Murray luta muito, vence alemão em 5 sets e terá desafio contra Shapovalov em Wimbledon

Sir Andy Murray! Jogo a jogo, ponto a ponto. Apreciar o britânico em quadra, especialmente em Wimbledon, é algo que deve ser degustado com toda a calma e todo valor, principalmente por não se saber quando será a última vez, que está cada vez mais perto, aparentemente.

Nesta quarta-feira, Murray teve muito trabalho. Começou bem, levou a virada e depois foi buscar a vitória diante do alemão Oscar Otte, com parciais de 6/3 4/6 4/6 6/4 e 6/2, garantindo sua vaga na terceira rodada do terceiro Grand Slam da temporada.

Agora, mais um desafio. Um gigante, na verdade. O britânico terá pela frente o canadense Denis Shapovalov, que nem precisou entrar em quadra pela segunda rodada, depois da desistência do espanhol Pablo Andujar.

Em outros jogos do dia, quase nenhuma surpresa. Matteo Berrettini precisou de 4 sets para superar o lutador argentino Guido Pella, ainda pela primeira rodada, enquanto Kei Nishikori não deu chances ao australiano Alexei Popyrin, 3×0.

De surpresa, mas nem tanto, a derrota de John Isner diante do japonês Yoshihito Nishioka, em 5 sets,

Favorito, Andrey Rublev também garantiu sua segunda vitória no torneio, assim como Novak Djokovic, que reeditou decisão contra Kevin Anderson e, assim como fez em 2018, não deu chances ao sul-africano e venceu em sets diretos.

Foto: AELTC/David Gray

Djokovic vence Shapovalov com tranquilidade e conquista em Paris seu 34º título de Masters 1000

Novak Djokovic fez neste domingo uma das coisas que mais sabe fazer: ganhar título de Masters 1000!

Em Paris, no Masters 1000 local, o sérvio triunfou pela 34ª vez em um torneio deste nível, vencendo na final o canadense Denis Shapovalov, em sets diretos, com parciais de 6/3 e 6/4.

“Acho que joguei a melhor partida do torneio, por isso o jogo foi curto. Coloquei-o sobre pressão no segundo saque, fui sólido no fundo de quadra e não lhe dei muitas oportunidades.” disse Djokovic.

Agora, Djokovic tem no seu currículo 34 títulos de Masters, ficando a apenas um do recordista Rafael Nadal, além de chegar à marca de 77 conquistas de ATP, igualando-se ao norte-americano John McEnroe.

 

Djokovic perde set, mas vence Zverev e se garante como nº 1 até o fim do Australian Open

Mais um dia sem grandes surpresas na chave masculina do Australian Open, primeiro Grand Slam da temporada, disputado no piso duro de Melbourne.

O sérvio Novak Djokovic  enfrentou mais um adversário duro e pela primeira vez no torneio perdeu um set e quem teve essa chance foi o canadense Denis Shapovalov.

Mesmo assim, o Djokovic se impôs, inclusive com um pneu no quarto set. Com isso, ele se garantiu como nº 1 ATP ao final do torneio, independente do campeão.

Kei Nishikori teve trabalho apenas no 1º set, quando precisou de um tiebreak contra o português João Sousa. Depois, deslanchou e fechou sua vitória por 3×0.

Fabio Fognini e Pablo Carreno Busta fizeram um típico confronto de saibristas, com muitas quebras de saque, com o espanhol levando a melhor por 3×1, enquanto o russo Daniil Medvedev manteve seu ótimo ritmo ao vencer o belga David Goffin por 3×0.

Já na manhã deste sábado, Alexander Zverev conseguiu vencer uma partida com tranquilidade, ao anotar 6/3 6/3 e sobre o local Alex Bolt.

O 7º dia do torneio, na noite deste sábado, horário de Brasília, marca o início das oitavas de final, com um bom confronto entre Rafael Nadal e Tomas Berdych, no 3º jogo da Rod Laver Arena.

Na rodada noturna, Roger Federer deve encontrar mais resistência, mas é amplo favorito diante do jovem grego Stefanos Tsitsipas.

Na Margaret Court, o croata Marin Cilic, que vem de ótima virada sobre o espanhol Fernando Verdasco, encara outro espanhol, Roberto Bautista-Agut, enquanto Grigor Dimitrov enfrenta o embalado norte-americano Francis Tiafoe.

Rogerinho fura o quali do ATP de Auckland e estreia contra Shapovalov, na 2ª feira

Rogério Dutra Silva, o Rogerinho, começou bem sua temporada, furando o qualifying do ATP 250 de Auckland, na Nova Zelândia, que é disputado no piso duro e que serve como última preparação para o Australian Open, primeiro Grand Slam da temporada.

Na noite deste sábado, horário de Brasília, o brasileiro conseguiu a segunda vitória e a vaga na chave ao bater o eslovaco Lukas Lacko, em sets diretos, com parciais de 7/5 e 6/4.

Seu adversário na primeira rodada, já nesta segunda-feira, será o canadense Denis Shapovalov, nº 51 do mundo. Os dois já se enfrentaram uma vez, na primeira rodada do Masters 1000 de Montreal do ano passado, quando Shapovalov venceu de virada, depois de salvar 4 match points.

Depois de 6 anos com Raonic, prêmio de melhor canadense do ano fica com jovem Shapovalov

Depois de seis anos consecutivos, Milos Raonic não foi premiado como melhor jogador de tênis canadense, em 2017.

Dessa vez, a Federação de tênis do país nomeou o jovem Denis Shapolavov como o melhor jogador na atual temporada, depois do maior destaque que conseguiu no ano, principalmente com a semifinal do Masters 1000 de Montreal.

Na ocasião, ele chegou a bater Rafael Nadal e Juan Martin Del Potro. Além disso, também foi destaque sua campanha até as oitavas de final do US Open.

Raonic, apesar de ser o melhor canadense no ranking, na 24ª posição, teve uma temporada difícil, com lesões e sem repetir suas melhores campanhas.

Com o objetivo de entrar pro top 150 em 2017, Shapovalov foi muito além disso e fecha o ano como nº 51, sendo que seu melhor ranking foi o 49º.

“Com muita humildade, sou reconhecido como o jogador masculino do ano da Tennis Canada, e tenho a oportunidade de representar meu país no circuito da ATP e na Copa Davis.”, disse Shapovalov, pra completar com seus objetivos pra 2018: “Definitivamente, quero ganhar um título de ATP e, se tudo correr bem, terminar o ano no top-25” concluiu.

O veterano Daniel Nestor, que deve fazer sua despedida como profissional em 2018, foi premiado como melhor duplista canadense do ano.

Next Gen ATP Finals começa nesta 3ª, em Milão, com teste de regras dentro e fora das quadras

Começa nesta terça-feira, em Milão, na Itália, o Next Gen ATP Finals, torneio que reúne os oito nomes da nova geração da ATP que mais se destacaram nesta temporada.

O torneio terá o teste de novas regras. Serão jogos de cinco sets, mas um jogador vence uma parcial ao ganhar 4 games. Se chegar a 3/3, será disputado um tiebreak.

Além disso, todos os games serão disputados no sistema No-Ad, ou seja, sem vantagem, como acontece nos jogos de duplas.

Porém, um dos pontos que mais chama atenção será a ausência de juízes de linha. Com isso, todas as marcações serão provenientes do sistema eletrônico. Fora das quadras, os torcedores poderão se movimentar durante os pontos.

Sem valer pontos para o ranking, uma grande motivação para os jovens jogadores será a distribuição de dinheiro. O campeão, por exemplo, leva quase 400 mil dólares.

Distribuídos em dois grupos, como no ATP Finals. Os dois melhores de cada chave vão às semifinais. A divisão ficou assim:

Grupo A: Andrey Rublev, Denis Shapovalov, Hyeon Chung e Gianluizi Quinzi

Grupo B: Karen Khachanov, Daniil Medvedev, Borna Coric e Jared Donaldson

Nesta terça-feira, o torneio começa com o confronto entre os russos Khachanov e Medvedev. Depois, o canadense Shapovalov enfrenta o sul-coreano Chung.

Mais tarde, o croata Coric encara o norte-americano Donaldson, enquanto o russo Rublev joga contra o italiano Quinzi.

Zverev e Shapovalov fazem semi da nova geração em Montreal. Federer encara Haase

Definidas, e com grandes surpresas, as semifinais do Masters 1000 de Montreal, no Canadá, que é disputado no piso duro.

Depois da inesperada vitória sobre Rafael Nadal, o jovem canadense Denis Shapovalov manteve o embalo e conseguiu mais uma virada, dessa vez sobre o francês Adrian Mannarino, com parciais de 2/6 6/3 e 6/4.

Dessa forma, ele se torna o jogador mais jovem a chegar à uma semi de Masters 1000 na História, e agora terá como adversário outro jovem talento, Alexander Zverev.

O alemão, que já conquistou um Masters 1000 neste ano, em Roma, venceu em sets diretos o sul-africano Kevin Anderson por 7/5 e 6/4.

Mais cedo, Roger Federer manteve a invencibilidade contra o espanhol Roberto Bautista-Agut, vencendo com certa tranquilidade por duplo 6/4.

Neste sábado, seu adversário será outra surpresa do torneio, o holandês Robin Haase, que passou pelo argentino Diego Schwartzman por 4/6 6/3 e 6/3.

Shapovalov surpreende e vira sobre Nadal em Montreal. Federer vence Ferrer

Depois de vencer Juan Martin Del Potro, o jovem canadense Denis Shapovalov, de 18 anos, conseguiu sua maior vitória na carreira até o momento, e eliminou Rafael Nadal nas oitavas de final do Masters 1000 de Montreal, no Canadá, que é disputado no piso duro.

Na noite desta quinta-feira, o espanhol até começou bem o jogo, vencendo o primeiro set e encaminhando sua classificação, mas o jovem local não se intimidou e conquistou uma bela virada, com parciais de 3/6 6/4 e 7/6(4).

Vale lembrar que na primeira rodada Shapovalov chegou a salvar 4 match points contra o brasileiro Rogerinho. Agora, ele terá pela frente o francês Adrian Mannarino.

Nadal perdeu uma grande chance de voltar a ser número 1 do mundo, já que, se tivesse vencido, faria isso com mais uma vitória.

Um pouco mais cedo, Roger Federer levou um susto, saiu atrás de David Ferrer, mas conseguiu a virada, com parciais de 4/6 6/4 e 6/2. Nas quartas, seu adversário será o espanhol Roberto Bautista-Agut.