Anderson duela com Isner por mais de 6 horas, vence e vai à final de Wimbledon

Histórico! Incrível! Insano! São adjetivos que podem se encaixar muito bem no que foi a primeira semifinal masculina de Wimbledon.

Kevin Anderson e John Isner fizeram um jogo extremamente disputado e, depois de mais de seis horas, o sul-africano levou a melhor, com três tiebreaks e um 5º set longo que acabou com 26/24 e quase 3 horas de duração e um total de mais de 6 horas de disputa:

“Isso está muito além do que uma partida de tênis normal. Obviamente estou em êxtase por estar na final, ao mesmo tempo em que você acha que deve ser um empate…Definitivamente, sinto por John também.” Afirmou o gigante sul-africano, que chega à mais uma final de Slam, depois de ficar com o vice do US Open do ano passado.

John Isner, que passou pelo histórico confronto contra Nicolas Mahut em 2010, no jogo mais longo da História do tênis, que durou mais de 11hs, lamentou a dura derrota, depois de ficar tão perto da sua primeira final de um dos quatro maiores torneios da temporada:

“É decepcionante perder. Eu estava bem perto de fazer uma final de Grand Slam, e isso não aconteceu. Quero dizer, eu lutei muito. É disso que tenho que me orgulhar. Acabei de perder para alguém que esteve um pouco melhor no final.”

Na sequência, Rafael Nadal e Novak Djokovic entraram em quadra pra mais um esperado confronto entre eles e, depois de muitas disputas, o sérvio levava a melhor, abrindo 2 sets a 1 e o limite de horário para jogos – 23hs em Wimbledon – deixou o complemento da semifinal para este sábado.

Foto: Cynthia Lum/Icon Sportswire

Semifinalistas de Wimbledon, Isner e Anderson são exemplos de sucesso depois do tênis universitário

Nesta sexta-feira, John Isner e Kevin Anderson entrarão em quadra para a disputa de uma das semifinais de Wimbledon.

Com estilos parecidos, de forte saque e muitos aces, utilizando muito bem a altura de mais de 2 metros, ambos sempre apresentaram características que “encaixam” em um piso veloz como a grama, mas não eram, antes do início do torneio, considerados favoritos para a presença em uma final, mesmo com a boa fase nos últimos meses – Anderson é o atual vice-campeão do US Open e Isner venceu seu primeiro Masters 1000 neste ano, em Miami.

Porém, os dois foram além das expectativas e fazem, nesta sexta, um verdadeiro confronto de gigantes.

O que nem todo mundo sabe é que eles têm algo em comum além da altura e das boas campanhas no circuito profissional: os dois passaram pelo forte e cada vez mais valorizado circuito universitário norte-americano de tênis (NCAA).

Isner jogou pela Universidade da Geórgia, onde ser formou em comuniação, e teve destaque nesta fase da sua vida, entre os anos de 2003 e 2006, enquanto Anderson defendeu a Universidade de Illinois.

Além disso, uma curiosidade: os dois se enfrentaram em uma partida na NCAA, com Isner saindo vencedor com parciais de 6/1 e, como não poderia deixar de ser, 7/6. No circuito ATP, Isner lidera o confronto direto por 8×2.

A semifinal de Wimbledon significa muito pra eles. Do ponto de vista profissional e, claro, financeiro – premiação garantida de 562 mil libras – Anderson, em especial, vem de um verdadeiro feito, virando um jogo sobre Federer na grama, depois de ficar dois sets abaixo e salvar match point.

Mais do que isso, essa semi é exemplar! Quantos jovens talentosos recebem oportunidades de estudo nos EUA, com bolsa, jogando o circuito universitário, mas ficam em dúvida? Muitos!

Por muitos anos, essa perspectiva foi muito desvalorizada, significando quase que abrir mão de um futuro como profissional. De uns tempos pra cá, entretanto, essa visão mudou. Muitos casos, inclusive de famosos, como os próprios Isner e Anderson, além de Bob Bryan, James Blake e outros tantos, apresentam o sucesso e a excelente alternativa que pode ser essa escolha.

A Tennis View sempre apoiou jovens que tomaram essa decisão, auxiliados por empresas como Daquiprafora, umas das principais empresas no assessoramento de atletas e estudantes para universidades nos Estados Unidos, e da Fundação Lemann, reconhecida por auxiliar tenistas.

Wimbledon, portanto, só reforça essa visão. John Isner e Kevin Anderson são cada vez menos exceções e se tornam a cada dia mais comuns. Existe vida pós a Universidade. E vida com muitos aces, vitórias e, quem sabe, títulos de Slam.

Foto: AELTC/Joel Marklund

Djokovic vence Verdasco por 3×0 e encara surpreendente Cecchinato nas 4ªs em Paris

Foi até mais tranquilo que o esperado, mas Novak Djokovic também está nas quartas de final de Roland Garros, segundo Grand Slam da temporada, disputado no saibro.

Neste domingo, o sérvio não deu muitas chances ao espanhol Fernando Verdasco, que não apresentou resistência para o eficiente jogo de fundo de quadra do ex-nº 1 do mundo, que triunfou com parciais de 6/3 6/4 e 6/2.

Agora, por vaga na semi, Djokovic terá pela frente uma das maiores surpresas da chave, o Marco Cecchinato, que anotou uma grande vitória sobre o belga David Goffin, com parciais de 7/5 4/6 6/0 e 6/3.

As outras duas partidas das quartas serão definidas nesta segunda-feira, começando com Rafael Nadal e seu amplo domínio na partida contra o surpreendente alemão Maximilian Marterer, na quadra Philippe-Chatrier.

No mesmo local, o croata Marin Cilic encara o italiano Fabio Fognini, no que deve ser um jogo mais equilibrado.

Na quadra Suzanne-Lenglen, confronto de estilos entre a eficiência e velocidade do argentino Diego Schwartzman e o potente saque do sul-africano Kevin Anderson, enquanto Juan Martin Del Potro terá pela frente o norte-americano John Isner.

Foto: Pauline Ballet/FFT

De virada, Isner vence Zverev e conquista em Miami o seu 1º título de Masters 1000

Foi equilibrada, como era merecido, a grande final do Masters 1000 de Miami, nos Estados Unidos, que é disputado no piso duro.

Neste domingo, o alemão Alexander Zverev venceu o 1º set depois de muito equilíbrio, decidido no tiebrek, enquanto uma única quebra de saque permitiu o empate do norte-americano.

Na terceira parcial, mais equilíbrio, com levando a melhor quebrando no nono game e fechando a partida com parciais de 6/7(4) 6/4 e 6/4.

Com o resultado, o jogador da casa garantiu uma ascensão de 8 posições no ranking da ATP, indo ao 9º lugar, repetindo a sua melhor marca.

Esse foi o primeiro título de Isner em um torneio de Masters 1000, depois de ficar com o vice campeonato em três oportunidades.

Isner encerra longa invencibilidade de Del Potro e encara Zverev na decisão em Miami

Está marcada para o domingo a grande final do Masters 1000 de Miami, nos Estados Unidos, que é disputado no piso duro.

Nesta sexta-feira, depois de 15 vitórias seguidas, incluindo dois títulos, entre eles o Masters 1000 de Indian Wells, o argentino Juan Martin Del Potro foi superado pelo norte-americano John Isner, em sets diretos, com parciais de 6/1 e 7/6(2).

Com a vitória, o jogador da casa vai em busca do seu primeiro título de Masters 1000, depois de ficar com o vice em três oportunidades.

Seu adversário na decisão saiu no jogo da noite e quem levou a melhor foi o alemão Alexander Zverev. O atual nº 5 do mundo também precisou de apenas dois sets pra passar pelo espanhol Pablo Carreno Busta, com parciais de 7/6(4) e 6/2.

Será o quatro confronto entre eles e, por enquanto, Zverev levou a melhor em todos os outros, incluindo uma partida no próprio torneio de Miami, no ano passado, válido pela 3ª rodada.

Carreno Busta bate Anderson pela 1ª vez e encara Zverev na semi em Miami. Del Potro e Isner se enfrentam

Está definido o primeiro semifinalista do Masters 1000 de Miami, nos Estados Unidos, que é disputado no piso duro.

Na tarde desta quinta-feira, o espanhol Pablo Carreno Busta conseguiu uma bela virada sobre  o sul-africano Kevin Anderson, garantindo sua vaga depois de fechar o jogo com parciais de 6/4 7/5 e 7/6(6).

Esse é o melhor resultado do espanhol no torneio, já que até neste ano sua melhor campanha em Miami havia sido a segunda rodada, no ano passado.

Além disso, Carreno Busta conseguiu sua primeira vitória sobre Anderson, exatamente no 6º confronto entre eles.

No outro jogo do dia, em confronto da nova geração, melhor para o alemão Alexander Zverev, que passou pelo croata Borna Coric, em sets diretos, com um duplo 6/4.

Além de Zverev e Carreno Busta, que vão se enfrentar pela primeira vez na carreira, a outra semifinal também será disputada nesta sexta-feira.

Com nove confrontos diretos, o argentino Juan Martin Del Potro e o norte-americano John Isner entram em quadra por vaga na final. Vale lembrar que Del Potro vem muito embalado, com os títulos seguidos do ATP 50 de Acapulco e do Masters 1000 de Indian Wells.

Del Potro vira sobre Raonic, vence a 15ª seguida e encara Isner na semi em Miami

Juan Martin Del Potro segue o embalo e agora conseguiu sua 15ª vitória seguida, ao chegar às semifinal do Masters 1000 de Miami, nos Estados Unidos, que é disputado no piso duro.

Nesta quarta-feira, o atual nº 6 do mundo precisou virar a partida diante do canadense Milos Raonic, fechando o jogo com parciais de 5/7 7/6(1) e 7/6(3).

Embalado pelos títulos consecutivos em Acapulco e Indian Wells, o argentino terá pela frente na semi o norte-americano John Isner, que se impôs diante do jovem sul-coreano Hyeon Chung, vencendo por 6/1 e 6/4.

Nesta quinta-feira, serão disputados dois jogos das quartas, com o espanhol Pablo Carreno Busta encarando o sul-africano Kevin Anderson.

Mais tarde, confronto da nova geração entre o alemão Alexander Zverev e o croata Borna Coric, que vem de uma boa campanha em Indian Wells, quando esteve perto de vencer Roger Federer na semifinal.

Bellucci enfrenta Dolgopolov nesta segunda no Rio Open. Isner e Bia Haddad também estreiam

Bellucci - Gstaad peqAlguns dos favoritos estreiam nesta segunda-feira no Rio Open, ATP 500 e WTA International disputados no saibro, no Rio de Janeiro.

Abrindo a programação da quadra central, que agora se chama Guga Kuerten, às 14:15hs, Gabriela Cé, convidada pela organização, terá pela frente a romena Ana Bogdan. Na sequência, na mesma quadra, o norte-americano John Isner, cabeça 4, encara o argentino Guillo Pella.

Thomaz Bellucci tem jogo marcado contra o ucraniano Alexandr Dolgopolov, também na principal quadra. Os dois já se enfrentaram duas vezes, com duas vitórias do ucraniano, no Masters 1000 de Miami, no ano passado, e no ATP 250 de Sydney, neste ano.

O italiano Fabio Fognini fecha a rodada contra o esloveno Aljaz Bedene e na quadra 1, Bia Haddad faz confronto de convidadas contra a romena Sorana Cirstea. As duas se enfrentaram neste ano, no ITF do Guarujá, com vitória de Sorana de virada.

John Isner chega ao Rio Open e se encanta com beleza da cidade

Isner - coletiva peqUm dos principais favoritos da edição de 2016 do Rio Open, o norte-americano John Isner afirmou que está impressionado com a beleza da cidade e garante que está preparado para encarar o saibro carioca. O número 12 do mundo, que tem 2,08m de altura, está disputando a temporada sul-americana pela primeira vez na carreira.

“Tenho 30 anos agora e eu nunca havia jogado na América do Sul, então achei que era uma boa oportunidade de conhecer esses lugares. É muito lindo aqui, estou feliz por ter vindo. Além disso, acho que posso jogar muito bem no saibro também. Este torneio é um que sempre vi no calendário e nunca joguei, mas é grande, então é uma oportunidade”, disse Isner.

Vencedor da partida mais longa da história do tênis (11 horas e cinco minutos), na edição de 2010 de Wimbledon, Isner ficou impressionado com a vista do Jockey Club Brasileiro. “A palavra que eu usaria para descrever o Rio é luxuoso. É tão verde e lindo. Você olha para cima e vê o Cristo Redentor. É um local muito especial”, afirmou Isner. “É um dos lugares mais lindos que já visitei na vida”.

O norte-americano também revelou que o fato de a cidade receber os Jogos Olímpicos não influenciou sua decisão de jogar o Rio Open. “Não pensei muito nisso. Eu vir aqui não tem a ver com as Olimpíadas. Queria jogar este torneio porque é grande e só ouvi coisas incríveis sobre aqui”, explicou.

“(O torneio) parece bem organizado. Tudo está sob controle. A sala dos jogadores é ótima, a comida é excelente, as quadras estão fantásticas. Ainda não vi a Quadra Central, mas ouvi que é muito boa também. É um torneio grande e creio que é muito bem organizado”, acrescentou Isner, que não está preocupado com o clima quente do Rio. “Na Austrália não é muito úmido, mas a temperatura é alta. Aqui é úmido. Mas moro na Flórida e estudei na Geórgia, então não é tão diferente daqui”.

Dono de um dos saques mais velozes do circuito, Isner reconheceu que seus 2,08 de altura o ajudam bastante, mas também apontou que a estatura avantajada também traz desvantagens: “Não é tão fácil, porque sou bem maior que grande parte dos tenistas por aí e preciso me cuidar muito para ficar saudável. Comer do jeito certo, treinar corretamente. Caras altos são propícios a ter lesões, mas tive sorte na minha carreira e consegui evitar muitos problemas”.

Foto: Fotojump

Isner bate Lopez e enfrenta Ferrer nas oitavas do Australian Open. Murray e Wawrinka também vencem

Isner peqAs últimas partidas válidas pelas oitavas de final da chave masculina do Australian Open foram definidas no 6º dia de disputa do primeiro Grand Slam da temporada.

O norte-americano John Isner venceu o espanhol Feliciano Lopez por 6/7(8) 7/6(5) 6/2 e 6/4, classificando-se para enfrentar o espanhol David Ferrer, que anotou 6/1 6/4 e 6/4 sobre o norte-americano Steve Jonhnson.

O canadense Milos Raonic bateu o sérvio Viktor Troicki em sets diretos, com parciais de 6/2 6/3 e 6/4, e vai encarar o suíço Stan Wawrinka, que passou pelo tcheco Lukas Rosol por 6/2 6/3 e 7/6(3).

O britânico Andy Murray chegou a perder um set, mas superou o português João Sousa por 6/2 3/6 6/2 e 6/2, e terá como adversário o australiano Bernard Tomic, que venceu o compatriota John Millman por 6/4 7/6(4) e 6/2.

A outra partida definida será entre o francês Gael Monfils, que venceu o compatriota Stephane Robert por 7/5 6/3 e 6/2, e o russo Andrey Kuznetsov, que passou pelo israelense Dudi Sela, com parciais de 7/5 3/6 6/1 e 7/6(4).

Para conferir todos os resultados do dia, clique aqui.

Foto: Theo Karanikos/Tennis Australia