Nadal, Thiem e Khachanov passam pela estreia em RG. Medvedev e Auger-Aliassime são eliminados

A terça-feira foi movimentada na chave masculina de Roland Garros, disputado no saibro de Paris, na França, em uma edição bem modificada, não apenas em virtude da Codid-19, mas também da presença de um teto retrátil na quadra Philippe Chartrier.

A principal surpresa do dia, que nem foi tanta assim, pelo histórico, foi a eliminação do russo Daniil Medvedev, cabeça de chave nº 4, que perdeu para o húngaro Marton Fucsovics por 3×1, sendo a sua 4ª eliminação em primeira rodada de Roland Garros nos últimos 4 anos.

Outra surpresa foi a vitória de Yoshihito Nishioka sobre o Felix Auger-Aliassime, principalmente pela forma que foi, por 3×0.

Dominic Thiem e Karen Khachanov não tiveram problemas e superaram em sets diretos Marin Cilic e Kamil Majchrzak, respectivamente, assim como Rafael Nadal, favorito ao título, que bateu o bielorrusso Egor Gerasimov.

A terça-feira vai marcar a estreia de Novak Djokovic, que tem todo o favoritismo diante do sueco Mikael Ymer. Também é o dia da estreia de Thiago Monteiro, que joga contra o georgiano Nikoloz Basilashvilli.

Stefanos Tsitsipas também é favorito diante do bom espanhol Jaume Munar, enquanto o italiano Matteo Berrettini enfrenta o canadense Vasek Pospsil

 

 

Thiem sai atrás, busca a virada sobre Zverev em 5 sets e é campeão do US Open

Dominic Thiem bateu Alexander Zverev e conquistou neste domingo o título do US Open, Grand Slam disputado no piso duro de Nova York e, neste ano, sem a presença do público.

A final começou de uma forma pouco esperada pela maioria do público e, talvez, até pelos poucos jogadores envolvidos.

Vindo de uma semana acima do nível, o austríaco Dominic Thiem não se encontrou na primeira parcial, viu Alexander Zverev conseguir duas quebras de saque e fechar por 6/2.

O ritmo se manteve na parcial seguinte, com o alemão aproveitando melhor os momentos decisivos e fechando por 6/4, abrindo dois sets a zero. O título foi ficando ainda mais perto, principalmente com a quebra de saque obtida no 3º set, mas o austríaco se manteve no jogo. Em um game longo, devolveu a quebra, e com Zverev sacando pressionado, anotou 6/4.

Thiem levou pro 5º set depois de fechar a 4ª parcial por 6/3 e começou muito bem o 5º, quebrando o saque do adversário. Porém, com uma dupla falta, possibilitou a devolução da quebra.

Depois disso, o que se viu foi um Zverev muito lutador, que não tinha os golpes mais potentes, mas tinha muita vontade e mental pra ganhar os pontos importantes dos games, checando a sacar pro título em 5/3.

Thiem não desistiu. Devolveu a quebra e teve o saque em 6/5. Também não aproveitou. O nervosimo era grande dos dois lados, já que a chance do maior título da carreira de ambos se aproximava. E ao mesmo tempo se distanciava. No fim, nada mais justo que um tiebreak pra decidir. E deu Thiem. No terceito match-point, vitória na parcial por 7/6(6). Enfim, essa geração rompe e venceu seu primeiro Grand Slam.

Em dia de eliminação de Murray, Thiem, Medvedev e Berretini garantem vaga na 3ª rodada do US Open

Em um dia marcado pela chuva, o US Open teve nesta quinta-feira o seu 4º dia de jogos, com vitórias dos principais favoritos e uma esperada eliminação de Andy Murray na segunda rodada.

O britânico não fez frente ao jovem canadense Felix Auger-Aliassime, sendo superado na 2ª rodada por 3×0.

O italiano Matteo Berretini só teve trabalho no tiebreak do 3º set diante do francês Ugo Humbert, vencendo por 3×0, assim como o russo Daniil Medvedev, que passou pelo australiano Cristopher O’Connell.

O cabeça 2 Dominic Thiem também garantiu sua vaga na 3ª rodada ao bater o indiano Sumit Nagal por 3×0 e o croata Marin Cilic precisou de 4 parciais pra bater o eslovaco Norbert Gombos.

No duelo de sacadores canadenses, melhor pra Vasek Pospsil, que superou Milos Raonic por 3×1.

A terceira rodada começa nesta quinta-feira, com destaque para Stefanos Tsitsipas encarando o croata Borna Coric, além do nº 1 do mundo Novak Djokovic, que encara o alemão Jan-Leonnard Struff.

Djokovic e Thiem, principais favoritos, conhecem primeiros adversários no US Open

Saiu nesta quinta-feira a chave do US Open, Grand Slam disputado no piso duro da cidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos, que neste ano terá uma dinâmica diferente em virtude da pandemia do novo coronavírus.

O nº 1 do mundo, Novak Djokovic, terá pela frente o bósnio Damir Dzumhur. Será o terceiro confronto entre eles e o sérvio venceu os dois anteriores.

Com a ausência de Rafael Nadal, Dominic Thiem será o cabeça de chave nº 2 e terá como primeiro adversário o espanhol Jaume Munar. Os dois já se enfrentaram três vezes, com três vitórias de Thiem.

O russo Daniil Medvedev, 3º favorito da chave, encara o argentino Federico Delbonis, enquanto Stefanos Tsitsipas joga contra o espanhol Albert Ramos Vinolas.

Vale destacar também o bom confronto de Alexander Zverev diante do sul-africano Kevin Anderson, além da partida do italiano Matteo Berrettini enfrenta o japonês Go Soeda.

Outro jogo interessante será entre o belga David Goffin, cabeça 7, e o norte-americano Reilly Opelka. Pra fechar os principais favoritos da chave, Roberto Bautista Agut terá pela frente o norte-americano Tennys Sandgren.

Coric e Thiem vencem e buscam vaga na semifinal do Rio Open nesta sexta

O austríaco Dominic Thiem e o croata Borna Coric tiveram trabalho, mas venceram seus jogos nesta quinta-feira e estão nas quartas de final do Rio Open apresentado pela Claro. O número 4 do ranking mundial derrotou o espanhol Jaume Munar, de virada, por 6/7 (5), 6/3 e 6/4, em 2h41. Já Coric, um dos destaques da nova geração, eliminou o brasileiro Thiago Wild por 6/3, 1/6, 7/6 (5), em 2h19. Os dois voltam a jogar nesta sexta, pelas quartas de final. Thiem enfrentará o italiano Gianluca Mager, no terceiro jogo da quadra central. Coric pega outro italiano, Lorenzo Sonego, no segundo jogo da rodada, que começa às 15h, com a partida entre o chileno Cristian Garin e o argentino Federico Coria. Os ingressos do Rio Open podem ser adquiridos no site www.tudus.com.br/rioopen. Restam poucas unidades.

O público que vier ao Rio Open nesta sexta terá boa oferta de música dentro e fora das quadras. A recepção ficará por conta do duo Digga Digga Duo, com um resgate de canções das décadas de 20 e 30. A quadra central irá receber o saxofonista Rodrigo Sha nos intervalos das partidas, além de participações fora de quadra.

Thiem, vice-campeão do Australian Open em janeiro e campeão no Rio em 2017, tinha duas vitórias sobre Munar, que treina na academia de Rafael Nadal. Mesmo com o bom retrospecto encontrou dificuldades para superar o rival. “Jaume fez uma boa partida e não me deu pontos de graça. Não estou na mesma forma que estava na Austrália, o que é normal. Não jogava no saibro desde agosto passado. O que importa é que ganhei, e que lutei do primeiro ao último ponto”, disse o jogador, que está perto de ultrapassar o suíço Roger Federer no ranking mundial.

Será a primeira vez que Thiem enfrentará o adversário desta sexta, o italiano Mager, que venceu o português João Domingues por 6/3 e 7/6 (5). “A campanha aqui no Rio está sendo um sonho para mim. Não joguei bem na semana passada, mas cheguei no Rio e estou jogando o melhor tênis da minha vida”, disse Mager. “Enfrentar o Thiem será a realização de um sonho, vou aproveitar ao máximo essa oportunidade”.

Coric elimina Wild no tiebreak do terceiro set

Na partida entre Coric e Wild, o croata venceu o primeiro set, viu o brasileiro empatar e ganhou a partida no tiebreak. Foi a vitória de número 50 da carreira dele no piso de saibro em torneios ATP. “Sabia que seria difícil, que ele teria toda torcida a seu favor. Mesmo sem ainda ter jogado contra ele, assisti sua estreia e esperava por dificuldades”, disse o tenista de 23 anos, ex-número 12 do ranking e que disputa o Rio Open pela primeira vez.

O próximo adversário de Coric, o italiano Sonego, eliminou o sérvio Dusan Lajovic, cabeça de chave número 2, por 7/6 (5) e 7/6 (5). Sonego, de 25 anos e atual número 52 do mundo, disputa sua primeira quartas de final de um ATP 500. O italiano tem um título na carreira, em Antalya 2019. “Coric é um ótimo jogador, tem vitória sobre Federer, tenho que tentar fazer o meu melhor em quadra”, disse Sonego, que quando chegou no Rio vinha de uma sequência de 11 derrotas.

Convidado pela organização para jogar a chave principal, Wild saiu contente por ter alcançando a segunda rodada. “Foi uma boa partida, tive minhas chances, mas não aproveitei. De qualquer maneira saio daqui vendo o lado positivo da minha participação. Acho que estou mais maduro, que meu jogo evoluiu, e tive uma melhora na parte física bem grande”, disse o jogador de 19 anos, que fez o jogo mais longo da história do Rio Open, com 3h50, na estreia contra o espanhol Alejandro Davidovich Fokina.

Foto: Fotojump

Meligeni joga bem, vence um set, mas Thiem estreia com vitória no Rio Open. Monteiro bate Pella de virada

O austríaco Dominic Thiem teve trabalho, mas confirmou o favoritismo e estreou com vitória sobre o brasileiro Felipe Meligeni no Rio Open apresentado pela Claro, por 2 sets a 1, com parciais de 6/2, 4/6 e 6/1, nesta terça-feira. O próximo adversário do número 4 do mundo será o espanhol Jaume Munar, que passou pelo  italiano Salvatore Caruso por 7/5 e 6/4. O Brasil garantiu mais um tenista na segunda rodada com a vitória de Thiago Monteiro sobre o argentino Guido Pella, de virada, por 5/7, 6/4 e 7/6 (3). Nesta quarta, às 19h, na quadra central, ele enfrentará o húngaro Attila Balazs, que eliminou o uruguaio Pablo Cuevas por 6/4 e 6/3. Os ingressos do Rio Open podem ser adquiridos no site www.tudus.com.br/rioopen. Restam poucas unidades.

Quem também começou o torneio com vitória foi o croata Borna Coric. Pela primeira vez na disputa do ATP 500 do Rio, um dos grandes nomes da nova geração eliminou o argentino Juan Ignacio Londero por 7/6 (5) e 7/5. Valendo vaga nas quartas de final, enfrentará o brasileiro Thiago Wild, em data a ser definida.

Com a quadra central cheia – os ingressos da sessão noturna se esgotaram -, Thiem dominou o primeiro set contra Meligeni, de 21 anos, que recebeu convite da organização. Na segunda parcial, o austríaco recebeu atendimento no joelho esquerdo duas vezes, e viu o brasileiro empatar. No set decisivo, valeu mais a experiência de Thiem.  “Fiquei feliz com a vitória, joguei bem no primeiro e no terceiro sets, e ele fez um segundo set incrível. A atmosfera na quadra estava demais, com a arquibancada cheia, normal que a torcida estivesse do lado dele, mas também sinto que tenho uma relação especial com o público brasileiro desde que venci aqui (em 2017)”, disse Thiem, que contou sobre as dores no joelho. “Bati o joelho numa porta quando cheguei no Jockey. Na hora não me incomodou, mas durante a partida comecei a sentir dores e fiquei preocupado. Depois do atendimento melhorou”.

Mesmo com a derrota, Meligeni saiu satisfeito com a experiência que viveu no Rio Open. “Estava nervoso antes da partida, mas deixei tudo em quadra, ganhei um set do número 4 do mundo, tive o apoio da torcida, vivi momentos maravilhosos”, disse.

Monteiro também saiu de quadra feliz após a vitória de virada sobre Pella, com direito a tiebreak no terceiro set. “Foi um jogo nervoso, cada um tentando uma estratégia, mas estou contente por ter sido superior no tiebreak e vencer essa estreia difícil para seguir no torneio”, disse o tenista número um do Brasil, que também jogará duplas nesta quarta. Ele e Meligeni enfrentaram os belgas Sander Gille e Joran Vliegen.

Thiago Wild levanta a torcida com vitória em jogo mais longo do Rio Open

O Brasil garantiu um representante na segunda rodada do Rio Open apresentado pela Claro. Em jogo emocionante na quadra central, na noite desta segunda-feira, Thiago Wild salvou três match points para vencer o espanhol Alejandro Davidovich Fokina, de virada, por 5/7, 7/6 (3) e 7/5, em 3h50, no jogo mais longo da história do torneio. Foi a primeira vitória do brasileiro de 19 anos em um torneio ATP 500. Ele comemorou com a torcida, que encheu as arquibancadas, em uma partida que teve clima quente.

O Rio Open segue nesta terça, com a esperada estreia do favorito ao título, o austríaco Dominic Thiem, contra o brasileiro Felipe Meligeni, às 19h, na quadra Guga Kuerten. A torcida brasileira também verá a estreia do tenista da casa Thiago Monteiro, que pega o argentino Guido Pella, após a partida de Thiem. Pela chave de duplas, Marcelo Melo e seu parceiro, o polonês Lukasz Kubot, estreiam contra o uruguaio Pablo Cuevas e o espanhol Fernando Verdasco, no último jogo da quadra 1. Os ingressos podem ser adquiridos no site www.tudus.com.br/rioopen. Restam poucas unidades.

Na partida de Wild, depois de perder o primeiro set, o brasileiro viu o rival ter três match points no segundo. O paranaense se recuperou e levou a série para o tiebreak. Fokina ficou nervoso com o barulho da  torcida, reclamou com o juiz, e Wild acabou levando por 7 a 3. No set decisivo, o jogo continuou equilibrado, com quebras dos dois lados, mas Wild foi firme para fechar no saque do espanhol. O antigo recorde de partida mais longa no torneio era do ano passado: 3h19, no jogo entre o espanhol Jaume Munar contra o britânico Cameron Norrie.

“Foi minha maior vitória da carreira, por ser em um ATP 500, fiquei muito feliz e vou levar para meus próximos dias de trabalho. Independentemente do que acontecer na próxima rodada, é algo que ficará guardado, que me mostrou que estou no caminho certo”, disse o 206º do ranking.

Na próxima rodada, Wild, que recebeu convite da organização, enfrentará o vencedor da partida entre o croata Borna Coric e o argentino Juan Ignacio Londero, que jogam nesta terça, na abertura da quadra central, às 16h30.

Thiem é atração principal nesta terça-feira

Grande atração da sétima edição do maior torneio de tênis da América do Sul, Thiem fará seu retorno às quadras após o vice-campeonato do Australian Open. Uma boa campanha no ATP 500 do Rio pode levá-lo a ultrapassar o suíço Roger Federer no ranking mundial. Thiem, duas vezes vice em Roland Garros, é o quatro colocado na lista e joga no piso onde obteve suas maiores conquistas.  “É um grande objetivo e, se for bem aqui, vai me ajudar a ir atrás do terceiro lugar no ranking”, disse o jogador de 26 anos. Meligeni, adversário da estreia, recebeu convite da organização.

Dominic Thiem chega animado no Rio Open em busca de conquistas maiores na carreira

O campeão do Rio Open 2017, o austríaco Dominic Thiem, chega para sua quinta participação no maior torneio de tênis da América do Sul animado. Vice-campeão do Australian Open, em janeiro, o número 4 do mundo pode sair do Rio na terceira colocação, desbancando o suíço Roger Federer. A chave principal do Rio Open começa na segunda-feira, no Jockey Club Brasileiro. Os ingressos podem ser adquiridos no site www.tudus.com.br/rioopen com preços a partir de R$ 30.

Com três vice-campeonatos em Grand Slams – além do AUS Open, perdeu a final de Roland Garros duas vezes para Nadal – Thiem acredita que pode cada vez mais se aproximar dos tops Djokovic, Nadal e Federer. “É um grande objetivo e, se for bem aqui, vai me ajudar a ir atrás do terceiro lugar no ranking”, disse o jogador de 26 anos.

Acostumado com o torneio e ambientado na cidade, Thiem espera ter uma boa semana no Jockey. “Adoro jogar aqui, a energia da cidade é especial, e tem muito a oferecer. Gosto muito da América no Sul e é a única semana que venho ao Brasil no ano. Saibro é o piso que mais gosto, me sinto como se estivesse em casa”, disse o jogador,  que visitou o Arpoador no final da tarde de sexta, na hora do pôr do sol. “Acho bonito as praias daqui, por ficarem próximas dos prédios, da cidade o que não é muito comum na Europa”.

O austríaco caiu na primeira rodada do Rio Open no ano passado. Nesse período fez mudanças na sua equipe. Trouxe o ex-jogador chileno Nicolas Massu para ser seu treinador, e terminou a temporada com cinco títulos. “Foi uma grande mudança e foi acertada. Massu trouxe coisas novas para meu jogo, me deixando mais agressivo, mas também tendo liberdade para definir algumas jogadas em quadra”.

Além de Thiem, o croata Borna Coric, um dos grandes nomes da nova geração da ATP, também concedeu entrevista coletiva. Aos 23 anos, Coric já foi o 12º do ranking, em 2018, mas sofreu com uma série de lesões nos últimos anos. Atual 31º, espera fazer uma boa campanha em sua primeira participação no Rio Open. “Estou adorando a cidade, viver essa nova experiência no circuito. Me programei para jogar aqui desde outubro. Não gosto de jogar indoor e optei pelo saibro, no Rio. Não joguei tão bem nos últimos torneios, por isso chego aqui sem expectativas. Quero pensar jogo a jogo e tentar fazer o melhor”, disse.

Schwartzman sente lesão e desiste do Rio Open

O argentino Diego Schwartzman sofreu uma lesão na perna esquerda, em sua partida no ATP de Buenos Aires, na noite de sexta-feira, e precisou desistir do Rio Open.

O sorteio da chave principal será realizado neste sábado às 18h.

Djokovic vai ao 5º set pra bater Thiem, conquista o octa em Melbourne, seu 17º Slam, e coroa retorno ao topo do ranking

Dominic Thiem ensaiou, ficou relativamente, mas não foi neste domingo que ele conquistou seu primeiro título de Grand Slam, em Melbourne.

Novak Djokovic, mais uma vez, ratificou sua sede implacável de aproveitar oportunidades e conquistou seu oitavo título do Australian Open, em incríveis oito finais disputadas. Aproveitamento absurdo de 100%.

Depois de começar a todo vapor a partida, o sérvio viu Thiem dar mostras, ainda no primeiro set, que não seria uma facilidade, ao sair de 1/4 pra 4/4. Depois, com uma dupla falta, Thiem entregou o set.

Porém, não se deu por vencido. Elevou seu nível, viu o sérvio errar mais do que de costume, sacar menos e, com isso, o jogo virou. Literalmente. No quarto set, um game mal jogado de Thiem foi suficiente pra decisão ir ao 5º.

Na parcial decisiva, Djokovic começou melhor mais uma vez, abriu 2/0 e viu o adversário perder chances de devolver a quebra, especialmente no 4º game, quando viu uma bola flutuando na sua direita acertar em cheio no meio da rede, em um break point. Depois disso, Djokovic dominou e fechou a partida com parciais de 6/4 4/6 2/6 6/3 e 6/4.

Com o triunfo, o sérvio chegou ao seu 17º título de Grand Slam. Além dos 8 em Melbourne, foram 5 em Wimbledon, 3 no US Open e 1 em Roland Garros.

Além disso, ele volta ao topo do ranking da ATP, ultrapassando Rafael Nadal. O espanhol tem 19 títulos de Grand Slam. Federer, 20. O sérvio está cada vez mais perto.

 

Djokovic busca o octa do Australian Open, enquanto Thiem quer seu primeiro título de Grand Slam

Está definida a grande final masculina do Australian Open, primeiro Grand Slam da temporada, disputado no piso duro de Melbourne.

O primeiro a se garantir na grande decisão deste domingo foi Novak Djokovic, que viu Roger Federer fora das suas condições físicas ideais, mas que endureceu o jogo, especialmente o primeiro set, quando chegou a sacar pra fechar.

Depois disso, o sérvio elevou seu nível, principalmente nas trocas de bola do fundo de quadra, virou o set, o que parece ter sido decisivo e venceu por por 7/6(1) 6/4 e 6/3.

Djokovic chega a final com apenas um set perdido, logo na primeira rodada, diante do alemão Jan-Lennard Struff.

Seu adversário no domingo será o austríaco Dominic Thiem, que fez uma grande partida e virou sobre o Alexander Zverev por 3/6 6/4 7/6(3) e 7/6(4).

Será a primeira final de Grand Slam do austríaco, que já foi vice-campeão de Roland Garros nos últimos dois anos.

Thiem e Djokovic já se enfrentaram 11 vezes, com 7 vitórias do sérvio. Em Grand Slam, foram três confrontos, todos em Roland Garros, com duas vitórias de Thiem. No confronto mais recente entre eles, mais uma vitória do austríaco, no ATP Finals do ano passado.