Clezar, Feijão, Wild e Zé Pereira disputam o quali do Rio Open a partir deste sábado

Quatro brasileiros começam nesta sábado a disputa do qualifying do Rio Open, ATP 500 disputado nas quadras de sábado do Jockey Club Brasileiro, na capital carioca.

Na quadra central, Guilherme Clezar começa sua campanha diante do italiano Alessandro Giannessi, a partir das 16hs, enquanto João Souza, o Feijão, joga na sequência contra o argentino Carlos Berlocq.

Na simpática quadra 1, o juvenil Thiago Wild faz o segundo jogo da programação contra o jovem francês Corentin Moutet.

O outro brasileiro na disputa é José Pereira, que terá pela frente o português Gastão Elias.

Vale lembrar que são necessárias duas vitórias para chegar à chave principal e, nos dois dias de quali, sábado e domingo, a entrada no Jockey é gratuita.

Feijão e José Pereira são convidados pro quali do Rio Open

O Rio Open Qualifying reúne importantes nomes do tênis brasileiro e internacional na disputa por quatro vagas na chave principal do maior torneios de tênis da América do Sul. Entre os destaques brasileiros, o paulista João Souza, o Feijão, e o pernambucano José Pereira estão garantidos na fase classificatória por meio de convites oferecidos pela organização do Rio Open Qualifying, torneio classificatório com entrada gratuita para os jogos de 17 e 18 de fevereiro, no Jockey Club Brasileiro.

Desta forma, Feijão, que alcançou a fase de quartas de final em 2015, e Pereira, estarão ao lado de Thiago Wild e Thiago Pereira, entre os representantes nacionais na chave do Rio Open qualifying composta também por grandes nomes internacionais do circuito, como o norte-americano Tennys Sandgren, quadrifinalista do Australian Open 2018, o espanhol Pablo Andujar, ex-número 32 e o argentino Carlos Berlocq.

“Acreditamos no potencial do Feijão, que já fez quartas de final e é um tenista que a torcida gosta de ver jogar. O Zé Pereira superou uma cirurgia no ombro, amadureceu bastante e vem buscando retomar o seu melhor ranking desde a temporada passada, quando conseguiu somar importantes pontos em torneios Futures e Challengers. Ambos merecem a oportunidade e contarão com enorme apoio da torcida brasileira em seus jogos”, disse Luiz Carvalho, diretor do Rio Open Qualifying.
Para Feijão, que já esteve entre os 70 melhores do mundo, a oportunidade de competir no único ATP 500 do Brasil é sem dúvida um dos momentos auges da temporada. “O Rio Open é o maior torneio realizado no Brasil e todos nós, jogadores brasileiros, queremos jogar este torneio. Agradeço ao Pardal (Ricardo Acioly, diretor de relações do Rio Open) e ao Luiz Carvalho por mais esta chance. Espero fazer jus à oportunidade e pela primeira vez jogar em casa diante da minha filha (Amora). Mesmo que ela ainda não entenda muito de tênis, um dia poderei contar essa história para ela”, disse João Souza, 29 anos e 247º colocado na ATP.

Amadurecido e com grande expectativa, Pereira afirma estar preparado para jogar no mais alto nível de sua carreira. “Venho amadurecendo muito e vou chegar com uma cabeça diferente de outros anos. Agradeço aos organizadores por acreditarem em mim, estou muito feliz e me sinto em casa jogando no Rio Open”, revela. Aos 27 anos, o pernambucano ex-232o da ATP e atual número 610 por conta de uma cirurgia no ombro no final de 2016 que o obrigou a ficar parado por sete meses, faz sua terceira participação no Jockey Club Brasileiro.

Foto: Fotojump

Zé Pereira conquista o título do IS São Paulo, Future disputado em São Paulo

José Pereira é o grande campeão da sexta edição do IS Open São Paulo. Em uma temporada marcada por sua volta ao circuito, o pernambucano de 26 anos derrotou neste domingo o português Bernardo Saraiva por 6/4 6/3 e ficou com o título do torneio Future de US$ 15 mil.

Durante a cerimônia de premiação, Pereira foi às lágrimas ao lembrar dos oito meses afastado das quadras por conta da lesão no ombro. O tenista somente voltou a competir em julho. “Não tenho como explicar minha felicidade agora. Os médicos chegaram a garantir que eu não voltaria a jogar. Mas nada é impossível quando você acredita”, disse Pereira emocionado, que teve como melhor ranking a 232ª colocação (2015).

Este foi o 11º troféu de Pereira em Futures, e o primeiro da temporada. A conquista lhe premia com 18 pontos para o ranking da ATP e o bonifica com US$ 2.160 de premiação. “Gostaria de agradecer ao Instituto Sports e a todos os patrocinadores pela realização deste evento. É um grande incentivo ao esporte e ao tênis brasileiro. Nós tenistas sabemos o quanto é difícil ter torneios no Brasil, então esta é uma grande oportunidade”, disse.

A decisão deste domingo foi marcada por muitas trocas de bolas com cinco quebras para o pernambucano e duas para o português. “Foi um jogo muito difícil. Ele ficava nos pontos com bolas profundas, mas consegui ser mais sólido e me impor um pouco mais”, analisou Pereira, que viaja a São Carlos para disputa do terceiro e último Future brasileiro no ano.

Pereira é o primeiro brasileiro a vencer o IS Open São Paulo em 6 edições. Dois argentinos já ficaram com a taça, Guido Pella (2013) e Carlos Berlocq (2015), além do uruguaio Martin Cuevas (2014), do chileno Paul Capdeville (2013) e do esloveno, Blaz Kavcic (2012).

O vice-campeão Saraiva deixa São Paulo com 10 pontos a mais no ranking e US$ 1.272 de premiação. “Gostaria de parabenizar o Zé Pereira pelo título e toda a organização pelo evento. Foi uma ótima semana”, disse o português que disputou em São Paulo a segunda decisão da carreira.

Matos e Zormann ficam com o título de duplas

O paulista Marcelo Zormann e o gaúcho Rafael Matos, principais favoritos, derrotaram na final o santista Caio Silva e o catarinense Thales Turini com 7/6(6) 5/7 10-8 e garantiram 18 pontos no ranking da ATP.

Nesta temporada, a parceria da nova geração venceu dois títulos, em Vigo e em Majadahonda, na Espanha. As demais conquistas ocorreram em 2015, em Bol, na Croácia e em Itajaí, cidade onde treinam. Além do sucesso no circuito Future, Zormann e Matos, de 21 anos, têm no currículo importantes conquistas de duplas em Grand Slams no juvenil: o paulista venceu o título de Wimbledon com Orlando Luz e o gaúcho foi vice-campeão do US Open ao lado de João Menezes.

Há cinco anos, Matos e Zormann são parceiros de treino. “É um prazer jogar ao lado do Zormann, fico muito a vontade. Este título nos dá confiança, ganhar jogo é sempre bom. Conseguimos treinar golpes específicos como saque devolução, voleio e conseguimos manter o ritmo de jogo, já que perdemos na primeira rodada de simples”, conta Matos, que possui 15 títulos de duplas.

“Matos é um grande parceiro dentro e fora das quadras, é um prazer estar jogando e viajando juntos. Também acho que a dupla ajuda a manter o foco na competição e o ritmo de jogo”, afirma o paulista, dono de 12 troféus de duplas. Este é o segundo título seguido de Zormann. Na semana passada, ele venceu com Orlandinho o IS Open Santos.

Foto José Pereira: João Neto/ Fotojump

Foto Matos e Zormann: Nelson Toledo/ Fotojump

José Pereira bate argentino Bagnis, atual campeão, e vai às 4ªs do Challenger de Campinas

O pernambucano José Pereira conquistou hoje a maior vitória da carreira ao eliminar o atual campeão do São Paulo Challenger de Tênis, Facundo Bagnis por 6/4 6/1 e avançar às quartas de final do torneio apresentado pelo Aché por meio da Lei Federal de Incentivo ao Esporte do Ministério do Esporte.

Há exato um ano, Pereira teve uma lesão no ombro em Campinas e precisou passar por uma cirurgia. Sem saber se ou quando voltava a jogar, o tenista atual 694 do mundo entrou na partida com o objetivo de fazer o melhor possível. “Não tenho nada a perder”, disse ele quando soube que o adversário seria Bagnis, cabeça de chave 3 da competição.

Enquanto Pereira se recuperava da cirurgia, o argentino ganhava torneios- em 2016 foram seis challengers na América do Sul. Chegou a 55o da lista no final da temporada.

Pereira voltou a jogar em julho deste ano, entrou em sete futures antes de desembarcar em Campinas.

“Passei por um momento difícil e aprendi que não tenho mesmo nada a perder. Tenho que dar meu 100%, saber se você não está se enganando, se aquilo é realmente o seu 100% e desfrutar. Daqui nada se leva, tem que desfrutar cada momento. Senti muita falta disso aqui e vi que estava valorizando coisas que não tem nada a ver. Agora essa é a ideia, sempre dar 100% e desfrutar. Acho que foi a maior vitória da minha carreira, se ele já foi 55 do mundo”, disse o irmão mais novo de Teliana Pereira. “Estou muito feliz mesmo com o resultado.”

O próximo adversário de José Pereira é o português Gonçalo Oliveira, que eliminou Bruno Sant’Anna por 6/3 6/1.

“Nem vi a chave, mas vamos lá. Mais um canhoto, tem que manter a calma e jogar como hoje”.

José Pereira volta a jogar hoje na chave de duplas com o português Gastão Elias. As quartas de simples devem ser jogadas apenas na quinta-feira.

Foto: João Pires/Fotojump

Ghem e José Pereira perdem na primeira rodada do quali do Australian Open

Ghem peqOs dois brasileiros que estavam na chave acabaram perdendo na primeira rodada do qualifying do Australian Open, primeiro Grand Slam da temporada, disputado no piso duro.

José Pereira, irmão de Teliana, foi superado pelo norte-americano Tim Smyczek, nº 108 do mundo e cabeça de chave nº 3 por duplo 6/3.

O gaúcho André Ghem chegou a vencer um set, mas perdeu para o espanhol Adrian Menendez-Maceiras, com parciais de 6/3 4/6 e 6/3.

Com isso, o único brasileiro que vai disputar a chave de simples masculina é Thomaz Bellucci.

Ghem e Zé Pereira começam campanha por inédita participação em chave principal de Slam

Ghem 2 peqDois brasileiros começam na madrugada de quarta-feira a busca por uma vaga na chave principal do Australian Open, primeiro Grand Slam da temporada, disputado no piso duro.

Primeiro a entrar em quadra, José Pereira, irmão de Teliana, disputa pela primeira vez o qualifying de um Grand Slam e encara na primeira rodada o norte-americano Tim Smyczek, nº 108 do mundo e cabeça de chave nº 3, em confronto que será inédito.

Mais tarde, o gaúcho André Ghem, nº 152 da ATP e cabeça 31, tenta furar o quali de um dos quatro maiores torneios da temporada pela primeira vez na carreira, começando sua campanha contra o espanhol Adrian Menendez-Maceiras. Os dois já se enfrentaram duas vezes, com uma vitória pra cada lado.

Garin bate Orlandinho e está nas quartas do IS Open. Zé Pereira, Wilson Leite e Fabiano de Paula vencem

Garin 2 peqPara técnicos e jogadores que percorrem o circuito, o futuro do tênis brasileiro passa pelos nomes de Orlando Luz, Marcelo Zormann, Rafael Matos e Leonardo Telles. Todas estas jovens promessas com grande potencial marcam presença esta semana no IS Open São Paulo 2014, apresentado pela Raízen. Apesar das quedas nesta quarta-feira, Luz, Matos e Telles deixaram uma boa impressão, especialmente em seus adversários.

Em duelo de campeões de Grand Slam no circuito juvenil, Christian Garin e Orlando Luz protagonizaram um dos confrontos mais esperados do torneio. O chileno, vencedor de Roland Garros (2013), levou a melhor sobre o atual campeão de Wimbledon nas duplas, quebrando 5 vezes o saque do gaúcho de 16 anos. Vitória por duplo 6/3

“O Orlando está muito bem, tem capacidade para ser um grande jogador, mas hoje consegui apresentar um nível de tênis superior ao de ontem. Fui sólido do início ao fim”, celebrou Garin, que espera pelo boliviano Hugo Dellien ou o brasileiro Daniel Dutra Silva nas quartas de final.

Na abertura da rodada, Matos, atual vice-campeão de duplas do US Open, surpreendeu tecnicamente o francês Mathias Bourgue, cabeça 1 da chave, apesar da derrota por 6/2 6/2.

“Eu não o conhecia até então, mas deu para notar que joga muito bem, exigiu que eu sempre me mantivesse focado na partida, sem deixar o meu nível cair”, analisou Bourgue, que não poupou elogios a Orlandinho. “Acho que o Brasil está num caminho certo, percebi que o Luz joga muito. Não sei se trabalha muito, mas se treinar duro, vai jogar muito tênis”, finalizou o futuro adversário de Caio Zampieri, nas quartas.

Para o carioca Wilson Leite, que nesta quarta-feira passou por Telles por 6/3 6/4, o jovem paulista tem características interessantes em seu jogo. “Foi duro ganhar dele, começou muito bem, quebrando meu saque. Ele é muito forte fisicamente, tem um bom jogo de fundo e não entrega pontos facilmente”, disse Leite, cabeça de chave 8 do IS Open São Paulo.

Para o tenista, treinado por Ricardo Acioly, a nova safra de jogadores tem condições técnicas de ir longe, mas precisa melhorar em um aspecto. “Eles estão apresentando um nível alto desde cedo, atingindo bons resultados. É um processo natural uma nova geração surgir, mas sinto que a maioria deles ainda peca na imaturidade para lidar com algumas situações de jogo”, explica o tenista carioca.

MAIS RESULTADOS – IS OPEN SÃO PAULO 2014
José Pereira (BRA) d. Bruno Sant`Anna – 6/4 6/3
Fabiano de Paula (BRA) d. Carlos Severino – 6/3 6/0

IS Open São Paulo 2014
Future – US$ 10 mil
De 1 a 9 de novembro de 2014
Endereço: Av. Dr. Alberto Penteado, 605, Morumbi – São Paulo

#ISOpen
Site: www.institutosports.com.br
Redes Sociais: Facebook (/institutosports); Twitter (@institutosports); e Instagram (institutosports); Youtube (/institutosports)

Foto: Nelson Toledo/Fotojump

 

Com Teliana na torcida, Zé Pereira na estreia do Challenger de Campinas

Zé Pereira - João Pires peqO pernambucano José Pereira contou com uma torcedora ilustre nesta segunda-feira, em sua estreia no Campeonato Internacional de Tênis de Campinas, apresentado pelo Itaú. Número 1 do Brasil, Teliana Pereira esteve na Sociedade Hípica para prestigiar o retorno do irmão às quadras após uma lesão no tornozelo direito.

Zé Pereira vencia Bruno Sant’anna por 6/1 e 2/0, quando o paulista abandonou a partida com dores no cotovelo esquerdo. O próximo adversário do pernambucano sairá do confronto entre o paulista João Pedro Sorgi e o argentino Facundo Arguello, cabeça de chave 3 do torneio.

“Estou me sentindo muito bem. É bem legal voltar de uma lesão e estar 100%, após trabalhar tanto e se preparar. O mais importante é que eu me sinta bem dentro da quadra”, disse Zé Pereira, que comemorou a presença da irmã. “Já estava feliz por retornar às quadras, mais ainda quando ela disse que viria”, acrescentou.

Apoio de Teliana

De volta ao Brasil após disputar dois torneios na Europa, Teliana aproveitou que estava em São Paulo para ver o irmão jogar. “Faz tempo que não assisto a uma partida dele. É o primeiro jogo que ele faz depois da lesão no tornozelo, então achei legal estar aqui neste momento para apoiá-lo”, comentou a jogadora.

A número 1 do Brasil seguirá nesta terça-feira para Curitiba para realizar exames em seu joelho direito. Teliana precisou se retirar de quadra durante a decisão do torneio de Alphen, na Holanda, e na semifinal de Saint Malo, na França, por conta de uma inflamação no local. “Senti uma dor muito forte e não valia a pena continuar, até porque, se eu terminasse o jogo, talvez não pudesse entrar em quadra na final”, contou.

“É melhor eu parar e tratar 100% desta vez, até porque terei bem mais tempo do que da outra vez, quando fui ao US Open. Só voltarei quando não tiver mais dor”, acrescentou Teliana, que espera estar recuperada em cerca de um mês.

Campineiro e Ghem estreiam na terça

A rodada de terça-feira no Campeonato Internacional de Tênis de Campinas terá a estreia de Guilherme Scarpelli, jogador de Campinas, que encara o italiano Federico Gaio às 19h30. A quadra central também terá dois duelos entre brasileiros. Ricardo Hocevar pega Caio Zampieri no segundo jogo do dia e André Ghem joga às 17h15 diante de Thales Turini.

Na quadra 1, Fabiano de Paula entra em quadra às 10h30 contra Fabrício Neis. Em seguida, Marcelo Zormann, campeão juvenil de duplas dos Jogos Olímpicos da Juventude, joga contra Nicolas Santos. Após furar o qualifying, João Pedro Sorgi enfrenta o argentino Facundo Arguello.

O paulista Rogério Dutra Silva não disputará o torneio por conta de dores na coxa esquerda. Caio Silva entrou na chave como lucky-loser e seu adversário de estreia será o sueco Christian Lindell. Ricardo Hocevar, Nicolas Santos e Caio Zampieri também furaram o quali nesta segunda-feira.

Confira os resultados da rodada final do qualifying:

Ricardo Hocevar (BRA) v. Caio Silva (BRA), 6/0 6/7(5) 7/6(8)
Nicolas Santos (BRA) v. Felipe Brandão (BRA), 5/7 7/6(5) 6/3
Caio Zampieri (BRA) v. Osni Júnior (BRA), 6/2 6/2
João Pedro Sorgi (BRA) v. Alex Blumenberg (BRA), 6/2 6/4

Foto: João Pires/FotoJump

Wilson Leite passa por colombiano na estreia do Challenger de Cali. José Pereira joga nesta terça

Wilson Leite peqWilson Leite, nº 344 da ATP, estreou com uma boa vitória no Challenger de Cali, na Colômbia, que é disputado no saibro e tem uma premiação de US$ 40 mil.

Nesta segunda-feira, o brasileiro bateu experiente tenista local Michael Quintero em três sets, com parciais de 6/4 1/6 6/4, em 2h07min.

“Foi um duro jogo. tive um bom começo, mas não consegui dar sequência no set seguinte. As condições estavam complicadas por conta do calor que deixou o jogo mais rápido. Venci nos detalhes no final”, afirmou Leite.

Seu adversário nas oitavas será o argentino Marco Trungelliti, nº 384 do ranking, em duelo que será inédito.

Nesta terça-feira, José Pereira estreia no torneio colombiano contra o qualifier peruano Sergio Galdos. Será o primeiro jogo entre eles.

Wilson Leite estreia nesta segunda-feira no Challenger de Cali, na Colômbia

Wilson Leite peqWilson Leite, nº 345 do ranking, estreia nesta segunda-feira no Challenger de Cali, na Colômbia, que é disputado no saibro e tem premiação de US$ 40 mil.

O carioca, tenista que treina na Acioly Tennis Team, no Rio de Janeiro, comandada por Ricardo Acioly, enfrenta o colombiano Michael Quintero, tenista que já foi top 250 e ocupa o 419º lugar na ATP. A partida será a primeira da quadra central.

O outro brasileiro na chave do torneio colombiano é José Pereira, que encara na primeira rodada o qualifier peruano Sergio Galdos, em dia ainda indefinido.