Juan Sebastián Cabal e Robert Farah a partir das 17h (horário de Brasília). Depois, há a inversão dos jogos de simples, com Monteiro contra Galán e Clezar versus Giraldo, se necessário. Quem vencer o confronto classifica-se para disputa do playoff do Grupo Mundial, em setembro.

“O dia foi de jogos importantes. Já esperávamos um confronto equilibrado. O Monteiro fez um grande jogo tanto na parte de estratégia quanto na parte técnica, foi muito bem, apresentou um tênis de alto nível e fez o primeiro ponto para o Brasil. O Gui no segundo jogo começou muito bem no primeiro set, depois caiu fisicamente, baixou um pouco a pegada e o adversário se aproveitou e cresceu muito no jogo. Amanhã tudo se decide, o jogo de dupla é um ponto fundamental, como sempre. Mas precisamos de dois pontos mais para fechar esse confronto e vamos lutar com todas as forças”, avaliou o capitão João Zwetsch.

“Sem dúvidas foi um jogo muito bom, acho que eu estava muito bem preparado. A semana de treino aqui foi bem positiva. Entrei em quadra esperando um jogo difícil contra um cara que joga bem nessas condições, mas consegui impor bem minha tática e meu ritmo de jogo. Saquei muito bem também, não deixei ele tão confortável nas devoluções, que é um dos pontos fortes dele. Usei bastante minha direita, que foi importante. Foi uma vitória que sem dúvidas me dá muita confiança para buscar o segundo ponto amanhã”, destacou Monteiro.

“Observei um pouco o jogo dele hoje para poder definir a tática para amanhã junto com o capitão. Ele joga até um pouco parecido com o Giraldo, tem a esquerda bem boa, a direita ele deixa um pouco mais de tempo para jogar. é um cara que saca muito bem, que gosta de ir para cima. Então, entrar mais uma vez com a mesma mentalidade que será um jogo bem difícil, definido nos detalhes e tenho que aproveitar as oportunidades para tentar sair na frente e jogar com uma boa margem e é ir com tudo. A energia daqui está muito boa, foi fundamental hoje, me deram bastante apoio. Agora é torcer pela dupla amanhã e tentar finalizar no quarto”, completou o raquete 1 brasileiro.

Monteiro abre confronto da Davis contra Giraldo, em Barranquilla. Clezar joga em seguida

Começa nesta sexta-feira o confronto entre Colômbia e Brasil pelo Zonal Americano da Copa Davis, que será disputado no piso duro do Parque Distrital de Raquetas, em Barranquilla.

Na primeira partida do dia, Thiago Monteiro, tenista nº 1 do país, terá pela frente o experiente colombiano Santigo Giraldo, atual nº 290 da ATP, mas que já foi top-30, e que neste ano jogou apenas duas vezes, perdendo ambas.

Monteiro e Giraldo já se enfrentaram duas vezes, as duas no ano passado, com o brasileiro vencendo no piso duro do quali do ATP de Sydney e o colombiano levando a melhor no quali do saibro do Masters 1000 de Madri.

Depois, Guilherme Clezar entra em quadra contra o nº 1 colombiano, Daniel Galan, nº 257 da ATP. Os dois já se enfrentaram uma vez, no quali do Challenger de Bucaramanga, disputado no saibro, em 2015, com vitória do brasileiro.

No sábado, Marcelo Melo e Marcelo Demoliner representam o Brasil nas duplas, enfrentando a forte parceria de Juan Sebastian Cabal e Robert Farah.

Além disso, se necessário, os jogos de simples serão disputados em seguida, com Monteiro contra Galan e Clezar enfrentando Giraldo.

Brasil e República Dominicana terminam primeiro dia da Copa Davis empatados

O primeiro dia do confronto entre o Brasil e a República Dominicana na estreia no Zonal Americano I da Copa Davis, nas quadras rápidas do Club Deportivo Naco, em Santo Domingo, terminou empatado em 1 a 1. O estreante João Sorgi fez um jogo duro, mas acabou superado pelo tenista número 1 do país caribenho, José Hernández. Na sequência, Thiago Monteiro, melhor brasileiro convocado pelo capitão João Zwetsch, bateu o dominicano Roberto Cid e empatou o confronto.

Confronto entre duplas e de simples neste sábado

Neste sábado, o Brasil pode passar à frente com o duelo entre os duplistas Marcelo Melo, número 1 do ranking mundial de duplas, e Marcelo Demoliner contra Nick Hardt e José Olivares, programado para a partir das 17h (horário de Brasília). Na sequência, serão disputados os jogos de simples invertidos. Monteiro encara Hernández e, se prevalecer o empate, Sorgi define a classificação contra Cid. As partidas terão transmissão da Bandsports e do SporTV 3.

“Foi no detalhe, acabou escapando, muito equilibrado, foi um bom jogo, no fim ele jogou muito bem. Consegui competir bem e lutar ao máximo para tentar sair com a vitória, pena que escapou. O espírito de competição foi bom, é muito importante numa Copa Davis. A energia do capitão e do time ajudou a virar o segundo set e ir bem no terceiro, mas no tie-break ele jogou muito bem. Agora caso necessite de mim no quinto jogo vou preparado para lutar novamente”, avaliou Sorgi.

“Foi um dia duro, os dois jogos foram bem parelhos devido às condições bem rápidas. O jogo do Sorgi foi bastante equilibrado, poderia ter ido para qualquer lado. E no meu, tive muitas chances no primeiro set, poderia ter concretizado antes, mas acabei desperdiçando um pouco, mas valeu a parte mental, de ficar tranquilo, de acreditar no que eu estava fazendo e virar o jogo para empatar o confronto. Amanhã temos a dupla e se precisar as duas simples. Acho que a equipe está bem unida e preparada e vamos com tudo para sairmos vitoriosos desse confronto”, ressaltou Monteiro.

Foto: Olga Paola Almanzar/Divulgação CBT

Brasil e República Dominicana começam confronto pela Copa Davis nesta 6ª feira

O Brasil inicia nesta sexta-feira (2) o confronto inédito contra a República Dominicana, em duelo válido pela primeira rodada do Zonal Americano I da Copa Davis. As duas equipes se enfrentam nesta sexta e no sábado nas quadras rápidas do Club Deportivo Naco, em Santo Domingo. As partidas terão transmissão da Bandsports e da SporTV. O vencedor disputa uma vaga para o playoff do Grupo Mundial com quem ganhar da série entre Colômbia e Barbados, no país caribenho.

Nesta quinta-feira, foi definida em sorteio a ordem dos jogos do confronto. O estreante João Pedro Sorgi será o primeiro brasileiro a entrar em quadra nesta sexta, às 18h (horário de Brasília). O paulista de 24 anos, atual 365 do mundo de simples, enfrentará o dominicano mais bem colocado no ranking, José Hernández, que atualmente ocupa a 284ª posição.

“Conheço o José Hernández, estive em vários torneios com ele, nunca joguei contra, mas já treinamos juntos algumas vezes. É um jogador bom, tem muitas qualidades, mas nos conhecemos bem e acho que será um jogo equilibrado, onde quem estiver mais concentrado se sairá melhor. Mas não deixará de ser um jogo duro. Da minha parte, venho treinando muito bem, já adaptado às condições de jogo, preparado para dar o meu melhor e fazer o possível para somar o ponto para a equipe amanhã”, projetou Sorgi.

Na sequência, o cearense Thiago Monteiro, 117 do mundo de simples, encara o tenista número 2 da República Dominicana, Roberto Cid, que é o 468º do ranking.

“Esperamos um confronto equilibrado, até porque as condições estão bem rápidas. Não conheço muito o meu adversário, o Cid, mas buscamos todas as informações durante a semana e a equipe está bem adaptada, bem confiante. Tivemos uma excelente semana de treino aqui. E, para mim, não faz diferença ser o primeiro ou o segundo a jogar, porque independente disso jogamos na sexta, então temos que estar preparados. É torcer bastante para o Sorgi no primeiro e depois ir com tudo no segundo”, avaliou Monteiro.

No sábado, a dupla do Time Correios Brasil, formada pelo mineiro Marcelo Melo e pelo gaúcho Marcelo Demoliner, outro estreante, enfrenta a parceria entre Nick Hardt e José Olivares, a partir das 17h (horário de Brasília).

Em seguida, caso o confronto ainda não esteja definido, Monteiro mede forças com Hernández, e, se permanecer empate, Sorgi encerra contra Cid. O paranaense Thiago Wild, de 17 anos e número 8 do ranking mundial juvenil, ficará como reserva.

“A expectativa é boa, o Sorgi joga primeiro, um jogo chave desse confronto, jogo duro. O número 1 deles, o Hernández, é um bom jogador, mas acho que temos boas chances de fazer os dois pontos amanhã. Nossos dois tenistas estão jogando bem, o Monteiro e o Sorgi. As condições de velocidade da quadra e da bola estão um pouco acima do que esperávamos, mas todos se adaptaram bem e espero que consigamos levar esses dois primeiros pontos amanhã”, finalizou o capitão João Zwetsch.

Além de Zwetsch, a comissão técnica brasileira conta com o técnico Daniel Melo, o preparador físico Eduardo Faria, o médico Ricardo Diaz, o fisioterapeuta Paulo Roberto Santos e o Gerente de Esportes e Eventos da CBT e chefe da delegação Eduardo Frick, além do juvenil Christian Oliveira como sparring.

Foto: Olga Paola Almanzar/Divulgação CBT

Brasil começou treinamento para confronto contra a República Dominicana, pela Copa Davis

O Brasil já está em Santo Domingo para a estreia no Zonal das Américas da Copa Davis contra a República Dominicana. Neste domingo, os tenistas brasileiros realizaram o primeiro treino nas quadras rápidas do Club Deportivo Naco, onde será disputado o confronto nos dias 2 e 3 de fevereiro. Se a equipe brasileira vencer, encara quem sair do duelo entre Colômbia e Barbados para tentar uma vaga no playoff para o Grupo Mundial.

“Hoje [Domingo], foi nosso primeiro treino em Santo Domingo, chegamos com bastante antecedência para nos adaptarmos bem às condições. Choveu um pouco, está um pouco úmido e a quadra é um pouco mais rápida do que esperávamos, mas acho que estamos bem preparados. Conseguimos fazer dois períodos bons de treino, amanhã [hoje] chega a dupla, então o pessoal vai conseguir se preparar bem para sair com a vitória nesse confronto”, afirmou Thiago Monteiro, que tem o melhor ranking de simples entre os atletas convocados pelo capitão João Zwetsch, 117º.

Além de Monteiro, João Sorgi e o jovem Thiago Wild, de 17 anos, são os outros representantes de simples e podem estrear na Copa Davis. Zwetsch deve optar por um dos dois com base nos treinamentos da semana em Santo Domingo. “O primeiro dia foi legal, já deu para identificar mais ou menos como será o jogo aqui, as condições estão rápidas, bola, quadra, mas estamos no nível do mar, então acaba que fica uma condição boa. Conversei bastante com o João sobre esse estilo de jogo e estou trabalhando para me preparar para o possível confronto”, contou Sorgi.

Wild, que disputou a chave juvenil do Australian Open, na semana passada, também avaliou as condições. “A quadra está bem rápida, as condições estão bem rápidas comparadas à Austrália, mas temos bastante tempo para nos adaptarmos. Será um confronto duro, ainda mais jogando fora de casa, com torcida contra, mas isso só nos motiva mais. Acho que as vibrações para a semana são positivas e que dá para sair com a vitória”, projetou o tenista, que é o oitavo colocado no ranking mundial juvenil da ITF.

O capitão João Zwetsch também enalteceu o primeiro dia de treinamento no país caribenho. “O dia foi bom, dia de adaptação, primeiro contato com a quadra, com a bola, as condições estão mais rápidas do que a gente pensava, mas foi um bom dia de treino. A adaptação começou a acontecer melhor no treino da tarde e ao longo da semana vamos trabalhar em cima disso. Mas está legal, bom de jogar, o clima está quente. Agora é dar um polida dia após dia para a hora do jogo”, avaliou.

Os dois duplistas, Marcelo Melo e Marcelo Demoliner, chegam nesta segunda-feira em Santo Domingo e também já iniciam os treinamentos junto com o técnico Daniel Melo.

 

Gasquet desabafa sobre título francês na Davis: “Não dirão mais que não ganhamos”

Sabidamente, há alguns anos a atual geração de tenistas franceses é considerada uma das mais talentosas. E ao que parece, a recente conquista da Copa Davis parece ter servido como um grande desabafo, uma pressão que deixa de existir sobre jogadores como Richard Gasquet, Jo-Wilfried Tsonga, Gilles Simon e Gael Monfils (apesar de este não ter jogado durante a campanha).

Pelo menos, é o que demonstrou Gasquet, que falou sobre o alívio para os franceses por ter conquistado o principal título entre países do tênis:

“É muito bonito ter vencido. Eu comecei a jogar a Copa Davis em 2005, então são 13 anos na equipe. Agora, não dirão mais que não ganhamos a Davis.”, disse o francês, que falou também sobre frustração de ter perdido a final para a Suíça de Roger Federer, em 2014.

“Tínhamos jogado duas finais, uma delas foi muito dolorosa, contra a Suíça de Federer e Wawrinka (o outro vice foi diante da Sérvia, em 2010), mas agora deixamos isso pra trás” continuou o atual nº 31 do mundo.

Além disso, Gasquet já se mostrou animado para a edição 2018 do torneio: “No próximo ano, poderemos tentar novamente. Este ano, éramos favoritos, então era importante ganhar.” concluiu.

Pouille vence o ponto decisivo, França bate Bélgica e conquista o 10º título da Copa Davis

Depois de 16 anos, a França voltou a conquistar o título da Copa Davis, principal competição entre países do tênis, que teve a final disputada neste fim de semana, em Lille, na França.

Depois de um primeiro dia empatado e a vitória francesa nas duplas, no sábado, os franceses precisavam de mais um ponto, mas viram uma ótima partida do belga David Goffin no primeiro jogo do dia, que acabou com vitória por 3×0 sobre Jo-Wilfried Tsonga.

Coube então ao mais inexperiente da equipe no torneio, Lucas Pouille, a tarefa de disputar o 5º e decisivo ponto e ele correspondeu às expectativas.

Em grande atuação, não deu chances ao belga Steve Darcis e venceu em sets diretos, com parciais de 6/3 6/1 e 6/0.

“Estou tão orgulhoso da minha equipe. Nós realmente queríamos muito esse troféu e finalmente o conseguimos depois de 16 anos” disse Pouille.

O capitão francês, Yannick Noah, fez questão de ressaltar a atuação do jogador que fechou o confronto: “Que grande final! Ter o Lucas jogando em sua cidade natal e vencedor do último jogo de Copa Davis, jogando como ele jogou…é tão lindo” afirmou Noah.

Com isso, a França conquistou o seu 10º título de Copa Davis, enquanto a Bélgica segue em busca do primeiro triunfo.

Tsonga e Goffin confirmam favoritismo e o 1º dia da final da Copa Davis acaba empatado

Tudo igual depois do primeiro dia de jogos com vitória dos favoritismo na final da Copa Davis, no piso duro coberto em Lille, na França.

Na primeira partida, David Goffin, embalado pelo recente vice campeonato do ATP Finals, não deu muitas chances ao francês Lucas Pouille e venceu em sets diretos, com parciais de 7/5 6/3 e 6/1.

Na sequência, Jo-Wilfried Tsonha se impôs diante do belga Steve Darcis, perdeu apenas seis games  e anotou 6/3 6/2 e 6/1.

No sábado, será disputado o ponto de duplas, com os franceses representados por Pierre-Hugues Herbert e Richard Gasquet, enquando os belgas jogarão com Ruben Bemelmans e Joris De Loore.

Vale destacar que os franceses estão em busca do 10ª título do torneio, enquanto a Bélgica busca o primeiro troféu.

Dupla vence, mas Monteiro perde, Brasil é superado por Japão e continua no Zonal da Davis em 2018

O Brasil não passou pelo Japão na repescagem do Playoff da Copa Davis, disputado na cidade de Osaka, no Japão.

Após fazer dois pontos na quinta-feira, o Japão ganhou mais um ponto na madrugada de domingo para segunda-feira com o número 42 do mundo, Yuichi Sugita vencendo Thiago Monteiro por 6/3, 6/2 e 6/3.

O Brasil garantiu um ponto no jogo anterior ao de simples, com a dupla Bruno soares e Marcelo Melo vencendo a dupla japonesa Yasutaka Uchiyama e Ben Mclachlan com parciais de 7/6 (2), 6/4 e 6/2, em 2h02 de partida.

“Jogamos super bem. O primeiro set foi muito importante para a nossa dupla. Como tínhamos poucas informações sobre os japoneses, demorou um pouco para entendermos a forma deles de jogar. Depois, conseguimos administrar melhor as jogadas e conseguimos usar nossa tática. Depois deslanchamos, jogamos mais soltos, botamos pressão neles e fechamos em três sets”, afirmou Bruno Soares.

Com o resultado, o Brasil joga o Zonal Americano em 2018 e o Japão sobe para o Grupo Mundial da Copa Davis. O confronto teve um atraso devido a um dia de fortes chuvas e outro de um toque de recolhimento devido a um tufão que passou pelo Japão.

Franceses e australianos vencem duplas e ficam mais perto da final da Copa Davis

França e Austrália ficaram mais perto da final da Copa Davis, principal competição entre países do tênis mundial, que tem semifinais disputadas neste final de semana.

No saibro de Lille, os franceses fizeram a festa da torcida da casa, com a confirmação do favoritismo da forte dupla formada por Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut, que venceram os sérvios Filip Krajinovic e Nenaz Zimonjic, por 3×0.

Agora, uma vitória de Jo-Wilfried Tsonga sobre Dusan Lajovic, no primeiro jogo do domingo, dá a vaga na decisão aos franceses. Se Lajovic vencer, os sérvios entram no quinto jogo com Laslo Djere diante de Lucas Pouille.

Já os australianos, jogando fora de casa, no saibro de Bruxelas, garantiram a virada no confronto com a dupla formada por John Peers e Jordan Thompson, que não deram chances aos locais Ruben Bemelmans e Arthur De Greef, vencendo por 3×0.

No domingo, David Goffin e Nick fazem o jogo que pode ser decisivo. Se a vitória for do belga, Steve Darcis tentará a virada pro time da casa contra John Millman.