Rogerinho, Teliana e Paula sobem no ranking. Bellucci, Monteiro, Soares e Melo perdem posições

MELBOURNE, AUSTRALIA - JANUARY 17: Rogerio Dutra Silva of Brazil plays a backhand during his first round match against Jared Donaldson of the USA on day two of the 2017 Australian Open at Melbourne Park on January 17, 2017 in Melbourne, Australia. (Photo by Darrian Traynor/Getty Images)

O novo ranking da ATP, primeiro depois do Australian Open, foi divulgado, com alterações entre os brasileiros presentes no top 100.

Thomaz Bellucci, melhor do país no ranking de simples, caiu cinco posições, passando do 62º para o 67º posto.

Thiago Monteiro também caiu, indo do 83º para o 86º lugar, enquanto Rogério Dutra Silva, o Rogerinho, ganhou 10 posições, já que fechava o top 100 e agora é o 90º.

O outro brasileiro entre os 200 primeiros é João Souza, o Feijão,  que saiu do 122º lugar para o 125º.

Nas duplas, quatro brasileiros estão no top 100. Bruno Soares, que era o nº 4, agora é o 7º da lista. Marcelo Melo era o 8º e passa a ser o 9º.

Marcelo Demoliner ganhou boas posições, indo do 64º para o 55º lugar, enquanto André Sá caiu duas posições e agora é o 57º do mundo.

No ranking de duplas, a única parceria com brasileiros no top 10 é de Marcelo Demoliner com o neozelandês Marcus Daniell, que fecha essa faixa do ranking. Soares e Jamie Murray formam a 18ª dupla do mundo e Melo e Lukasz Kubot são o 23º time do ranking da ATP.

No WTA, as três brasileiras presentes no top 200 também tiveram alterações. A nº 1 do país continua sendo Paula Gonçalves, que ganhou 8 postos e agora é a 160º do mundo.

Bia Haddad, que ainda não jogou em 2017, se recuperando de uma lesão, perdeu 5 lugares e agora está no 178º posto, enquanto Teliana Pereira é a 189º da WTA, o que significa que melhorou 7 posições em relação ao último ranking.

Depois de título em Monte Carlo e 23º Masters 1000, Djokovic abre vantagem na liderança do ranking da ATP

Djokovic - campeão - Monte Carlo peqSem dúvida, não houve facilidade, mas Novak Djkovic conseguiu neste domingo, com vitória por 7/5, 4/6 e 6/3 sobre Tomas Berdych na final do Masters 1000 de Monte Carlo, mais um grande feito na sua carreira.

O segundo título em Mônaco significou também o 23º de Masters 1000, igualando o número de Roger Federer e ficando atrás apenas de Rafael Nadal, que tem 27 troféus de torneios desta categoria.

Com um início de temporada avassalador, tendo conquistado os maiores títulos até o momento – Australian Open, Masters 1000 de Miami, Indian Wells e Monte Carlo – o sérvio se coloca de vez como um grande favorito ao título de Roland Garros, único Grand Slam que falta na sua coleção.

A vitória deixou o nº 1 do mundo cada vez mais líder, já que ele chegou aos 13.845 pontos, com Roger Federer ficando nos 8.385. Um incrível vantagem de 5460 pontos mostra um Djokovic cada vez mais dominante.

Djokovic é tri em Paris e praticamente garante o número 1 em 2014

Se Novak Djokovic nunca venceu Roland Garros, do outro lado da capital francesa, em Paris Bercy, ele conquistou neste domingo o tricampeonato do Masters 1000, no Palais Omnisport. Venceu Milos Raonic por 6/2 6/3, marcou a 600ª vitória da carreira e praticamente garantiu o posto de número um do mundo até o fim da temporada. Djokovic Bercy

Com o título, Djokovic, que recebeu o trofeu das mãos de David Luiz, não perdeu nenhum set na competição, abriu 1310 pontos de vantagem sobre Roger Federer. “A minha situação está melhor agora do que uma semana atrás,” disse o sérvio.

Foi o sexto título do novo papai em 2014. Há poucos dias nasceu o primeiro filho dele com a esposa Jelena, Stefan.

O próximo compromisso de Djokovic é junto aos outros sete melhores da temporada: Federer, Murray, Cilic, Wawrinka, Raonic, Berdych e Nishikori, no ATP Finals, em Londres, a partir de 09 de novembro.