Davidovich Fokina vence Ruud em jogo de mais de 4h e encara Delbonis nas oitavas de Roland Garros

A sexta-feira chuvosa em Paris teve um longo e dramático jogo, com dois jovens muito talentosos, que definiu uma vaga nas oitavas de final do segundo Grand Slam da temporada, disputado no saibro.

Casper Rudd e Alejandro Davidovich Fokina duelaram por mais de 4 horas e meia, dois tiebreaks e muitas chances dos dois lados, em partida que acabou com vitória do espanhol, com parciais de 7/6(3) 2/6 7/6(6) 0/6 e 7/5. Só no último game, foram 4 match points perdidos por Davidovich Fokina antes de concretizar sua classificação.

Seu adversário nas oitavas será o argentino Federico Delbonis, que conseguiu uma surpreendente vitória sobre o italiano Fabio Fognini. Não pelo resultado em si, mas pela forma. Rapidinho, com parciais de 6/4 6/1 e 6/3.

Alexander Zverev foi um dos favoritos em quadra nesta sexta, mas só teve mais trabalho no 2º set diante do sérvio Laslo Djere, conseguindo uma vitória por 6/2 7/5 e 6/2.

Bruno Soares e Jamie Murray avançam e estão nas oitavas de final de Roland Garros

Bruno Soares e Jamie Murray estão nas oitavas de final de Roland Garros. Cabeças de chave 7 do Grand Slam disputado no saibro, o mineiro e o britânico superaram a dupla do austríaco Oliver Marach e do paquistanês Aisam-ul-Haq Qureshi em sets diretos, com parciais de 7/5 6/1 e 1h29 de duração. A dupla aguarda os vencedores do duelo entre Krawietz/Tecau e Lu/Nishioka.

“Hoje fizemos uma grande atuação. Bem melhor e bem diferente da primeira rodada, jogamos muito mais confiantes e executamos as coisas melhor. Muito feliz mesmo. O primeiro set foi muito disputado, com chances para os dois lados. O 5/5 foi o momento mais importante, nós salvamos alguns break points e dali crescemos muito no jogo, ganhamos 8 dos últimos 9 games e matamos o jogo em dois sets”, contou o mineiro.

Atual vice-campeão do torneio, Bruno destacou a evolução da dupla. “Roland Garros é um torneio que sempre me traz boas memórias, principalmente a minha primeira final aqui, no ano passado. Claro, ainda temos um longo caminho pela frente, mas sinto que estamos evoluindo a cada jogo. Agora é jogo a jogo, precisamos seguir firmes”, finalizou o atual número 12 do ranking.

Disputando a sua 14ª edição em Roland Garros, Bruno vai em busca do título inédito. Ao todo, o brasileiro possui 34 títulos em sua carreira e vai em busca de um quarto troféu do nível Grand Slam nas duplas masculinas. Além do título no US Open em 2020 com Pavic, Bruno também foi campeão do Australian Open e do US Open em 2016, ambos com Jamie Murray.

Especial 20 anos do tri: Guga supera Alami e garante vaga nas oitavas de Roland Garros

Release enviado após a terceira partida do Guga na campanha do tricampeonato em Roland Garros, no dia 01 de junho de 2001.

Gustavo “Guga” Kuerten venceu uma verdadeira batalha em Roland Garros, nesta sexta-feira. Em uma partida emocionante, com duração de 3h11min, ele superou o marroquino Karim Alami, por 3 sets a 1, parciais de 6/3 6/7 (3) 7/6 (5) 6/2 e enfrenta, no domingo, Michael Russel, dos Estados Unidos.

Quando Guga entrou na quadra Suzanne Lenglen já passavam das 17h em Paris e, desde o início do jogo, com as arquibancadas praticamente lotadas a atmosfera era de uma grande partida. Guga começou bem o jogo, quebrando o saque de Alami no segundo game. No seguinte, perdeu o seu, mas fez outra quebra no 3/2 e no 5/3 sacou para o set, fechando a série com um ace.

No segundo set, fazendo um dos melhores jogos de sua carreira e chegando em todas as bolas que pareciam ser winners de Guga, Alami conseguiu igualar a partida. Sem quebras de serviço dos dois lados, a decisão do segundo set foi para o tie-break, que acabou vencido pelo marroquino.

Na terceira série, Guga e Alami perderam os seus serviços nos cinco primeiros games, deixando o marroquino, com seguidos momentos de inspiração, em vantagem na partida. Mas, depois de salvar três set point no 4/5, Guga devolveu a quebra, levou o set para o tie-break e, no segundo set point que teve, com uma bola para fora de Alami fez 2 sets a 1.

À frente no placar, Guga entrou firme no quarto set e já saiu quebrando o saque de Alami no primeiro game. O brasileiro, impondo o seu jogo, abriu 3/1 e no 4/2 conseguiu outra quebra de saque a seu favor, ficando com 5/2. Empolgado e no clima do jogo, Guga enriqueceu o espetáculo da quadra Suzanne Lenglen, ao fazer a ola também, duas vezes, antes de sacar para a vitória. Em um ponto muito disputado, em que a bola da Alami não passou da rede, o número um do mundo ergueu os braços e comemorou a vitória da garra e a sua 10a. consecutiva em Roland Garros.

“Ganhei esse jogo na luta e na garra. Comecei o primeiro set muito bem, mas no segundo ele conseguiu me tirar do meu plano de jogo e eu só consegui voltar ao meu melhor tênis depois que eu ganhei o tie-break,” disse Guga, que está com um recorde de 3 vitórias e 13 derrotas em tie-breaks nesta temporada. A última vez que ele havia vencido um tie-break foi na Copa Davis, no jogo contra Patrick Rafter.

“Acho até que foi no tie-break do terceiro set que eu consegui virar o jogo mesmo. Já no 4/5 quando eu salvei o set point, fiquei vivo no set e entrei no tie-break com a atitude certa, super concentrado e jogando da maneira correta. Não entrei derrotado, fui pensando ponto-a-ponto e isso foi muito importante. Na hora que eu mais precisei, voltei a ganhar um tie-break e isso ajuda muito. Cresce a minha confiança, a atitude e você sente um negócio a mais no seu chip, você sente que está pronto para outro. Da mesma maneira que eu venci inúmeros jogos seguidos no saibro, eu também vinha perdendo inúmeros tie-breaks e não é fácil sair de uma situação como essa,” explicou o número um do mundo, na entrevista coletiva após o seu jogo.

“O Alami é um cara difícil de jogar e estava fazendo a partida da vida dele. Ele é um cara que erra uma bola fácil e depois dá uma bola milagrosa. De certa maneira, foi um grande teste para mim e foi um jogo mais parecido com o que eu vou ter que encarar daqui pra frente e já deu para ver que se precisar, estou bem de físico.”

O técnico de Guga, Larri Passos, que vibrou a cada ponto com seu pupilo, também comemorou muito a quarta passagem de Guga às oitavas-de-final de Roland Garros. “Estou duplamente feliz com o Guga de hoje. Primeiro, porque o Guga mostrou que está bem de físico e segundo porque ganhou um tie-break.”

Bicampeão do torneio, tendo vencido em 1997 e 2000, e quadrifinalista em 1999, Guga (Banco do Brasil/Diadora/Head/Globo.com/Motorola) já garantiu 150 pontos no ranking mundial e 30 na Corrida dos Campeões. Se passar por Michael Russel (122o. colocado no ranking mundial e 136o. na Corrida dos Campeões), um jogador que veio do qualifying e a quem nunca enfrentou, ficará com 250 e 50, respectivamente.

Djokovic, Nadal e Federer buscam nesta 5ª feira vaga na 3ª rodada de Roland Garros

A quinta-feira em Roland Garros terá o complemento da segunda rodada e com muitas atrações e estrelas da chave masculina do segundo Grand Slam da temporada.

Começando pela quadra Philipp-Chatrier, a principal do torneio, na qual Roger Federer e Marin Cilic farão o segundo jogo da programação, reeditando encontro que já foi final de dois Slams.

Depois, no mesmo local, Rafael Nadal encara um velho conhecido, o francês Richard Gasquet, seu adversário em 18 oportunidades, com um retrospecto de 16 vitórias do espanhol.

Já na quadra Suzanne-Lenglen, Novak Djokovic é o favorito diante do uruguaio Pablo Cuevas. Curiosamente, mesmo em tanto tempo de circuito de ambos, será o primeiro confronto entre eles.

Para conferir a programação completa, clique aqui.

Especial 20 anos do tri: Guga vence mais uma e já está na terceira rodada de Roland Garros




Release enviado após a segunda partida do Guga na campanha do tricampeonato em Roland Garros, no dia 30 de maio de 2001.

Com outra boa vitória, nesta quarta-feira, Gustavo “Guga” Kuerten já está na terceira rodada do torneio de Roland Garros. Incentivado pela torcida, em outro dia de muito sol em Paris, ele derrotou o argentino Agustin Calleri, por triplo 6/4, em 2h03min de disputa e agora enfrenta, na sexta-feira, o marroquino Karim Alami, por uma vaga nas oitavas-de-final do torneio.

Líder do ranking mundial, Guga entrou na quadra central e logo recebeu os aplausos e o apoio do público, em sua maioria de crianças, que em dia de folga da escola participavam do Journée Des Enfants, gritando “Gugá, Gugá”, antes mesmo da partida começar. E a garotada ganhou incentivo para continuar gritando, logo que Guga quebrou o serviço de Calleri, no primeiro game do jogo. No 3/1 outra quebra a favor de Guga, que abriu 5/1 e sacou para o set no 5/2. No entanto, Guga deixou a oportunidade escapar e fechou a série em 6/4. No segundo set, Guga quebrou os serviços de Calleri no terceiro e no quinto game e novamente sacou para o set no 5/2, mas fechando com 6/4. Na terceira série, Guga não deixou a chance de encerrar a partida escapar e depois da quebra no 2/2 a seu favor, sacou para o jogo no 5/4, fazendo 6/4 e comemorando a sua nona vitória consecutiva em Roland Garros.

“Foi um jogo bem disputado, corrido, com bastante tempo de bola e deu para entrar um pouco mais em ritmo,” disse Guga na entrevista coletiva após a partida contra Calleri. “Acho que nas duas vezes que eu saquei no 5/2 e não fechei o set foi porque eu não estava com a mesma intensidade na partida que eu tive no meu jogo contra o Cória. Mas o bom é que na hora em que o jogo ficou parelho, ou que a situação poderia se complicar eu acabava ganhando os pontos e eu estive sempre com o controle da situação e com confiança suficiente para ganhar.”

Feliz com a sua 26a. vitória no saibro, na temporada 2001, Guga afirmou que agora já entra numa fase diferente do torneio. “Eu já passei de ter de sobreviver às primeiras rodadas e agora já olho o próximo jogo como uma possibilidade de passar às oitavas-de-final de um Grand Slam. Já dá para jogar mais solto, mais tranquilo e dando mais de mim ainda na quadra.”

O adversário da próxima rodada, o marroquino Karim Alami, 109o. colocado no ranking mundial e 117o. na Corrida dos Campeões, é também um velho conhecido do brasileiro. Casado com uma brasileira, Alami é fluente em português e já esteve inúmeras vezes no Brasil. A última, inclusive foi na Copa Davis, entre Brasil e Marrocos, em fevereiro, última vez também que Guga e Alami se enfrentaram. Eles jogaram três vezes em partidas oficiais, todas no saibro, com duas vitórias de Guga e uma do marroquino. As vitórias de Guga foram no Masters Series de Hamburgo 2000 e na Copa Davis e a de Alami, em 1995, no Challenger de Lima.

Por já estar na terceira rodada, Guga (Banco do Brasil/ Diadora/ Head/ Globo.com/Motorola) garantiu 15 pontos na Corrida dos Campeões e outros 75 no ranking mundial. A vitória sobre Alami vale 30 e 150 pontos, respectivamente.

Com outra boa vitória, nesta quarta-feira, Gustavo “Guga” Kuerten já está na terceira rodada do torneio de Roland Garros. Incentivado pela torcida, em outro dia de muito sol em Paris, ele derrotou o argentino Agustin Calleri, por triplo 6/4, em 2h03min de disputa e agora enfrenta, na sexta-feira, o marroquino Karim Alami, por uma vaga nas oitavas-de-final do torneio.

Líder do ranking mundial, Guga entrou na quadra central e logo recebeu os aplausos e o apoio do público, em sua maioria de crianças, que em dia de folga da escola participavam do Journée Des Enfants, gritando “Gugá, Gugá”, antes mesmo da partida começar. E a garotada ganhou incentivo para continuar gritando, logo que Guga quebrou o serviço de Calleri, no primeiro game do jogo. No 3/1 outra quebra a favor de Guga, que abriu 5/1 e sacou para o set no 5/2. No entanto, Guga deixou a oportunidade escapar e fechou a série em 6/4. No segundo set, Guga quebrou os serviços de Calleri no terceiro e no quinto game e novamente sacou para o set no 5/2, mas fechando com 6/4. Na terceira série, Guga não deixou a chance de encerrar a partida escapar e depois da quebra no 2/2 a seu favor, sacou para o jogo no 5/4, fazendo 6/4 e comemorando a sua nona vitória consecutiva em Roland Garros.

“Foi um jogo bem disputado, corrido, com bastante tempo de bola e deu para entrar um pouco mais em ritmo,” disse Guga na entrevista coletiva após a partida contra Calleri. “Acho que nas duas vezes que eu saquei no 5/2 e não fechei o set foi porque eu não estava com a mesma intensidade na partida que eu tive no meu jogo contra o Cória. Mas o bom é que na hora em que o jogo ficou parelho, ou que a situação poderia se complicar eu acabava ganhando os pontos e eu estive sempre com o controle da situação e com confiança suficiente para ganhar.”

Feliz com a sua 26a. vitória no saibro, na temporada 2001, Guga afirmou que agora já entra numa fase diferente do torneio. “Eu já passei de ter de sobreviver às primeiras rodadas e agora já olho o próximo jogo como uma possibilidade de passar às oitavas-de-final de um Grand Slam. Já dá para jogar mais solto, mais tranquilo e dando mais de mim ainda na quadra.”

O adversário da próxima rodada, o marroquino Karim Alami, 109o. colocado no ranking mundial e 117o. na Corrida dos Campeões, é também um velho conhecido do brasileiro. Casado com uma brasileira, Alami é fluente em português e já esteve inúmeras vezes no Brasil. A última, inclusive foi na Copa Davis, entre Brasil e Marrocos, em fevereiro, última vez também que Guga e Alami se enfrentaram. Eles jogaram três vezes em partidas oficiais, todas no saibro, com duas vitórias de Guga e uma do marroquino. As vitórias de Guga foram no Masters Series de Hamburgo 2000 e na Copa Davis e a de Alami, em 1995, no Challenger de Lima.

Por já estar na terceira rodada, Guga (Banco do Brasil/ Diadora/ Head/ Globo.com/Motorola) garantiu 15 pontos na Corrida dos Campeões e outros 75 no ranking mundial. A vitória sobre Alami vale 30 e 150 pontos, respectivamente.

Federer estreia bem em Paris e marca encontro com Cilic. Nadal e Djokovic jogam na 3ª feira

A segunda-feira em Paris contou com uma boa estreia de Roger Federer na chave principal de Roland Garros, segundo Grand Slam da temporada, disputado no saibro.

O suíço começou se impondo e não teve grandes dificuldades para passar pelo uzbeque Denis Istomin em sets diretos, com parciais de 6/2 6/4 e 6/3, garantindo sua vaga na segunda rodada para enfrentar um bom confronto diante de Marin Cilic, que superou o local Arthur Rinderknech, também em sets diretos.

Outro favorito que venceu bem nesta segunda foi Daniil Medvedev, que conquistou boa vitória sobre cazaque Alexander Bublik, por 3×0.

A terça-feira vai marcar a primeira partida dos dois principais favoritos ao título, principalmente depois da eliminação de Dominic Thiem, ainda na estreia.

Rafael Nadal fará o terceiro jogo da quadra Philipp-Chatrier diante do australiano Alexei Poyprin. No único confronto entre ambos até o momento, vitória do espanhol, neste ano, no saibro do Masters 1000 de Madri.

Na sequência, será a vez da estreia de Novak Djokovic, que terá pela frente o norte-americano Tennys Sandgren. Nos três jogos entre eles até o momento, foram três vitórias do atual nº 1 do mundo e apenas um set perdido.

Foto: Cédric Lecocq/FFT

Bruno Soares e Marcelo Melo estreiam nesta terça-feira em Roland Garros

Bruno Soares está pronto para a estreia em Roland Garros. O mineiro e o seu parceiro, o britânico Jamie Murray, disputarão a primeira rodada de Roland Garros nesta terça-feira, enfrentando a dupla britânica de Luke Bambridge e Dominic Inglot.

“Foram bons dias de treino, realmente treinamos super bem. E o clima aqui em Paris também ajudou muito, fez muito sol. Estamos preparados para esse jogo, que vai ser muito difícil. Eu e o Jamie mais uma vez nessa situação de jogar ou contra brasileiro ou contra britânico, para dar aquela tensão extra de jogar contra um compatriota”, disse Bruno, que enfrentou Marcelo Melo e Marcelo Demoliner nos dois torneios preparatórios para Roland Garros.

Vindo de duas derrotas seguidas, Bruno confessa que é necessário recuperar a confiança. “É fazer o nosso e tentar recuperar a confiança. Obviamente que depois de duas derrotas na primeira rodada ela não está das maiores, mas também temos que ter tranquilidade. Somos experientes e sabemos que esse tipo de coisa acontece. É jogar focado, aqui é Grand Slam, é outro formato e aqui temos um pouco mais de margem”, continuou o número 12 do mundo.  

Além das duplas masculinas, Bruno também está na disputa das duplas mistas. A ideia original era tentar entrar na competição ao lado da compatriota Luisa Stefani, mas a tenista precisou se retirar da competição. “A Luisa infelizmente teve uma apendicite e não vai poder jogar em Roland Garros, nós tínhamos o plano de jogar juntos mais uma vez, uma pena. Hoje consegui uma parceira nova, a chinesa Yifan Xu. Vamos ver, é a primeira vez que a gente joga junto, então precisamos entrosar o mais rápido possível para fazer uma boa campanha”, finalizou o mineiro.

A dupla Marcelo Melo e Lukasz Kubot também entra em quadra nesta terça-feira para a estreia em Roland Garros. Os adversários, por volta das 10h30 (horário de Brasília), serão os norte-americanos Nicholas Monroe e Frances Tiafoe. O Grand Slam marca o retorno da parceria entre o mineiro e o polonês, que tinha sido encerrada ao final da temporada passada. Juntos, jogarão o quinto Roland Garros, o 15º consecutivo da carreira de Marcelo.

“Treinamos firme para esta estreia e temos tudo para fazer um bom retorno dessa parceria aqui em Roland Garros”, afirma Marcelo.

Primeiro dia de Roland Garros tem surpresa com eliminação de Thiem. Zverev vira em 5 sets. Federer estreia na 2ª feira

Roland Garros já começou com uma baita surpresa na chave masculina, com a eliminação de um dos grandes nomes da chave e candidato ao título.

Dominic Thiem, finalista das edições de 2018 e 2019, foi superado logo na estréia do segundo Grand Slam da temporada e depois de começar muito bem sua partida diante de Pablo Andujar.

O austríaco abriu dois sets a zero e parecia caminhar bem para uma vitória com certa tranqüilidade, mas viu o espanhol reagir e construir uma grande vitória com parciais de 4/6 5/7 5/3 6/4 e 6/4. O número 4 do mundo está fora da chave.

Quem também quase foi eliminado foi o Alexander Zverev, que ficou dois sets atrás do compatriota Oscar Otte, mas buscou a recuperação e triunfou em cinco sets.

Stefanos Tsitsipas não teve muita dificuldade para passar pelo experiente Jeremy Chardy em três sets, assim como o espanhol Pablo Carreno Busta, que superou o eslovaco Norbert Gombos, também por 3×0.

A segunda-feira será o dia da estréia de Roger Federer, que vai fazer o terceiro jogo da quadra Philipp-Chatrier, enfrentando o uzbeque Denis Istomin. Um pouco antes, na mesma quadra, Daniil Medvedev encara o cazaque Alexander Bublik.

Osaka abre Roland Garros neste domingo. Sabalenka também joga

Começa neste domingo a chave principal de Roland Garros, segundo Grand Slam da temporada, disputado no saibro de Paris, na França.

Atual nº 2 mundo, a japonesa Naomi Osaka vai abrir a programação da Philippe-Chatrier, principal quadra do torneio, em confronto diante da romena Patricia Maria Tig.

Na mesma quadra, um pouco mais quadra, um jogo entre as experientes Victoria Azarenka e Svetlana Kuznetsova, enquanto a quadra Suzanne-Lenglen recebe a nº 3 do mundo, Aryna Sabalenka, que joga contra a qualifier Ana Konjuh.

No mesmo local, destaque para Petra Kvitova, que terá pela frente outra qualifier, a belga Greetje Minnen.

Para conferir a programação completa, clique aqui.

Foto: Andre Ferreira/FFT

Vice-campeão no ano passado, Bruno Soares já treina em Paris para Roland Garros

Bruno Soares já está em Paris. Ao lado do britânico Jamie Murray, o mineiro está fazendo a adaptação final na capital francesa para a disputa de Roland Garros, o segundo Grand Slam do ano. No ano passado, ao lado do croata Mate Pavic, o duplista número 12 do mundo foi vice-campeão do torneio francês.

“Senti que treinei muito bem nessas últimas semanas e pude me preparar completamente. As energias estão recarregadas. A expectativa é muito boa, muito feliz de poder voltar aqui em Paris e competir em Roland Garros, que é um torneio tão especial para mim, para o tênis brasileiro e para todos os fãs de tênis do Brasil, e também feliz de voltar a competir aqui com o Jamie. Os Grand Slams são os nossos maiores objetivos no ano, então estamos muito empolgados para entrar em quadra. Me sinto pronto para encarar o desafio, então é a gente seguir com a energia lá em cima para buscar esse caneco”, disse o brasileiro.

Feliz em poder ver mais público, Bruno espera sentir a energia da torcida em Paris. “A situação nesta edição está um pouco diferente do ano passado, com mais flexibilidade para o público. Teremos mais pessoas torcendo, seguindo todos os protocolos de segurança do torneio e isso faz uma diferença enorme “, finalizou o tenista.

Bruno disputa a sua 14ª edição no Grand Slam francês, com a sua melhor campanha sendo o vice-campeonato alcançado em 2020, ao lado de Pavic. Ao todo, o mineiro possui 34 títulos em sua carreira e vai em busca de um quarto troféu do nível Grand Slam nas duplas masculinas. Além do título no US Open em 2020 com Pavic, Bruno também também foi campeão do Australian Open e do US Open em 2016, ambos com Jamie Murray.