Fabiano de Paula comemora convite na chave de duplas do Rio Open e apoio ao seu Projeto Social

O carioca Fabiano de Paula comemorou a oportunidade de disputar mais uma vez o Rio Open apresentado pela Claro. Desde o ano passado se dedicando mais às duplas, ele e o cearense Thiago Monteiro garantiram um lugar no maior torneio de tênis da América do Sul. Eles receberam convite da organização e terão pela frente na estreia o mineiro Bruno Soares e o britânico Jamie Murray, ainda sem data definida. O ATP 500 do Rio acontece de 19 a 25 de fevereiro, no Jockey Club Brasileiro.

Fabiano tem uma história bonita de superação. De morador da Favela da Rocinha alcançou o top 200 no circuito mundial de simples e é o atual 134º de duplas. Mas o jogador de 29 anos foi além, criou a Escolinha de Tênis que leva seu nome, na favela, e há três anos, dá oportunidade a crianças usarem o esporte como ferramenta de desenvolvimento humano e inclusão social.

“Quero agradecer mais uma vez a organização que nos presenteou com esse convite. Estou jogando só duplas agora, então é uma motivação a mais. Estamos aqui num torneio desse nível, então queremos jogar com os melhores. É uma honra jogar com tenistas como o Bruno e o Murray, então quero entrar na quadra e buscar o melhor e ver o que podemos fazer”, disse Fabiano, que já jogou nas quadras do Jockey Club Brasileiro em três edições da competição. O Rio Open 2018 será o primeiro torneio dele nesta temporada.

O sonho de Fabiano de criar seu projeto social só saiu do papel graças ao incentivo da Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude do Rio. “Levei meu projeto, eles aceitaram e decidiram nos apoiar. Com essa ajuda, eu mantenho a escolinha, mesmo com todas as dificuldades por quais o Estado está passando. Tenho muito a agradecer porque sempre quis fazer um projeto como esse, mas precisava de ajuda e consegui”, explicou.

O secretário de Estado de Esporte, Lazer e Juventude, Thiago Pampolha, comemora os resultados desse projeto. “Quando fizemos a aposta em levar o tênis para a Rocinha, não tínhamos a dimensão do que o esporte faria na vida das crianças e jovens da região. Em três anos de funcionamento, já foram beneficiados cerca de 300 alunos e os frutos já começam a aparecer. Foi uma aposta certeira. E o crescimento do Fabiano é a prova viva disso. Essa disputa de duplas contra Bruno e Murray é incrível. Esse projeto é motivo de orgulho”, comemorou Pampolha.

Desde a primeira edição, em 2014, o Rio Open também dá sua contribuição a projetos sociais relacionados ao tênis. Além da Escolinha de Tênis Fabiano de Paula, outros cinco projetos são beneficiados pelo torneio. Alunos das escolinhas participam do Torneio Winners, tendo a oportunidade de os vencedores passarem uma semana na IMG Academy, do mago Nick Bollettieri, responsável por descobrir e lapidar talentos da modalidade.

“É muito legal ver as crianças aqui, jogando o Torneio Winners, trabalhando como boleiros, tendo a chance de conhecer grandes jogadores, além de poder passar uma semana nos Estados Unidos, treinando numa das melhores academias do mundo. Fico muito feliz pela evolução deles, por ver que estão seguindo o caminho certo, e o que a gente puder fazer para manter o sonho deles, a gente vai fazer”, finalizou Fabiano.

Rio Open faz parceria com Autoridade do Legado da Rio 2016 e começa projeto no Parque Olímpico

Na próxima sexta-feira, dia 15, 10h30, o Rio Open em parceria com a Autoridade de Governança do Legado Olímpico (AGLO) fará o lançamento oficial do Núcleo Esportivo Rio Open. Localizado no Parque Olímpico da Barra, o projeto dará vida e utilização contínua ao complexo esportivo de tênis, construído para a Rio 2016. Para marcar a ocasião, o tenista da Rocinha, Fabiano de Paula, que está próximo a entrar no top 100 de duplas do ranking mundial, baterá uma bola com a garotada.

Na primeira fase, o projeto irá beneficiar em torno de 50 crianças, de 6 a 11 anos,  da escola publica Roberto Burle Marx, da zona oeste do Rio de Janeiro. As aulas acontecerão às terças e quintas e terão início no retorno do ano letivo, em fevereiro.

Desde 2014, quando aconteceu a primeira edição, o Rio Open sempre apoiou projetos sociais e acreditou no poder transformador através do esporte. E, a partir de agora, o torneio não só continuará apoiando projetos (que desde 2017 são 5) como também fará a gestão do Núcleo Esportivo Rio Open

“Desde a primeira edição do Rio Open, assumimos o compromisso de estimular a prática de esportes junto a crianças e jovens de baixa renda. O objetivo é usar o esporte para melhorar a saúde e a educação desses meninos e meninas. A inauguração do Projeto é uma evolução dessa nossa filosofia”, diz Marcia Casz, Diretora de Esportes da IMM e responsável pela organização do Rio Open.

O Núcleo Esportivo Rio Open visa além da iniciação esportiva, a inclusão social através do esporte, a melhora da aptidão física, motora e mental, além de contribuir para a ativação de um legado olímpico. As crianças serão supervisionadas por profissionais capacitados, submetidas a exames médicos e terão alimentação no local. O torneio também fornecerá todo material necessário para a realização das aulas.

Após atingir a idade limite, de 12 anos, as crianças que mais se destacarem serão direcionadas para centros de treinamento no Rio de Janeiro. 

“A gente tem lutado para que os  projetos sociais estejam agregados às ações esportivas das federações e confederações que utilizam os equipamentos geridos pela AGLO. Além disso, apoiamos qualquer iniciativa social voltada ao esporte que beneficie crianças e jovens de comunidades carentes, a exemplo do “Esporte e Cidadania para Todos”, do Ministério do Esporte; e do “Núcleo Esportivo do Rio Open”, que vem para ficar conosco. A expectativa é a melhor possível!”, diz Paulo Márcio Dias Mello, presidente da AGLO.

Challenger do Rio começa nesta 2ª, com Clezar, Fabiano de Paula e Demoliner em quadra

O gaúcho Guilherme Clezar abre a participação dos brasileiros na chave principal do Torneio Internacional Challenger de Tênis – Ano 2 – Rio Tennis Classic. Tenista número 4 do Brasil e 222o. do mundo, Clezar faz sua estreia, nesta segunda-feira, por volta das 15h, diante do português Gonçalo Oliveira, 211o. do mundo e cabeça de chave 7. O confronto é inédito.

“A expectativa é boa para essa estreia aqui. O Rio é uma cidade que gosto muito de jogar, sempre tive bons resultados aqui, fiz uma final em 2016 e estou motivado a terminar a temporada da melhor forma possível”, afirmou Clezar.

Destaque também para a estreia de Fabiano de Paula e Marcelo Demoliner na chave de duplas. Cabeças de chave 1, eles enfrentam André Ghem e Eduardo Russi Assumpção, convidados da organização, não antes das 18h. Demoliner é o atual 35o. do mundo em duplas e foi vice-campeão do ATP 500 de Viena, ao lado do norte-americano Sam Querrey, no final de outubro.

Neste domingo foi definido o qualifying, que classificou mais dois brasileiros para a chave principal, os gaúchos Fabricio Neis e André Ghem, além do espanhol Roberto Carballes Baena e do monegasco Romain Arneodo.

Resultados finais do quali:

[8] Fabricio Neis (BRA) d. [2] Peter. Nagy (HUN) – 3/6 7/6(4) 7/6(3)

[3] André Ghem (BRA) d. [WC] Fabiano de Paula (BRA) – 6/2 6/2

[1] Roberto Carballes Baena (ESP) d. [6] Camilo Ugo Carabelli (ARG) – 6/1 2/1 – ret

[7] Romain Arneodo (MON) d. [4] Fernando Romboli (BRA) – 6/0 3/2 – ret

Programação desta segunda-feira:

Quadra central

12h

[8] Jaume Munar (ESP) vs Federico Coria (ARG)

Juan Ignacio Londero (ARG) vs Hernan Casanova (ARG)

Guilherme Clezar (BRA) vs [7] Gonçalo Oliveira (POR)

Não antes das 18h

[1] F. De Paula (BRA) / M. Demoliner (BRA) vs [WC] A. Ghem (BRA) / E. Russi Assumpcao (BRA)

Não antes das 19h30

Juan Marti (ESP) vs Christian Lindell (SWE)

Quadra 1

15h

Hernandez-Fernandez (DOM) / J. Souza (BRA) vs P. Cachin (ARG) / J. Sorgi (BRA)

[WC] P. Sakamoto (BRA) / T. Seyboth Wild (BRA) vs [4] R. Arneodo (MON) / F. Romboli (BRA)

Serviço

Torneio Internacional Challenger de Tênis – Ano 2 – Rio Tennis Classic

Chave principal – 20 a 26 de novembro

Rio de Janeiro Country Club

Av. Vieira Souto, 650 – Ipanema

Entrada gratuita

Começa neste sábado o qualifying do Challenger do Rio de Janeiro

Seis jogos abrem, neste sábado, a disputa do qualifying do Torneio Internacional Challenger de Tênis – Ano 2 – Rio Tennis Classic, que classificará os últimos quatro tenistas para a chave principal do torneio, que distribui uma premiação de US$ 50 mil e pontos importantes para o ranking da ATP.

A rodada deste sábado tem início às 11h, no Rio de Janeiro Country Club, em Ipanema. Confira a programação:

Quadra 1

11h

[WC] J. Velloso (BRA) vs [6] C. Ugo Carabelli (ARG)

[4] F. Romboli (BRA) vs [WC] O. Junior (BRA)

[WC] G. Klier (BRA) vs [5] F. De Paula (BRA)

Quadra 3

11h

[WC] F. Muzzi (BRA) vs [7] R. Arneodo (MON)

[3] A. Ghem (BRA) vs [WC] C. Kligerman (BRA)

[WC] G. Hime (BRA) vs [8] F. Neis (BRA)

Serviço

Torneio Internacional Challenger de Tênis – Ano 2 – Rio Tennis Classic

Qualifying – 18 a 20 de novembro

Chave principal – 20 a 26 de novembro

Rio de Janeiro Country Club

Av. Vieira Souto, 650 – Ipanema

Fabiano De Paula volta a jogar no Brasil no Challenger de Santos

fabiano-de-paula-2-peqO carioca Fabiano De Paula é um dos tenistas brasileiros na chave principal do Campeonato Internacional de Tênis de Santos, apresentado pelo Itaú, por meio da Lei Federal de Incentivo ao Esporte. O Challenger acontece de 17 a 25 de setembro no Tênis Clube de Santos, com entrada gratuita para o público.

Depois de ficar fora das quadras por um ano, Fabiano De Paula voltou ao circuito em maio, quando jogou torneios da série Future na Turquia, para ganhar ritmo novamente. Saiu de lá com um vice-campeonato e no último mês, passou para os Challengers na Itália, usando o ranking protegido (276o), mesmo processo que o garantiu na chave principal de Santos. E no Torneio Citta Di Como, De Paula derrotou o vice-campeão do #SantosATPChallenger de 2015, o belga Germain Gigounon.

Toda volta é difícil, mas o carioca da Rocinha está pronto para encarar mais este desafio.

“Minhas expectativas para Santos são muito boas, venho evoluindo bem em cada torneio, sei que agora tenho que ter paciência, voltar a trabalhar cada dia dando o máximo, sem me preocupar muito no que vai acontecer no futuro, sem expectativa muito grande. Agora é um dia de cada vez porque fiquei um ano parado, isso perde ritmo, mas estou treinando bem, com a cabeça boa e espero chegar dentro da quadra e fazer o meu melhor. Se eu vou ganhar ou perder, não sei, mas que eu tenha satisfação e a sensação de dever cumprido, de entrar dentro de quadra e dar o meu melhor, tentar de tudo, e é isso que tenho feito em meus jogos e está dando certo, independente de vitória ou derrota,” explicou de Paula.

O Campeonato Internacional de Tênis de Santos contará ainda com a presença de outros cinco brasileiros já confirmados na chave principal : Thiago Monteiro, João Souza, Rogerio Dutra Silva, André Ghem e Caio Zampieri. No qualifying, que distribui mais quatro vagas, outros nove tenistas do Brasil têm chance de entrar na disputa que distribui US$ 40 mil em prêmios e pontuação de US% 50 mil, por oferecer hospedagem aos jogadores.

O qualifying será jogado no próximo final de semana, a partir das 10 horas, no Tênis Clube de Santos. A entrada é gratuita.

Foto: João Pires/ Fotojump

Feijão mantém embalo e passa pela estreia na Itália. Clezar e Ghem também vencem

Feijão peqDepois do título do Challenger de Cortina, João Souza, o Feijão, estreou com vitória no Challenger de Fano, também na Itália, disputado no saibro.

Nesta terça-feira, o brasileiro superou o belga Antal Van der Duim, em sets diretos, com parciais de 6/1 e 6/4.

Nas oitavas de final, ele terá pela frente o italiano Alessandro Petrone, nº 1927 do mundo, em confronto que será inédito.

No piso duro do Challenger de Gatineau, Guilherme Clezar conseguiu uma boa vitória na estreia, de virada, sobre o croata Franko Skugor, com parciais de 3/6 6/4 e 6/4.

No Challenger de Tnarva, na Eslováquia, André Ghem também passou pela estreia, vencendo o espanhol Inigo Cervantes por 6/4 e 7/5, se classificando para enfrentar o espanhol Jordi Samper-Montana nas oitavas. Os dois já se enfrentaram uma vez ao longo da carreira, com vitória do brasileiro.

Também em Tnarva, Fabiano de Paula foi superado na primeira rodada pelo belga Steve Darcis, com parciais de 6/1 e 6/4.

De volta ao circuito no Rio Open, Fabiano de Paula afirma: “Já tive propostas pra entregar jogos, mas estou fora”

Fabiano de Paula peqO carioca Fabiano de Paula está de volta ao tênis. Depois de sete meses ausente do circuito, quatro deles sem pegar na raquete, se recuperando de uma cirurgia no ombro, ele recebeu um convite da organização e vai jogar a chave de duplas do Rio Open, ao lado de Orlando Luz.

Neste período, aproveitou, entre outras coisas, para rever seus jogos, buscando corrigir falhas, e estudar, começando a cursar a faculdade de Marketing:

“Com certeza foi um momento difícil, sem poder fazer as coisas que gosto de fazer. Acho que tudo que acontece tem motivo. Eu ainda não entendi, mas com certeza mais pra frente vou entender.”

Sem dúvida, um período longe das quadras é difícil para qualquer atleta e o apoio recebido é fundamental, coisa que não faltou para Fabiano:

“Tive o apoio da família, da minha equipe. Muitas pessoas trabalharam duro pra eu poder estar aqui no Rio Open, que foi a meta que colocamos. Muita gente sofreu comigo pra eu estar em quadra.”

Logo na estreia do ATP 500 disputado no saibro, Fabiano e Orlandinho terão pela frente os mineiros Bruno Soares e Marcelo Melo, principais favoritos da chave, mas engana-se quem pensa que seu objetivo é apenas aproveitar o jogo:

“Fiquei muito feliz com o convite, quero agradecer à organização do Rio Open. Acho que a gente tem tudo pra fazer um bom jogo, vou desfrutar, mas também vou entrar na quadra pra ganhar, como se fosse o primeiro jogo da minha carreira. Estou com uma expectativa muito boa e muito feliz por estar em um ambiente de competição, isso é o mais importante. Tenho que agradecer também aos meus patrocinadores que ficaram ao meu lado durante todo este tempo. Cheguei a propor não receber enquanto não joguei, mas me apoiaram o tempo todo, na cirurgia, em toda recuperação.”

Depois de criar a sua escolinha de tênis há um ano, na Rocinha, onde foi criado, o sorriso aparece quando fala das crianças e jovens que fazem parte do projeto, que já alcançou 200 jovens entre 6 e 14 anos, e recebeu a visita do norte-americano John Isner, nesta semana:

“A escolinha tá muito legal! As crianças estão jogando cada vez melhor, gostando cada vez mais de lá, de aprender. Tivemos a presença do Isner, as crianças ficaram muito empolgadas, um cara que vestiu a camisa mesmo. Todo mundo saiu com as energias renovadas pra seguir trabalhando. Cinco dos nossos jovens já estão indo treinar na Tennis Route e mais cinco devem ir também, mas o mais importante é que eles tenham  uma educação melhor e uma perspectiva de vida melhor, que abra um leque de opções e fiquem longe das drogas e da violência. O projeto foi feito pra isso. Nem todos serão profissionais, mas queremos que eles sonhem e que o sonho deles se realizem.”

Acostumado a jogar muitos Futures e Challengers, Fabiano não se esquivou de responder sobre a polêmica do ano no tênis, que surgiu durante o Australian Open, sobre o envolvimento de jogadores com máfias de apostas:

“Já tive propostas, mas fingi que nem era comigo, por facebook e telefone, mais de uma vez. Não chegaram a falar em valores, mas perguntaram se eu aceitaria perder o jogo. Foi em Future e em Challenger, mas eu to fora! Em outros episódios, pessoas entraram no meu facebook e me xingaram depois que perdi um jogo. Tenho várias mensagens ainda lá, não apaguei. Não entreguei pra ATP, pois não levava a sério. Só um português que me tirou do sério. Falou que eu tinha que morrer, que eu tinha que voltar pra favela vender drogas. Fiquei p.. na hora, mas deixei pra lá. O foco que temos que ter é no nosso trabalho e não em pessoas que querem ganhar a vida às suas custas, de uma maneira facilitada. Não foram 10 vezes que isso aconteceu, foram mais.”

Por fim, Fabiano afirmou que, mais maduro, o objetivo é subir no ranking, chegando à um nível mais alto, entrando no top-100:

“Tenho expectativa. Quanto mais aprendemos com a vida e com os obstáculos que passamos, temos mais condições de chegar ao objetivos. Óbvio que não é uma garantia (chegar ao top-100), mas vou fazer o possível, vou treinar, vou me dedicar. Acho que cada vez mais estão entrando mais tarde, tirando as exceções dos fenômenos. Temos que trabalhar, batalhar, buscar alternativas,  pegar experiências com jogadores que já pararam, com outros treinadores e  continuar trabalhando firme, buscando o máximo de apoio possível pra viajar e tendo condições de correr atrás do sonho.”, concluiu.

Melo e Soares são principais favoritos e enfrentam De Paula e Orlandinho na estreia do Rio Open

Melo e Soares - Luiz Pires peqSaiu a chave de duplas do Rio Open, ATP 500 disputado nas quadras de saibro do Jockey Club, no Rio de Janeiro.

Jogando juntos e já se preparando para as Olimpíadas, Marcelo Melo, nº 1 do mundo, e Bruno Soares, campeão do Australian Open, são os cabeças de chave nº 1 e terão pela frente outros dois brasileiros, Fabiano de Paula, que volta a jogar depois de mais de sete meses ausente por lesão, e Orlando Luz, convidados pela organização.

“A decisão de jogar juntos veio bem em cima da hora. Dependia do resultado do Marcelo em Roterdã, do Ivan. Depois do Australian Open, pra mim ficou mais fácil.” disse Soares, campeão de duplas e duplas mistas em Melbourne, aproveitando pra confirmar que as conquistas recentes não o satisfazem: “Ser número 1 do mundo significa ter uma consistência muito grande. Segue sendo um sonho meu.” concluiu.

Melo aproveitou pra revelar uma mensagem que serviu como uma “cobrança” entre os amigos e também um incentivo, enviada durante o primeiro Slam do ano, quando Soares se aproximava da conquista:

“Mandei uma mensagem pro Bruno no Australian Open, falei que era a hora dele também (ganhar um Slam).” disse o campeão de Roland Garros no ano passado, que recebeu o mesmo tipo de incentivo durante o Slam parisiense.

Outra dupla da casa que foi convidada será formada por Rogério Dutra Silva, o Rogerinho, e João Souza, o Feijão, que enfrentam o uruguaio Pablo Cuevas e o italiano Fabio Fognini, cabeças de chave nº 3.

Thomaz Bellucci e Marcelo Demoliner, que ficaram com o vice no ATP 250 de Quito, encaram o esloveno Aljaz Bedene e o espanhol Albert Ramos.

O mineiro André Sá joga ao lado do argentino Maximo Gonzalez e eles enfrentam o argentino Federico Delbonis e o italiano Paolo Lorenzi.

Ghem vence e chega às quartas do Challenger de Poprad. Clezar vira sobre equatoriano em Blois

Ghem peqNesta quarta-feira, o gaúcho André Ghem chegou às quartas de final do Challenger de Poprad, na Eslováquia, que é disputado no saibro.

O brasileiro superou o local Filip Horansky, em dois sets e sem dar muitas chances ao adversário, com parciais de 6/2 e 6/1.

Também em Poprad, Fabiano de Paula perdeu nas oitavas para o tcheco Jan Satral, com parciais de 6/4 e 6/3.

No Challenger de Blois, na França, também disputado no saibro, Guilherme Clezar conseguiu uma dura e importante vitória para garantir vaga nas quartas de final do torneio.

Nesta quarta, ele superou de virada o equatoriano Gonzalo Escobar, com parciais de 3/6 6/4 e 7/6(2).

Na terça-feira, Rogério Dutra Silva, o Rogerinho, havia perdido na primeira rodada para o francês Gianni Mina, que anotou 7/6(1) e 7/5.

Ghem e Fabiano de Paula passam pela estreia no Challenger de Propad, na Eslováquia

Ghem 2 peqOs dois brasileiros na chave já passaram pela primeira rodada do Challenger de Propad, na Eslováquia, que é disputado no saibro.

Nesta segunda-feira, André Ghem venceu em sets diretos o tcheco Jan Mertl, com um duplo 6/2. Seu próximo adversário será Filip Horansky, também da Eslováquia.

Fabiano de Paula passou pelo convidado local Dominik Sproch, também em dois sets, com parciais de 6/1 e 6/4.