Monteiro perde match points e leva virada de Cuevas na estreia do Rio Open

Foi por pouco, muito pouco, mas Thiago Monteiro perdeu na primeira rodada do Rio Open, ATP 500 disputado na capital carioca e maior torneio de tênis da América do Sul.

Na tarde desta terça-feira, em longo jogo de mais de 02h30min que abriu a programação da quadra central, o brasileiro foi superado de virada pelo uruguaio Pablo Cuevas, com parciais de 6/7(5) 7/6(10) e 6/3.

Foi uma partida de altos e baixos e muitas chances, que ainda teve Monteiro perdendo três match points durante o tiebreak do 2º set, muito lamentados depois, em conversa com a imprensa, mas fazendo questão de reconhecer o apoio do público durante toda partida:

“Um pouco triste pela derrota, a torcida compareceu, cumpriu bem o seu papel, eu tava motivado em quadra…uma derrota como essa dói um pouco mais, mas sinto que estou jogando no nível dos melhores do mundo.” disse Monteiro, que falou sobre a expectativa para sua estreia na chave de duplas, ao lado do compatriota Fabiano de Paula, em dura partida contra Bruno Soares e Jamie Murray:

“Vai ser uma grande experiência jogar contra eles. As condições estão boas pra gente, mais lentas, e eles gostam de uma quadra mais rápida. Vamos jogar soltos.” afirmou.

Foto: Fotojump

Atual campeão, Thiem estreia no Rio Open nesta 3ª feira. Monfils e Monteiro também jogam

Campeão da última edição do Rio Open apresentado pela Claro, o austríaco Dominic Thiem estreia no torneio nesta terça-feira, no segundo jogo da rodada noturna, que começa às 19h, na quadra Guga Kuerten, de olho no bicampeonato. O número 6 do mundo, vencedor em Buenos Aires no último domingo, enfrentará o sérvio Dusan Lajovic. A rodada de terça do maior torneio de tênis da América do Sul também verá a estreia do francês Gael Monfils nas simples. O showman encara o argentino Horacio Zeballos, às 19h, também na central. O brasileiro Thiago Monteiro abre a rodada, às 16h30, contra o uruguaio Pablo Cuevas, campeão em 2016. Os ingressos estão à venda no site www.tudus.com.br/rioopen . Os dias 23 e 24 já estão com ingressos esgotados.

Dono de nove títulos na carreira, o austríaco de 24 anos chega otimista no Rio. “Não me sinto pressionado, embora tenha pontos a defender pelo título do ano passado. Venci em Buenos Aires, estou confiante, e nada melhor do que chegar aqui depois de conquistar um título”, disse Thiem, que pela tarde visitou o Parque Lage, um dos cartões postais da cidade.

Thiem já enfrentou e venceu Lajovic em três oportunidades, a última justamente no Rio Open do ano passado, em sua trajetória para o título. O sérvio ocupa a 84ª posição no ranking, disputou as quatro edições anteriores do Rio Open, chegando às oitavas no ano passado e em 2014. “Conheço muito bem o Dusan, já jogamos algumas vezes. Cada um sabe bem como o outro joga”, disse o jogador, feliz por voltar às quadras do Jockey. “Gosto de vir aqui, joguei bem nos últimos dois anos (também foi semifinalista em 2016), meu jogo encaixa com as condições do torneio, e não me importo com o calor. A energia daqui também é incrível”.

 

Monfils estreia contra argentino e promete empolgar os fãs brasileiros

Muito aguardado pelo público desde a primeira edição do Rio Open, Gael Monfils fará sua estreia nesta terça contra Horacio Zeballos, que vem embalado pelo título de duplas em Buenos Aires. “Ele é um grande jogador, muito sólido no saibro, e acaba de conquistar um título. Não será fácil”, disse o carismático francês, admirado pelos fãs de tênis por suas jogadas performáticas. Será o primeiro confronto entre os dois no circuito. Zeballos ocupa a 68ª posição no ranking, e tem um título na carreira.

Ex-número 6 do ranking mundial, Monfils  conquistou sete títulos como profissional, e começou bem a temporada 2018. Foi campeão em Doha, e semifinalista em Buenos Aires. Atual 39º na classificação, o tenista de 31 anos tem no currículo as semifinais no US Open 2016 e em Roland Garros 2008. Nesta segunda, ele aproveitou a manhã para visitar o Cristo Redentor.

Em outra partida, o cearense Thiago Monteiro encara o uruguaio Pablo Cuevas, campeão da edição 2016, na quadra central, às 16h30. Thiago, que reassumiu a posição de número 1 do Brasil nesta semana, recebeu convite da organização para entrar na chave principal. Atual 104º do ranking, Thiago fez sua primeira semifinal de um torneio nível ATP em Quito, no início do mês. No ano passado, alcançou as quartas de final do Rio Open.

O retrospecto contra Cuevas não é favorável. Foram três encontros e três vitórias do uruguaio, atual 33º do mundo, incluindo aqui no Rio Open, há dois anos.

Outra partida interessante da rodada de terça será entre o argentino Diego Schwartzman e o norueguês Casper Ruud. Schwartzman vive seu melhor momento na carreira, alcançou as oitavas de final no Aberto da Austrália, em janeiro, e ocupa sua melhor posição no ranking, o 23º lugar. Convidado pela organização, Ruud, de 19 anos, chamou a atenção no Rio Open 2017 ao alcançar a semifinal.

Vice-campeão no ano passado, o espanhol Pablo Carreño Busta estreia contra o italiano Marco Cecchinato, que veio do qualifying. Já o eslovaco Aljaz Bedene, vice-campeão em Buenos Aires no último domingo, pega o austríaco Andreas Haider-Maurer. Outros jogos: Jiri Vesely (TCH) x Federico Delbonis (ARG), Victor Estrella Burgos (DOM) x Nicolas Kicker (ARG) e Pablo Andujar (ESP) x Gerald Melzer (AUT).

Pela chave de duplas, destaque para a estreia da parceria formada pelo italiano Fabio Fognini e pelo espanhol Marc Lopez contra o mexicano Santiago Gonzalez e o chileno Julio Peralta, no terceiro jogo da quadra 2, com rodada iniciando às 16h30. Fognini venceu nas duplas no Aberto da Austrália, em 2015, e Lopez foi campeão de Roland Garros-2016.

 

ORDER OF PLAY – TUESDAY, FEBRUARY 20, 2018
QUADRA CENTRAL start 4:30 pm
[WC] T. Monteiro (BRA) vs [7] P. Cuevas (URU)

Not Before 7:00 pm
G. Monfils (FRA) vs H. Zeballos (ARG)
D. Lajovic (SRB) vs [2] D. Thiem (AUT)

QUADRA 1 start 4:30 pm
[WC] C. Ruud (NOR) vs [6] D. Schwartzman (ARG)
J. Vesely (CZE) vs F. Delbonis (ARG)
[Q] M. Cecchinato (ITA) vs [3] P. Carreno Busta (ESP)

QUADRA 2 start 4:30 pm
V. Estrella Burgos (DOM) vs N. Kicker (ARG)
A. Bedene (SLO) vs [PR] A. Haider-Maurer (AUT)
F. Fognini (ITA) / M. Lopez (ESP) vs [4] S. Gonzalez (MEX) / J. Peralta (CHI)

QUADRA 4 start 4:30 pm
[PR] P. Andujar (ESP) vs G. Melzer (AUT)
R. Jebavy (CZE) / L. Mayer (ARG) vs G. Garcia-Lopez (ESP) / A. Ramos-Vinolas (ESP)
G. Pella (ARG) / D. Schwartzman (ARG) vs H. Podlipnik-Castillo (CHI) / A. Vasilevski (BLR)

Foto: Fotojump

Carreño Busta e Cuevas conquistam o título da chave de duplas do Rio Open

Carreno Busta e Cuevas peqDepois de jogar a semifinal de simples, Carreño Busta descansou 1h30 e disputou a final das duplas com seu parceiro, o uruguaio Pablo Cuevas. Responsáveis pela eliminação dos cabeças de chave número 1, o brasileiro Bruno Soares e o britânico Jamie Murray, eles derrotaram na decisão os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah, duas vezes campeões no Rio (2014 e 2016), por 6/4, 5/7 e 10/8, para conquistar o título do Rio Open. A dupla campeã recebeu premiação de R$ 293.880.

Foi o terceiro título de Carreño Busta em duplas – no ano passado venceu em Pequim e em Quito com outros parceiros. Já Cuevas, campeão da chave de simples do Rio Open no ano passado, chegou a seu sexto título de duplas. Destaque para a conquista de Roland Garros-2008 em parceria com o peruano Luis Horna.

Nesta temporada, já haviam jogado juntos na semana passada, em Buenos Aires, quando foram semifinalistas. “Vamos jogar juntos na semana que vem de novo, e sempre que tivermos oportunidade de jogar vamos tentar”, disse Carreño Busta.

RESULTADOS SÁBADO:
Dominic Thiem (AUT) 2 x 0 Albert Ramos Vinolas (ESP) – 6/1 e 6/4
Pablo Carreño Busta (ESP) 2 x 1 Casper Ruud (NOR) – 2/6, 7/5 e 6/0
Pablo Carreño Busta (ESP)/Pablo Cuevas (URU) 2 x 1 Juan Sebastian Cabal (COL)/Robert Farah (COL) – 6/4, 5/7 e 10/8

CAMPEÕES CHAVE DE DUPLAS DO RIO OPEN:
2017 – Pablo Carreño Busta (ESP)/Pablo Cuevas (URU)
2016 – Juan Sebastian Cabal (COL)/Robert Farah (COL)
2015 – Philipp Oswaldo (AUT)/Martin Klizan (SVK)
2014 – Juan Sebastian Cabal (COL)/Robert Farah (COL)

Atual campeão, Cuevas perde para qualifier belga na estreia do Rio Open

Cuevas peqO uruguaio Pablo Cuevas, campeão da última edição do Rio Open, foi surpreendido nesta segunda-feira pelo belga Arthur De Greef, e está fora do maior torneio de tênis da América do Sul. Vindo do qualifying, De Greef marcou 2 sets a 1, com parciais de 6/3, 3/6 e 7/5, pela primeira rodada, e conquistou sua primeira vitória em um ATP 500.

“Foi a maior vitória da minha carreira. Jogar o qualifying foi bom porque ajudou a me adaptar às condições daqui, e me deixou mais preparado. Acho que ele (Cuevas) estava nervoso por defender o título, e também vinha pressionado por ter perdido na estreia em Buenos Aires (na semana passada)”, disse o jogador de 24 anos. Cuevas foi responsável por eliminar o espanhol Rafael Nadal no Rio Open 2016.
O próximo adversário do tenista belga será o argentino Nicolas Kicker, que eliminou o italiano Marco Cecchinato por 7/5 e 6/0. Ambos vieram do qualifying.

Em outra partida, o brasileiro Rogério Dutra Silva foi eliminado pelo jovem norueguês Casper Ruud por 6/3 e 6/4. Foi a primeira vez na carreira que Rogerinho jogou a chave principal de um torneio de ATP 500, e lamentou a derrota na estreia. “Não consegui entrar no jogo, procurei de várias maneiras um jeito de sair da situação em que me encontrava, mas não consegui. É frustrante sair daqui sem ter conseguido dar o meu melhor em quadra”, disse o 88º colocado no ranking mundial e terceiro melhor brasileiro na lista.

Rudd, por sua vez, comemorou sua primeira vitória em um torneio nível ATP, a primeira de um tenista da Noruega desde 2004. “Foi muito bom conquistar essa vitória, o que trará ainda mais confiança para os meus próximos jogos”, disse o jovem de 18 anos, ex-número um juvenil, que recebeu convite da organização para jogar a chave principal. Na temporada passada, Ruud subiu 900 posições no ranking.

O próximo adversário do norueguês será o espanhol Roberto Carballes Baena, que veio do qualifying, e surpreendeu o português João Sousa, cabeça de chave número 8, por 6/3 e 6/1.

Em outros jogos, o sérvio Dusan Lajovic venceu o argentino Facundo Bagnis por um duplo 6/4, e o argentino Diego Schwartzman eliminou o compatriota Renzo Olivo por 6/2, 3/6 e 6/4.

Italianos Fognini e Bolelli caem na estreia da chave de duplas

Os italianos Fabio Fognini e Simone Bolelli, campeões do Australian Open 2015, perderam na estreia da chave de duplas do Rio Open. Os responsáveis pela derrota foram o chileno Julio Peralta e o argentino Horacio Zeballos, que marcaram 4/6, 7/6 (2) e 10/8.

Na outra partida, o norte-americano Nicholas Monroe e neozelandês Artem Sitak venceram o argentino Guillermo Duran e o espanhol Alberto Ramos Vinolas por 7/6 (5) e 7/6 (5).

Resultados:
Casper Rudd (NOR) 2 x 0 Rogério Dutra Silva (BRA) – 6/3 e 6/4
Arthur De Greef (BEL) 2 x 1 Pablo Cuevas (URU) x – 6/3, 3/6 e 7/5
Dusan Lajovic (SER) 2 x 0 Facundo Bagnis (ARG) – 6/4 e 6/4
Diego Schwartzman (ARG) 2 x 1 Renzo Olivo (ARG) – 6/2, 3/6 e 6/4
Roberto Carballes Baena (ESP) 2 x 0 João Sousa (POR) x 6/3 e 6/1
Nicolas Kicker (ARG) 2 x 0 Marco Cecchinato (ITA) – 7/5 e 6/0
Julio Peralta (CHI)/Horacio Zeballos (ARG) 2 x 1 Simone Bolelli (ITA)/Fabio Fognini (ITA) – 4/6, 7/6 (2) e 10/8
Nicholas Monroe (EUA)/Artem Sitak (NZL) 2 x 0 Guillermo Duran (ARG)/Albert Ramos Vinolas (ESP) – 7/6 (5) e 7/6 (5)

Djokovic vence Bedene em sets diretos e vai às 8ªs de Roland Garros. Torcida francesa vê Tsonga abandonar

TsongaO sábado em Roland Garros foi mais um dia com chuva em certos momentos, mas sem grandes surpresas na chave masculina.

Talvez, a maior surpresa não tenha sido um resultado em si, mas o abandono de Jo-Wilfried Tsonga, uma das esperanças da torcida local, quando vencia o primeiro set contra Ernests Gulbis.

Com isso, Richard Gasquet, que joga neste domingo contra Kei Nishikori, é o único tenista da casa vivo na chave, mantendo o sonho da torcida francesa voltar a ver um jogador do país conquistar o título pela primeira vez desde Yannick Noah, em 1983.

Dominic Thiem venceu de virada o esperado confronto da nova geração contra Alexander Zverev, com parciais de 6/7(4) 6/3 6/3 e 6/3, enquanto David Ferrer superou Feliciano Lopez por 6/4 7/6(6) e 6/1.

Novak Djokovic não teve muito trabalho contra Aljaz Bedene e venceu em três sets, com parciais de 6/2 6/3 e 6/3.

As oitavas de final começam neste domingo, Stan Wawrinka querendo continuar buscando o bicampeonato e vai enfrentar Viktor Troicki na Philippe-Chatrier.

Na mesma quadra, Kei Nishikori e Richard Gasquet se enfrentam na sequência, enquanto Andy Murray terá pela frente o norte-americano John Isner na Suzanne-Lenglen. Além disso, Milos Raonic enfrenta o espanhol Albert Ramos.

Nishikori vai ao 5º set para bater Verdasco em Roland Garros. Murray vence em sets diretos

27 March 2016: Kei Nishikori (JPN) in action at the French Open, Stade Roland Garros, Paris, France (Photo by Cynthia Lum/Icon Sportswire)

Foram definidos os primeiros classificados para a chave masculina de Roland Garros, na França, segundo Grand Slam da temporada, disputado no saibro.

O canadense Milos Raonic começou o dia confirmando o favoritismo ao vencer o eslovaco Andrej Martin em três sets, com parciais de 7/6(2) 6/2 e 6/3.

Andy Murray, enfim, conseguiu uma vitória sem precisar de ir ao quinto set, e bateu o croata Ivo Karlovic por 6/1 6/4 e 7/6(3), enquanto Kei Nishikori abriu dois sets a zero sobre Fernando Verdasco, viu o espanhol empatar, mas triunfou por 6/3 6/4 3/6 2/6 e 6/4.

Em um jogo muito aguardado Nick Kyrgios sentiu uma lesão no ombro e foi superado por Richard Gasquet por 6/2 7/6(7) e 6/2, e Stan Wawrinka segue a busca pelo bicampeonato depois de vencer Jeremy Chardy por 6/4 6/3 e 7/5.

No sábado, os outros classificados para as oitavas de final serão conhecidos, começando com o confronto entre os jovens Alexader Zverev e Dominic Thiem na quadra Suzanne-Lenglen.

Jo-Wilfried Tsonga, que segue sendo uma das principais esperanças da torcida da casa, encara o letão Ernests Gulbis na Philippe-Chatrier, mesmo local da partida entre Novak Djokovic e o britânico Aljaz Bedene.

Destaque também para o confronto entre os espanhóis David Ferrer e Feliciano Lopez, além do jogo entre o uruguaio Pablo Cuevas e o tcheco Tomas Berdych.

Foto: Cynthia Lum

Pablo Cuevas conquista bicampeonato no Brasil Open com nona vitória seguida

Pablo Cuevas (URU)O uruguaio Pablo Cuevas conquistou o bicampeonato do Torneio Aberto Internacional de Tênis do Brasil – Brasil Open 2016 neste domingo, com sua nona vitória consecutiva no país. O número 27 do ranking mundial derrotou o espanhol Pablo Carreño Busta, com parciais de 7/6(4) e 6/3, no Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo.

O jogador de 30 anos levantou seu quinto troféu na carreira, terceiro no país. Além do Brasil Open de 2015, Cuevas venceu seu primeiro ATP 500 no Rio de Janeiro há sete dias. São 16 vitórias nos últimos 17 jogos no país.

“Sem dúvida, o Brasil me dá sorte. Antes de ser campeão pela primeira vez em São Paulo, havia perdido na estreia e não gostava de a quadra ser um pouco mais rápida. Mas depois de ganhar o primeiro, minha mentalidade mudou. Mesmo no Rio, no ano passado, estive perto de vencer o (Rafael) Nadal e sabia que poderia ir bem aqui. Acho que a torcida também gosta do meu jogo, sempre torcem por mim, exceto contra brasileiros”, afirmou o campeão.

Cuevas somará 250 pontos no ranking da ATP e embolsou US$ 77.600 de premiação. Já Carreño Busta, que disputou sua primeira decisão de simples, levou US$ 40.870 e 150 pontos, subindo 14 colocações e alcançando o posto de número 53 do mundo. A campanha em São Paulo, na qual perdeu apenas um set, para o cearense Thiago Monteiro, levará o uruguaio à sétima colocação na corrida para o ATP Finals.

“Estou feliz por finalizar a melhor gira sul-americana da minha carreira. Vou tentar seguir neste nível nas quadras rápidas, fazer a adaptação a outras condições e tentar me consolidar entre os 20 melhores do mundo”, destacou Cuevas.

Se a classificação para o ATP Finals ainda está distante, a vaga para as Olimpíadas do Rio já é praticamente certa para Cuevas: “Nos outros Jogos, não pude competir por lesão nas costas e no joelho. Mas agora, com estes pontos, acho que já estou classificado. Gosto muito dos outros esportes e vai ser uma experiência inesquecível. Espero poder chegar em boa forma e ganhar jogos. Fico feliz por representar o Uruguai”.

A final durou 1h25, com um primeiro set bastante disputado. Os dois jogadores mantiveram seus serviços até o tie-break, no qual Cuevas foi mais decisivo. Já no segundo, o uruguaio abriu 5/2 de vantagem e, mesmo perdendo o serviço no oitavo game, conseguiu fechar quebrando o saque de Carreño Busta na oportunidade seguinte.

“No Rio, os últimos dois jogos foram bem tensos e longos, além da pressão extra por ter vencido o Nadal. Terminei o torneio cansado e com uma pequena dor na perna, mas fiquei três dias sem jogar, não disputei duplas, trabalhei com o fisioterapeuta e me recuperei. Hoje foi um jogo difícil. O primeiro set foi bem apertado e acho que não consegui jogar no mesmo nível da semana anterior. Depois que venci o primeiro, ele cansou um pouco”, declarou o uruguaio.

Cuevas contou com a torcida de um compatriota ilustre na final: o jogador de futebol Diego Lugano. “Temos um amigo em comum, que é a pessoa que me ajuda no Uruguai a conseguir patrocínio. Eu o conhecia de ter visto a seleção algumas vezes. Não sou amigo dele, mas agora conversamos e sei que ele é uma grande pessoa e um importante representante do país”, revelou o tenista.

Chileno Peralta e argentino Zeballos viram e são campeões nas duplas

O título de duplas do Brasil Open 2016 ficou com o chileno Julio Peralta e com o argentino Horacio Zeballos. A parceria sul-americana triunfou diante dos espanhóis Pablo Carreño Busta e David Marrero na decisão deste domingo, de virada, por 4/6, 6/1 e 10-5 no match tiebreak.

“Estou feliz por ter chegado às duas finais. Obviamente não gostei de ter perdido ambas. Mas acho que a semana foi muito positiva, a gira foi muito boa e tenho que sair de cabeça erguida e seguir trabalhando para conseguir os resultados”, disse Carreño Busta.

Peralta e Zeballos receberam a premiação de US$ 23.600 e a dupla espanhola embolsou US$ 12.400. Este foi o primeiro troféu do chileno, de 34 anos, e o terceiro do argentino no circuito ATP. Já Carreño Busta e Marrero amargaram o segundo vice-campeonato consecutivo, após perderem a final no Rio de Janeiro.

A campanha dos campeões teve vitórias sobre a dupla europeia do polonês Mateusz Kowalczyk com o sueco Andreas Siljestrom, contra os brasileiros Rogério Silva e João Souza e diante dos argentinos Guillermo Duran e Andres Molteni, antes da final.

Foto: Marcello Zambrana/DGW Comunicação

Pablo Cuevas busca bicampeonato do Brasil Open contra espanhol Carreno Busta

Cuevas 2 peqA decisão do Torneio Aberto Internacional de Tênis do Brasil – Brasil Open 2016 terá o uruguaio Pablo Cuevas em busca do bicampeonato da competição contra o espanhol Pablo Carreño Busta, estreante em finais de simples na ATP. A grande final será às 14h deste domingo, no Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo, com transmissão da TV Bandeirantes, do Bandsports e do SporTV 3.

Cuevas derrotou o sérvio Dusan Lajovic com parciais de 6/3 e 6/4, e tentará seu segundo título consecutivo em São Paulo, uma semana após ser campeão no Rio de Janeiro. O tenista de 30 anos já soma oito vitórias consecutivas. “Estou jogando um pouco mais agressivo e estou muito tranquilo em quadra, mesmo quando as coisas não dão certo”, analisou o finalista.

Lajovic chegou a ter uma quebra de vantagem no segundo set da semifinal, mas Cuevas a devolveu logo em seguida e deslanchou para a vitória. “Nós dois estávamos muito atentos ao que o outro estava fazendo e muito conservadores. Houve muitos erros dos dois lados. Foi muito importante quando quebrei o saque dele. A chave foi esperar e aproveitar os seus erros”, afirmou o uruguaio.

Esta será a sexta final da carreira de Cuevas, em busca do quinto título, todos no saibro. Seu histórico é favorável contra Carreño Busta: duas vitórias em três jogos. “Tenho mais um jogo para encerrar a gira sul-americana e vou dar o meu melhor para terminar de forma espetacular”, garantiu o número 27 do ranking, atual oitavo colocado na corrida para o ATP Finals.

Principal nome da nova geração espanhola, Carreño Busta passou pelo compatriota Iñigo Cervantes por duplo 6/1 em 52 minutos. “Estou muito feliz. Já havia feito duas semifinais e agora venci. Fico muito contente por estar na final, mas principalmente por fazer isso jogando muito bem”, disse o jogador de 24 anos, que enfrentou apenas compatriotas durante a campanha. Um título colocaria Carreño Busta no top 50 do ranking.

O finalista esteve bem perto da eliminação na estreia, quando perdia por 6/0 e 3/0 para Albert Ramos-Viñolas. “O primeiro jogo foi muito complicado. Estive no Rio até domingo para final de duplas e as condições aqui são diferentes, tem altitude. Consegui virar o jogo, mas não foi fácil começar perdendo por 9/0, principalmente contra Albert. Venci, fui subindo meu nível e joguei muito bem nessas últimas partidas”, analisou Carreño Busta.

Carreño Busta também disputa final de duplas

Pablo Carreño Busta terá a chance de fazer uma “dobradinha” em São Paulo, já que também disputará a final de duplas neste domingo, não antes das 16h. O espanhol e seu compatriota David Marrero venceram o eslovaco Andrej Martin e o chileno Hans Podlipnik-Castillo por 6/3, 3/6 e 10-6 e estão em uma final pela segunda semana consecutiva, já que foram vice-campeões no Rio.

A dupla espanhola enfrentará o chileno Julio Peralta e o argentino Horacio Zeballos, que levaram a melhor contra Guillermo Duran e Andres Molteni, algozes de Bruno Soares e Marcelo Melo na semifinal, por 6/1 e 6/4.

Resultados 27/2 (sábado):
Pablo Carreño Busta (ESP) d. Iñigo Cervantes (ESP), 6/1 6/1
[2] Pablo Cuevas (URU) d. Dusan Lajovic (SRB), 6/3 6/4
Duplas:
Julio Peralta (CHI)/Horacio Zeballos (ARG) d. Guillermo Duran/Andres Molteni (ARG), 6/1 6/4
Pablo Carreño Busta/David Marrero (ESP) d. Andrej Martin (SVK)/Hans Podlipnik-Castillo (CHI), 6/3 3/6 10-6

Programação 28/2 (domingo):
14h – Final de simples: Pablo Carreño Busta (ESP) vs [2] Pablo Cuevas (URU)
Não antes de 16h – Final de duplas: Pablo Carreño Busta/David Marrero (ESP) vs Julio Peralta (CHI)/Horacio Zeballos (ARG)

Pablo Cuevas derrota Guido Pella e conquista o Rio Open pela primeira vez

Cuevas 2 peqResponsável por eliminar o favorito Rafael Nadal na semifinal, o uruguaio Pablo Cuevas derrotou o argentino Guido Pella, na noite deste domingo, no Jockey Club Brasileiro, por 2 sets a 1, com parciais de 6/4, 6/7 (5) e 6/4, e conquistou o título do Rio Open apresentado pela Claro. Foi o quarto título da carreira do tenista de 30 anos, o primeiro dele da série ATP 500. Com o troféu, Cuevas, atual 45º do ranking mundial, vai somar 500 pontos e se aproximar dos top 30 na lista que será divulgada nesta segunda-feira. Seu melhor ranking da carreira é o 21º lugar, obtido em março do ano passado.

Na decisão deste domingo contou mais a experiência do uruguaio contra Pella, que disputava sua primeira final da carreira. Mesmo tento eliminado jogadores como o norte-americano John Isner, cabeça de chave número 4, e o austríaco Dominic Thiem, favorito número 5, no caminho para chegar à final, o argentino de 25 anos não conseguiu repetir o feito na decisão.

O jogo começou equilibrado e foi interrompido no 3 a 3 por causa da chuva. Cerca de 3h20 depois, a partida foi reiniciada, e o uruguaio conseguiu a quebra, fazendo 5 a 4. Sacando muito bem, fechou no game seguinte. O segundo set seguiu parelho e nenhum dos dois conseguiu a quebra, levando a decisão para o tie-break. Cuevas abriu 5 a 4, mas o argentino fez belas devoluções de saque e acabou empatando ao fazer 7/5. O set decisivo também foi decidido nos detalhes. Cuevas, que deu 14 aces na partida contra quatro do rival, abriu 5 a 4, com saque do argentino. No primeiro match-point fechou a partida.

“Agradeço o apoio dos torcedores nesses dias. Sei que todos queriam Nadal na final, mas de qualquer forma, obrigado”, disse o uruguaio no discurso após o título. Mais tarde, na coletiva do campeão, revelou a admiração por Gustavo Kuerten, que lhe entregou o troféu. “É um grande prazer receber o troféu das mãos do Guga, um dos jogadores que eu mais admirava. Cheguei a sair mais cedo da escola para ver jogos dele em Roland Garros. Depois, no ano da despedida dele, tive o prazer de enfrentá-lo”, lembrou.

Cuevas, que recebeu premiação de R$ 1.217.749,50, comemorou o fato de um tenista sul-americano vencer o Rio Open – nas outras duas edições os campeões foram os espanhóis Nadal, em 2014, e David Ferrer, em 2015. “Os espanhóis estão dominando os torneios no saibro, por isso foi importante termos dois sul-americanos disputando a final aqui”, disse Cuevas, que não alcançava uma decisão desde abril do ano passado, em Istambul.

O uruguaio só enfrentou jogadores canhotos na competição. “Foi algo muito raro, porque talvez o circuito tenha uns 20% de canhotos. De uma certa maneira foi bom pra mim, porque não tive que mudar muito minha tática”, contou.

Pella lamentou a derrota, mas tentou ver o lado positivo. “Foi a primeira vez que chego a uma final de um torneio desse nível. Fizemos um bom jogo, e ele foi melhor e mereceu o título. Tenho muito o que melhorar e vou seguir trabalhando”, disse o canhoto, que chegou ao torneio como 71º do ranking e ficará próximo dos top 40 nesta segunda, sua melhor posição na carreira.

Campeões do Rio Open:

2016 – Pablo Cuevas (URU)
2015 – David Ferrer (ESP)
2014 – Rafael Nadal (ESP)

Colombianos Cabal e Farah conquistam Rio Open pela segunda vez na carreira

Os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah, cabeças de chave número 2 do torneio, conquistaram pela segunda vez na carreira o título de duplas do Rio Open apresentado pela Claro. Campeões da primeira edição, em 2014, Cabal e Farah repetiram o feito com a vitória na decisão deste domingo sobre os espanhóis Pablo Carreno Busta e David Marrero por 2 sets a 0, com parciais de 7/6 (5) e 6/1.

“Estamos muito contentes por mais essa conquista, é resultado de anos de trabalho dentro da quadra. Ficamos muito à vontade aqui no Rio, nosso país tem coisas em comum com o Brasil, então talvez por isso temos grandes conquistas aqui”, disse Cabal.

Os colombianos jogam juntos o circuito e somam agora seis títulos na carreira. Na semana passada também foram campeões em Buenos Aires. Rivais dos brasileiros Bruno Soares e Marcelo Melo, disseram que também sonham com medalha nas Olimpíadas. “Os Jogos são nosso grande objetivo nesta temporada, queremos chegar bem e vamos nos preparar da melhor maneira para isso”, disse Farah.

Campeões da edição 2016 do Rio Open:

Simples masculino – Pablo Cuevas (URU) venceu Guido Pella (ARG) por 6/4, 6/7 (5) e 6/4

Simples feminino- Francesca Schiavone (ITA) venceu Shelby Rogers (EUA) por 2/6, 6/2 e 6/2

Duplas masculina- Juan Sebastian Cabal/Robert Farah (COL) venceu Pablo Carreno Busta/David Marrero por 7/6 (5) e 6/1

Duplas feminina – Veronica Cepede Royg (PAR)/María Irigoyen (ARG) venceu Tara Moore (GBR)/Conny Perrin (SUI) por 6/1 e 7/6 (5)

de 20 a 26 de fevereiro

Números da 3ª edição do maior torneio de tênis da América do Sul

A terceira edição do Rio Open terminou neste domingo e comprovou o progresso do torneio ao trazer grandes nomes do circuito mundial de tênis, além de despertar um interesse cada vez maior do público e dos patrocinadores. O maior torneio de tênis da América do Sul levou cerca de 45 mil pessoas ao Jockey Club Brasileiro, na Gávea, Zona Sul da Cidade Maravilhosa. O público que prestigiou o evento, que já faz parte do calendário esportivo do Rio, vibrou com 92 partidas disputadas em nove quadras de saibro, entre 94 atletas de 31 países.

De acordo com Luiz Carvalho, diretor do torneio, o resultado do Rio Open 2016 foi muito positivo. “Estamos satisfeitos com a terceira edição do torneio, a começar pelos jogadores que trouxemos. Na chave masculina, tivemos oito atletas entre os 30 melhores. Na feminina, foi a melhor final do Rio Open até agora. Uma atleta jovem contra uma veterana que está tentando voltar ao circuito, um jogo bem interessante”, diz Lui, já pensando na edição de 2017.

“Nosso foco é melhorar a cada ano e estamos fazendo isso desde a primeira edição, atraindo novos jogadores, melhorando o Leblon Boulevard, a infraestrutura e trazendo novas opções de alimentação. Sempre com o pensamento de deixar o evento mais completo, para o público, jogadores, patrocinadores, imprensa”, completa.

O Rio Open apresentado pela Claro é único torneio na América do Sul a reunir simultaneamente uma etapa do ATP World Tour 500 e do WTA International, sendo o primeiro ATP World Tour 500 da história do Brasil.

Confira alguns números do Rio Open 2016

Quadras de saibro: 9 (sendo uma a Quadra Central)

Capacidade da Quadra Central: 6.200 pessoas

Atletas (Rio Open): 94 atletas (49 homens e 45 mulheres)

Nacionalidades dos atletas: 31 países
Brasil, Croácia, Espanha, Nova Zelândia, Suécia, Estados Unidos, Holanda, Argentina, Bulgária, Colômbia, França, Itália, Alemanha, Eslováquia, Suíça, Romênia, Paraguai, Israel, Japão, Ucrânia, França, Uruguai, Reino Unido, Colômbia, Portugal, Áustria, Sérvia, Chile, Principado de Liechtenstein, Romênia, Montenegro.

Partidas disputadas: 92 (31 simples masculina, 31 simples feminina, 15 duplas masculinas, 15 duplas femininas)

Profissionais envolvidos no evento (organização, produção, freelas, segurança, limpeza, orientadores, entre outros): Aproximadamente 2.300 pessoas

Membros da ATP e WTA: 20

Juízes de linha: 67

Juízes de cadeira: 13

Árbitro geral: 1

Assistente de arbitragem: 1

Chefe de juízes: 1

Visitantes/Público: 45 mil pessoas

Boleiros: 74

Chefe de boleiros: 1

Raquetes encordoadas: 627 (aproximadamente 8 km de corda)

Quadristas (responsáveis pela manutenção das quadras durante os jogos): 24

Chefe de quadristas: 1

Bolas usadas: 9.360 (jogos e treinos)

Treinos marcados: aproximadamente 500

Água consumida (em garrafas): 23.328

Gatorade em garrafas (atletas): 600 garrafas

Bananas consumida pelos atletas (de 12/2 a 21/2): 200 kg

Jornalistas credenciados: mais de 300

Patrocinadores: 37 + 4 media partners

Transmissão para quantos países: 182 países

Premiação ATP: US$ 1.353.205

Premiação WTA: US$ 250.000

Foto: Fotojump

Cuevas vence Nadal de virada e disputa o título do Rio Open com Guido Pella

Cuevas peqO uruguaio Pablo Cuevas conseguiu a revanche contra o espanhol Rafael Nadal e está na final do Rio Open apresentado pela Claro. O número 45 do ranking mundial, eliminado pelo espanhol nas quartas de final do torneio no ano passado, venceu o dono de 14 Grand Slams, na noite deste sábado, de virada, por 2 sets a 1, com parciais de 6/7 (6), 7/6 (3) e 6/4, e enfrentará na decisão o argentino Guido Pella, neste domingo, às 18h30, na quadra Guga Kuerten.

Pella chegou à decisão com a vitória sobre o austríaco Dominic Thiem, cabeça de chave número 5 do torneio, por 6/1 e 6/4. Thiem, um dos novos nomes do tênis mundial, vinha de uma sequência de oito vitórias seguidas, após o título em Buenos Aires, na semana passada.

Aos 30 anos, Cuevas já foi o 21º do ranking mundial e soma três títulos na carreira. Foi a primeira vitória do uruguaio sobre o espanhol, dono de 67 títulos na carreira, sendo 47 deles no saibro. O uruguaio, que havia perdido em duas oportunidades de Nadal, impediu que o número 5 do mundo alcançasse no Rio sua centésima final da carreira.

A partida deste sábado durou 3h28. Assim como nas quartas de final do torneio de 2015, o uruguaio deu trabalho para o espanhol, apostando nas longas trocas de bola, sem desistir nunca. O primeiro set foi decidido no tie-break, e Nadal fechou só na terceira tentativa. O lutador Cuevas seguiu firme, abriu 5 a 2 no segundo set, viu o espanhol crescer e empatar em 5 a 5. Mais uma vez a decisão foi para o tie-break. Cuevas saiu em vantagem e se manteve à frente para fechar por 7/3.

No set decisivo, Nadal abriu 3 games a 2, teve duas chances de quebrar o saque de Cuevas, mas não conseguiu. Na sequência, foi a vez de o uruguaio bater o serviço de Nadal e abrir 4 a 3. Lutando muito, se manteve à frente e fechou a partida com um ace, fazendo 6/4.

“Foi a melhor vitória da minha carreira, contra o melhor jogador da história do saibro”, comemorou Cuevas. “Foi um jogo longo, acho que meu mérito foi não perder a confiança em nenhum momento, mesmo quando ele esteve à frente”.

Nadal lamentou perder outra semifinal – aconteceu o mesmo na semana passada, em Buenos Aires. “Cuevas é um jogador perigoso, fez uma boa partida, sacou muito bem. Acho que joguei bem, lutei até o final, mas faltou tranquilidade e confiança nos momentos importantes. Queria o título, mas tenho que aceitar e continuar trabalhando”. Foi a 60ª semifinal de Nadal no saibro, e apenas pela quinta vez ele foi derrotado.

Pella passa por favorito Thiem e disputa primeira final da carreira

Pella também está surpreendendo no Rio Open. Além de Thiem, o canhoto de 25 anos, atual 71º do mundo, também deixou para trás o norte-americano John Isner, na primeira rodada. “O começo do jogo foi difícil, estava nervoso e o vento deixou a partida complicada. Como cresci num lugar onde ventava muito (Baía Blanca), e tinha que treinar nessas condições, soube lidar melhor com a situação. Thiem também estava cansado pela sequência de jogos que vinha fazendo”, disse Pella, que no ano passado foi eliminado na primeira rodada do Rio Open.

O argentino, que vai ficar próximo dos Top 40 com a chegada à final, ficou bem emocionado com a vitória e lembrou uma fase difícil que passou em 2014. “Estava desanimado, insatisfeito com a vida nas quadras. Decidi parar de jogar e ver como seria minha vida longe do tênis, como uma pessoa normal. Meu pai tem uma quadra e fiquei ajudando. Três meses e meio depois, vi que aquela vida não estava me agradando e resolvi voltar a jogar. Chegar a essa final me deixou muito feliz, é a realização de um sonho, um prêmio por meu esforço de anos”, contou o jogador.

O argentino entrou muito bem na partida contra o mais jovem jogador entre os top 20 – Thiem, de 22 anos, é o 19º do mundo com quatro títulos – , e contou também com erros do austríaco. Thiem não repetiu a boa atuação que teve contra Ferrer, um dia antes. Depois de Pella fechar o primeiro set por 6 a 1, quando estava 1 a 1 no segundo, a chuva interrompeu a partida por uma hora. Na volta, Thiem deu uma equilibrada, mas continuou cometendo erros, principalmente com o seu backhand. Pella abriu 5 a 4 com Thiem no saque. O austríaco cometeu três erros e com uma dupla falta viu o argentino comemorar a passagem para final.

“Eu estava cansado, foi um longo dia ontem (jogou simples e duplas), mas estou feliz pela semana que tive aqui. As condições de jogo estavam difíceis para os dois e acho que ele soube lidar melhor. De qualquer maneira, só tenho boas recordações para levar daqui e quero voltar no ano que vem”, disse Thiem.

Sobre a final com Nadal, Pella não escondeu que gostaria de jogar com Cuevas. “Preferia enfrentar Cuevas, ele é um jogador que respeito muito, que ganhou títulos de ATP, mas Nadal ganhou muitas coisas, tem 14 títulos de Grand Slams, tem uma experiência enorme em decisões. Ele é favorito, mas cheguei na final, então quero aproveitar essa semana incrível e lutar pelo título”.

Foto: Fotojump