Em dia de eliminação de Murray, Thiem, Medvedev e Berretini garantem vaga na 3ª rodada do US Open

Em um dia marcado pela chuva, o US Open teve nesta quinta-feira o seu 4º dia de jogos, com vitórias dos principais favoritos e uma esperada eliminação de Andy Murray na segunda rodada.

O britânico não fez frente ao jovem canadense Felix Auger-Aliassime, sendo superado na 2ª rodada por 3×0.

O italiano Matteo Berretini só teve trabalho no tiebreak do 3º set diante do francês Ugo Humbert, vencendo por 3×0, assim como o russo Daniil Medvedev, que passou pelo australiano Cristopher O’Connell.

O cabeça 2 Dominic Thiem também garantiu sua vaga na 3ª rodada ao bater o indiano Sumit Nagal por 3×0 e o croata Marin Cilic precisou de 4 parciais pra bater o eslovaco Norbert Gombos.

No duelo de sacadores canadenses, melhor pra Vasek Pospsil, que superou Milos Raonic por 3×1.

A terceira rodada começa nesta quinta-feira, com destaque para Stefanos Tsitsipas encarando o croata Borna Coric, além do nº 1 do mundo Novak Djokovic, que encara o alemão Jan-Leonnard Struff.

Fognini vence Murray em batalha de mais de 3h de duração. Djokovic estreia nesta 4ª em Shangai

Em jogo com chances pros dois lados, Fabio Fognini levou a melhor sobre Andy Murray e superou o britânico na segunda rodada do Masters 1000 de Shangai, na China, que é disputado no piso duro.

O italiano e o britânico protagonizaram um jogo longo, com bons lances e um placar apertado, decidido apenas no tiebreak do 3º set, depois de Murray chegar a sacar pra fechar o jogo.

Agora, Fognini aguarda o vencedor da partida entre o norte-americano Taylor Fritz e o russo Karen Khachanov.

Roger Federer teve trabalho apenas no segundo set, mas superou o espanhol Albert Ramos por 6/2 e 7/6(5), enquanto Daniil Medvedev, em grande fase, anotou 6/3 e 6/1 sobre o croata Borna Coric.

A quarta-feira terá a estreia de Novak Djokovic, que joga já na segunda rodada diante do canadense Denis Shapovalov.

Depois da segunda vitória seguida em Pequim, Murray comemora descanso antes de jogo contra Thiem

Desde que voltou a jogar tênis, Andy Murray faz sua melhor semana ao chegar às quartas de final do ATP 500 de Pequim, na China, que é disputado no piso duro.

Na madrugada desta terça-feira, horário de Brasília, o britânico superou o compatriota Cameron Norrie, em uma dura partida que acabou com parciais de 7/6(6) 6/7(4) e 6/1, o que acabou deixando o ex-nº 1 do mundo bem cansado, como o próprio reconheceu.

“Estou cansado. Só dormi antes de vir (jogar). Estou muito cansado. É a primeira vez que faço isso desde que voltei…é algo que preciso me acostumar novamente, principalmente jogando nesse nível e nessa intensidade.”

Depois, Murray reconheceu a importância do dia de descanso que terá antes da partida diante do austríaco Dominic Thiem, na quinta-feira.

“É ótimo ter vencido a partida. Ganhando ou perdendo, fui capaz de de jogar no dia seguinte (da estreia), ser competitivo e jogar um bom tênis. Mas obviamente, estou feliz, amanhã tenho folga pra me recuperar.” concluiu.

Nadal atinge feito em Montreal com seu 35º Masters 1000. Volta de Murray é breve, sendo superado por Gasquet em Cincinnati

Muitos podem dizer que ele fez apenas seu papel, mas Rafael Nadal cumpriu com sua “obrigação” de uma forma como muita gente acaba não fazendo.

Era o principal favorito na chave do Masters 1000 de Montreal, não teve a concorrência de seus principais adversários e se impôs.

Enfrentou dificuldade diante do italiano Fabio Fognini, que chegou a levar um set nas quartas, arrumou um jeito de virar e deixou evidente a ainda juventude do jovem russo Daniil Medvedev na decisão, anotando um sonoro 6/3 e 6/0.

De quebra, conseguiu mais alguns feitos, ao levar pra casa seu 35º título de Masters 1000, fato que o fez desistir da chave do Masters 1000 de Cincinnati, nos Estados Unidos, que começou neste domingo.

Aliás, pela primeira vez o torneio nos EUA reuniria o Big Four desde o Australian Open do início do ano, quando Andy Murray chegou a se despedir das quadras, mas com retorno nesta semana. Na primeira rodada, no entanto, o britânico foi superado pelo francês Richard Gasquet.

Murray volta a jogar simples e enfrenta Gasquet na estreia em Cinicinnati

Foi sorteada nesta sexta-feira a chave principal do Masters 1000 de Cincinnati, nos Estados Unidos, que é disputado no piso duro, que terá a volta de Andy Murray às chaves de simples.

Depois da despedida no Australian Open deste ano, o britânico retornou às quadras primeiro em chaves de duplas e agora vai jogar novamente simples, em um torneio do qual ele é bicampeão, conquistando o título em 2008 e 2011.

Na primeira rodada, Murray terá pela frente o francês Richard Gasquet. Os dois já se enfrentaram 11 vezes, com 8 vitórias do britânico.

Dessa forma, o Big Four se reúne novamente, já que Novak Djokovic e Roger Federer, que não jogam em Montreal, também estão na chave, saindo de bye na primeira rodada e aguardando a definição dos primeiros adversários.

 

Bruno Soares e Melichar vencem Murray e Serena e avançam às quartas de Wimbledon

O tenista brasileiro Bruno Soares e a americana Nicole Melichar avançaram nesta quarta-feira às quartas de final de duplas mistas do torneio de Wimbledon com uma vitória diante da dupla mais falada do campeonato, a de Andy Murray e Serena Williams, por 6/3 4/6 6/2.

Apesar de já ter enfrentando Andy Murray anteriormente e de ter jogado ao lado de Serena Williams na IPTL, o brasileiro disse que foi uma quarta-feira especial:

“Na prática é um jogo bem diferente por causa da expectativa e dos rivais, apesar de ser uma oitavas de dupla mista que já jogamos várias vezes. Enfrentar a Serena e o Andy torna esse momento muito diferente e muito mais especial. Claro que tem uma pressão extra. Você sabe que o mundo todo está de olho, mas conseguimos administrar e jogar super bem. Independente da viória ou da derrota foi uma experiência especial. Toda vez que temos uma oportunidade de jogar com esses campeões do nosso esporte é algo diferente e especial. A atmosfera na quadra estava incrível e ter ganho foi a cereja do bolo. Tive um dia muito especial.”

Cabeças-de-chave 1 da chave de duplas mistas de Wimbledon, Bruno e Melichar voltam a jogar nesta quinta, contra o holandês Matwe Middelkoop e a chinesa Zhaouxuan Yang, valendo vaga na semifinal do Grand Slam.

Depois da derrota na estreia em Eastbourne, Melo destaca experiência de jogar com Andy Murray na Inglaterra

Melo

Foi uma experiência fenomenal ter jogado ao lado do Andy, especialmente aqui na Inglaterra. Então, fiquei muito feliz. Acho que consegui aproveitar o momento, de ter tido essa chance”. Assim o mineiro Marcelo Melo analisou a estreia desta terça-feira (25) no ATP 250 de Eastbourne, em dupla com o britânico Andy Murray, diante dos principais favoritos ao título, os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah, na grama da lotada quadra central do Devonshire Park. Em jogo válido pela primeira rodada, Cabal e Farah marcaram 2 sets a 0, parciais de 6/2 e 6/4, em 1h04min. Marcelo segue, agora, para Londres. Na capital inglesa, inicia a preparação ao lado do parceiro polonês Lukasz Kubot para Wimbledon, terceiro Grand Slam do ano, que será realizado entre os dia 1º e 14 de julho.

“Não deu para nós aqui. Enfrentamos a atual dupla número 1 do mundo. Eles vêm jogando muito bem. Sabíamos que era um jogo duro. Pudemos bater bola meia hora só antes de jogar o torneio. Mas, acho que foi uma coisa positiva. Mais um jogo competitivo para chegar bem em Wimbledon. Amanhã (quarta) estou indo para Londres, para iniciar a preparação de volta com o Kubot”, afirmou Melo.

A dupla Melo e Murray foi formada somente para a disputa deste torneio. Anteriormente, tinham jogado juntos uma vez, em dezembro de 2015, no International Premier Tennis League (IPTL), competição por times. Em uma semana de pausa da parceria Melo e Kubot, antes do início de Wimbledon, onde foram campeões em 2017, surgiu a oportunidade de se juntar a Murray em Eastbourne. Cabal e Farah conseguiram o break logo no primeiro game do jogo e, com mais uma quebra, no quinto game, fecharam o set inicial em 6/2. No segundo, os colombianos quebraram no terceiro game, 2/1, e administraram a vantagem para fazer 6/4 e avançar.
Foi o terceiro torneio de Marcelo na grama, preparatório para o Grand Slam – antes foi vice-campeão no ATP 500 de Halle e chegou até as quartas de final do ATP 250 de s-Hertogenbosch, ambos com Kubot. No ranking mundial individual de duplas da ATP, Melo é o quarto colocado, com 5.870 pontos. Kubot aparece em segundo, com 6.140. Na Corrida para Londres subiram duas posições nesta semana e estão em quarto lugar, com 2.295 pontos.

Marcelo Melo estreia nesta terça-feira no ATP 250 de Eastbourne, formando dupla com Andy Murray

O ATP 250 de Eastbourne, na Inglaterra, terá na rodada desta terça-feira (25), às 12h (horário de Brasília), o mineiro Marcelo Melo jogando em dupla com o britânico Andy Murray. A estreia será diante dos principais cabeças de chave do torneio, os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah, na quadra central do Devonshire Park. Após o ATP 250 de s-Hertogenbosch, na Holanda, e o ATP 500 de Halle, na Alemanha, ao lado do parceiro polonês Lukasz Kubot, surgiu a oportunidade de Marcelo disputar o terceiro torneio na grama, preparatório para Wimbledon, com Murray. Após a pausa desta semana, Melo e Kubot voltam a se reunir para o Grand Slam, que começa no dia 1º de julho, em Londres.

“Meu parceiro em Eastbourne esta semana será o Andy Murray. Estou muito feliz com a oportunidade de voltar a jogar com ele. A primeira vez que estivemos juntos foi na liga IPTL pelo Slammers”, afirma Melo.

Melo e Murray jogaram em dezembro de 2015, no International Premier Tennis League (IPTL), competição por times. O britânico voltou às quadras na semana passada, no ATP 500 de Queen’s, na Inglaterra, conquistando no domingo (23) o título de duplas, ao lado do espanhol Feliciano Lopez. Aos 32 anos, o ex-número 1 do mundo em simples não atuava desde janeiro, quando disputou o Aberto da Austrália e, depois, passou por duas cirurgias no quadril.

Esta semana, inicialmente, seria de intervalo tanto para Melo como para Kubot antes do terceiro Grand Slam do ano. No domingo, a dupla foi vice-campeã do ATP 500 de Halle. Em s-Hertogenbosch, chegou até as quartas de final. Melo e Kubot foram campeões em Wimbledon, em 2017, ano em que venceram também em s-Hertogenbosch (o primeiro título de Marcelo na grama) e em Halle. Em 2018, repetiram a conquista da Alemanha.

Marcelo Melo joga ao lado de Andy Murray no ATP 250 de Eastbourne na próxima semana

A preparação do mineiro Marcelo Melo na grama para a disputa da edição desta ano de Wimbledon ganhou mais um torneio, em que terá um parceiro diferente. A partir do dia 24, estará ao lado do britânico Andy Murray para a disputa do ATP 250 de Eastbourne, na Inglaterra. Nesta semana, com o polonês Lukasz Kubot, joga na Alemanha, no ATP 500 de Halle, em busca do tricampeonato. A estreia será nesta quarta-feira (19), por volta das 8h30 (horário de Brasília), diante dos holandeses Wesley Koolhof e Matwe Middelkoop. Depois da pausa em Eastbourne, dupla volta a se reunir para o Grand Slam, em Londres.

“A semana que vem seria de intervalo para nós, antes de Wimbledon, e então surgiu a oportunidade de disputar Eastbourne com o Andy Murray. Já tive o prazer de jogar com ele durante o IPTL e, agora, estaremos mais uma vez juntos”, afirma Marcelo, patrocinado por Centauro, BMG, Itambé e Taroii, com apoio da Volvo, Orfeu Cafés Especiais, VOSS e Confederação Brasileira de Tênis.

Marcelo e Murray jogaram em dezembro de 2015, no International Premier Tennis League (IPTL), competição por times. Murray está voltando às quadras nesta semana, no ATP 500 de Queen’s, na Inglaterra, ao lado do espanhol Feliciano Lopez. Aos 32 anos, o ex-número 1 do mundo em simples não jogava desde janeiro, quando disputou o Aberto da Austrália e, depois, passou por duas cirurgias no quadril. Agora, retorna às duplas e aguarda um convite para a chave de simples de Wimbledon.

Com muita emoção, Murray perde em Melbourne o que pode ter sido último jogo da carreira

Foi só o primeiro, mas um dia histórico no Australian Open, primeiro Grand Slam da temporada, disputado no piso duro de Melbourne.

Depois de anunciar ao longo da semana passada a chance de ser seu último torneio, devido à lesão no quadril, Andy Murray entrou em quadra na manhã desta segunda-feira, horário de Brasília, para um desafio contra o embalado Roberto Bautista-Agut.

O espanhol mostrou toda sua solidez nos dois primeiro sets e parecia que caminhava tranquilamente pra uma vitória em sets diretos, inclusive com quebra acima na 3ª parcial.

Porém, do outro lado não estava qualquer um. Mesmo visivelmente limitado e com dores, era um ex-nº 1 do mundo em quadra e, assim como em toda sua carreira, ele não desistiria facilmente.

Murray elevou seu nível, correu muito, usou sua habilidade, mostrou muita vontade de vencer e levou ao 5º set, depois de dois tiebreaks, mas não deu. No 5º set, Bautista-Agut voltou a aproveitar oportunidades e triunfou por 6/2.

No fim, muitos aplausos do público, que torceu pelo britânico durante toda partida e ainda acompanhou uma bonita homenagem do torneio a ele, com depoimentos de algumas das principais estrelas do tênis, como Roger Federer, Rafael Nadal e Novak Djokovic, que formam com ele o que ficou conhecido como Big Four.

Agora, fica a torcida por um pouco mais. Um torneio, um jogo que seja, com a provável despedida em Wimbledon, em casa.

Diante da grandiosidade de Murray e da conotação que a partida ganhou, os outros jogos do dia foram secundários, mas não sem importância. Destaque para os triunfos de Federer e Nadal, em sets diretos, sobre Istomin e Duckworth, respectivamente.

Cilic só enfrentou dificuldade em um tiebreak contra Tomic, mas também venceu por 3×0. A principal surpresa foi a eliminação de John Isner diante do compatriota e também sacador Reilly Opelka, em quatro tiebreaks.

Foto: Ben Solomon/Tennis Australia